quinta-feira, setembro 03, 2009

Corrigindo.

Num comentário, o Nuno Gaspar chamou a atenção para o post «Ciência X Religião: retardo mental», do Luciano Henrique (1). Dando uma olhada rápida, pareceu-me pouco interessante: «com problemas mentais sérios.[...] a mania […] a mais debilóide de todas […] essa turminha […] Tudo besteira. Tudo balela», e assim por diante. Mas como a discussão, aqui, já vai em mais de quinhentos comentários (2), decidi reconsiderar e dedicar algum tempo ao Luciano. Quanto mais não seja pelo esforço. Peço desculpa aos intervenientes se repetir muita coisa, mas não consegui acompanhar a conversa.

A tese do Luciano é que a ciência não se corrige, e que dizer que a ciência se pode corrigir é «uma besteira inominável, uma estupidez». Demonstra-o assim: «A ciência só poderia se corrigir se a ciência estivesse errada. Mas não estava. A definição de ciência segue a mesma de sempre.» Não sabendo a idade do Luciano não sei se este exemplo já faz sentido, mas pensemos que a professora lhe corrige as contas onde ele se enganou. Seria pouco correcto o Luciano chamar besta estúpida à professora só porque a definição do termo “contas” permaneceu a mesma.

Outro equívoco transparece num exemplo do Luciano, «quando um estúdio traz uma nova técnica que supera uma anterior, isso não significa que “o cinema se corrigiu”. Da mesma forma, uma nova teoria de administração, ou uma inovação, não implica em “administração se corrigindo”. Por isso que dizer “a ciência se corrige” é burrice.» Concordo que se alguém disser que o cinema a cores corrigiu o cinema a preto e branco terá de explicar o que quer dizer, pois não é óbvio em que sentido se pode falar de correcção, neste caso. Mas a ciência é diferente. Se um modelo matemático do sistema solar prevê um eclipse, é evidente que se o eclipse não ocorre na data prevista o modelo está errado. E se alterarmos o modelo para prever correctamente os eclipses então corrigimos o modelo. Neste contexto, as noções de correcto, errado e corrigir não levantam problemas porque é objectivo expresso da ciência que os seus modelos correspondam à realidade. Ao contrário do que se passa no cinema, o que espero não seja novidade para o Luciano.

Por isso é falso que o conflito entre ciência e religião «só existe na cabeça de alguém com problemas mentais sérios.» A origem do conflito é clara. A ciência e as religiões dizem coisas diferentes mas todas pretendem afirmar algo que corresponda à realidade. Não é apenas por serem diferentes que há conflito, nisso estou de acordo. Não há conflito entre as histórias do Batman e do Tio Patinhas. Mas há conflito, necessariamente, entre descrições incompatíveis da realidade. Porque a realidade é só uma. O resto é fantasia.

«E a religião?», pergunta o Luciano, «Originada do latim “religio”, pode ser definida, na visão do todo, como o conjunto de crenças relacionadas ao divino, sobrenatural, sagrado, transcendental, etc. Na visão individual, é o conjunto de práticas religiosas, junto com o código moral, que se deriva dessa crença.» Concordo que o conjunto de práticas religiosas, por si, não cria conflitos com a ciência. Ir a um baptizado é perfeitamente compatível com a teoria da evolução. Mas para evitar o conflito a religião tem de se abster de afirmações acerca da realidade. E este é um preço demasiado alto para qualquer religião, pois implica o desemprego de todos os sacerdotes e teólogos, cuja carreira depende da crença que eles sabem algo que os outros desconhecem.

O Luciano também se insurge contra a «arrogância excessiva»(3) dos ateus que apontam as contradições entre o que a ciência nos diz, que somos resultado de um processo natural sem inteligência nem propósito, e o que a religião nos diz, que tudo isto tem um sentido porque, sem explicar o que isso adianta, foi tudo criado por um ser omnicoisas. O Luciano argumenta com duas analogias, uma em que um homem solteiro critica um casado e outra em que um trabalhador por conta própria critica um que trabalha para outrem. Diz que são «exemplos exatamente iguais ao do comportamento neo-ateísta.»(3) mas, em ambos, falha por completo o alvo.

É verdade que não me agrada ir à missa, nem trabalhar num navio pesqueiro e que me sinto bem casado. Mas não tenho problemas em aceitar que outros tenham gostos diferentes. E se assumirem a religião como uma questão de gosto pessoal nada tenho a criticar. O problema, para aproveitar a analogia do Luciano, é se houver uma data de gente convencida que está casada com o Mickey ou com a Minnie, que ensina isso às crianças, que exige que se respeite essa convicção, que a apregoa como um facto e que reclama que a sua relação especial com o Mickey e a Minnie lhes dá acesso a um conhecimento que transcende o que a ciência pode alcançar. Nesse caso parece-me bem avisar que o Mickey e a Minnie não são verdadeiros. São ficção. Bonecos.

O que critico nas religiões não é as pessoas gostarem de rezar, de se benzer ou ir à missa. Não tenho nada contra isso, tal como não tenho nada contra quem goste de ser pescador ou solteiro. O problema é não perceberem que a religião é uma questão de gosto e, por isso, levarem demasiado a sério as proclamações de quem diz representar este ou aquele boneco.

1- Luciano Henrique, Ciência X Religião: retardo mental
2- Teorias e sobrenaturalices.
2- Luciano Henrique, Ateus e o eterno olhar de pidão do lado de fora

501 comentários:

  1. "O que critico nas religiões não é as pessoas gostarem de rezar, de se benzer ou ir à missa. Não tenho nada contra isso, tal como não tenho nada contra quem goste de ser pescador ou solteiro. "

    exatamente.

    ResponderEliminar
  2. O Ludwig começa por recorrer à falácia da reificação, procurando descrever a ciência uma realidade com subsistência, autonomia, racionalidade e vontade próprias. Sucede, porém, que a ciência, em si mesma, é um conceito.

    O que existe, mesmo, são pessoas que se dedicam a estudar o mundo que as envolve e a interpretar os dados observados à luz das crenças que têm acerca desse mundo.


    Esses cientistas têm crenças muito diferentes, interpretando os dados observáveis de maneira diferente.

    O acordo entre eles só existe quando se trata de descrever e medir aquilo que é, efectivamente, observável ou passível de experimentação.


    Os criacionistas e os evolucionistas têm exactamente os mesmos dados observáveis e as mesmas experiências científicas.

    Nisso não existe qualquer desacordo.

    Este ocorre, apenas, na interpretação dos dados observáveis.


    Tanto criacionistas como evolucionistas desenvolvem modelos que vão descartando, com base na observação e na experiência.


    A religião cristã baseia-se no testemunho de pessoas oculares que testemunharam acontecimentos que as leis naturais não podem explicar (v.g. a transformação da água em vinho, a multiplicação dos pães e dos peixes, a cura de muitos doentes, a ressurreição de Lázaro, a ressurreição do próprio Jesus Cristo).

    Exactamente porque sabiam que nenhuma pessoa normal e nenhuma lei natural podiam explicar o que viam, essas pessoas ficaram totalmente convencidas de que Jesus Cristo era filho de Deus, a ponto de estarem dispostos a pagar, com a vida, essa sua convicção.


    O naturalismo baseia-se na afirmação de que o mundo surgiu do nada por acaso e depois explodiu e de que a vida surgiu por acaso, sem que ninguém tenha observado isso ou possa reproduzir isso experimentalmente.

    A lei da conservação da energia e a lei da biogénese encarregam-se de desmentir essas afirmações.

    Em última análise, o naturalismo é fantasia, sem qualquer correspondência com a realidade.


    O criacionismo bíblico não é incompatível com a ciência, na medida em que não nega a existência de qualquer lei natural ou de qualquer facto observável ou passível de experimentação.

    Pelo contrário, a existência de leis naturais e de informação codificada nos genomas, altamente complexa e densa, corrobora a Criação do Universo e da vida por um Deus racional.


    A doutrina bíblica não se baseia em preferências subjectivas, mas em factos objectivos.

    Existe mais evidência histórica de que Jesus Cristo viveu, morreu e ressuscitou, do que de que a vida surgiu por acaso.

    Dizer que a vida surgiu por acaso é que é uma mera afirmação subjectiva, destituída de qualquer comprovação empírica.

    ResponderEliminar
  3. Apesar de tudo, a descoberta sucessiva de aminoácidos, proteínas, vasos sanguíneos, ligamentos e tecidos moles de dinossauro não fossilizado adequa-se melhor à ideia de que foram abruptamente sepultados há alguns milhares de anos, do que de que os mesmos se extinguiram há cerca de 65 milhões de anos.

    ResponderEliminar
  4. O ruim nisso tudo é ele não querer vir aqui (e em outros lugares como tal) onde não se pratica tão descaradamente quanto ele, a arte de editar e excluir comentários quando não o agradam.

    Luciano, sei que voce irá ler isto aqui, portanto, deixe de ser covarde e dê as caras. Basta de se esconder por trás de sua megalomania, de se sentir como um deus, só por ter as ferramentas discricionárias do blog.

    ResponderEliminar
  5. Nuno Gaspar03/09/09, 13:53

    Só o Perspectiva conseguirá travar o Luciano. Não por lógica na argumentação mas por aborrecimento.

    Ludwig e Perspectiva,

    Façam favor de ler a caixa lá atrás (um momento mágico da blogosfera) e verão sentir menos necessidade de repetir as banalidades do costume.

    ResponderEliminar
  6. Nuno Gaspar,

    «Façam favor de ler a caixa lá atrás»

    Qual caixa? A dos 550 comentários? Lamento, mas não vou conseguir...

    ResponderEliminar
  7. A comparação que eu fiz (que Ludwig não entendeu) é a de que um grupo ofende um outro grupo somente pelo fato do outro grupo ter um valor. Logo, o grupo que tem o valor tem motivação suficiente para o revide.

    "E se assumirem a religião como uma questão de gosto pessoal nada tenho a criticar. O problema, para aproveitar a analogia do Luciano, é se houver uma data de gente convencida que está casada com o Mickey ou com a Minnie, que ensina isso às crianças, que exige que se respeite essa convicção, que a apregoa como um facto e que reclama que a sua relação especial com o Mickey e a Minnie lhes dá acesso a um conhecimento que transcende o que a ciência pode alcançar. Nesse caso parece-me bem avisar que o Mickey e a Minnie não são verdadeiros. São ficção. Bonecos."

    Estranho Ludwig ainda estar preocupado com o fato de que Mickey e Minnie seriam ou não bonecos. Já passou da idade de ter essa dúvida. Só que a analogia é estúpida, pois ele compara com a existência de Deus, que está além do domínio de observação experimental (ao passo que os bonecos estão).

    Isso é só a tecnicazinha do bule de Russell modificada.

    "O que critico nas religiões não é as pessoas gostarem de rezar, de se benzer ou ir à missa. Não tenho nada contra isso, tal como não tenho nada contra quem goste de ser pescador ou solteiro. O problema é não perceberem que a religião é uma questão de gosto e, por isso, levarem demasiado a sério as proclamações de quem diz representar este ou aquele boneco."

    Nota-se aqui de novo a falácia do espantalho. Ludwig trabalha com uma versão caricatural, obtida de uma minoria dos religiosos, e quer assumir isso como um todo. Como se vê, a programação do Dawkins na cabeça dele funcionou. O resultado é facilmente refutável.

    A refutação completa virá na parte 3 de "A difícil arte de dialogar com neo-ateus".

    ResponderEliminar
  8. "A refutação completa virá na parte 3 de "A difícil arte de dialogar com neo-ateus"....

    ...quando se é mentalmente desafiado.

    ResponderEliminar
  9. Luciano,

    «A comparação que eu fiz (que Ludwig não entendeu) é a de que um grupo ofende um outro grupo somente pelo fato do outro grupo ter um valor.»

    É por isso que eu considero a tua comparação errada. Porque não é pela questão de valor. É por questões de facto. São essas que dão o conflicto.

    Não há conflicto entre ciência e religião por o religioso querer ir à missa ao meio dia. Há conflicto porque o religioso diz que tudo isto foi criado pelo seu deus, de acordo com um plano, que o religioso sabe disto porque tem fé, que o seu livrinho diz a verdade porque é o seu livrinho, que nós somos criados à imagem de deus, que veio, morreu, ressuscitou, disse que voltava e nunca mais voltou, etc.

    Se tu quiseres acreditar que a Lua é feita de queijo não vou arranjar problemas por causa dos teus valores. Mas, quer te ofendas quer não, vou te dizer que, factualmente, isso é um disparate.

    ResponderEliminar
  10. LH:

    Se a sua intenção era apenas criticar o uso de uma expressão que poderia, eventualemente, sugerir a presença de autoconsciencia na ciencia, como conseguiu escrever um texto tão grande, tão cheio de insultos, tão ambigo-o quanto ao significado e tão mal intencionado?

    Ninguem engole que aquilo tudo seja por causa de usar o termo "se corrige", que eu acho é perfeitamente legitimo.

    Adicionalmente, o que o luciano fez, foi tentar dizer que a ciencia não se corrige porque tem dificuldade em encontrar a mesma qualidade na Religião.

    A unica saida Luciano, é retirar o seu texto. Ou corrigi-lo!

    Força!

    ResponderEliminar
  11. (ignorem o meu post anterior, pois aqui vai na sequencia correta)

    Ludwig não acertou absolutamente nada.

    "A tese do Luciano é que a ciência não se corrige, e que dizer que a ciência se pode corrigir é «uma besteira inominável, uma estupidez». Demonstra-o assim: «A ciência só poderia se corrigir se a ciência estivesse errada. Mas não estava. A definição de ciência segue a mesma de sempre.» Não sabendo a idade do Luciano não sei se este exemplo já faz sentido, mas pensemos que a professora lhe corrige as contas onde ele se enganou. Seria pouco correcto o Luciano chamar besta estúpida à professora só porque a definição do termo “contas” permaneceu a mesma."

    Essa é a falácia do espantalho que ele tentou. Além de tudo, existe a falácia da falsa analogia.

    Claro que se alguém disse que "as contas" do Ludwig se corrigiram, eu gostaria de saber pq a responsabilidade da professora está sendo tirada?

    "Outro equívoco transparece num exemplo do Luciano, «quando um estúdio traz uma nova técnica que supera uma anterior, isso não significa que “o cinema se corrigiu”. Da mesma forma, uma nova teoria de administração, ou uma inovação, não implica em “administração se corrigindo”. Por isso que dizer “a ciência se corrige” é burrice.» Concordo que se alguém disser que o cinema a cores corrigiu o cinema a preto e branco terá de explicar o que quer dizer, pois não é óbvio em que sentido se pode falar de correcção, neste caso. Mas a ciência é diferente. Se um modelo matemático do sistema solar prevê um eclipse, é evidente que se o eclipse não ocorre na data prevista o modelo está errado. E se alterarmos o modelo para prever correctamente os eclipses então corrigimos o modelo. Neste contexto, as noções de correcto, errado e corrigir não levantam problemas porque é objectivo expresso da ciência que os seus modelos correspondam à realidade. Ao contrário do que se passa no cinema, o que espero não seja novidade para o Luciano."

    O erro cognitivo grave do Ludwig é tratar uma teoria científica como "a ciência". Ou seja é a falácia tradicional de tomar a parte pelo todo. Um exemplo, é encontrar um índio cometendo um crime. Um índio é um componente da entidade "Índio", que representaria todos.

    Esse erro cognitivo do Ludwig já foi demolido aqui:

    http://neoateismodelirio.wordpress.com/2009/09/03/a-dificil-arte-de-dialogar-com-os-neo-ateus-parte-2-ou-como-discutir-com-aquele-que-nao-le-o-que-esta-escrito/

    "Por isso é falso que o conflito entre ciência e religião «só existe na cabeça de alguém com problemas mentais sérios.» A origem do conflito é clara. A ciência e as religiões dizem coisas diferentes mas todas pretendem afirmar algo que corresponda à realidade. Não é apenas por serem diferentes que há conflito, nisso estou de acordo. Não há conflito entre as histórias do Batman e do Tio Patinhas. Mas há conflito, necessariamente, entre descrições incompatíveis da realidade. Porque a realidade é só uma. O resto é fantasia."

    Nota-se mais um problema grave de edição de informação. Primeiro que ele afirmou que a "realidade" é uma só. Decerto, mas existe a realidade dos esportes, que é definidas pelas autoridades esportivas. Existe a realidade da biologia. Existe a realidade espiritual. Como já disso, a religião cuida da espiritualidade, terreno onde a ciência não entra (quer entrar, mas não entra ainda).

    Por isso o modelo tosco do Ludwig não funciona. Ele precisaria colocar a ciência como responsável por toda a realidade (e não é, somente pelos aspectos físicos e tangíveis da mesma), para assumir isso. É por isso que nem ciência entra em conflito com religião, e nem ciência entra em conflito com a filosofia.

    ResponderEliminar
  12. "Concordo que o conjunto de práticas religiosas, por si, não cria conflitos com a ciência. Ir a um baptizado é perfeitamente compatível com a teoria da evolução. Mas para evitar o conflito a religião tem de se abster de afirmações acerca da realidade. E este é um preço demasiado alto para qualquer religião, pois implica o desemprego de todos os sacerdotes e teólogos, cuja carreira depende da crença que eles sabem algo que os outros desconhecem."

    Aqui é apenas uma sequência do erro cognitivo do Ludwig anterir. Nem merece comentário. A religião só teria de se abster de informações acerca da realidade se FOR A RELIGIÃO QUE O LUDWIG INVENTOU. Os religiosos, e, principalmente eu, duvidamos desse tipo de religião.

    "O Luciano também se insurge contra a «arrogância excessiva»(3) dos ateus que apontam as contradições entre o que a ciência nos diz, que somos resultado de um processo natural sem inteligência nem propósito, e o que a religião nos diz, que tudo isto tem um sentido porque, sem explicar o que isso adianta, foi tudo criado por um ser omnicoisas. O Luciano argumenta com duas analogias, uma em que um homem solteiro critica um casado e outra em que um trabalhador por conta própria critica um que trabalha para outrem. Diz que são «exemplos exatamente iguais ao do comportamento neo-ateísta.»(3) mas, em ambos, falha por completo o alvo."

    Errou em tudo. O post sobre "Ateus e o olhar de pidão do lado de prova" era apenas uma afirmação sobre minhas motivações para o ataque aos NEO-ateus, e não quanto aos ateus. Portanto, a tentativa de "cavar falta" (como aquele jogador que finge que outro jogador o atingiu, para iludir o juiz) não serve. Segundo, que Ludwig não sabe o "que a ciência nos diz" e nem "o que a religião nos diz", e em ambos exemplos tenta fingir ser um profeta. Fracassou nas duas.

    Outra coisa, eu não digo que "arrogância excessiva" dos ateus é apontar contradições entre "dizeres da ciência" e "dizeres da religião", pois jamais considerei os ateus como "representantes da ciência". O seu erro aqui foi bobinho.

    A comparação que eu fiz (que Ludwig não entendeu) é a de que um grupo ofende um outro grupo somente pelo fato do outro grupo ter um valor. Logo, o grupo que tem o valor tem motivação suficiente para o revide.

    "E se assumirem a religião como uma questão de gosto pessoal nada tenho a criticar. O problema, para aproveitar a analogia do Luciano, é se houver uma data de gente convencida que está casada com o Mickey ou com a Minnie, que ensina isso às crianças, que exige que se respeite essa convicção, que a apregoa como um facto e que reclama que a sua relação especial com o Mickey e a Minnie lhes dá acesso a um conhecimento que transcende o que a ciência pode alcançar. Nesse caso parece-me bem avisar que o Mickey e a Minnie não são verdadeiros. São ficção. Bonecos."

    Estranho Ludwig ainda estar preocupado com o fato de que Mickey e Minnie seriam ou não bonecos. Já passou da idade de ter essa dúvida. Só que a analogia é estúpida, pois ele compara com a existência de Deus, que está além do domínio de observação experimental (ao passo que os bonecos estão).

    Isso é só a tecnicazinha do bule de Russell modificada.

    "O que critico nas religiões não é as pessoas gostarem de rezar, de se benzer ou ir à missa. Não tenho nada contra isso, tal como não tenho nada contra quem goste de ser pescador ou solteiro. O problema é não perceberem que a religião é uma questão de gosto e, por isso, levarem demasiado a sério as proclamações de quem diz representar este ou aquele boneco."

    Nota-se aqui de novo a falácia do espantalho. Ludwig trabalha com uma versão caricatural, obtida de uma minoria dos religiosos, e quer assumir isso como um todo. Como se vê, a programação do Dawkins na cabeça dele funcionou. O resultado é facilmente refutável.

    A refutação completa virá na parte 3 de "A difícil arte de dialogar com neo-ateus".

    ResponderEliminar
  13. Ludwig

    "É por isso que eu considero a tua comparação errada. Porque não é pela questão de valor. É por questões de facto. São essas que dão o conflicto."

    Nas questões de facto, não há conflito também. Existe o conflito por alguns interpretarem LITERALMENTE o que é escrito de forma metafórica. Seria como dizer que Nietzsche conflita-se com a religião por causa de seu leão (Lowe) falar. Toda a sua crítica à religião é baseada em falácia do espantalho.

    "Não há conflicto entre ciência e religião por o religioso querer ir à missa ao meio dia. Há conflicto porque o religioso diz que tudo isto foi criado pelo seu deus, de acordo com um plano, que o religioso sabe disto porque tem fé, que o seu livrinho diz a verdade porque é o seu livrinho, que nós somos criados à imagem de deus, que veio, morreu, ressuscitou, disse que voltava e nunca mais voltou, etc."

    A origem "por trás" da criação pode ser uma crença, mas não se conflita com Deus. Além do mais, os judeus não acreditam em Jesus. E os cristãos que acreditam, entendem a metáfora por trás da "ressurreição". Você só consegue criticar a religião se entendê-la da forma que as crianças de 10 anos entendem? Eu esperava mais.

    "Se tu quiseres acreditar que a Lua é feita de queijo não vou arranjar problemas por causa dos teus valores. Mas, quer te ofendas quer não, vou te dizer que, factualmente, isso é um disparate."

    Agora você confirmou o que eu esperava... Você usa a mesma tática do Dawkins. Usar uma interpretação totalmente literal, MENTIR dizendo que os religiosos usam essa interpretação como REGRA. E criticar isso.

    Pura falácia do espantalho.

    ResponderEliminar
  14. LUCIANO

    Eu não percebo a lógica ( mas isso sou eu) . o post é sobre a sua afirmação que a ciencia não se auto corrige. Sobre esse assunto, alguma novidade ?
    as falácias, os bules e o resto dispensa-se bem, sumo ... necessita-se de sumo.

    ResponderEliminar
  15. Mario Miguel03/09/09, 14:37

    Luciano Henriques,

    «Estranho Ludwig ainda estar preocupado com o fato de que Mickey e Minnie seriam ou não bonecos»

    Se deus for só invenção então está no plano do Rato Mikey.
    Como justificas que deus não seja uma invenção como outra qualquer da mente Humana, qual é a tua melhor justificação para a sua existência em detrimento da sua inexistência.


    «Nota-se aqui de novo a falácia do espantalho. Ludwig trabalha com uma versão caricatural, obtida de uma minoria dos religiosos[...]»

    Prove que essa é uma versão caricatural, onde te baseaste para fazer essa afirmação, em que dados e com que relevância. Se essa for a caricatura, por favor, diz-me qual é para ti a que não é caricatura para que a coisa fique bem definida.

    ResponderEliminar
  16. Luciano:

    Isto esta uma desgraça. É só lixo. Espermer isto tudo não se aproveita nada.

    Admiro a tua rapidez a bater teclas. Mais nada.

    Por falar nisso. Ja mudaste de ideias quanto à etologia não ter importancia no estudo do comportamento humano?

    ResponderEliminar
  17. O ludwig faz um post compreensivo e educado, apesar de todos os insultos do post original e de volta tem todo este sarcasmo, revolta, má educação e total falta de conteúdo, apenas "indicando" que o Ludwig é "burro" porque "não entendeu".

    É precisamente por esta razão que nunca te tratei educadamente. Deu logo para ver que seria fútil.

    ResponderEliminar
  18. Mario Miguel

    "Se deus for só invenção então está no plano do Rato Mikey. Como justificas que deus não seja uma invenção como outra qualquer da mente Humana, qual é a tua melhor justificação para a sua existência em detrimento da sua inexistência."

    Já refutei isso antes! No caso do Mickey, temos uma CONFISSÃO de que ele foi inventado apenas da imaginação. No caso de Deus não há isso.

    E onde foi que prometi apresentar evidências de existência? É você que tem que correr atrás.

    "Prove que essa é uma versão caricatural, onde te baseaste para fazer essa afirmação, em que dados e com que relevância. Se essa for a caricatura, por favor, diz-me qual é para ti a que não é caricatura para que a coisa fique bem definida."

    Claro que provo. Meus posts em sites de teístas (até aqui existem teístas) em que eu afirmo o que a RELIGIÃO É, em relação à besteira que vocês INVENTAM que ela é.

    Os teístas me apoiam sem problemas.

    ResponderEliminar
  19. A origem "por trás" da criação pode ser uma crença, mas não se conflita com Deus. Além do mais, os judeus não acreditam em Jesus. E os cristãos que acreditam, entendem a metáfora por trás da "ressurreição". Você só consegue criticar a religião se entendê-la da forma que as crianças de 10 anos entendem? Eu esperava mais.


    Sim, quando existe um livro que cada um intrepreta como quer, é dificil não criticar pelo que la esta escrito.

    Ops! se calhar era esse o objectivo, era não se poder criticar... ooooo..

    ResponderEliminar
  20. Já refutei isso antes! No caso do Mickey, temos uma CONFISSÃO de que ele foi inventado apenas da imaginação. No caso de Deus não há isso.

    Logo os Mórmons estão correctos e a scientologia é verdadeira, assim como todos os deuses que ainda vivem ou que já morreram.

    Porquê, pergunta o interlocutor? Porque não possuem uma declaração de copyright!

    ResponderEliminar
  21. "É precisamente por esta razão que nunca te tratei educadamente. Deu logo para ver que seria fútil.
    "

    Não Barba, isso é wishfull thinking

    hahaha

    ResponderEliminar
  22. "E onde foi que prometi apresentar evidências de existência? É você que tem que correr atrás."

    Invertendo o ônus da prova, Luciano? Cadê sua honestidade?

    ResponderEliminar
  23. O problema é sempre o mesmo, a falta de rigor nas palavras leva a que se salte de conceito em conceito, falando sempre de coisas diferentes.

    ResponderEliminar
  24. "Como já disso, a religião cuida da espiritualidade"

    Onde estão as provas (ou evidências, como voce gosta de dizer) de que a espiritualidade existe?

    Espírito foi um conceito criado pelos primitivos por não entenderem a complexidade das relações sinápticas de seus neurônios. Só recentemente é que se começou a estudar isso, a ver que AMOR, ÓDIO, CONSCIENCIA et cetera, nada mais são do que combinações químicas ocorridas nas células nervosas.

    Agora, se voce me mostrar uma fotografia de uma alma, aí começarei a acreditar, está bem?

    ResponderEliminar
  25. Nuno Gaspar03/09/09, 14:54

    "O ludwig faz um post compreensivo e educado, apesar de todos os insultos do post original e de volta tem todo este sarcasmo, revolta, má educação e total falta de conteúdo, apenas "indicando" que o Ludwig é "burro" porque "não entendeu"."

    Ó Barba,
    quem com ferros quer matar com ferros morre.

    ResponderEliminar
  26. Ó argo, és memo burre pá, tão na vês que o espirtual é aquele cena men, em cum gajo vê cenas a voaar e a dançar, anjos pá, anjos, e depois vê men, o universo com todas as estrelinhas e as formes geomélicas e as ciencia e tudo e faz TUDO sentido, men, é uma xperienssia religiosa, man, é Deus pá!!





    Oh ou então, peraí, tb´ pode ser o haxix...

    ResponderEliminar
  27. Nuno Gaspar03/09/09, 14:57

    Dito de outra maneira:

    O Ludwig e os seus companheiros estão a provar o seu próprio veneno.

    ResponderEliminar
  28. Ó Barba,
    quem com ferros quer matar com ferros morre.


    Referes-te ao LH? Percebeste ao menos uma única palavra do que disse? Bem me pareceu.

    ResponderEliminar
  29. Será que ele correu? Estava tão divertido...

    ResponderEliminar
  30. Atenção:

    É errado dizer:

    - que o gelo se derrete
    - que a agua molha
    - que o iodo volatiza-se
    - que o pavio se consome
    - que o Luciano se corrige.

    Porque isso implica um argumento de objectivo proprio da coisa, como se o quisesse fazer. Ou tivesse intencionalidade. Chamam-lhe teleologia ou uma coisa do género.

    E o gelo derrete-se por influencia externa, e a agua molha por natureza directa o pavio se consome se houver fogo e o Luciano não se corrige.

    E a ciencia corrige-se por acção externa. Por acção dos cientistas. Não confundir com as situações acima.

    ResponderEliminar
  31. "e o Luciano não se corrige"

    Nunca! Ele prefere ir para o seu inferno (mesmo inexistente).

    99,999% (é uma mania minha, a de exagerar, nada sério, eh, eh) dos religiosos são assim.

    ResponderEliminar
  32. argo

    "Invertendo o ônus da prova, Luciano? Cadê sua honestidade?"

    Demonstre pq eu inverti o ônus da prova.

    "Onde estão as provas (ou evidências, como voce gosta de dizer) de que a espiritualidade existe? Espírito foi um conceito criado pelos primitivos por não entenderem a complexidade das relações sinápticas de seus neurônios. Só recentemente é que se começou a estudar isso, a ver que AMOR, ÓDIO, CONSCIENCIA et cetera, nada mais são do que combinações químicas ocorridas nas células nervosas. Agora, se voce me mostrar uma fotografia de uma alma, aí começarei a acreditar, está bem?"

    Errou em tudo. Espiritualidade tem a ver com a subjetividade. Seu erro é de leigo.

    Eu não falei em "espíritos" e nem um "fantasminha". Deixe de ser falacioso.

    Eu não prometi mostrar fotografias de alma, pois acho que tais fotografias não existem.

    Aqui é um fórum de neo-ateus. Não são burros, são fanáticos apenas (Barba Rija, Joao, João Vasco, Ludwig). Eles possuem um dogma ferrenho e crença absoluta em Dawkins. Acreditam até em memes. Mas não são necessariamente incapazes.

    Mas nota-se que o teu nível de argumentação de coloca em um nível inferior a todos aqui.

    ResponderEliminar
  33. Barba Rija

    "Logo os Mórmons estão correctos e a scientologia é verdadeira, assim como todos os deuses que ainda vivem ou que já morreram. Porquê, pergunta o interlocutor? Porque não possuem uma declaração de copyright!"

    Eu não afirmei que estão corretos. Deixe de ser mentiroso. Eu afirmei que você não pode PROVAR que inventaram.

    Em investigações policiais, existe muito mais rigor com as evidências. E quando alguém diz: "inventei o Mickey" isso é uma confissão. Não há pq achar que o Mickey é verdadeiro se alguém CONFESSOU que o inventou. Entendeu?

    ResponderEliminar
  34. António Parente03/09/09, 15:17

    Nuno Gaspar

    Eu nunca traria para esta caixa de comentários o Luciano Henrique.

    Foi uma grande maldade sua... ;-)

    Mas que eles merecem um bocadinho, isso merecem... ;-)

    ResponderEliminar
  35. argo

    "Será que ele correu? Estava tão divertido..."

    Dica para combates intelectuais: não seja precipitado.

    Você poderia ir dormir sem essa...

    ResponderEliminar
  36. Nuno Gaspar03/09/09, 15:22

    António!

    Que bom vê-lo!

    Veja o sangue que escorre daquela caixa de comentários lá atrás!

    Há muito tempo que não assistia a uma festa destas.

    ResponderEliminar
  37. Antonio Parente

    voltas-te???

    Que surpresa!!!!!

    ResponderEliminar
  38. "Veja o sangue que escorre daquela caixa de comentários lá atrás! "

    Nuno Gaspar, não brinque com coisas sérias que eu fico preocupado. Ja acho que o Luciano deve ter largado o emprego (se é que tem um) e que não deve ter dormido bem... Olhe que eu não quero mal a ninguem.

    ResponderEliminar
  39. "Ja acho que o Luciano deve ter largado o emprego (se é que tem um)"

    Por falta de idade, não me intrepretem mal, não tenho nada contra os desempregados.

    ResponderEliminar
  40. Francamente Luciano Henrique, você não quer falar de um único assunto, salta de assunto em assunto sem dizer NADA.

    credo, é um pouco para o exibicionista.

    LOLL

    ResponderEliminar
  41. Nuno Gaspar03/09/09, 15:30

    António,

    e não perca o texto do João no seu blogue e o castigo a que foi sujeito na resposta do Luciano.

    ResponderEliminar
  42. Joao

    "Nuno Gaspar, não brinque com coisas sérias que eu fico preocupado. Ja acho que o Luciano deve ter largado o emprego (se é que tem um) e que não deve ter dormido bem... Olhe que eu não quero mal a ninguem."

    Tão ingênuo que o sujeito não percebeu que eu estou de férias e não sou ASSALARIADO. Sou SÓCIO de uma empresa de consultoria em gestão.

    E eu não gasto 2 horas do meu tempo (somado) postando aqui.

    Se Joao escreve devagar, é problema dele. Treine se quiser...

    ResponderEliminar
  43. Consultoria,

    vi logo a arte de nada dizer preenchendo imensos papel.

    Surpresas neste mundo já há poucas....

    ResponderEliminar
  44. Nuvens de fumo

    "vi logo a arte de nada dizer preenchendo imensos papel."

    Esqueceu-se de que na minha empresa há: Consultoria, Assessoria, Suporte à Implementação, Auditoria... rs.

    Como eu digo, falta a muitos aqui o raciocínio científico, que é lançar uma hipótese depois de EVIDÊNCIAS, e não no chute...

    Vc fracassou.

    Ah, quem dá consultoria é só quem é ESPECIALISTA no assunto...

    ResponderEliminar
  45. Nuno Gaspar03/09/09, 15:36

    Ó Nuvens, meta ao menos uns sapos, homem!

    ResponderEliminar
  46. "Errou em tudo. Espiritualidade tem a ver com a subjetividade. Seu erro é de leigo."

    E voce adora inventar, não é mesmo? Tal e qual faz naquele seu blog infantil. Não teve argumentos, está forjando que quis dizer subjetividade.

    Definição para espiritualidade, segundo o Aurélio:

    espiritualidade
    [De espiritual + -(i)dade.]

    Substantivo feminino.
    1.Qualidade ou caráter de espiritual.
    2.Rel. Doutrina acerca do progresso metódico na vida espiritual.

    Definição de "espiritual", também segundo o Aurélio:

    espiritual
    [Do lat. spirituale.]
    Adjetivo de dois gêneros.
    1.Relativo ou pertencente ao espírito (por oposição a matéria):

    vida espiritual. [Opõe-se a temporal1 (2).]

    2.Incorpóreo, imaterial:

    Macérrima, adquiriu um ar espiritual.
    3.Da, ou relativo à religião, ou próprio dela; devoto:

    exercícios espirituais.

    4.Místico, sobrenatural. ~ V. diretor —, médico —, pai —, poder — e retiro —.

    -------------

    Engraçado, nada li a respeito de subjetividade. Só na "interpretação" do Sr. Luciano "inventor e tergiversador" henrique.

    ResponderEliminar
  47. Não falarei mais de minhas atividades. Não são o foco deste debate.

    Mas é IMPORTANTE notar como o Joao e o Nuvens estão preocupadíssimos com meu tempo.

    Replay: não os contratei para gestão de tempo.

    ResponderEliminar
  48. Argo,

    PELO AMOR DE DEUS, DEIXE DE PAGAR MICO!

    O cara vem colar definição de dicionário e nem leu a mesma...

    Veja... da Wikipedia:

    "Espírito é definido pelo conjunto total das faculdades intelectuais. Ele é frequentemente considerado como um princípio ou essência da vida incorpórea (religião e tradição espiritualista da filosofia), mas pode também concebida como um princípio material (conjunto de leis da física que geram nosso sistema nervoso)."

    ResponderEliminar
  49. (argo

    "Será que ele correu? Estava tão divertido..."

    Dica para combates intelectuais: não seja precipitado.

    Você poderia ir dormir sem essa...)

    Imaginei isso por causa de sua demora. Pensei também que voce fosse menos masoquista. Mas, já que gosta mesmo de apanhar, continue, eh, eh.

    ResponderEliminar
  50. Luciano

    Duas notas, a primeira é que não tenho nenhuma preocupação com o seu tempo. Não me interessa.
    Disse que não teria (tempo) para ler 600 posts. Se não percebeu azar.

    Segunda, a consultoria não é dada, vendida.

    o resto é o habitual blá blá

    ResponderEliminar
  51. Pagar mico (não um miquinho qualquer, um gorila, eh, eh) agora foi voce ao comparar a Wikipedia com o Aurélio.

    ResponderEliminar
  52. Espírito , só conheço o de porco

    ResponderEliminar
  53. Nuno Gaspar

    A sua falta de ideias , incapacidade de participar , falta de piada, etc é compensada pela sua fixação na minha pessoa?

    por muito que o desiluda, não é mutuo o interesse. Quanto a sapos, se me mandar uma foto sua -.-....

    ResponderEliminar
  54. Nuno Gaspar03/09/09, 16:01

    Nuvens,

    Não sou eu que me fixo na sua pessoa (você nem ao menos se identifica). É esse nome que encharca a blogosfera com milhares de comentários preconceituosos e muito pouco inteligentes que vem agora gozar com o tempo que outros lhe dispensam.
    A sua resposta ilustra bem o seu carácter

    ResponderEliminar
  55. "Ah, quem dá consultoria é só quem é ESPECIALISTA no assunto..."

    Às vezes, incompetentes também se estabelecem...

    Viu? Não é apenas por voce afirmar uma coisa que ela passa a ser verdadeira. Um de seus defeitos é exatamente esse.

    ResponderEliminar
  56. Mário Miguel03/09/09, 16:08

    «Já refutei isso antes! No caso do Mickey, temos uma CONFISSÃO de que ele foi inventado apenas da imaginação. No caso de Deus não há isso.«


    No Caso de deus pode haver invensãom não pode é haver invensão confessa, é que tu podes apontontar, mais nada, por isso deus ser inventado está em aberto. Se deus for só invenção então está no plano do uma outra entidade que tu rejeites, eu proponho que tenho uma entidade X e não confesso ou dou qualquer idício que ela foi inventada, chamo "Rato Mikey2 Não Inventado Sem Confissão de invenção", como a rejeitas? Como justificas que deus não seja uma invenção, como outra qualquer da mente Humana, qual é a tua melhor justificação para a sua existência em detrimento da sua inexistência.

    «E onde foi que prometi apresentar evidências de existência? É você que tem que correr atrás.»

    Tu não prometeste, e eu não estou a falar sobre uma promessa tua não cumprida, eu estou sim a pedir que tu me forneças as provas que sustentam a tua crença. Essa tua tentativa de com a afirmação de não promessa não vinga, eu não falei de promessa não cumprida, é um jogo de desviar a coisa de forma falsa, numa falsa polémica de algo não prometido, não funciona. E como foi dito o ónus da prova e teu.


    «Claro que provo. Meus posts em sites de teístas (até aqui existem teístas) em que eu afirmo o que a RELIGIÃO É, em relação à besteira que vocês INVENTAM que ela é.

    Os teístas me apoiam sem problemas.»


    Os teus posts são a tua visão da religião (agradecia uma ligação para aqui), a tua suposta visão do que não é a caricatura. Mas para essa tua visão ser consistente com o que não é a caricatura tens que sustentar isso, mostra-me um estudo que se tenha baseado numa amostra estatística que sustente o que dizes, se não mostras nada disso a tua opinião é mais uma baseada na subjectividade do que queres que seja. Quero saber qual é a tua visão e se ela é a partilhada de forma sustentável.

    O apoio de teístas nos teus posts não é prova alguma sem um estudo estatístico: quantos são? São representativos? Em que medida? Os que tem acesso a Internet à partida representam fielmente o universo de opiniões(?), ou por serem utilizadores de Internet, logo, à partida, fica de fora a maioria dos opinadores?,Henrique, pede-se algo concreto, dados, artigos consistentes em que possa ver como foram feitos etc..., e não opiniões baseadas no que gostarias que fosse sem a mínima sustentabilidade.

    Repito:

    Prova que essa é uma versão caricatural -> Não o fizeste.

    Onde e como (com que dados) te baseaste para fazer essa afirmação (da caricatura)? -> Sem resposta tua.

    Que relevância têm esses dados? Ou afirmas que sim porque é essa a tua vontade que assim seja, ou sustentas o que dizes com algo que seja palpável. Se essa for a caricatura, por favor, diz-me qual é para ti a que não é caricatura para que a coisa fique bem definida." (manda a ligação -> Link) e suporta de forma sustentada o que dizes nesses posts.

    lembro que até à data a tua resposta a "Qual é a justificação para a creditar no seu Deus?" foi:

    «Eu optei por acreditar. Creio que fiz a opção certa. Não é preciso de justificação. Simplesmente... deu na telha.» teu comentário de "02-09-2009 14:09" no post "Teorias e sobrenaturalices."

    ResponderEliminar
  57. Nuno Gaspar,

    Ainda não percebeu o que eu disse ?

    eu não explico mais, fica como TCP

    ResponderEliminar
  58. "Adicionalmente, o que o luciano fez, foi tentar dizer que a ciencia não se corrige porque tem dificuldade em encontrar a mesma qualidade na Religião."

    Exatamente. Por seu caráter dogmático, a religião não se presta à correções. Se eles corrigirem um só dogma, todo seu esqueleto desmorona.

    ResponderEliminar
  59. Vindo do Nuno Gaspar, pouco inteligente como insulto ou é uma barbaridade ou é uma imensa soberba...

    de facto ---

    ResponderEliminar
  60. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  61. "O erro cognitivo grave do Ludwig é tratar uma teoria científica como "a ciência". Ou seja é a falácia tradicional de tomar a parte pelo todo. Um exemplo, é encontrar um índio cometendo um crime. Um índio é um componente da entidade "Índio", que representaria todos."

    Mas as teorias e os modelos e o processo são todos a ciencia.

    Se todos ou muitos dos indios estiverem a cometer crimes é correto dizer que são criminosos.

    A ciencia corrige-se, evolui, altera-se. Ou então a ciencia não existe. O que é um argumento estupido.

    ResponderEliminar
  62. Bruce:

    E é possivel usar uma coisa que fazer parte da generalidade de um processo ou de uma entidade para a caracterizar

    Ou não estás de acordo?

    ResponderEliminar
  63. João,

    hoje estou com azar no sintonizómetro. O meu "e?" é como os miúdos perguntam quando esperam um remate conclusivo para o que já ouviram. É que quando dizes que

    "Ou então a ciencia não existe. O que é um argumento estupido."

    relativamente à argumentação do chapa Jesualdo, eu fico à espera de uma surpresa que acabou por não chegar.

    ResponderEliminar
  64. Simplesmente... deu na telha

    Ahaahahahahah! Lindo!

    ResponderEliminar
  65. Barba:

    Quote minng é feio, ele diz é:

    "Eu optei por acreditar. Creio que fiz a opção certa. Não é preciso de justificação. Simplesmente... deu na telha"

    hahahahahahahahaahaaa


    Na telha!!!!!!! hahahaha
    Não preciso hahaha de justificação haha

    Se o gajo não fosse tão arrogante, isto não era tão giro, mas gaita, o tipo quando diz que vais esmagar os outros e deixa-los com vergonha de olhar a familia está mesmo a pedi-las.

    É lindo.

    E se agora me desse na telha começar a defender o cogumelo azul dos andes e a chamar imbeciloides a toda a gente que não o defende ou aponta criticas?

    Sem justificação. So porque... Deu na Telha.

    ResponderEliminar
  66. Voces são terríveis, eh, eh

    Pau nesse papa-hóstias!

    ResponderEliminar
  67. A opção do Lucino deu na Telha.

    Foi uma revelação.

    E a Telha do Luciano é que sabe.

    Sigam a Telha. A Telha é a verdade!

    E a Telha precisa de dinheiro. Por favor enviem para o NIB da Telha, 3048950147014 o dizimo dos vossos rendimentos.

    Sigam a TElha do Luciano.

    ResponderEliminar
  68. Será que ele irá apagar o link no blog dele, só para seus asseclas baba-ovos não verem a humilhação que ele está passando aqui?

    Vou torcer para que não o faça, mas...

    ResponderEliminar
  69. Ah, descobri em qual ramo de empresas ele é especialista em dar consultorias. São os fabricantes de... TELHAS! kkkkkkk

    ResponderEliminar
  70. Levou com a telha e retardou, Luciano?

    ResponderEliminar
  71. Foi por causa do mico da Wikipedia pago por ele, eh, eh

    Ele deve ter-se lembrado do comercial da Tigre e ficou com vergonha... do mico e da TELHA que se ele quebrou para poder consertar o [erro] cano, huash, huash!

    ResponderEliminar
  72. Só o Perspectiva conseguirá travar o Luciano. Não por lógica na argumentação mas por aborrecimento.

    Parece-me mas é que escorregou... numa telha!!

    ResponderEliminar
  73. Nuno Gaspar03/09/09, 17:16

    João,

    "E se agora me desse na telha começar a defender o cogumelo azul dos andes e a chamar imbeciloides a toda a gente que não o defende ou aponta criticas"

    Era um problema teu.

    As coisas estão escritas. Quem as quiser ler pode avaliar tranquilamente onde há mais razão e onde há apenas gritos de desepero.
    Não queres voltar a pensar em mais um livrinho de divulgação da causa? Tens aqui matéria que poderia elucidar toda a gente.

    ResponderEliminar
  74. Ah, caro Nuno Gaspar, como o Luciano, voce também joga a toalha?

    ResponderEliminar
  75. Nuno Gaspar:

    "Não queres voltar a pensar em mais um livrinho de divulgação da causa? Tens aqui matéria que poderia elucidar toda a gente."

    Que queres dizer, elabora la isso?

    ResponderEliminar
  76. Nuno Gaspar03/09/09, 17:20

    Pois eu também faço e acredito no que me dá na telha e irrita-me bastante quem julga ter alguma coisa a ver com isso.

    ResponderEliminar
  77. Gaspar,

    Já com o Perspectiva foi a mesma coisa. Você adora ver alguém retorquir com a prontidão de um electrodoméstico. Só se apercebe das enormidades daqui a uns dias e nesse instante sentirá embaraço. Vai uma aposta?

    ResponderEliminar
  78. Nuno Gaspar:

    O Nuno pode acreditar no que quiser. Mas se pode andar a dizer como é que funciona o universo, eu tambem posso.

    E se o Nuno pode dizer quem vai para o Ceu e quem não vai.

    Eu posso dizer o que penso acerca disso.

    Se um padre passa por mim e me cumprimenta desejo-lhe um bom dia.

    Mas se passa por mim e tenta converter-me, o que ja aconteceu mas não por padres, tem de ouvir o que eu penso tambem.

    Fique bem.

    ResponderEliminar
  79. E que a Telha esteja consigo...

    ResponderEliminar
  80. (Essa tua tentativa de com a afirmação de não promessa não vinga, eu não falei de promessa não cumprida, é um jogo de desviar a coisa de forma falsa, numa falsa polémica de algo não prometido, não funciona. E como foi dito o ónus da prova e teu.)

    Mário

    Isso aí é típico de religiosos. Adoram exigir evidencias, provas. Falam em baboseiras, tais como: modo de investigação, prática forense, isso e aquilo. Quando somos nós a pedir algum tipo de evidencia, eles saem pela tangente. Quando somos nós que pedimos, eles pegam e dizem: "ah, não prometi", "ah, não quero dar, não tenho obrigação". Etc etc

    Tome-se como exemplo, a afirmação deles de que Maria era virgem. Qual evidencia eles têm em relação a isso?

    ResponderEliminar
  81. Oohh, o Nuno precisa de colinho. Vá, vá. Não te irrites! Tens toda a legitimidade de acreditares no que quiseres, sempre que te der... na telha!!

    ResponderEliminar
  82. Argo:

    Maria era virgem metafóricamente. Voce não percebe.

    ResponderEliminar
  83. O deus da telha, criou o universo e depois ficou onde nos pode melhor observar , no telhado das casas.

    que a telha esteja contigo .
    ela está no meio de nós,
    telhas ao alto
    etc etc

    ResponderEliminar
  84. Vou dar uma paradinha de ler o que voces escrevem, senão vou estourar de tanto rir, eh, eh

    Publiquei o texto completo no meu site, quanto mais espalhar a desonra do Luciano, melhor.

    http://www.portaldocriador.org/forum/viewtopic.php?f=51&t=4085

    ResponderEliminar
  85. Maria era virgem metafóricamente. Voce não percebe.

    A verdadeira questão que está por trás de tudo isto e que todos querem saber é: O José é Corno ou não?

    ResponderEliminar
  86. é o padroeiro da coisa, mas muito ao estilo dos deuses da mitologia grega , deus católico arrumou-se à mulher do próximo, não tá bem.

    E depois é a treta da honra em receber o filho de deus, francamente, como conversa da treta, já ouvi melhor. Mas eu sou assumidamente deprevado LOLLL

    ResponderEliminar
  87. Metafóricamente não. É facil.

    Mas olha, respeito pelo homem que teve de aturar a mulher e o filho convencidos que são deuses e ninguem tem aparições com ele , lhe agradece com velinhas, nada.

    Eu respeito José. E depois, que lhe crucificaram o filho parece ser um facto. Tenha sido ele quem for.

    ResponderEliminar
  88. Pessoal, tem um palhaço aí se passando por mim. Isso aí, por exemplo, não foi eu quem escreveu:

    [Sempre lembrando também desse outro excelente site:

    http://www.deuslovult.org/

    ]

    Esse cara do deuslovult é um palhaço completo, um fanático idiota.

    O verdadeiro ARGO (nesse caso, claro) é o que tem como url

    www.portaldocriador.org

    O criador, na minha concepção, somos todos nós, todos os que criam algo, de qualquer tipo. Não um criadorzinho qualquer fictício.

    ResponderEliminar
  89. Quem vai pedir consultadoria a um tipo que diz que lhe deu na telha acreditar no mito da criação dos 3 livros apesar de todas as evidências em contrário?

    Quem vai dar guita a um gajo destes que não quer saber dos factos e apenas quer saber do que lhe dá na telha?

    Existe gente desta? O Luciano é real? É que parece um personagem. Tipo Tio patinhas com a telha.

    ResponderEliminar
  90. Nuno Gaspar03/09/09, 18:51

    Agora vêm os varredores do lixo catar os destroços.

    ResponderEliminar
  91. Varredores do lixo?
    Catar destroços?

    Bem isto está num nível nunca visto!

    Tenham calma.
    Lá por ter entrado um mal educado não precisam de se comportar como ele.

    Mas eu não lhe pagaria qualquer consultadoria.
    Só se me desse na telha.
    ;)

    ResponderEliminar
  92. Agora vêm os varredores do lixo catar os destroços.... da telha partida!

    ResponderEliminar
  93. Luciano,

    Peço desculpa mas fique-me a meio dos comentários, não consigo acompanhar a pedalada da discussão.

    No entanto, queria dizer que o que eu critico não é mera caricatura ou espantalho. Há mesmo milhões de católicos que acreditam que as preces do padre fazem com que Jesus transforme a hóstia na sua substância. E que o Papa é infalível em certas coisas. Centenas de milhões de pessoas acreditam que Jesus ressuscitou e foi para o céu. Milhares de milhões de pessoas acreditam que, quando o seu corpo morrer, a sua alma continua a viver e vai para outro sítio.

    Isto não é espantalho. É muito difícil encontrar um religioso que não acredite em nenhuma destas coisas ou semelhantes.

    E isso cria um conflicto com a ciência porque, se nos guiarmos por ela, isto é tudo treta. O Papa não é infalível, as pessoas não ressuscitam, a hóstia não se transubstancia e não há almas coisa nenhuma.

    ResponderEliminar
  94. Barba Rija:

    lol

    O gajo deve tar furibundo. Vai voltar ai tipo animal ferido a tentar a abocanhar tudo e todos.

    Quando ele aparecer...Dêem-lhe na...

    telha!

    ResponderEliminar
  95. António Parente03/09/09, 19:18

    Prof. LK

    "Centenas de milhões de pessoas acreditam que Jesus ressuscitou e foi para o céu. Milhares de milhões de pessoas acreditam que, quando o seu corpo morrer, a sua alma continua a viver e vai para outro sítio."

    Tem provas ciientíficas em como isso não aconteceu nem acontece? Se tem apresente-as. Desengane-nos, por favor.

    ResponderEliminar
  96. Chegou outro, eh, eh

    Mais diversão gratuita para todos!

    ResponderEliminar
  97. Eu também não tenho provas que o bicho papão não existe.

    À falta dessas provas todas porque optou por essa religião em detrimento das outras?

    ResponderEliminar
  98. Argo:

    O Antonio Parente é enfadonho. Não dá graça gozar dele. Só quando se torna arrogante é que tem piada. Mas a maior parte do tempo é só um cristão humilde um pouco perdido nas suas crenças e que vem aqui pedir pelo respeito do Ludwig e chorar que ninguem gosta dele.

    Ha! mas cuidado que ele insulta, mesmo se nunca lhe dirigiste a palavra. Foi assim que o conheci. Ele sempre se recusou a pedir desculpa.

    Em resumo, é um habitué. Esta sempre a prometer que vai embora e volta sempre, e que vai escrever um blogue, mas nunca aparece nada...

    ResponderEliminar
  99. Espero que não lhe tenha dado simplesmente na telha...

    ResponderEliminar
  100. Barba Rija:

    Sim, o Lucinho poe tudo noutra PERSPETIVA. O Parente até é fixe em comparação. Pelo menos tem menos tempo livre, sei lá.

    E que a Telha esteja contigo

    ResponderEliminar
  101. [Espero que não lhe tenha dado simplesmente na telha...]

    Faz medo é que ele nos atire... uma telha!

    Quero saber é quando vou parar de rir...

    E o Luciano "consultor por palpite" Henrique correu mesmo, não foi?

    ResponderEliminar
  102. Argo:

    Ele vai voltar. Não duvides. E vai inventar coisas sobre a vitória dele, etc, etc, etc. Ja vi este filme antes. Vai fazer "quote mining" a potes, tentar ridicularizar uma série de nós...

    Mas não te apoquentes. É só mais um. E alem dele virão mais. Pois que venham que o conhecimento se faz com debate, discussão, refutação, etc.

    Ja percebi que ele é um buli conhecido e que tem uma data de seguidores. Não te stresses. É um fanfarrão, nada mais.

    ResponderEliminar
  103. Descobri agora que o Pedro Couto lhe estava a dar nas orelhas aqui:

    http://neoateismodelirio.wordpress.com/2009/08/27/como-fazer-um-amigo-dos-bonobos-travar-durante-um-debate/#comments

    ResponderEliminar
  104. Ludwig,

    Desculpa interromper o combate, mas queria informar-te que acabo de criar o Prémio Para O Uso Mais Subtil De Uma Só Palavra Num Blog (o PPOUMSDUSPNB), e a primeira atribuição vai para a palavra “já”, no segundo parágrafo do post. Só que, depois de ler alguns comentários do visado, começo a recear que a subtileza seja desperdiçada.

    ResponderEliminar
  105. Mário Miguel03/09/09, 20:12

    António Parente,

    "Centenas de milhões de pessoas acreditam que Jesus ressuscitou e foi para o céu. Milhares de milhões de pessoas acreditam que, quando o seu corpo morrer, a sua alma continua a viver e vai para outro sítio."

    Tens provas científicas em como isso aconteceu ou acontece? Se tens apresenta-as. Desengana-me, por favor.

    Entre mim e ti, o ónus é teu, devido à tua afirmação implícita, apesar de entre ti e o Ludwig o ónus ser dele.

    ResponderEliminar
  106. António Parente03/09/09, 20:23

    Mário Miguel

    Não tenho provas científicas.

    Já respondi. Agora o passo seguinte é teu:

    Tens provas científicas em como não aconteceu e não acontece?

    Eu não fugi à resposta. Não fujas também.

    ResponderEliminar
  107. Mário Miguel03/09/09, 20:28

    Não.

    Mas tenho muito mais razões para crer de forma justificada que não existe do que existe, sem a mínima dúvida.

    ResponderEliminar
  108. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  109. ACho que este é o Luciano:

    Consultor, gestor de projectos (como ele disse no seu blog)

    Não tenho a certeza.

    So por curiusidade. Deu uma palestra sobre usar um blog como meio educativo. Espero que não seja ele. Tambem não é importante.

    ResponderEliminar
  110. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  111. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4202224J2

    Não é difícil que seja. Os paraibanos competem com nós, os pernambucano, para saber quem é mais megalomaníaco, eh, eh

    Até agora, o titulo está pra gente, como podem atestar aí, ó:

    http://www.portaldocriador.org/forum/viewtopic.php?f=56&t=136&hilit=pernambucanidade

    ResponderEliminar
  112. Nuno Gaspar03/09/09, 20:43

    João,

    Em vez de vasculhares a vida dos outros, porque não pões a tua fotografia e o teu currículo para apreciarmos?
    Não achas indelicadeza e grosseria a mais?

    ResponderEliminar
  113. Mário Miguel03/09/09, 20:49

    Nuno Gaspar,

    «Não achas indelicadeza e grosseria a mais?»

    Onde? Na consulta da informação que uma pessoa de forma voluntária e consciente disponibilizou para ser consultada por todos de forma livre e sem restrições na Internet?

    ResponderEliminar
  114. Nuno Gaspar03/09/09, 20:56

    Se ele quisesse divulgar tinha feito a identificação no blogger, pidezinhos.

    ResponderEliminar
  115. António Parente03/09/09, 21:01

    E quais são essas razões, Mário Miguel?

    ResponderEliminar
  116. Mário Miguel03/09/09, 21:08

    Nuno Gaspar,

    Não sei se leste o que eu escrevi.
    Parece que não.

    Se ele colocou aquela informação de forma voluntária e consciente disponibilizando-a para ser consultada por todos de forma livre e sem restrições na Internet de forma indiscriminada, então significa NECESSARIAMENTE que pode ser consultada de forma indiscriminada por todos, com o João fez, caso contrário ele teria, por exemplo, colocado uma palavra passe para consultarem o seu perfil. O que de forma alguma é compatível com alguma espécie de atitude pidesca.

    ResponderEliminar
  117. Pernambuco?
    Recife?
    Namorei com duas moças (ambas psicólogas) de Recife faz uns 10 anos.
    Lindo Olinda e Itamaracá!
    Belos tempos.

    ResponderEliminar
  118. Apaguei dois comentários de um argo com um url diferente de http://www.portaldocriador.org/

    ResponderEliminar
  119. Nuno Coelho,

    Obrigado pelo prémio :)

    É... a subtileza não tem sido o forte aqui nos comentários ultimamente... :)

    ResponderEliminar
  120. argo

    "Às vezes, incompetentes também se estabelecem... "

    Erro. No mercado de consultoria só ESPECIALISTAS se estabelecem. Existe algo chamado benchmark. Ou seja, a divulgação pública de casos de sucesso do trabalho.

    Ou você acha que as empresas contratam sem tal investigação?

    Vc mostrou que não conhece o mercado... Patético.

    ResponderEliminar
  121. Já agora, queria deixar um pedido a todos. Fico muito satisfeito com o vosso entusiasmo, mas quando começarem estas longas conversas e trocas de piropos, por favor lembrem-se que pode haver alguém que queira usar os comentários para me dizer alguma coisa acerca do post. E assim é muito difícil eu dar por isso...

    ResponderEliminar
  122. Mário Miguel03/09/09, 21:21

    António,

    «E quais são essas razões, Mário Miguel?»

    Vou dar só duas, mas uma chegava...

    - Incompatibilidade de um deus bondoso com as brutais injustiças que ocorrem no nosso mundo*, que recaem inclusive em quem nem tem a hipótese de saber a palavra de deus e por isso nem sabe o que é o pecado, bebés que morrem à fome ou devido a guerras de forma cruel.

    - As explicações da realidade durante a nossa história, tem substituindo progressivamente deus com melhores resultados.

    * Se vens alegar o livre arbítrio para justificar essas ocorrências, isso no ponto de vista de um deus omnisciente não pode existir. Se deus for omnisciente, então, sabe todo o passado e futuro, donde que para saber todo o futuro ele terá que estar FIXO, logo determinado. Assim sendo a nossa vida está irremediavelmente impelida a seguir esse roteiro, caso contrário deus não não conseguiria saber o futuro e assim não seria omnisciente.

    ResponderEliminar
  123. argo

    "Imaginei isso por causa de sua demora."

    Imaginou. E errou. Fato



    nuvens de fumo

    "Segunda, a consultoria não é dada, vendida. "

    um consultor é contratado para dar consultoria. quem contrata é a empresa. quem recebe a consultoria são os funcionários...

    errou de novo.

    "Espírito , só conheço o de porco"

    problema teu

    ResponderEliminar
  124. Luciano Henrique,

    olha que há aqui mais consultores.
    Não se estique.

    ;)


    "Ou você acha que as empresas contratam sem tal investigação?"

    UI, então não?
    Assim fresquinhos saídos da faculdade para lhes moldar a cabecinha.

    ResponderEliminar
  125. Mário Miguel...

    como vocês apanharam tanto e está repetido, comentarei só o que é importante...

    "No Caso de deus pode haver invensãom não pode é haver invensão confessa, é que tu podes apontontar, mais nada, por isso deus ser inventado está em aberto. "

    Se questão está em aberto (como eu disse que está, vc é que não prestou atenção), então você não pode comparar com a questão Mickey, que está FECHADA pela confissão...

    Entendeu?

    "Tu não prometeste, e eu não estou a falar sobre uma promessa tua não cumprida, eu estou sim a pedir que tu me forneças as provas que sustentam a tua crença."

    Eu não vim discutir tal assunto com você. Eu escolho com quem discutir tais assuntos. Requisitos básicos: bom conhecimento em teologia. Você não tem.

    "Os teus posts são a tua visão da religião (agradecia uma ligação para aqui), a tua suposta visão do que não é a caricatura. Mas para essa tua visão ser consistente com o que não é a caricatura tens que sustentar isso, mostra-me um estudo que se tenha baseado numa amostra estatística que sustente o que dizes, se não mostras nada disso a tua opinião é mais uma baseada na subjectividade do que queres que seja. Quero saber qual é a tua visão e se ela é a partilhada de forma sustentável."

    Existem os que discordam da minha visão. São os ATEUS RADICAIS. Os teístas não se incomodam...

    Pq discordam? Pq a minha visão, que é similar a dos religiosos que ESTUDARAM o assunto, elimina o espantalho que o Dawkins enfiou na cabeça de vocês...

    "Repito: Prova que essa é uma versão caricatural -> Não o fizeste."

    Já mostrei uma argumentação lógica:

    http://www.olavodecarvalho.org/semana/090318dc.html

    É fato. O deus dos neo-ateus é um Deus INVENTADO por eles, somente para criticarem. Não tem nada a ver com os religiosos.

    "lembro que até à data a tua resposta a "Qual é a justificação para a creditar no seu Deus?" foi: «Eu optei por acreditar. Creio que fiz a opção certa. Não é preciso de justificação. Simplesmente... deu na telha.» teu comentário de "02-09-2009 14:09" no post "Teorias e sobrenaturalices.""

    Essa é uma resposta que eu dou para os que não considero qualificados. Para os que considero qualificados, eu converso sobre os meus motivos. Entendeu agora?

    ResponderEliminar
  126. António Parente03/09/09, 21:26

    Permito-me discordar, Mário Miguel. O perfil que deve e pode ser consultado é o definido no blogger e/ou no blogue. Pesquisas no Google para saber quem é quem é com o objectivo de divulgar essa informação numa caixa de comentários ou num post, quando o próprio não o fez, é abusivo.

    Há o terrível hábito de misturar a vida profissional e pessoal das pessoas por causa dos blogues. O que é curioso é a fonte dessas misturas ser sempre anónima. Não há coragem para dar a cara.

    ResponderEliminar
  127. Luciano Henrique,

    esqueçamos o Mickey então.

    Vamos ao Bicho Papão.
    É verdadeiro?
    Se não porquê?
    E porque é que não se pode aplicar a sua resposta ao seu deus?

    Faça-me lá essa consultadoria.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  128. António Parente03/09/09, 21:31

    Prof. LK

    Está aí em cima uma questão do AP pra você responder... Não se distraia, por favor...

    ResponderEliminar
  129. António Parente, e demais,

    Seria abusivo colocar aqui informação pessoal que alguém não quisesse divulgar. Se fosse esse o caso eu apagava.

    Agora colocar um link para uma página onde uma pessoa pôs o seu próprio CV, independentemente se é o mesmo Luciano ou não, não me parece que viole qualquer direito de privacidade.

    ResponderEliminar
  130. Joao

    "Mas as teorias e os modelos e o processo são todos a ciencia. Se todos ou muitos dos indios estiverem a cometer crimes é correto dizer que são criminosos. A ciencia corrige-se, evolui, altera-se. Ou então a ciencia não existe. O que é um argumento estupido."

    Algumas teorias são corrigidas. Umas são consideradas intocáveis. Alguns grupos se corrigem. Outros são intolerantes.

    Atribuir cada uma dessas características AO TODO da ciência é o seu argumento estúpido.

    Detalhe que você NÃO REFUTOU o modelo que apresentei...

    Perdeu...

    "Na telha!!!!!!! hahahaha Não preciso hahaha de justificação haha
    Se o gajo não fosse tão arrogante, isto não era tão giro, mas gaita, o tipo quando diz que vais esmagar os outros e deixa-los com vergonha de olhar a familia está mesmo a pedi-las.
    É lindo. E se agora me desse na telha começar a defender o cogumelo azul dos andes e a chamar imbeciloides a toda a gente que não o defende ou aponta criticas? Sem justificação. So porque... Deu na Telha."

    E quem se importa com o que você DEFENDE?

    Só um disléxico acharia que estou DEFENDENDO EXISTÊNCIA de Deus. rs. A questão para mim está em aberto. Eu acredito, fim. Alguém não acredita, fim. Não moverei UMA PALHA para provar o contrário.

    Eu não preciso dar justificação, pois a crença subjetiva é uma opção pessoal, que NÃO CARECE de justificação.

    Aprenda lógica: o ônus da prova só existe quando EU ALEGO.

    Por isso que acertei... sua experiência com ciência inexiste. Senão não cometeria tal erro.

    "A opção do Lucino deu na Telha. Foi uma revelação. E a Telha do Luciano é que sabe. Sigam a Telha. A Telha é a verdade! E a Telha precisa de dinheiro. Por favor enviem para o NIB da Telha, 3048950147014 o dizimo dos vossos rendimentos. Sigam a TElha do Luciano."

    Ficou histérico agora. rs.

    ResponderEliminar
  131. Barba Rija

    "Simplesmente... deu na telha Ahaahahahahah! Lindo!"

    Agora o Barba Rija virou masoquista. Riu por ser chamado de desqualificado. O cara não entendeu a resposta "deu na telha". rs.

    ResponderEliminar
  132. argo

    "Será que ele irá apagar o link no blog dele, só para seus asseclas baba-ovos não verem a humilhação que ele está passando aqui?"

    Como todos estão vendo lá, vc, o Barba Rija e o Joao foram claramente humilhados.

    cometeram o erro de confundir aceite pessoal com ALEGAÇÃO... hahahahahah

    Não sabem nada de ciência mesmo.

    Mais uma lição: em ciência não se testa as coisas em que você acredita, e sim as coisas que VOCÊ alega...

    "Ah, caro Nuno Gaspar, como o Luciano, voce também joga a toalha?"

    Novamente o argo é precipitado. Não está pronto para duelos.

    Apanha sempre. Aqui e no meu blog.

    ResponderEliminar
  133. Essa é uma resposta que eu dou para os que não considero qualificados. Para os que considero qualificados, eu converso sobre os meus motivos. Entendeu agora?

    E como é que agora acredito em ti? Se calha disseste isto agora precisamente porque é a razão que costumas dar para os "não qualificados" por ti próprio. Ou então deu na telha...

    ResponderEliminar
  134. argo

    "http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4202224J2

    Não é difícil que seja. Os paraibanos competem com nós, os pernambucano, para saber quem é mais megalomaníaco, eh, eh

    Até agora, o titulo está pra gente, como podem atestar aí, ó:

    http://www.portaldocriador.org/forum/viewtopic.php?f=56&t=136&hilit=pernambucanidade"

    Mandarei um email para este Luciano Henrique (homônimo), afirmando que você está praticando calúnia e difamação MENTINDO ao dizer que ele e eu somos a mesma pessoa.

    Aliás, nunca sequer fui para a Paraiba, Pernambuco, etc...

    Seu desespero foi tamanho, APANHOU TANTO, que partiu para a prática de crimes virtuais.

    Patético.

    Ah, e só para rir mais de tua cara... sabe pq vou mandar o email para ele?

    PQ ME DEU NA TELHA!

    E não te devo satisfação dos meus motivos.

    ResponderEliminar
  135. E aí, argo, vai EXIGIR que eu prove meus motivos?

    Eu vou continuar rindo na tua cara (e na cara do João e do Barba Rija)...

    ResponderEliminar
  136. "Só um disléxico acharia que estou DEFENDENDO EXISTÊNCIA de Deus. rs. A questão para mim está em aberto. Eu acredito, fim. Alguém não acredita, fim."

    Não percebi! Sim eu sou fraquinho!
    Então é um Nim?

    Não defende mas acredita?
    Explique-me lá bem isso como se eu fosse (sou) muito burro.

    ResponderEliminar
  137. Mais uma lição: em ciência não se testa as coisas em que você acredita, e sim as coisas que VOCÊ alega...

    A crítica que fazemos não é sobre crenças. Fantasias todos nós a temos. Aquilo que criticamos são precisamente as alegações que os teístas costumam fazer sobre a realidade, e que tu negas que fazem (és solipsista portanto).

    Qualquer debate entre teístas e ateus confirma isto, qualquer conversa com um padre confirma isto, qualquer conversa com boa parte dos cristãos confirma isto.

    Se tu defendes no entanto que as alegações estão de facto abertas à crítica, nada tenho a apontar. Se tu defendes que as crenças não estão abertas à crítica, devo dizer que, por delicadeza, tens toda a razão. Obviamente, se essa pessoa for rude, a regra deixa de se aplicar.

    ResponderEliminar
  138. António Parente,

    Bem vindo (mais uma vez) de volta, e obrigado por me chamar a atenção para a pergunta, que no meio de tanto comentário tinha-me escapado:

    «Tem provas ciientíficas em como isso [a alma continuar a viver depois de morrermos] não aconteceu nem acontece? Se tem apresente-as. Desengane-nos, por favor.»

    Em primeiro lugar, devo dizer que é a hipótese de que continuamos a viver depois da morte que carece de evidências. A alternativa, que quando morremos ficamos mortos, é aquela que é razoável assumir na ausência de evidências em contrário. Tal como, quando entra em casa, assume que não está um tigre deitado na sua cama.

    Mas há evidências da medicina e da neurologia. Por exemplo, sabemos que nada daquilo que somos, subjectivamente, é imune a danos cerebrais. A nossa memória, a nossa personalidade, os sentidos, a capacidade de decisão, a imaginação, tudo é susceptivel de ser danificado ou destruido por danos no cérebro. Isto é uma indicação muito forte que, destruido o cérebro todo, não restará nada.

    ResponderEliminar
  139. Só um disléxico acharia que estou DEFENDENDO EXISTÊNCIA de Deus. rs. A questão para mim está em aberto. Eu acredito, fim. Alguém não acredita, fim

    Isto eu respeito totalmente. Por fim, alguém que compreende os limites da religião! E tal como diria um teólogo de terceira categoria (não são assim todos eles?!?), "é por isso que se chama fé"

    Penso que Dawkins teria algo a dizer sobre isto, mas por mim tudo bem, desde que não proselitize.

    Infelizmente não é esse o caso.

    ResponderEliminar
  140. Rafa

    "Não percebi! Sim eu sou fraquinho! Então é um Nim?
    Não defende mas acredita? Explique-me lá bem isso como se eu fosse (sou) muito burro."

    Você defende a existência do amor de sua namorada por você? Lembre-se que eu posso ficar duvidando e rindo de sua cara dias, a cada tentativa que você tentar...

    Na verdade, você acreditará, mas poderá explicar para as pessoas de confiança os seus motivos. Para os ignóbeis, você dirá "Deu na telha acreditar no amor dela, problema meu, vá te catar..."

    Entendeu agora?

    Se estiver difícil de entender, me avise...

    ResponderEliminar
  141. Barba Rija

    "E como é que agora acredito em ti? Se calha disseste isto agora precisamente porque é a razão que costumas dar para os "não qualificados" por ti próprio. Ou então deu na telha..."

    Será que você ainda não entendeu que NÃO ME IMPORTO com suas crenças subjetivas? Não me importo com o que você acha, pois simplesmente eu não tenho que te dar satisfações de minha crenças pessoais (não é o mesmo alegações).

    Não atribua a você uma importância maior do que você realmente tem.

    A questão é: o seu argumento é correto, ou não é. Sua alegação é válida, ou não é.

    O que você e eu ACREDITAMOS não é escopo nem deste debate nem de NENHUM DEBATE filosófico ou científico.

    ResponderEliminar
  142. Barba Rija

    "A crítica que fazemos não é sobre crenças. Fantasias todos nós a temos. Aquilo que criticamos são precisamente as alegações que os teístas costumam fazer sobre a realidade, e que tu negas que fazem (és solipsista portanto)."

    Ué, e em que momento eu aleguei que queria fornecer provas factuais de itens NÃO TESTÁVEIS (i.e. Deus)?

    Você, argo e João ficaram histéricos quando eu simplesmente lancei a mensagem de que NÃO ERA DA ALÇADA DE VOCÊS o que eu acredito...

    Aliás, sobre suas fantasias, fale por você. Já mostrei que esse recurso de "todos nós temos X característica" é fuga de responsabilidade também...

    "Qualquer debate entre teístas e ateus confirma isto, qualquer conversa com um padre confirma isto, qualquer conversa com boa parte dos cristãos confirma isto."

    O que se viu aqui também foram ateus alegando fantasias. O João Vasco acredita até em memes. Memes são tipo a Sininho do Peter Pan. Não existem.

    "Se tu defendes no entanto que as alegações estão de facto abertas à crítica, nada tenho a apontar. Se tu defendes que as crenças não estão abertas à crítica, devo dizer que, por delicadeza, tens toda a razão. Obviamente, se essa pessoa for rude, a regra deixa de se aplicar."

    Sim, eu sei. A questão é que vocês fizeram um draminha simplesmente pq me neguei a dar justificativas daquilo que

    (a) acredito
    (b) mas não aleguei

    O fato é. Fizeram cagada. Foram precipitados. Até ingênuos. E mais patético: contaram vitória antes da hora.

    Acontece.

    No passado, em debates, eu já cometi erros assim como esse teu. Hoje não cometo mais.

    ResponderEliminar
  143. Sim, eu sei. A questão é que vocês fizeram um draminha simplesmente pq me neguei a dar justificativas daquilo que...

    Não foste claro na asserção que não querias discutir a tua crença, e não me lembro de discutir contigo a tua crença pessoal sequer.

    Mas inventa, estás à vontade.

    ResponderEliminar
  144. Barba Rija

    "Isto eu respeito totalmente. Por fim, alguém que compreende os limites da religião! E tal como diria um teólogo de terceira categoria (não são assim todos eles?!?), "é por isso que se chama fé"
    Penso que Dawkins teria algo a dizer sobre isto, mas por mim tudo bem, desde que não proselitize. Infelizmente não é esse o caso."

    Existem os limites da religião, e os limites da ciência.

    Quanto a teólogos de terceira categoria, nota-se pq você erra tanto nesses debates. Você optou pelos de terceira catogoria. Eu só leio os de primeira categoria.

    O que Dawkins teria a dizer sobre isso geralmente seria bobagem.

    Provavelmente ele ficaria furioso pois eu destruiria o espantalho que ele criou. Ele sairia dizendo que 99% dos religiosos seriam diferente de mim (embora nenhum religioso protestasse contra mim).

    Em suma, mais do mesmo.

    Tudo em nome da pregação do Dawkins.

    Sabe pq é fácil para mim detonar vossos argumentos? Pois os seus argumentos (e do João, Ludwig, João Vasco) não passam DE CÓPIAS dos argumentos de Dawkins. Se fossem argumentos novos e originais de vocês, talvez eu tivesse alguma dificuldade.

    Mas tudo que vocês dizem já está na Bíblia do Dawkins para neo-ateus ("Deus, Um Delírio").

    Fica fácil demais...

    ResponderEliminar
  145. argo

    "Imaginei isso por causa de sua demora."

    Imaginou. E errou. Fato.
    ----------
    Voce deu indícios. Fato.
    ----------
    Ou você acha que as empresas contratam sem tal investigação?
    ----------
    Empresas também erram em suas pesquisas. Fato.
    E se qualquer uma pesquisar e saber que voce deu uma resposta: “... me deu na telha”, ela o desqualifica na hora.
    ----------
    Para os que considero qualificados, eu converso sobre os meus motivos.
    Fuga.
    ----------
    "Ah, caro Nuno Gaspar, como o Luciano, voce também joga a toalha?"
    Novamente o argo é precipitado. Não está pronto para duelos.
    ----------
    Repito a minha primeira colocação: voce deu indícios de que iria correr. Fato.
    Ou deveríamos esperar até a próxima semana? Voce já pôs suas barbas de molho, dizendo que está de férias. A qualquer momento, nada impede que voce diga que voltou a trabalhar e que, por isso, não tem mais tempo.
    ----------
    ...ao dizer que ele e eu somos a mesma pessoa.
    ---------
    Além de tudo, é mentiroso. Leia o que escrevi: “Não é difícil que seja”. Não sabe mais ler ou ficou cego?
    ----------
    Eu acredito, fim. Alguém não acredita, fim."
    ----------
    Eu sabia que voce era fraco. Só não sabia que era tanto. É a mesma coisa que os cristãos dizem: “A bíblia está certa porque é a palavra de deus, e é a palavra de deus porque está certa”
    Cadê teus famosos “argumentos”? Cadê as provas que tu exiges de todo mundo?
    ----------

    Agora, que voce me fez um favorzão, ah, isso fez. Todo mundo está notando diferença em mim, hoje. De irritadiço que estava ontem, para o melhor dos humores, hoje. Também, o que ri com tuas idiotices, não era pra menos, eh, eh.

    ResponderEliminar
  146. Barba Rija

    "Não foste claro na asserção que não querias discutir a tua crença, e não me lembro de discutir contigo a tua crença pessoal sequer. Mas inventa, estás à vontade."

    Uma dica boa para duelos em debates: preste ATENÇÃO no comportamento do oponente.

    Se você tivesse lido os meus argumentos de dois dias atrás em relação a "casamento" e "ausência de provas do subjetivo" saberia que eu já defendia que o subjetivo não precisa de teste a não ser que alguém seja claro quanto a isso.

    O fato é que um de vocês (nem lembro qual) saiu PEDINDO que eu apresentasse de evidências de algo que não afirmei apresentar.

    E saíram HISTÉRICOS quando eu dei a resposta óbvia.

    Simples: vocês não prestaram atenção no seu oponente.

    Aliás, sabe pq eu me divirto vendo vocês cometendo erros lógicos... pq me dá na telha!

    Espero que não façam draminha por causa disso também.

    ResponderEliminar
  147. A sério tás me a confundir com outro qualquer. Não fiz semelhante asserção. A única coisa que discuti contigo foram os "neo-ateus".

    ResponderEliminar
  148. argo

    "Voce deu indícios. Fato."

    vc não coletou bons indícios. fato. pois errou.

    "Empresas também erram em suas pesquisas. Fato. E se qualquer uma pesquisar e saber que voce deu uma resposta: “... me deu na telha”, ela o desqualifica na hora."

    a resposta era sobre crença subjetiva, e não sobre pesquisas empresariais. rs. vc não prestou atenção mesmo.

    "Fuga."

    pq fugiria de vc?

    "Repito a minha primeira colocação: voce deu indícios de que iria correr. Fato."

    e vc errou na coleta dos indícios. fato.

    "Ou deveríamos esperar até a próxima semana? Voce já pôs suas barbas de molho, dizendo que está de férias. A qualquer momento, nada impede que voce diga que voltou a trabalhar e que, por isso, não tem mais tempo."

    errou de novo. o fato de eu estar de férias não implica em que eu tenha que estar próximo ao computador o tempo todo. fracassou de novo.

    "Além de tudo, é mentiroso. Leia o que escrevi: “Não é difícil que seja”. Não sabe mais ler ou ficou cego?"

    mas já saiu colando os dados dele. já fizeram aqui até afirmações como se fosse ele. é calúnia.

    "Eu sabia que voce era fraco. Só não sabia que era tanto. É a mesma coisa que os cristãos dizem: “A bíblia está certa porque é a palavra de deus, e é a palavra de deus porque está certa”."

    você é fraco e retardado, pois eu não afirmei nada sobre a bíblia. você está histérico. por isso até apelou ao crime virtual... rs.

    "Cadê teus famosos “argumentos”? Cadê as provas que tu exiges de todo mundo?"

    eu exijo evidências de que eu tenha afirmado que EXISTÊNCIA DE DEUS É CERTA ou BÍBLIA ESTÁ CERTA.

    te pago 200 mil dólares se achar algo deste tipo no blog.

    que tal?


    "Agora, que voce me fez um favorzão, ah, isso fez. Todo mundo está notando diferença em mim, hoje. De irritadiço que estava ontem, para o melhor dos humores, hoje. Também, o que ri com tuas idiotices, não era pra menos, eh, eh."

    estava irritadiço ontem?

    pq és fraco.

    vc teve risos histéricos hoje, por poucos momentos, quando alimentou sua ilusão de que eu teria desistido do debate.

    vamos lá...

    PROVE que eu fiz tais afirmações.

    se não conseguir provar, vou te humilhar em público...

    (argo é tão burro que não sabe que como sou agnóstico teísta, EU NÃO POSSO por definição sair alegando nada que não possa ser provado diretamente. rs. ou seja, ele não estuda seus adversários )

    ResponderEliminar
  149. Barba Rija

    "A sério tás me a confundir com outro qualquer. Não fiz semelhante asserção. A única coisa que discuti contigo foram os "neo-ateus"."

    Um sujeito pediu evidências do que eu acreditava. Eu disse "deu na telha".

    O Joao criticou a resposta. Você e argo endossaram.

    Ou seja, se você endossou você pode ser criticado também. Fato.

    ResponderEliminar
  150. "A refutação completa virá na parte 3 de "A difícil arte de dialogar com neo-ateus"."

    Traga-a para cá (presumo que o Ludwig não se importe - se não, refocile-se sozinho ou com seus lambaios). No seu blog voce corta as palavras, só publica o que voce quer. Em suma: é desonesto e irritante!

    P. S. infelizmente vai ser meu último comentário, hoje. Na capital do melhor estado do Brasil, são 18:18, hora de parar. Mas amanhã eu volto (se deus quiser, eh, eh - Ou seria... a TELHA? kkkk)

    P. P. S

    Caro Ludwing, obrigado por ter deletado as falsidades postadas em meu "nome".

    ResponderEliminar
  151. Ahahaha! Estás a falar da telha! Teve um piadão! Fartei-me de rir, os meus parabéns.

    ResponderEliminar
  152. António Parente03/09/09, 22:24

    Prof. LK

    Tal como noutras coisas, divergimos nessa questão da divulgação de dados pessoais.

    Quanto à questão que não respondeu, não precisa fazê-lo dado que não tenho mais tempo para continuar aqui.

    ResponderEliminar
  153. argo

    "Traga-a para cá (presumo que o Ludwig não se importe - se não, refocile-se sozinho ou com seus lambaios). No seu blog voce corta as palavras, só publica o que voce quer. Em suma: é desonesto e irritante!"

    não cortei palavra alguma. Não fantasie. Demonstre uma evidência do que você alegou. Só palavrões são cortados.

    Não trarei para cá. Pelo que vi, a audiência do meu blog dobrou, e o apoio aos meus massacres aqui também. Logo, o serviço aqui está quase feito.

    "P. S. infelizmente vai ser meu último comentário, hoje. Na capital do melhor estado do Brasil, são 18:18, hora de parar. Mas amanhã eu volto (se deus quiser, eh, eh - Ou seria... a TELHA? kkkk). P. P. S"

    Os seus problemas de acesso à Internet não me dizem respeito. E ele de novo não entendeu a metáfora.

    "Caro Ludwing, obrigado por ter deletado as falsidades postadas em meu "nome"."

    Só que aquele Luciano Henrique recebeu o meu email rs.

    ResponderEliminar
  154. Barba Rija

    "Ahahaha! Estás a falar da telha! Teve um piadão! Fartei-me de rir, os meus parabéns."

    Parabéns a você, por ser motivo de chacota, pois a sua histeria já foi citada até nos comentários de meu blog por gente que leu aqui. Parabéns mesmo. Humilhe-se mais.

    ResponderEliminar
  155. Luciano,

    tem razão quando diz que não tem de dar satisfações a ninguém sobre o que acredita ou deixa da acreditar.

    Mas se tiver tempo e paciência esclareça aqui os companheiros de conversa porque acredita na existência do deus dos 3 livros (e em particular segue a crença católica) e não noutro qualquer?

    Eu adianto já pela minha parte que não acredito em deus nenhum porque quando analiso os dados de toda a informação que me chegou durante a vida e que faz de mim o que sou concluo que cada cultura criou o seu mito da criação por não ter respostas para uma série de questões que "atormentam" a humanidade faz milénios e que estou confortável com a teoria do big bang (apesar dos gaps que ainda existem) e com o que a evolução me explica etc e não vejo como por um deus em cima disso tudo ajuda a compreender seja o que for.

    Resumindo, quando penso nos dados concluo que os deuses são criações humanas e não o contrário.

    Quer contribuir?
    Em alternativa pode rir na minha cara que eu não me importo ;)

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  156. Pessoal, isto é mesmo sério? Ou é só um momento lúdico para esquecer que as férias acabaram, uma tentativa de prolongar um pouco mais a Silly Season?

    Seriamente, vocês iriam dar-se ao trabalho de discutir engenharia automóvel com um vendedor de carros usados chamado Honest Joe?

    ResponderEliminar
  157. Parabéns a você, por ser motivo de chacota, pois a sua histeria já foi citada até nos comentários de meu blog por gente que leu aqui. Parabéns mesmo. Humilhe-se mais.

    Deste-te a esse trabalho? LOOOL Isto é mesmo divertido!!

    E sim, Nuno, isto é a silly season ;D

    ResponderEliminar
  158. Nuno Coelho:

    É a piada de encontrar alguém novo, um novo estilo (algures no meio do contínuo de sofisticação) de apresentar e defender falácias e sofismas :).

    Eventualmente vai perder a piada, como aconteceu com o perspectiva.


    Por acaso também me ri bastante dessa subtileza. Mas achei algo cruel, apesar de todos os insultos do post do Luciano.

    ResponderEliminar
  159. Nuno Gaspar03/09/09, 23:10

    "um novo estilo (algures no meio do contínuo de sofisticação) de apresentar e defender falácias e sofismas :)."

    Só é pena não ter sido capaz de as desmontar, João Vasco.
    Pode continuar a tentar; estamos a gostar muito do espectáculo

    ResponderEliminar
  160. Nuno:

    Não me parece que o Nuno seja um juiz muito imparcial a esse respeito...

    ResponderEliminar
  161. João Vasco.

    Importas-te de usar apelidos? Fiquei confuso (acontece-me com certa facilidade, reconheço).

    ResponderEliminar
  162. Nuno Gaspar03/09/09, 23:27

    João Vasco,
    Também acho, tal como você. Por isso o melhor é divulgar o que aqui se está a passar e deixar as pessoas julgarem por si.

    ResponderEliminar
  163. Mas falando um pouco mais a sério, os argumentos que o Luciano pede irrompem em bandos nestas caixas de comentários. Posso admitir a hipótese de um deus todo poderoso que criou um Universo imenso para simplesmente fazer criação de umas criaturas feitas à sua imagem e semelhança, apenas para as ver evoluir (num sentido espiritual, não se ofendam).

    O que não engulo é que ele tenha escolhido uma equipa destas para levar a Sua a cabo.

    ResponderEliminar
  164. João Vasco:

    "Por acaso também me ri bastante dessa subtileza. Mas achei algo cruel, apesar de todos os insultos do post do Luciano."

    Os comentários lá dizem que você chorou muito. Principalmente depois dos memes...

    Aliás, cruel foi o Dawkins ao criar a piada da memética. E pior: fazer você acreditar.

    Foi triste. Agora chutei tuas muletas... e te deixei sem a esperança nos memes.

    ResponderEliminar
  165. Só para ficar registrado umas PrtScn em território neutro:

    http://img300.imageshack.us/img300/7408/luciano2.jpg

    http://img156.imageshack.us/img156/6908/luciano3.jpg

    Com pessoas do tipo do cara (não, "o cara", eh, eh), prevenção nunca é demais...

    P. S (não é para voce, Luciano enxerido, como voce pensou da outra vez)

    Foi só uma entradinha rápida na internet - vou desligar o computador novamente. Até amanhã para todos, com novas e sensacionais anedotas, às custas do "besta fubenta" chamado Luciano Henrique.

    ResponderEliminar
  166. Rafa

    "Mas se tiver tempo e paciência esclareça aqui os companheiros de conversa porque acredita na existência do deus dos 3 livros (e em particular segue a crença católica) e não noutro qualquer?"

    Uma coisa: eu e os neo-ateus somos adversários. Eles me consideram um inimigo.

    Notem quando eu joguei um exemplo falso de motivos, ao usar um "deu na telha".

    Juntaram-se quatro oponentes e simularam um falso riso. Obviamente era uma estratégia, mas não esperavam que eu já tinha planejado o contra-ataque, pois SÓ RIRIAM se não tivessem percebido a sutileza por trás da alegação.

    Nesse cenário de desconfiança, você realmente acha que alguém revela seus motivos subjetivos a adversários?

    "Eu adianto já pela minha parte que não acredito em deus nenhum porque quando analiso os dados de toda a informação que me chegou durante a vida e que faz de mim o que sou concluo que cada cultura criou o seu mito da criação por não ter respostas para uma série de questões que "atormentam" a humanidade faz milénios e que estou confortável com a teoria do big bang (apesar dos gaps que ainda existem) e com o que a evolução me explica etc e não vejo como por um deus em cima disso tudo ajuda a compreender seja o que for."

    E eu digo que não acredito em sua explicação, pois você não a provou com um "scan cerebral". Tecnicamente, é uma falácia de evidência anedota.

    Ex. "A minha motivação declarada é válida como real, pois acredito que minha motivação é essa".

    "Resumindo, quando penso nos dados concluo que os deuses são criações humanas e não o contrário."

    É seu direito pensar o que quiser.

    "Quer contribuir?"

    Não, grato.

    Eu não me importo com o que você acredita, e nem em declarações de sua subjetividade. NADA DISSO TEM VALOR DE EVIDÊNCIA.

    O que interessa é:

    (a) do que você alega, o que pode provar
    (b) do que você alega, o que não pode provar

    Essa é minha técnica de debate.

    Minha subjetividade é minha. É como uma estratégia corporativa. Não é revelada aos quatro ventos...

    ResponderEliminar
  167. argo

    "Até amanhã para todos, com novas e sensacionais anedotas"

    Essa vai pro mural.

    Realmente, argo alega e SÓ TEM EVIDÊNCIAS ANEDOTAS.

    ResponderEliminar
  168. Nuno Gaspar e Luciano:

    São engraçadas estas boquinhas, e admito que fui eu que comecei, na tal mensagem dirigida ao Nuno Coelho.

    Mas li o apelo do Ludwig e não vou continuar. Pelo menos por agora.

    ResponderEliminar
  169. "E eu digo que não acredito em sua explicação, pois você não a provou com um "scan cerebral". Tecnicamente, é uma falácia de evidência anedota."

    Bem, eu tentei explicar. Já o Luciano não explica nada. Diz que não defende a existência de deus mas acredita nele e que ninguém tem nada que ver com isso. Muito bem.

    Não entendo contudo porque anda tão zangado.

    Quanto à minha falácia.
    Se vou estar à espera de provar que deus existe ou não existe então nunca chegarei a lado nenhum.
    tal como não chegarei a lado nenhum se ficar sempre na dúvida se existe bicho papão ou não ou outra coisa qualquer como o monstro do espagueti voador.
    Se isto é uma falácia então o facto de você acreditar no seu deus e não noutro qualquer ou no monstro do espagueti voador também o é! Muito bem que ninguém tem nada a ver com isso mas o porquê de acreditar está baseado na mesma falácia que me apresenta minha.
    Talvez por isso não o queira discutir.

    ResponderEliminar
  170. É no mínimo desonesto estar a insultar os ateus por explicarem porque não acreditam num deus quando não tem coragem de explicar porque acredita num.

    ResponderEliminar
  171. Desmascarando o Luciano "rápido em datilografia, com raciocínio direto, falar sobre n assuntos etc".

    Não é nada disso: ele é simplesmente um copiador de textos da Wikipedia.

    Prova. Luciano escreveu:

    [Aula grátis: Um agnóstico pode crer apenas por fé em algum deus ou deuses, ao mesmo tempo em que admite não ter conhecimento sobre a existência do(s) mesmo(s), podendo ser teísta se acreditar nos conceitos de deuses como descritos por alguma religião, ou deísta se for algo diferente desses moldes.]

    Leiam o que está escrito na Wikipédia?

    http://img200.imageshack.us/img200/916/luciano5.jpg

    É um perfeito enrolador!

    ResponderEliminar
  172. [É no mínimo desonesto estar a insultar os ateus por explicarem porque não acreditam num deus quando não tem coragem de explicar porque acredita num.]

    Rafa

    Ele não teve coragem suficiente nem de responder a uma simples pergunta.

    Vou postá-la aqui e desafiá-lo a responder com um simples SIM ou NÃO ou passar por enrolão, tornar-se ridículo:

    Luciano, a pergunta é esta:

    (já que, aqui, voce é réu, não é obrigado a responder, mas melhoraria seu conceito se o fizesse)

    1) Voce confirma que as afirmações de Maria ser virgem e de Jesus Cristo haver ressuscitado são metáforas? Sim ou não?

    ResponderEliminar
  173. Rafa

    "Bem, eu tentei explicar. Já o Luciano não explica nada. Diz que não defende a existência de deus mas acredita nele e que ninguém tem nada que ver com isso. Muito bem."

    Tentar explicar realmente você tentou, mas não PROVOU que seus motivos eram realmente esses. Entendeu? Para mim você inventou esses motivos.

    Ou seja, cientificamente, de que adiantou você revelar seus motivos se você NÃO TEM PROVA de que esses motivos são reais?


    "Não entendo contudo porque anda tão zangado."

    Não estou zangado.

    "Quanto à minha falácia. Se vou estar à espera de provar que deus existe ou não existe então nunca chegarei a lado nenhum.
    tal como não chegarei a lado nenhum se ficar sempre na dúvida se existe bicho papão ou não ou outra coisa qualquer como o monstro do espagueti voador."

    Se você tem dúvidas, corra atrás... Eu sinceramente não me importo.

    "Se isto é uma falácia então o facto de você acreditar no seu deus e não noutro qualquer ou no monstro do espagueti voador também o é! Muito bem que ninguém tem nada a ver com isso mas o porquê de acreditar está baseado na mesma falácia que me apresenta minha. Talvez por isso não o queira discutir."

    Não. Eu acredito em Deus. Não acredito mo monstro espagueti voador. Por meus motivos.

    NÃO É POSSÍVEL existir falácia nessa declaração minha.

    ResponderEliminar
  174. E já que ele gosta de citar a Wikipedia, vejamos o que ela diz sobre ESPIRITUALIDADE:

    [
    A Espiritualidade é uma dimensão da pessoa humana que traduz, segundo diversas religiões e confissões religiosas, o modo de viver característico de um crente que busca alcançar a plenitude da sua relação com o transcendental. Cada uma das referidas religiões comporta uma dimensão específica a esta descrição geral, mas, em todos os casos, se pode dizer que a "espiritualidade" «traduz uma dimensão do homem, enquanto é visto como ser naturalmente religioso, que constitui, de modo temático ou implicito, a sua mais profunda essência e aspiração»
    ]

    Em resumo: não existe, é só uma tentativa de se explicar o inexplicável, não é, necessariamente, uma verdade.

    Então, posso afirmar: NÃO EXISTE ALMA, É SÓ UMA INVENÇÃO!

    Quem quiser (tipo o Luciano) que prove sua existência! Que tal trazer uma foto?

    Ah, já que afirma a não-existência da alma, posso provar minha afirmação com uma não-foto?

    ResponderEliminar
  175. argo

    [só um aviso, estão te surrando no meu blog]

    "Em resumo: não existe, é só uma tentativa de se explicar o inexplicável, não é, necessariamente, uma verdade.
    Então, posso afirmar: NÃO EXISTE ALMA, É SÓ UMA INVENÇÃO!"

    Você é uma pessoa de muita fé.

    "Quem quiser (tipo o Luciano) que prove sua existência! Que tal trazer uma foto?"

    Onde foi que eu disse que provaria a existência de 'alma'?

    ResponderEliminar
  176. Se é enrolador ou não não sei.
    Mas que não está interessado num diálogo honesto já deu para perceber.

    Aliás a agressividade dele parece-me demonstrar uma falta de segurança fortíssima nas suas crenças.
    Entende os argumentos dos ateus e fica irritado e inseguro sendo isso consequência da fragilidade da sua crença. Daí não querer explicar os porquês dela e remeter o seu deus para o plano da "espiritualidade" onde tudo é permitido. Esconde as razões da crença no nevoeiro para se sentir confortável.

    Responder à simples pergunta de porque adora um deus e não outro?
    É-lhe impossível e deixa-o irritado.

    Mas não é o único.
    Há um que de vez enquando nunca mais volta que é parecido. Mas há muitos. Penso serem quase todos. Uns têm é mais noção do ridículo que outros.

    Depois há os outros, os do rebanho que dizem "Muito bem... muito bem" como os deputados num parlamento.

    ResponderEliminar
  177. [Mas que não está interessado num diálogo honesto já deu para perceber.]

    Como se diz aqui, no nordeste brasileiro: "VERDADE VERDADEIRA"!

    ResponderEliminar
  178. Rafa

    "Se é enrolador ou não não sei. Mas que não está interessado num diálogo honesto já deu para perceber."

    Estou interessado em DEBATES CÉTICOS. Só.

    "Aliás a agressividade dele parece-me demonstrar uma falta de segurança fortíssima nas suas crenças."

    Onde você viu agressividade?

    Aliás, segundo o seu raciocínio a GE é uma empresa insegura em suas crenças, pois ela não sai entregando por aí os MOTIVOS para suas decisões internas.

    Nonsense.

    "Entende os argumentos dos ateus e fica irritado e inseguro sendo isso consequência da fragilidade da sua crença. Daí não querer explicar os porquês dela e remeter o seu deus para o plano da "espiritualidade" onde tudo é permitido. Esconde as razões da crença no nevoeiro para se sentir confortável."

    Errou em tudo:
    (a) você só poderia alegar irritação com um exame de ressonancia magnética do cérebro. vc não fez
    (b) a insegurança talvez poderia ser testada assim. vc não fez.
    (c) tentou explicar os motivos para eu não querer explicar meus motivos. vc tentou ler a minha mente. é pseudo-ciência.

    Eu escondo as razões da minha crença para fazer com que você FIQUE CORRENDO ATRÁS, feito cachorro pidão.. Entendeu?

    É mais divertido ver você assim.

    "Responder à simples pergunta de porque adora um deus e não outro? E-lhe impossível e deixa-o irritado."

    É mais divertido não responder e ver VOCÊ irritado.

    "Mas não é o único. Há um que de vez enquando nunca mais volta que é parecido. Mas há muitos. Penso serem quase todos. Uns têm é mais noção do ridículo que outros. Depois há os outros, os do rebanho que dizem "Muito bem... muito bem" como os deputados num parlamento."

    Ohhh... no final o draminha. Quer comover a quem?

    ResponderEliminar
  179. [É mais divertido não responder e ver VOCÊ irritado.]

    Sério: esse cara quer mesmo dialogar?

    ResponderEliminar
  180. Se eu respondo "Por meus motivos" ou porque sim a todas as perguntas então não posso ser levado a sério.

    É ridículo isso!


    E claro que nessa linha de argumentos (o não provou) não nos leva a lado nenhum.

    Isto:
    "Para mim você inventou esses motivos. Ou seja, cientificamente, de que adiantou você revelar seus motivos se você NÃO TEM PROVA de que esses motivos são reais?"
    É uma treta pegada e já percebi o tipo de pessoa que está desse lado.

    Melhores cumprimentos.

    ResponderEliminar
  181. Nuno Gaspar04/09/09, 01:00

    Rafa caiu,

    mais um para a trituradora.

    ResponderEliminar
  182. Não adianta, o cara é desonesto mesmo.

    Eis uma afirmação dele:

    [Não trarei para cá. Pelo que vi, a audiência do meu blog dobrou, e o apoio aos meus massacres aqui também. Logo, o serviço aqui está quase feito.]

    Ele só um idiotazinho qualquer, não liguem. Ele só joga para aquela sua platéia de imbecis, como o Rafa pôde comprovar.

    ResponderEliminar
  183. E, parece-me, ele tem um discípulo do lado de cá também, não é mesmo?

    ResponderEliminar
  184. Todos são testemunhas de que Luciano, o "Enrolador da Telha" não responde a minha pergunta:

    1) Voce confirma que as afirmações de Maria ser virgem e de Jesus Cristo haver ressuscitado são metáforas? Sim ou não?

    ResponderEliminar
  185. "Estou interessado em DEBATES CÉTICOS. Só."
    Tá bem abelha.

    "Onde você viu agressividade?"
    Não fui ao seu blog e nem vou aqui aos comentários digo-lhe só para reler as citações do Ludwig no primeiro parágrafo deste post.

    Quanto à General Electric acho a comparação completamente tonta. Mas tá bem. Não revele nada que já percebemos não haver nada para revelar.

    Quanto às ressonâncias só posso dizer que da próxima vez que vir aí um bandido qualquer a berrar consigo e apontar uma arma peça-lhe para ele ir fazer uma ressonância magnética para provar se está irritado e mesmo disposto a assalta-lo e disparar a arma e depois peça que volte com o exame detalhado para tirar suas conclusões e decidir se lhe deve dar a carteira ou não.

    "com que você FIQUE CORRENDO ATRÁS"
    Eu não corro atrás. Já perdi a motivação e a piada já lá vai. Não se aprende nada e está a ser uma perda de tempo. Tou meio desiludido com o Luciano. Pensava-o mais capaz ou mais divertido (mas não tenho como provar que este pensamento é real).


    ah e claro não estou irritado. Aliás neste momento estou bem enfadado. Não há aí nada de excitante.


    Finalmente onde está mesmo o drama? E onde foi buscar o "comover?

    Mas eu dou como terminado este diálogo.
    Pode dar aí uns saltos e gritar “PERDEU” e essas coisas estranhas e infantis que costuma fazer. Eu confesso, fui vencido pelo tédio. Leva lá a bicicleta.

    Melhores cumprimentos




    ************************************************



    Nuno Gaspar,

    “Rafa caiu,
    mais um para a trituradora.”

    É verdade.
    Mas vou fazer uma ressonância magnética para provar qualquer coisa que já não me lembro.

    ResponderEliminar
  186. "Eu escondo as razões da minha crença para fazer com que você FIQUE CORRENDO ATRÁS, feito cachorro pidão.. Entendeu?

    É mais divertido ver você assim."

    Palavra do Senhor: "Dá-lhes De Força".

    O Evangelho segundo São Luciano Consultor ainda tem mais piada que os outros.

    ResponderEliminar
  187. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  188. [Não revele nada que já percebemos não haver nada para revelar.]

    Essa foi ótima, Rafa. Realmente, o cara é um saco vazio.

    O que ele sabe mesmo é copiar conceitos da Wikipedia, eh, eh

    ResponderEliminar
  189. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  190. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  191. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  192. [Não revele nada que já percebemos não haver nada para revelar.]

    Essa foi ótima, Rafa. Realmente, o cara é um saco vazio.

    O que ele sabe mesmo é copiar conceitos da Wikipedia, eh, eh

    ResponderEliminar
  193. Rafa

    "E claro que nessa linha de argumentos (o não provou) não nos leva a lado nenhum."

    Claro que leva...

    Veja só como fui treinado em Six Sigma. Eu acho que um projeto é o melhor. Só que até o momento não tenho dados que comprovem que eu possa fazer ALEGAÇÕES sobre os resultados. Eu me calo. Mas continuo ACREDITANDO no projeto. Entendeu? Mas aí um dia eu acho os dados, e aí posso alegar. E meu projeto é aprovado.

    A regra é simples: "Qualquer coisa que eu não possa PROVAR COMO FACTUAL, não alegarei".

    Aliás, estranho. Tem um pessoalzinho aqui que falava que "divulgava a ciência", e sou eu a ensinar a vocês como pensar cientificamente?

    ResponderEliminar
  194. argo

    "Todos são testemunhas de que Luciano, o "Enrolador da Telha" não responde a minha pergunta:

    1) Voce confirma que as afirmações de Maria ser virgem e de Jesus Cristo haver ressuscitado são metáforas? Sim ou não?"

    A resposta está nos comentários deste blog: http://neoateismodelirio.wordpress.com/2009/09/03/a-dificil-arte-de-dialogar-com-os-neo-ateus-parte-2-ou-como-discutir-com-aquele-que-nao-le-o-que-esta-escrito/

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.