quarta-feira, agosto 05, 2009

Filtragem de comentários.

Actualizado a 16-4-2012: Agora há uma lista adicional para apagar por completo os comentários dos comentadores listados. Por omissão está vazia, mas basta acrescentar lá os nomes que se quiser (variável Remove): daqui descarregar nova versão.

Actualizado a 14-4-2012: Já funciona com os novos comentários do Blogger. Obrigado ao JC pelas sugestões para o código. É só descarregar daqui e substituir.

Actualizado a 13-9-09: Alterei o script para funcionar com os comentários incluidos na página de cada post. Quem já instalou a versão anterior pode descarregar novamente daqui e substituir.

O spam de alguns comentadores, mais no singular que no plural, tem dificultado o debate neste blog. Por causa deste problema, no De Rerum Natura decidiram suspender os comentários (1). Como aqui não quero tratar a constipação decapitando o paciente, proponho uma alternativa.

Alguns browsers permitem usar scripts que formatam as páginas que estamos a ver. A alteração é apenas local, no computador de quem instalou o script, não alterando nada no servidor que fornece a página. Aproveitando isto criei um script para filtrar comentários aqui no Que Treta!

Esta versão filtra apenas um comentador (para efeitos meramente ilustrativos, claro) e está restrita a este blog. Mas quem quiser pode alterar facilmente o script para funcionar com todos os blogs que usem o sistema de comentários do Blogger, e acrescentar ou alterar os nomes no filtro. As instruções estão no código do script, que está nesta página do Userscripts.org. As instruções de instalação dependem do browser.

Nota: por questões de segurança, nunca devem instalar scripts em que não tenham confiança. Basta um conhecimento básico de JavaScript para ver que este é inofensivo, mas quem não conseguir ver o que o script faz olhando para o código deve esperar pela opinião de outros utilizadores que o possam avaliar. Não é que eu desconfie dos meus scripts, mas a regra é suficientemente importante para desaconselhar excepções.

Firefox
Antes de instalar o script é preciso instalar o Greasemonkey. Se já tiverem o Firefox com o Greasemonkey, basta clicar o botão “Install” na página do script e depois confirmar a instalação na janela que aparece.
Obrigado ao comentador anónimo que me ajudou a pôr isto no Firefox

Opera
Carreguem com o botão da direita no “Install” da página do script, escolham a opção de gravar o ficheiro e gravem-no na vossa pasta de scripts. Se nunca tiverem usado scripts no Opera, criem uma pasta nova. Por exemplo, My Documents\UserScripts. Tanto faz qual é a pasta desde que se lembrem onde está. Em Tools – Options – Advanced – JavaScript Options, com o botão “Choose” escolham a pasta onde guardaram o script. Precisam também activar a opção User Javascript on HTTPS. Basta seguir o link anterior (este link só funciona no Opera), marcar a caixa e premir o botão “Save” no fim da página antes de a fechar. A primeira vez que virem comentários no blog o Opera vai pedir que confirmem que querem executar o script numa ligação segura. Basta escolher “Yes”, e a partir daí corre tudo em automático.

Editado a 18-11-2010: No Opera 10 o JavaScript Options está em Tools, Preferences, Advanced, Content.

Internet Explorer
O melhor é instalar o Opera ou o Firefox e seguir as instruções acima...

Safari (não testado)
Segundo esta página é possível correr estes scripts no Safari usando o Greasekit:
How to run Greasemonkey scripts in Safari

Chrome (acrescentado a 18-11-2010)
Segundo o Barba Rija, o script funciona no Chrome sem problemas. Obrigado pelo teste.

Alterações
Podem editar o script com um editor de texto como o Notepad, e convido os leitores interessados a melhorar o código, enviar instruções para outros browsers, sugerir alterações e assim por diante. Como tudo neste blog, o script é para todos. Estejam à vontade se o quiserem adaptar para os vossos blogs.

Este post fica em aberto para ir actualizando conforme surgirem novidades.

Post-scriptum
Para evitar as queixinhas do costume, saliento que isto não é censura da minha parte. Não estou a apagar comentários nem a bloquear comentadores. Mas defendo que quem lê este blog, ou qualquer outro, tem direito de decidir onde quer perder o seu tempo. Se há comentários que sistematicamente incomodam, é legítimo que os filtre. Estou apenas a dar a cada leitor uma ferramenta que facilite o exercício desse direito.

Dito isto, aviso também que não vou aceitar tentativas de privar os leitores desse direito. Apagarei, sempre que tiver disponibilidade, comentários sob pseudónimos deliberadamente alterados para fugir aos filtros e, se este sistema levar a um aumento significativo de comentários anónimos, passarei a aceitar apenas comentários de contas registadas no Google.


1- De Rerum Natura, Interrupção de comentários.

54 comentários:

  1. Belissimo!

    Não uso o IE mas uso o Chrome.
    Sou um vendido à Google.

    Mas é de facto o melhor browser... levezinho que nem uma pena.

    ResponderEliminar
  2. Rafa,

    O Chrome já suporta userscripts na versão oficial ou só ainda na beta?

    ResponderEliminar
  3. Ludwig,

    suportar suporta mas tens de usar os truques manhosos para os activar.
    Googla e encontras como.

    Este browser é para ser levezinho e descomplicado e a Google optou por ter tudo muito limpinho com poucos botões (incluindo nas opções). Qualquer coisa como fazer enable aos user scripts implica iniciar o browser com argumentos na linha de comandos.

    Para a Google (digo eu) quem precisa de mais que o básico para navegar em 100% dos sites sem complicações então tem conhecimentos suficientes para lançar a aplicação com os respectivos argumentos de modo a activar as funções pretendidas.

    Assim consegue um browser quase sem botões e ultra rápido (mesmo mesmo muito rápido).

    ResponderEliminar
  4. Um destes dias crio um script para verificar repetições de padrões : )))
    desta forma , independentemente do utilizador, se já fosse algo escrito , não postava. perl tem várias possibilidades para essa pequena pérola , o problema é que não sei se servidores como este ( Blogger) correm scripts de perl. Duvido :|. Mas qualquer dia destes ainda perco um tempo com esta ideia.

    ResponderEliminar
  5. Rafa,

    OK, obrigado, vou experimentar.

    Também gost muito do chrome. Infelismente, o Opera é o único que conheço que dá para fazer quase tudo com o teclado. Uma vez que nos habituamos a isso é difícil mudar para outro...

    ResponderEliminar
  6. Para activarem este script no Firefox tem de fazer o seguinte:

    Se ainda não o fizeram instalem o GreaseMonkey no Firefox.
    O link é este: https://addons.mozilla.org/pt-PT/firefox/addon/748

    Depois de instalado aparece em baixo do lado direito na barra de estado do Firefox um ícone com uma cabeça de um boneco amarelo.

    Cliquem lá com o botão direito do rato e no menu que aparece escolham a opção "Novo script de Usuário"

    Na janela que aparece na caixa do "Nome" escrevam "Blogger Comments Filter", na caixa "Nome URI" escrevam "http://pessoa.fct.unl.pt/a4338/quetretaimages/commentfilter.js", na caixa "Descrição" escrevam "Filters comments from blogger comments page based on commenter name" e na caixa "Incluir (um por linha)" escrevam "https://www.blogger.com/comment.g?blogID=29251019*" depois é só clicar em "OK"

    Se for pedido para indicar o caminho para um editor de texto escolham "C:\WINDOWS\system32\notepad.exe" ou outro qualquer ao vosso gosto.

    Irá ser criado um ficheiro de nome "blogger_comments_filter.user.js" o qual será aberto no editor de texto.

    Substituam o código que lá aparece pelo código que está no ficheiro "commentfilter.js" aqui disponibilizado pelo Ludwig.

    Gravar e sair do editor de texto.

    Cliquem novamente com o botão direito do rato no ícone do GreaseMonkey e certifiquem-se de que as opções "Blogger Comments Filter" e "Ativado" tem um "visto" lá marcado.

    Et voilá...

    Já testei aqui no meu e funciona.

    ResponderEliminar
  7. porque diabo não ligam o sistema de aprovação dos comentários? ...

    ResponderEliminar
  8. Kyriu,

    Não é para tentar compreender. Simplesmente se se filtrarem os comentários, os fascizoides de serviço ficam com ciumes de não serem os únicos a censurar e ainda se tornam mais insuportáveis que o habitual.
    Parece-me que esta solução do Ludwig é muito mais interessante. E assim pode-se dizer que a censura está nos olhos de quem a contempla. Só tem um problema, a meu ver. É que alguns comentadores que não usem o filtro vão achar algumas coisas fora de contexto nas conversas.

    ResponderEliminar
  9. mas os filtros também requerem sempre um ajuste porque mais cedo ou mais tarde removem o que não é pretendido...

    quer-me parecer que tudo isto volta a essa velha história da liberdade de expressão e da qualidade do rácio sinal/ruído...

    ResponderEliminar
  10. Desculpem mas só agora percebi que o Jonatas é o professor Jonatas Machado.
    Eu eu .... não acredito,
    enfim

    ResponderEliminar
  11. Ludwig, tens um erro no código inteligente. A linha

    # var ReplaceText='bla bla bla';

    deve ser

    # var ReplaceText='biri birbi rbirib irb biri ri ibr ib rib ir irbib';

    ResponderEliminar
  12. Kyriu,

    Os filtros são sempre imperfeitos. Daí que, seja como for que se filtre, é melhor que cada um decida por si como filtrar do que estar eu a decidir por todos.

    E com o volume de comentários que alguns posts têm, aprovar um a um exige mais tempo do que eu tenho disponível. Além disso, é chato para todos que comentam.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo,

    Obrigado pelas instruções com o Firefox. Vou ver se depois de ter o script a funcionar com o Firefox posso ter um que seja mais simples de instalar.

    ResponderEliminar
  14. No firefox está a funcionar na perfeição, não conhecia este macaco, é bom o símio

    ResponderEliminar
  15. Caso o Jánatas Machado crie um bloge, a página de boas vindas a não religiosos, deverá ser assim.

    ResponderEliminar
  16. O SPAM que o Ludwig quer filtrar a todo o custo é apenas os seus argumentos evolucionistas devidamente respondidos pelos criacionistas.

    ResponderEliminar
  17. EXPLICAÇÃO

    Nos debates que os criacionistas têm levado a cabo com os evolucionistas algumas coisas sintomáticas aconteceram.

    O Desidério Murcho, no seu site Criticanarede, ainda tentou contrariar os argumentos criacionistas, tendo acabado por retirar a discussão do “ar”, eliminando a secção de comentários. Curiosamente, fez questão de apagar os seus próprios argumentos.

    O mesmo acabou por acontecer com o Rerum Natura, depois de a Palmira Silva e o Paulo Gama Mota, entre outros, terem tentado contrariar o criacionismo, dando lugar a respostas criacionistas que foram repetidas várias vezes nesse blogue de ideologia naturalista.

    O David Marçal ainda tentou fazer humor, mas também aqui os criacionistas responderam com tiradas humorísticas colhidas ao longo do debate. A única saída era mesmo fugir, quanto antes, ao debate com os criacionistas.

    Agora o Ludwig quer ir pelo mesmo caminho.

    Alguns tentaram interpretar a participação criacionista como motivada pela obsessão ou pelo ódio (o que só atesta a grande imaginação evolucionista!), talvez porque não tenham conseguido responder com sucesso aos argumentos criacionistas apresentados.


    Se os criacionistas não respondessem, seriam acusados de não terem argumentos.


    Como responderam, repetidamente, são acusados de obcecados ou motivados pelo ódio.

    Que conveniente, quando não se tem argumentos!

    Não se trata nem de obsessão nem de ódio. Era o que faltava!

    Trata-se apenas da demonstração empírica de que um criacionista bíblico pode calmamente avançar os seus argumentos em sites científicos, no meio de cientistas, sem nunca ser refutado cientificamente.

    Isso é assim, porque todas as observações científicas que possam ser mobilizadas encaixam muito bem no modelo criacionista.

    Este acomoda muito bem o código genético, as mutações, a selecção natural, a especiação, a adaptação, os triliões de fósseis, as camadas transcontinentais de sedimentos, as diferentes concentrações de isótopos, a quantização das galáxias, os campos magnéticos planetários, a craterização dos planetas, etc.

    A única coisa que o criacionismo não acomoda são as interpretações naturalistas e evolucionistas destes factos observáveis.

    A incapacidade de resposta demonstrada pelos evolucionistas, foi especialmente clara nalguns momentos.


    Na verdade, ao argumento da origem inteligente da informação codificada contida no DNA (com uma densidade estimada de 1.88 x 10^21 bits/cm3), os evolucionistas responderam com argumentos baseados em:

    Cubos de gelo!

    Berlindes!!

    Pegadas de cão!!!

    Isto, mesmo quando aqui e ali foram espicaçados por uma linguagem cáustica e provocatória, como aquela que o forcado usa para chamar o touro e impedir que ele se refugie nas tábuas.

    O problema do criacionismo não é com a ciência.

    É apenas com a filosofia naturalista e evolucionista que é tão antiga como a rejeição de Deus, existindo já, sob varias formas, no pensamento de Platão, Demócrito, Epicuro, Empédocles, Lucrécio, etc.


    A todos eles a Bíblia sempre respondeu, como responde ainda hoje, com a autoridade da Palavra de Deus.

    ResponderEliminar
  18. Jónatas,

    Não há censura nenhuma aos teus comentários, eu que sou religiosos envergonho-me com o teu procedimento. Podes repetir que aqui te censuram, mas unicamente exercem o direito que não te lerem, não mintas mais, é vergonhoso quereres passar essa ideia que aqui te censuram, é legitimo que quem lê não te queira ler, ou queres obrigar aos leitores a ler o teus comentários? É isso?

    ResponderEliminar
  19. Adeus, Perspectiva
    Cristy

    ResponderEliminar
  20. Ludwig, sim, concordo. Após escrever o post apercebi-me que é a solução imperfeita melhor.

    ResponderEliminar
  21. Kyriu,

    Acho que os comentários acima provam o que eu disse. :-)
    Hate to say I told you so.

    Acho que é um problema compulsivo. Mesmo sabendo a estupidez do argumento, o Jonatas é incapaz de se calar, e tem de vir para aqui papaguear que o censuram. Não faltava era mais nada do que ser ele a decidir se eu leio o que ele diz ou não. Aquela postura até tem sido muito prejudicial para a causa dele, porque, por exemplo, a tolerância que eu tinha para com a religião dos outros tem desaparecido por completo graças a ele.

    De o ouvir, nas poucas vezes que teve que ser, já o achava um prolixo pedante, depois de o ler aqui começo a dúvidar da capacidade intelectual dele. Creio mesmo que não tem capacidade de raciocínio, mas, apenas uma memória descomunal, pois debita roboticamente tudo o que escreve, sem a mais pequena aparência de uma ideia própria.

    ResponderEliminar
  22. Apenas me limito a reproduzir os argumentos do Ludwig e as respectivas respostas.

    Naturalmente que isso incomoda o Ludwig, pois as pessoas percebem que são argumentos absurdos e sem sentido.

    Um exemplo bom exemplo é aquele em que ele compara a origem da informação codificada no DNA o acto de alguém atirar berlindes para o chão!

    Quem avança com argumentos destes, não deve admirar-se que eles lhe voltem à cara como um Boomerang.

    É o efeito Boomerang dos seus comentários que incomoda o Ludwig.

    Responder aos argumentos do Ludwig não é mostrar intolerância religiosa.

    Intolerância seria apagá-los na impossibilidade de lhes responder.

    ResponderEliminar
  23. Lembrem-se que tudo começou porque o Ludwig começou a atacar o criacionismo.

    Os criacionistas apenas responderem, tomando devida nota dos argumentos utilizados pelo Ludwig.

    Neste momento o Ludwig parece ter esgotado as munições e bate em retirada.

    Mas se houver mais pessoas por aí com argumentos a favor da evolução e contra a criação, teremos todo o gosto em continuar a discussão.

    Debater ideias não é um sinal de intolerância.

    Intolerância é pretender avançar unilateral e dogmaticamente as ideias proprias ideias, sem a submeter a discussão crítica ou submetendo-as apenas à "discussão" daqueles que concordam com elas.

    Essa foi a atitude de "grandes intelectuais" como Desidério Murcho, Palmira Silva e Paulo Gama Mota.

    Será que o Ludwig quer seguir as mesmas pisadas?

    ResponderEliminar
  24. Não deixa de ser curioso que as únicas alturas em que o Jónatas deixa de dar uso ao copy/paste, é quando recebe uma ameaça de suposta censura.
    Será que não haverá nenhum texto nos sites que ele consulta, a indicar como se deve responder em caso de se pressentir censura?

    Jónatas, um conselho:
    Se começares a escrever utilizando esse bocado de massa cinzenta que tens entre as orelhas, em vez de fazeres copy/paste, até pode ser que o pessoal te comece a ler.

    ResponderEliminar
  25. Fulano de tal
    Assim se demonstra que o efeito de se eleiminar o que não interessa , mas ao mesmo tempo permitir os posts, pode ter efeitos benéficos.
    Tenho de admitir que esta solução do LK me surpreendeu muito pela positiva, é uma excelente forma de lidar com o problema, no fundo é um castigo como aos putos. Pena ter de ser usado.
    Por isso o Perspectiva pode emendar a mão, ou não. Afinal o livre arbítrio está previsto nos planos divinos , certo ? : ))

    ResponderEliminar
  26. O Carlos Fiolhais deve estar muito feliz, agora que pode doutrinar dogmaticamente as pessoas, sem qualquer discussão.

    FIOLHAIS LOCUTA, CAUSA FINITA!

    ResponderEliminar
  27. O Ludwig procura censurar, com a auto-satisfação de quem pensa que, com isso, está a ganhar uma discussão.

    ResponderEliminar
  28. Admito que posso ter exagerado na dose.

    Acho que sobrestimei as capacidades do Ludwig. Peço desculpa por isso.

    No fundo, foi como matar uma formiga com um lança rockets.

    Talvez tenha sido desproporcional.

    ResponderEliminar
  29. Se achas isso desproporcional havias de comparar o conteúdo repetitivo e insignificante dos teus comentários com a quantidade absurda de caracteres que gastas para o transmitir.

    ResponderEliminar
  30. Desde 1 de Janeiro de 2009 escrevi 186 posts, num total de 630 mil caracteres.

    No mesmo período o Jónatas pôs aqui 800 comentários, num total de um milhão e setecentos mil caracteres.

    ResponderEliminar
  31. "Desde 1 de Janeiro de 2009 escrevi 186 posts, num total de 630 mil caracteres.

    No mesmo período o Jónatas pôs aqui 800 comentários, num total de um milhão e setecentos mil caracteres."

    Eu por mim passava-lhe um ban em cima. 2 meses de ban da primeira, 3 da segunda e à terceira era para a vida.

    Não se pode fazer isso no Blogger=?

    ResponderEliminar
  32. João,

    Isso sim seria censura. Há que permitir falar. A solução para o abuso é ignorar.
    O facto de permitir ao leitor ignorar mais facilmente esse milhão e tal de caracteres, é uma solução democrática. Quem quiser continuar a ler tudo, pode fazer à mesma, e a verdade é que esse milhão e tal de caracteres não custa mais a armazenar, e agora, nem custa a ignorar. :-)

    Caro Jonatas,

    O problema não é a quantidade só por sí. Se fosse útil... O problema como já lhe foi dito vezes sem conta, é que repetir argumentos que já levaram tareias descomunais, e que estão mais que rebatidos e provados errados apenas demonstra que não se trata de debate, mas, falta de capacidade de reconhecer quando se perdeu. É viver em negação obstinada.
    Lembra-me a cena do Cavaleiro Negro do filme "Em busca do cálice sagrado" dos Monty Python. Se nunca viu aproveite o mote. Basta procurar por Black Knight no YouTube.

    ResponderEliminar
  33. "Antonio disse...
    João,

    Isso sim seria censura
    "

    Pois é. Eu censuro o spam. No telemovel, no email e tambem censuraria aqui. Mas tudo o resto não censuro. Até provoco trocas de argumentos.

    ResponderEliminar
  34. João,

    Tu não censuras o spam. Simplesmente o ignoras. Censurar é impedir que alguém transmita certa informação. Ignorar o lixo não é censura.

    E, em rigor, mesmo que eu proibisse os comentários não estaria a censurar ninguém. Porque quem tem acesso à net tem acesso ao blogger e pode dizer as coisas em pé de igualdade comigo. Recusar-se a ajudar a propagar algo, por si só, não é censurar.

    A mim preocupa-me que chamem censura a tudo e mais alguma coisa porque adultera o termo e esconde o verdadeiro problema. Censurar é proibir o envio de informação. É o que as discográficas estão a fazer, por exemplo. E é bem diferente de filtrar spam ou apagar comentários.

    ResponderEliminar
  35. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  36. Ludwig:

    Ok,

    Mas se estou a por um filtro no mail não é uma forma de censura?

    De qualquer modo acho a discussão pouco importante. Se isto ou aquilo é censura... Não são as definições que caracterizam as acções, estas deviam so servir para a gente se entender.

    Se não temos provas da existencia de Deus baseadas em definições como prepectiva quer impor.

    ResponderEliminar
  37. Ludwig:

    Claro que se as definições forem perfeitas e toda a gente usar a mesma, o meu argumento anterior é invalido.

    Isto para dizer que tu tens razão em termos teoricos. Mas no dia a dia poe-se demasiado enfase em definições que são imperfeitas, como a censura que depois é usada para manipular.

    Acho que estamos de acordo.

    Agora vou para a praia.

    :P

    ResponderEliminar
  38. se querem + uma acha para a fogueira... :)

    basta pensar que é um sinal do progresso tecnológico que hoje se fala em ignorar post como os do perspectiva. há uns anos, com velocidades e larguras de banda mais apertadas, estar a esperar pelo rendering e com os escudinhos a cair com o tempo de ligação, a tolerância seria muito menor.

    Portanto viva o progresso tecnológico e de mercado que permite aumentar a nossa tolerância aos mestres dos disparates!

    ResponderEliminar
  39. O meu blogue tem muito menos comentários que este, e por isso posso dar-me ao luxo de não instalar filtros. Tenho apenas moderação de comentários e, se um comentário não corresponde aos meus critérios, não o publico.

    Isto não tem nada a ver com censura porque quem comenta no meu blogue tem toda a liberdade de fazer o seu.

    Os meus critérios são, de resto, públicos: não aceito comentários escritos em maiúsculas, ou descortezes para comigo ou para outros comentadores, ou totalmente alheios à matéria do post.

    Ainda não me apareceu ninguém a fazer uma data de comentários seguidos: se isso acontecesse, seria menos tolerante que o Ludwig e não publicaria nenhum.

    Posto isto, cabe dizer que prefiro errar por defeito a errar por excesso; desde que estou na blogosfera ainda só eliminei ou recusei dois ou três comentários. Mas, se tivesse que eliminar vinte ou trinta, estaria no meu pleníssimo direito. Todos têm o direito de exprimir a sua opinião, mas não têm necessariamente o direito de o fazer num espaço que foi criado primariamente para exprimir a minha.

    ResponderEliminar
  40. o dererun natura continua vazio. O problema parece não residir nos trolls de serviço.

    ResponderEliminar
  41. Já interpretam mas estas cenas dos filtros.


    "Compreendo que a dimensão do "De Rerum Natura" não lhe permita dar-se a um luxo a que eu me posso dar, que é o de moderar os comentários um a um; mas não podem instalar filtros, como o Ludwig no "Que Treta"?"

    aqui

    ResponderEliminar
  42. Errata no comentário anterior

    Já interpretam MAL estas cenas dos filtros.

    ResponderEliminar
  43. Anónimo,

    Obrigado pelo aviso. Já fui lá esclarecer.

    ResponderEliminar
  44. a 13-9-09: Alterei o script para funcionar com os comentários incluidos na página de cada post.
    HTML не может быть
    O spam de alguns comentadores, mais no singular que no plural, tem dificultado o debate neste blog. Como aqui não quero tratar a constipação decapitando o paciente, proponho uma alternativa.

    Alguns browsers permitem usar scripts que formatam as páginas que estamos a ver. A alteração é apenas local, no computador de quem instalou o script, não alterando nada no servidor que fornece a página. Aproveitando isto criei um script para filtrar comentários aqui no Que Treta!

    Esta versão filtra apenas um comentador (para efeitos meramente ilustrativos, claro) e está restrita a este blog. Mas quem quiser pode alterar facilmente o script para funcionar com todos os blogs que usem o sistema de comentários do Blogger, e acrescentar ou alterar os nomes no filtro. As instruções estão no código do script, que está nesta página do Userscripts.org. As instruções de instalação dependem do browser.

    ResponderEliminar
  45. FirefoxAs instruções estão no código do script, que está nesta página do Userscripts.org. As instruções de instalação dependem do browser.
    decapitando o paciente, proponho uma alternativa.

    Antes de instalar o script é preciso instalar o Greasemonkey. Se já tiverem o Firefox com o Greasemonkey, basta clicar o botão “Install” na página do script e depois confirmar a instalação na janela que aparece.
    Obrigado ao comentador anónimo que me ajudou a pôr isto no Firefox

    Opera
    Carreguem com o botão da direita no “Install” da página do script, escolham a opção de gravar o ficheiro e gravem-no na vossa pasta de scripts. Se nunca tiverem usado scripts no Opera, criem uma pasta nova. Por exemplo, My Documents\UserScripts. Tanto faz qual é a pasta desde que se lembrem onde está. Em Tools – Options – Advanced – JavaScript Options, com o botão “Choose” escolham a pasta onde guardaram o script. Precisam também activar a opção User Javascript on HTTPS. Basta seguir o link anterior (este link só funciona no Opera), marcar a caixa e premir o botão “Save” no fim da página antes de a fechar. A primeira vez que virem comentários no blog o Opera vai pedir que confirmem que querem executar o script numa ligação segura. Basta escolher “Yes”, e a partir daí corre tudo em automático.

    Internet Explorer
    O melhor é instalar o Opera ou o Firefox e seguir as instruções acima...

    Safari (não testado)
    Segundo esta página é possível correr estes scripts no Safari usando o Greasekit:
    How to run Greasemonkey scripts in Safari

    Alterações
    Podem editar o script com um editor de texto como o Notepad, e convido os leitores interessados a melhorar o código, enviar instruções para outros browsers, sugerir alterações e assim por diante. Como tudo neste blog, o script é para todos. Estejam à vontade se o quiserem adaptar para os vossos blogs.

    Este post fica em aberto para ir actualizando conforme surgirem novidades.

    Post-scriptum
    Para evitar as queixinhas do costume, saliento que isto não é censura da minha parte. Não estou a apagar comentários nem a bloquear comentadores. Mas defendo que quem lê este blog, ou qualquer outro, tem direito de decidir onde quer perder o seu tempo. Se há comentários que sistematicamente incomodam, é legítimo que os filtre. Estou apenas a dar a cada leitor uma ferramenta que facilite o exercício desse direito.

    Dito isto, aviso também que não vou aceitar tentativas de privar os leitores desse direito. Apagarei, sempre que tiver disponibilidade, comentários sob pseudónimos deliberadamente alterados para fugir aos filtros e, se este sistema levar a um aumento significativo de comentários anónimos, passarei a aceitar apenas comentários de contas registadas no Google.


    1- De Rerum Natura

    ResponderEliminar
  46. interessant produckt
    filtro_commentarios_blogger
    By Ludwig Krippahl — Last update Sep 13, 2009 — Installed 54 times.

    ResponderEliminar
  47. Boas tardes a todos.

    Leio este blog com alguma regularidade. "Descobri" que tenho a opção de ignorar, de forma automática, alguns aglomerados de caracteres.

    Como posso adicionar um utilizador à lista do script? Estou a utilizar o Chrome e algo me está a escapar...devo estar a ser muito nabo, mas se mais alguém usar o Chrome, podia dar-me uma dica?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esqueçam...já percebi.

      No caso de mais alguém ser nabo como eu:

      Ir ao link que está no primeiro post, depois seleccionar o source code e editar a gosto. Nada de especial..para quem está atento e eu confesso que não estava. Não apago o meu post porque pode haver mais "nabos" por aí que não se tenham lembrado de editar o source-code...

      Eliminar
  48. Olá,
    Este é informar o público em geral que a senhora Gloria Ramirez, um emprestador empréstimo privado tem abrir uma oportunidade financeira para todos que precisam de qualquer ajuda financeira. Damos o empréstimo a 2% da taxa de juros para indivíduos, empresas e sociedades sob a termos e condições claros e compreensíveis. contacte-nos hoje por e-mail para: (ramirezglorialoan@gmail.com)

    ResponderEliminar
  49. Impostare il problema del denaro prima del 2016

    Buongiorno,
    Quando le banche o i parenti non possono seguirli, è bene di sapere soltanto egli esiste una mutua assistenza
    da qualche parte.
    Siete un privato serio e solvibile?
    Siete alla ricerca di un prestito commerciale, prestito personale,
    prestito immobiliare, prestito auto, prestito studiando, prestito di consolidamento di
    debito? Avete progetti, cercate un finanziamento?
    Abbiamo soluzioni, grazie di prendere contatto con me per qualsiasi tipo di domanda seria di credito.
    E-mail di contatta: anna.angelina.vina@gmail.com
    Grazie

    ResponderEliminar
  50. Impostare il problema del denaro prima del 2016

    Buongiorno,
    Quando le banche o i parenti non possono seguirli, è bene di sapere soltanto egli esiste una mutua assistenza
    da qualche parte.
    Siete un privato serio e solvibile?
    Siete alla ricerca di un prestito commerciale, prestito personale,
    prestito immobiliare, prestito auto, prestito studiando, prestito di consolidamento di
    debito? Avete progetti, cercate un finanziamento?
    Abbiamo soluzioni, grazie di prendere contatto con me per qualsiasi tipo di domanda seria di credito.
    E-mail di contatta: anna.angelina.vina@gmail.com
    Grazie

    ResponderEliminar
  51. Offerta di prestito denaro tra privato gratuito urgente : anna.angelina.vina@gmail.com

    Offerta di prestito particolare tra particolare 2.000 euro a 900.000 euro per coloro che hanno bisogno di finanziamenti per un progetto o attivit, per coloro che sono in difficolt finanziarie e vogliono ottenere un fresco piedi o semplicemente un prestito individuale. Le mie condizioni sono molto semplici, con un basso tasso di interesse, il rimborso termine fino a 25 anni a seconda della quantit in prestito. Per maggiori informazioni contattarmi tramite questa e-mail: anna.angelina.vina@gmail.com

    ResponderEliminar
  52. ? Eu pensei que os médicos dizem que não há cura para o HIV / AIDS ?, Eu estou lhe dizendo hoje que a DR GADAGODO CURE HIV / AIDS
    Com sua fitoterapia e depois de ficar curado VOCÊ ESTÁ CURADO sempre nunca é reversível.
    MEU NOME É ANITA WILSON América Estados Unidos, eu estou usando esta grande oportunidade para salvar a vida
    Ao compartilhar meu testemunho de que há uma cura para o HIV / AIDS, porque eu sou um testemunho vivo, sofreu
    PARA HIV / AIDS PARA OS 2 meses bom e 1 ano Depois de perder a esperança de que eu nunca pode obter curar beacause médicos disseram
    Não há cura para isso, mas graças sido a este grande homem chamado DR GADAGODO OMS eu li um depoimento sobre como ele curou o HIV / SIDA com a sua fitoterapia, eu nunca acreditar, mas eu decidi contactá-lo via e-mail, ele disse, gadagodospiritualtemple @ gmail.com e ele me enviar uma medicina herbal e perguntar-me para beber e banho com ervas medicina por um mês, mas a minha maior surpresa, eu fui para um exame médico depois de duas semanas e meu status era negetive hoje eu não posso continuar compartilhando este testemunho irmãos e irmãs por favor, não há uma cura para o HIV / AIDS, o contato com este homem para o que você está passando, o que sempre pela doença você está sofrendo de, HIV / AIDS, doença perkinsons, ALS, câncer, herpes . contactá-lo com o seu e-mail via, gadagodospiritualtemple@gmail.com ou telefone +

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.