terça-feira, agosto 07, 2007

Treta da Semana: O Efeito da Lua.

Há cerca de um mês, o leitor «vai lá vai» sugeriu que eu falasse sobre a «influência da fase da lua no crescimento do cabelo, no dia de nascimento dos bebés, nos crimes cometidos» (1) e assim por diante, influência esta da qual o leitor se mostrou céptico. E com razão.

É uma alegação comum. Há uns anos assisti na televisão à astróloga Maya argumentar que a Lua causa as marés e como nós somos 70% água é lógico que nos afecte tal como afecta os oceanos. Não é bem assim, como sabe qualquer pessoa que tenha notado a ausência de marés nas banheiras, piscinas, lagos ou até no Mediterrâneo. Na altura escrevi sobre isso, uns anos antes deste blog (2).

Também é um mito popular nos hospitais, nas forças policiais, entre bombeiros. Muitos profissionais de serviços de urgência e segurança atestam que há mais confusão nas noites de lua cheia. Mais crimes, mais acidentes. Mais treta. Quando se faz as contas às ocorrências é uma noite como qualquer outra. Na Áustria, o gabinete de seguros de acidente completou recentemente mais um estudo que demonstra o mesmo (3). Registos de meio milhão de acidentes de trabalho na industria entre 2000 e 2004 não mostram qualquer relação entre a probabilidade de ocorrer um acidente e a fase da Lua. O Skeptic’s Dictionary dá uma série de referências a outros estudos semelhantes (4).

Possivelmente a semelhança entre o ciclo menstrual na nossa espécie e o período sinódico da Lua teve um papel na origem deste mito. Mas parece ser apenas uma coincidência na duração média do ciclo, que varia muito de mulher para mulher e de espécie para espécie. O gambá tem um ciclo médio de 28 dias, a vaca de 21, o chimpanzé de 37, o rato de 5.

A melhor explicação para a popularidade deste mito é, no fundo, a sua popularidade. Como os famosos que são conhecidos pela fama de serem famosos, também o efeito da Lua é popularizado pela sua popularidade, que o torna uma treta frequente na comunicação social e na conversa de café. Também beneficia da nossa memória selectiva. Se ocorre algo invulgar e alguém o atribui à Lua cheia há três possibilidades. Ou não é Lua cheia e ninguém mais se lembra do assunto, ou é Lua cheia e a coincidência fica pregada à memória com um «eu não disse? É sempre assim...». Ou o terceiro caso, mais frequente. Ninguém sabe se é ou não Lua cheia mas fica tudo convencido que sim.

1- Ecumenismo Bíblico
2- CEPO, Em maré de Astrologia
3- Yahoo! News, 31-7-07, Study debunks full-moon injury beliefs
4- Skeptics Dictionary:Full moon and lunar effects.

10 comentários:

  1. Uma astróloga já processou a NASA: 1.
    Como é dito na Wikipedia, acreditar é acção.

    ResponderEliminar
  2. Pedro,

    Depois de ler o teu link, fiquei a pensar que deviamos dar uma medalha ao Ludwig. Manter um blog em que se fala seriamente de treta, num mundo como este, não é coisa que esteja ao alcance de qualquer um. Não me admirava, sequer, se se viesse a descobrir que foi por causa de histórias como a dessa astróloga, e outras que tais, que deus acabou por desistir disto.

    Pensamento do dia: "common sense isn't!"

    ResponderEliminar
  3. vai la vai07/08/07, 18:31

    obrigado pelo post :)

    ResponderEliminar
  4. Eu até proponho outra razão para estes mitos da noite de lua cheia. Antigamente quando não havia luz artificial, as noites eram iluminadas pela luz da lua, numa noite de lua cheia a noite é mais clara que sem lua cheia, e como tal até é plausivel pensar que o pessoal por ter maior visibilidade se afastasse mais do grupo e por isso fosse atacado por lobos ou outras coisas, e diziam assim que nas noites de lua cheia coisas horriveis aconteciam.

    Outra explicação é porque a lua mostra sempre a mesma face,que é a face que faz coisas más acontecerem, se fosse a outra face então só aconteciam coisas boas :)

    ResponderEliminar
  5. Caro bizarro,

    Isso só demonstra que a lua não é católica, caso contrário ofereceria sempre a outra face!

    Mas, como sei que gostas,não há nada como os solos do Guilmour no "Dark Side".

    ResponderEliminar
  6. Obrigado pela medalha, e de nada pelo post :)

    Bizarro, se o que está virado para cá é a face, do outro lado não pode ser a face também. Deve ser é o... lado de trás, ou assim ;)

    ResponderEliminar
  7. Helder: Nunca concordei com isso da outra face, sempre fui mais defensor do cá se faz cá se paga, pois como disse Confucio "Se eu pagar com Bem o Mal que me fazem, como vou pagar o Bem? Paga com Bem o Bem que te fazem, paga justiça o resto." Ou algo deste genero.

    Ludwig: pois... mas agora também não me lembro de nada melhor :D

    ResponderEliminar
  8. Ludwig
    burro como sou não tenho a certeza, mas pelo que me disseram vários agricultores e pelo que li algures a lua cheia tem influência no crescimento das plantas.
    Podes confirmar?
    Um abraço, JPVale

    ResponderEliminar
  9. Oi Paulo,

    Durante a Lua cheia a temperatura média da Terra é 0.02ºC mais alta que durante a Lua nova. Isto é detectável, e terá provavelmente algum efeito médio.

    Mas uma variação de duas centésimas de grau é muito pequena. Se a temperatura baixar uns 15 graus entre o entardecer e a madrugada, duas centésimas de grau é o que varia em menos de 10 minutos. Por isso na prática eu diria que isso é treta. Nenhum agricultor vai notar essa diferença no crescimento das plantas...

    ResponderEliminar
  10. Vou começar a verificar a fase da lua nos dias em que há porrada no Palpita-me para ver se há maior incidência nas noites de lua cheia.

    Bem, e daí talvez não me dê a esse trabalho. Mas, que o Bizarro canta o "Roadhouse Blues" com muito mais convicção nessas noites, disso não há dúvida.

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.