sexta-feira, março 21, 2008

Treta da Semana: A Lua Cheia Pascal.

Jesus foi crucificado durante a festa judaica da pesach, quando Deus matou os primogénitos egípcios mas poupou os judeus. É celebrada no mês de nisan, que Deus comandou ser o primeiro mês do ano (Êxodo, 12). Este corresponde ao ciclo lunar que inclui o equinócio da primavera, e é por isso que o Domingo de Páscoa cristão é o primeiro Domingo a seguir à primeira Lua Cheia depois do equinócio da primavera. Aquilo de ser o primeiro mês do ano foi só uma brincadeira que os judeus levam a sério mas que os cristãos não ligam.

O resultado é que os judeus, os cristãos ocidentais e os cristãos ortodoxos celebram todos a páscoa na mesma data. Mais ou menos. Este ano os judeus celebram a 20 de Abril, os ortodoxos a 27 de Abril e os cristãos ocidentais a 23 de Março. É que isso de escolher a primeira Lua Cheia a seguir ao equinócio da primavera tem que se lhe diga.

O calendário judaico tradicional era determinado por observação. Por exemplo, cada mês começava quando se via a primeira fatia da Lua logo após a Lua Nova (1). Os cristãos acharam isso incómodo, especialmente nos dias de frio, e decidiram calcular quando deviam ocorrer estes acontecimentos astronómicos. O equinócio, decidiram, é a 21 de Março. Se calha a 20, como calhou este ano, paciência. O Sol e a Terra que se entendam porque são eles que estão errados. A Igreja não falha. A Lua Cheia Pascal (2) segue o mesmo princípio. Está calculada e pronto. A tabela não dá certo, mas não são os doutos teólogos que vão corrigir os cálculos só porque a Lua está ali quando tinha a obrigação de estar acolá.

E há mais. Os ortodoxos e os cristãos ocidentais usam calendários diferentes, o Gregoriano aqui e o Juliano a oriente. Mas ambos consideram que o equinócio calha a 21 de Março, cada um no seu calendário, pelo que a páscoa dos ortodoxos normalmente calha em datas diferentes da dos ocidentais (3). Além disso os ortodoxos seguem a regra adicional de adiar a páscoa se esta coincide ou precede o primeiro dia da pesach judaica (4).

Cada vez me parece mais que a religião é a arte de levar as coisas tão a sério que se tornam ridículas. Bom fim de semana, e boa páscoa quando calhar.

1- Wikipedia, Hebrew Calendar
2- Wikipedia, Paschal Full Moon
3- Wikipedia, Easter
4- Wikipedia, Computus

19 comentários:

  1. Estamos sempre a aprender, eh!eh!eh! (Já tinhas feito referência a isto, mas ainda bem que aprofundaste o assunto - merece)

    ResponderEliminar
  2. Cada vez me parece mais que a religião é a arte de levar as coisas tão a sério que se tornam ridículas.

    Faz-me lembrar todas aquelas pessoas que acreditam com fervor religioso que as baleias evoluiram de seres mamíferos terrestes, ou que as áves evoluiram dos dinosauros.

    Enfim, ele há com cada religão ....

    Mats

    ResponderEliminar
  3. religão = religião

    ResponderEliminar
  4. Mats,

    Há pessoas que acreditam com fervor religioso que as pessoas de 40 anos evoluiram dos bebés. Esta gente não se apercebe do ridículo: um indivíduo de 40 anos e um bebé não têm nada a ver - o indivíduo de 40 anos costuma saber falar, mas quando foi a última vez que alguém viu um bebé falar?
    Dizem que estão fartos de ver a "transição" entre bebé e adulto, mas o engraçado é que por mais a que "vejam" não são capazes de mostrar esta transformação.
    Não há uma única foto, por exemplo. Por muitas que mostrem: nunca se vê a transformação - ficam sempre a falar os vários "elos perdidos" entre as fotos.
    Por isso acho que estes "trsnsformistas" (que acreditam na transformação "mágica" de bebés em pessoas de 40 anos) são piores que os evolucionistas. Os segundos ao menos têm a desculpa que não estavam lá, tanto podem acreditar que as aves evoluiram dos dinossauros ou que evoluiram das borboletas azuis, é tudo igual - até é uma coincidência que acreditem em coisas parecidas: deve ser porque os cientistas são todos ateus com pouca imaginação. Mas estes "transformistas", além de serem uma abominação, acreditam em algo que nós vemos todos os dias que é falso: são mesmo palermas! Quando foi a última vez que viste um bebé transformar-se "por acaso" num adulto? Toda a nossa sociedade parte do princípio que não acontece. Nunca vi nenhuma educadora do infantário dizer "ontem o joãozinho transformou-se no Eng João Silva" - é ridículo. E esta gente que acredita em algo que é desmentido pela experiência do dia-a-dia. E que eu saiba não vem na Bíblia que Deus transforma por milagre cada bebé num indivíduo de 40 anos.
    Mas isso é porque a Bíblia não diz mentiras, como é óbvio.
    Por isso é que Jesus diz que veio cumprir a lei do Antigo Testamento, que era a de apedrejar até à morte as abominações como os transformistas e a malta que trabalha ao Sábado. Estes ateus tarados fanáticos religiosos ganhavam logo juízo, e abandonavam o seu extermismo de vir dizer disparates a torto e a direito.

    ResponderEliminar
  5. Mats,

    O que é, para ti, acreditar com fervor religioso?

    Podes explicar a diferença entre acreditar com esse fervor e acreditar sem esse fervor?

    Eu acredito que as baleias evoluiram de mamíferos terrestres porque as evidências o sugerem. O registo fóssil mostra muitas formas intermédias entre baleias modernas e mamiferos terrestres. A morfologia das baleias mostra semelhanças com mamíferos terrestres. A análise genética coloca as baleias junto com os mamíferos terrestres. E as baleias mostram vestígios de características de mamíferos terrestres. Durante o desenvolvimento fetal algumas têm pelos, e algumas retêm vestígios de ossos das ancas junto à bacia.

    Mas não considero que isto seja com fervor religioso porque estou disposto a mudar de opinião se houver evidências em contrário. Se descobrirmos que todos os fósseis têm "Made in Heaven" escrito num canto, se descobrirmos os 100 primeiros numeros primos codificados num trecho de ADN das baleias, se descobrirmos uma baleia com metade dos genes identicos aos de um golfinho e outra metade identicos aos de um tubarão. Tudo isto, e muito mais, justificaria que eu mudasse de ideia quanto à origem destas espécies.

    E tu? Há alguma evidência que te fizesse rejeitar o relato bíblico?

    Penso que é aí que está o fervor...

    ResponderEliminar
  6. Ludwig,

    Eu acho que devias ter mais respeito sobre estas matérias durante a Páscoa, e, pelo menos, ir à igreja orar e cantar em conformidade com a época, podias assim obter outra "Perspectiva" sobre estes assuntos.

    ResponderEliminar
  7. Mário Miguel22/03/08, 12:07

    Ops! Não assinei o comentário anterior: Mário Miguel.

    Boa Páscoa a todos.

    ResponderEliminar
  8. António Parente22/03/08, 17:10

    Ludwig Krippahl

    Excelente post! Há séculos que a Páscoa se celebra deste modo e ninguém ainda tinha percebido porque é que o dia da celebração varia todos os anos! Obrigado por nos ensinar coisas novas!

    ResponderEliminar
  9. Lá está o biblista João Vasco a interpretar muito bem, como é seu costume, as palavras de Jesus. Diz este erudito biblista que Jesus veio cumprir a lei do antigo testamento, ou seja apedrejar a malta que trabalha ao sábado.

    Mas, e apesar de já lhe ter sido dito n vezes, o célebre biblista esqueceu-se que Jesus quebrava frequentemente essa tal regra do sábado, e era uma das razões pelas quais era tão odiado pelos fariseus. E Jesus respondeu de tantas maneiras a essa regra, que nem vou citar nenhuma, basta abrir os evangelhos ao calhas e provavelmente nessa página está uma delas.

    Mas o biblista joão vasco sabe mais do que o que está escrito nos evangelhos, e de 2000 anos de tradição da Igreja, que nunca apedrejou ninguém que trabalhasse ao sábado. Provavelmente Jesus teria de se apedrejar a si próprio (tarefa nada fácil), porque "diz que veio cumprir a lei do antigo testamento".

    Bem, depois disto resta-me repetir o apelo: fale do que sabe, por favor, ou deixe de se vangloriar de ter raciocínio cientifico, ou lá quais são as coisas que distinguem os ateus do comum dos mortais.

    Boa Páscoa

    Pedro Silva

    ResponderEliminar
  10. Pedro Silva
    recomendo um exercício que infelizmente parece não ter aprendido na escola: ler um texto com atenção e depois reproduzir o seu conteúdo pelas suas próprias palavras, antes de o comentar. Comentar sem entender o que se leu dá sempre mau resultado.
    Cristy

    ResponderEliminar
  11. Caro Pedro:

    Olhe que apedrejou. Mas com critérios.

    Maria Madalena

    Jesus

    JPP

    ResponderEliminar
  12. Mário

    A dicção correcta é muito importante, sem dúvida! O outro vídeo que deixaste vai ser objecto de um post do meu lado um dia destes.

    ResponderEliminar
  13. Pedro Silva:

    Há um recurso estilístico que se chama "ironia".
    Já agora esclareço: eu não acho que os católicos/cristãos querem apedrejar quem acredita que os bebés acabam por se tornar (muitas vezes) indivíduos de 40 anos. E não sou transformista.


    PS- De qualquer forma, se "Jesus quebrava frequentemente essa tal regra do sábado" isso é apenas uma das várias dezenas(centenas?) de contradições da Bíblia, não tem nada de especial.

    ResponderEliminar
  14. Cristy, peço desculpa mas não percebi o seu comentário, nem recorrendo ao exercício que sugeriu. Importa-se de dizer qual a parte do texto que não percebi?

    Jota, obrigado pelos videos.

    João Vasco, se reparar no pequeno comentário que lhe fiz perceberá que esse recurso estilístico está lá patente. Também não vejo quem poderá querer apedrejar bebés que se transformam em homens de 40 anos, nem o que é que isso tem a ver para a conversa. Se é trasnformista ou não, não me interessa, cada um veste-se como quiser.

    Pois é, a biblia, apesar de estar a falar do novo testamento, tem muitas contradições. Se calhar a sua vida não tem contradição nenhuma, que bom! Desde que não ande a escrever coisas que não sabe, ou não quer saber, como se fossem factos, por mim tudo bem.

    Cumprimentos

    Pedro Silva

    ResponderEliminar
  15. Caro Pedro Silva,
    se não percebeu, não percebeu, não há nada a fazer. Mas fico mais descansada que assim seja: por breves momentos ocorreu-me que a deturpação pudesse ser intencional.
    Cristy

    ResponderEliminar
  16. Pedro Silva:

    Eu não pretendo que a minha vida seja mensagem de um Deus perfeito. Haverá contradições, sim. É natural, visto que a minha vida, como tudo na natureza, é profana e - passo o pleonasmo - natural.

    O facto da Bíblia ter dezenas (centanas?) de contradições não é muito estranho, dado o carácter natural e profano do livro. Foi um livro escrito por homens sem qualquer inspiração divina, por isso é normal que estejam lá mensagens horríveis (pois os valores das sociedades da altura tinham aspectos horríveis), contradições grosseiras, conselhos idiotas. Por outro lado, foi um livro escrito por homens sem qualquer inspiração diabólica (Satanás não existe, é tão imaginário quanto Deus), por isso é normal que lá pelo meio ainda esteja algum bom conselho, ou algumas passagens mais interessantes. O texto reflecte muito os valores da altura: primitivos em grande medida, e mais ou menos humanos ou desumanos dependendo do livro.

    Mas eu prefiro os valores actuais, que já evoluiram um tanto..

    ResponderEliminar
  17. Mário Miguel24/03/08, 16:45

    Abobrinha,

    Fico a aguardar o teu Post, sairá coisa fresca de certeza.

    ResponderEliminar
  18. "se não percebeu, não percebeu, não há nada a fazer"

    Cara Cristy, normalmente o não perceber alguma coisa não é algo irremediável, mas se calhar neste caso não será relevante, já que percebeu que não houve intencionalidade da minha parte no que, pelos vistos, fiz de mal.

    Caro João Vasco, a biblia não é um livro escrito por homens, a biblia são vários livros escritos por vários homens, durante cerca de 1500 anos. De resto os gostos não se discutem, se não gosta não leia, ninguém o obriga a nada, é livre para fazer o que quiser.

    Pedro Silva

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.