quinta-feira, março 13, 2008

A falência intelectual da evolução e o desmascarar da fraude naturalista.

Por Constâncio Ladaínha, Gertrudista e estudioso da Criação.

Fui motivado a intervir novamente neste blogue pelos brilhantes comentários do Dr. Perspectiva, tão hábil substituto do Dr. Jónatas Machado neste foro. Os dois têm desmontado as fantasias Darwinistas do Ludwig. Uma verdadeira «sova intelectual», com a devida vénia ao autor da expressão. Admito não partilhar totalmente da doutrina destes senhores, nem eles imunes ao flagelo do trinitarismo, pois descura o papel de Gertrudes na criação da vida. A criação da vida pelo Deus Pai sem a intervenção da Pessoa da Mãe Divina é um conceito teologicamente incoerente e até pecaminoso (vide Genesis 38:9). Mas apesar desta pequena divergência quero aqui aplaudir e salientar a argumentação do Dr. Perspectiva.

Talvez seja desnecessário. A sua forma sucinta de revelar pontos de vista sempre inovadores leva-nos todos a seguir os seus comentários, sem desprestigio para o esforço do Ludwig, quiçá mais atentamente que os textos do autor do blogue. Ainda assim, quero destacar este argumento que refuta a alegada evolução da resistência a antibióticos nas bactérias. Primeiro, sabemos que «As mutações e a selecção natural, supostamente as forças motoras da evolução, apenas conduzem, a prazo, à perda de funcionalidade nos sistemas.» O Ludwig tentou fugir a isto alegando que a enzima que destrói a penicilina evoluiu de outra, adquirindo uma funcionalidade diferente. O Dr. Perspectiva aponta vários problemas graves com esta alegação.

Primeiro, «A betalactamase é o resultado da modificação de uma proteína pré-existente». Esta é uma fraqueza inescapável do naturalismo. Para explicar porque brilham as estrelas os astrónomos têm que assumir a pré-existência de estrelas. Para explicar o vulcanismo os geólogos têm que assumir a pré-existência de vulcões. E para explicar como um gene se duplica e leva à evolução de um gene novo os Darwinistas têm que assumir a pré-existência de genes. Assim se vê porque a teologia é a rainha das ciências. Nós, crentes, não precisamos de assumir que Deus criou tudo isto. Sabemos que foi assim e pronto.

O Dr. Perspectiva continua. «Em 1982 mais de 90% de todas as infecções de staphylococcus eram resistentes à penicilina, 0% em 1952. A razão para este aumento foi a rápida difusão do plasmido beta-lactamase. A rapidez do processo mostra que o mesmo nada tem que ver com a evolução.»(3) O truque dos Darwinistas é dizer que a evolução é a variação nas características de uma população e que isto é precisamente um caso observável de evolução. Mas isso é inaceitável. Não podem ser eles a formular a teoria e também a decidir o significado dos termos. Isso é querer ter sempre razão, prerrogativa da minha estimada esposa. O que é correcto, se são os Darwinistas a formular a teoria, é nós refutarmo-la decidindo que «evolução» quer dizer algo como «evolução de partículas para pessoas», por exemplo.

O Dr. Perspectiva também usa contra o Darwinismo os próprios argumentos Darwinistas. É brilhante. Senão vejamos: «Os antibióticos são produzidos naturalmente por fungos e bactérias [...] Sem defesas inatas, as bactérias não se poderiam proteger e rapidamente se extinguiriam. [...O]s microorganismo[s] que produzem beta-lactamase ganham resistência a todos os antibióticos contendo um anel de β-lactam [...] A beta-lactamase é produzida por um conjunto de genes nos R-plasmidos, que podem ser transmitidos a outras bactérias.»(3) Trata-se pois de um produto natural de um gene que pode ser herdado e transmitido e que confere uma vantagem reprodutiva. Tem que ter sido criado por Deus porque tal coisa nunca poderia evoluir naturalmente por um processo de mutação, herança e selecção natural.

Finalmente, o golpe de misericórdia. «Quando um antibiótico chega ao periplasma bacteriano, o mesmo pode ser desactivado por via de modificação, isolamento ou destruição, o que não resulta de uma séria de mutações aleatórias, mas sim de um complexo mecanismo fisiológico inato extremamente complexo. Quando uma determinada bactéria adquiriu resistência a um antibiótico é mais correcto dizer que a mesma perdeu sensibilidade a esse antibiótico»(3). A resistência aos antibióticos é um mecanismo complexo desenhado por Deus. Ao mesmo tempo, a aquisição desta resistência é apenas a perda de uma característica e não demonstra a evolução de mecanismos complexos. Os Darwinistas foram enganados:

«Quem enganou o Ludwig? A Bíblia tem a resposta: Santanás, que é mentiroso e homicida desde o princípio.»(3)

Amén, e louvado seja.

20 comentários:

  1. António Parente13/03/08, 19:55

    Ludwig Krippahl

    O texto está fraquinho. É capaz de muito melhor. Talvez devido ao cansaço da discussão dobre a pirataria digital a coisa lhe tenha saído um pouco menos brilhante do que habitual. Mas não desista. Não se pode desaproveitar esse potencial. É um dom de Deus.

    ResponderEliminar
  2. Ladainha, meu caro confrade, toma estas letras de bem

    A majestade do teu pensar é um lugar físico, uma capital. Porque ascendeste e construíste, porque afrontaste as extensões tormentosas que nos separam de Gertrudes, porque nos baixos vales deixaste laborando em ciências inúteis, refém de si mesmo, todo um rebanho de mais ninguém como tu. Agora que estás reclinado no mais alto píncaro do discernimento olhas o mundo um tanto ressentido - também eu sou um sábio, conheço por dentro o que sofres - e vendo-te lívido no pleno desamparo da supremacia, far-te-ei chegar, aceita-as por misericórdia, três putas e uma Möet. Não te ponhas com agradecimentos pois que o teu destino te impede, infelizmente, da modéstia: se um antibiótico chega ao periplasma bacteriano também tu chegarás a santo.

    Colhe um abraço deste já saudoso.

    ResponderEliminar
  3. Constâncio Ladaínha14/03/08, 09:47

    Caro António,

    Não sei se se referia ao meu texto. Se foi esse o caso, admito, humildemente, que não está brilhante. É de facto um dom que Deus dá e como tal, não é mérito nem demérito da pessoa humana que apenas reflete aquilo a Graça que lhe é dada pela Divina Providência. É por isso que nunca cobrarei por estes meus textos. A menos que haja negócio a fazer com isso. Nesse caso é sinal que a Divina Providência me deu a oportunidade de ganhar dinheiro e aó já reivindiraei os meus direitos de cobrança como autor e criador.

    Caro Bruce,

    Obrigado pelas amáveis palavras. O Moet terei que dispensar, pois sou um homem de gostos simples como o nosso Salvador.

    Quanto às "pautas" (já expliquei à minha esposa que tem a ver com essas conversas da música que tem tido com o Ludwig) depois falamos disso em privado, que isto não é sítio para falarmos dessas er... canções.

    ResponderEliminar
  4. António Parente14/03/08, 11:50

    Caro Constâncio

    A Divina Providência dá-lhe liberdade para fazer o que quiser.

    Lembro-lhe que apesar da Divina Providência ser a origem de todas as coisas há muitos cientistas que ganham prémios reivindicando descobertas. Não tenho notícia que nenhum desses artistas, perdão, cientistas, tenha sido atingido com um raio nas nádegas por usurpação dos direitos de autor.

    ResponderEliminar
  5. Constâncio Ladaínha14/03/08, 12:01

    Carissimo António,

    Felizmente, o Código de Direitos de Autor exclui de protecção as ideias e as descobertas científicas. Deus, na Sua infinita sabedoria, respeita semrpe a lei de propriedade intelectual vigente no país de quem irá, ou não, castigar.

    ResponderEliminar
  6. António Parente14/03/08, 12:08

    Caro Constâncio

    Deus não interfere nas leis humanas, actualmente. Deu-nos os dez mandamentos, substituiu-o pelo mandamento do amor (nem sempre cumprido, até por nós os "religiosos") que santo agostinho traduziu de uma forma maravilhosa: "ama e faz o que quiseres".

    Se o mandamento do amor fosse cumprido pelas editoras discográficas, não existiriam direitos de autor. O mal do mundo moderno é existir demasiado ateísmo, virgula, egoísmo ;-)

    ResponderEliminar
  7. "Ama e faz o que quiseres" soa muito bem. Sinto-me quase tentado a converter-me, não fosse o facto de me terem dito que a "extrema unção" não é bem aquilo qu eeu pensava que era...

    ResponderEliminar
  8. Um dos problemas deste blog e dos comentários é não se perceber muito bem quando se o que é escrito é ironia, gozo, esgar nervoso ou coisa séria.

    Quando se discute a causa primeira, passo em frente. Quem raio então criou Deus? Deus criou-se a ele proprio? Que argumento!!! Que tal usa-lo em tudo o resto e escuso de acreditar em algo que nao compreendo e que não encaixa.

    ResponderEliminar
  9. pensarcusta
    Mas isso é muito simples: tudo o que o António Parente diz é muito espirituoso e nunca deve ser levado a mal, porque é sempre dito com as melhores intenções. O resto são todos uns anormais sem sentido de humor.

    - com - dá +
    penso que deve ser o macho da Santanette

    Cristy

    ResponderEliminar
  10. - com - dá +

    Não ligues à Cristy, que não é crente: santanás é um ananaz santo.

    (Vou fingir que a definição da Cristy não teve mais piada que a minha, porque ando desinpirada)

    ResponderEliminar
  11. espirituoso e bem intencionado14/03/08, 15:43

    Cristy

    macho da santanette?????

    Que sentido de humor extraordinário! Tô aqui completamente partido de tanto rir!
    Ai que não consigo parar!!! LOL!!! LOL!!! LOL!!!

    Lema: se o Homem se encontra dentro de si, porque não se encontra ele fora de si?

    Inspirado no lema do meu primo virtual jacinto pereira.

    ResponderEliminar
  12. Cristy:

    Não percebes nada de humor. Vou ensinar-te (e ao Ludwig que também precisa, visto que este último texto foi fraquito) como se faz os outros rirem:

    "Esta é a última vez que participo neste blogue. Foi a gota de água. Se quiserem que eu volte a participar, enviem-me um e-mail para xxx@gmail.com. E nem pensem que vos vou dar a password do 27º blogue que criei e desisti."

    ResponderEliminar
  13. Mário Miguel14/03/08, 20:35

    O prémio vai para o João!!! LOL!

    ResponderEliminar
  14. espirituoso e bem intencionado14/03/08, 20:38

    O João Vasco é o máximo!!!! LOL!!!!

    ResponderEliminar
  15. Mário Miguel14/03/08, 21:57

    Falta do que escrever, papagueia-se.

    Gosto muito da espécie "espirituoso e bem intencionado", até cheguei a ter um casal. Mas tinha pouco espaço na varanda, troquei por uma arara. Por acaso articula melhor o discurso.

    ResponderEliminar
  16. espirituoso e bem intencionado14/03/08, 22:56

    LOL!!!! LOL!!!!

    ResponderEliminar
  17. Mário Miguel14/03/08, 22:58

    Pois, era o que eu dizia...

    ResponderEliminar
  18. O post foi fraquito, mas os comentários mais que compensaram :)

    E isto do criacionismo é rir para não chorar, e às vezes a linha é fina demais...

    ResponderEliminar
  19. João Vasco,
    essa, por mais barbas que tenha, consegue sempre fazer-me cair da cadeira a rir ;-)
    Cristy

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.