sexta-feira, abril 30, 2010

Pope song.

Julgo que muitos católicos vão achar ofensiva esta canção do Tim Minchin. Mas a ofensa não é gratuita. O Tim Minchin tem o condão de ofender de forma pedagógica, por isso convido-os a suspender a indignação por dois minutos para ouvirem a mensagem.

Se vos indigna que se diga isto de alguém, não devia indignar-vos ainda mais que se encubra a violação de crianças?



Via Pharyngula.

Adenda: para quem quiser ajuda com a letra, estão algumas transcrições aqui no fórum do Angry(feet).

Segunda adenda: acrescento este vídeo, mais sério mas que também vale a pena ver. Obrigado à Rosário Andrade pelo link.

67 comentários:

  1. Epá, tanta justificação, " a ofensa não é gratuita", "ofensa pedagógica", ahahahah...

    Não é por acaso que estás em projectos como o Diário Ateísta. Apesar de seres mais simpático e educado do que muitos colegas teus do neoateísmo iluminado, isso é só fachada, aprecias tanto as mentiras e as ofensas dos teus camaradas como eles.
    Hoje apeteceu-te fazeres um ataque à moda do Grave Rodrigues, mas como és mais manhoso, dás uma justificação e um enquadramento para a ofensa hooliganesca, demagógica e que incita ao ódio.


    Portanto, da mesma forma pedagógica e não gratuita que aqui trouxeste, vai-te foder Ludwig!

    Se isto te indigna, não te devia indignar mais o facto de acusarem o Papa de encobrir a violação de crianças? Gostavas de ser acusado disso, sem uma única prova?

    Neoateístas iluminados, mentirosos e fanáticos, vão-se todos foder!

    ;)

    ResponderEliminar
  2. Jairo Entrecosto


    Gosto sempre de o ver a acusar os outros de serem hooligans e depois acabar com palavras fornicadoras.

    ResponderEliminar
  3. Jairo,

    Deves comer merda ao pequeno almoço porque dessa boca só sai MERDA.

    PS: Provas da conduta do sr Ratzinger até já mostraram no Telejornal. Por isso cala-te seu monte de merda disfarçado de católico.

    ResponderEliminar
  4. Jairo,

    «Portanto, da mesma forma pedagógica e não gratuita que aqui trouxeste, vai-te foder Ludwig!

    Se isto te indigna»


    Vindo de quem vem, não me aquece nem me arrefece...

    não te devia indignar mais o facto de acusarem o Papa de encobrir a violação de crianças? Gostavas de ser acusado disso, sem uma única prova?»

    De onde é que te saiu essa da prova? Há cartas assinadas pelo Sr. Ratzinger a recomendar explicitamente que os casos de violação de menores sejam mantidos em segredo.

    Já agora, pergunto-te. Imagina que era verdade. Imagina que, quando presidente para a congregação da doutrina da fé, o cardeal Ratzinger tinha dado instruções explícitas para que não se divulgassem casos de pedofilia por parte de padres. Imagina que ele tinha conhecimento de pedidos por parte de bispos para expulsar padres por violarem crianças, mas tinha demorado anos a responder ou mesmo recusado essas medidas, permitindo que os pedófilos continuassem abrigados nas igrejas.

    Aí já lhe dizias o mesmo que me dizes a mim?

    ResponderEliminar
  5. "Há cartas assinadas pelo Sr. Ratzinger a recomendar explicitamente que os casos de violação de menores sejam mantidos em segredo."

    Podes indicar-me uma?

    ResponderEliminar
  6. O Tim Minchin tem o condão de ofender de forma pedagógica

    LOL

    Sim, se há uma coisa que nós podemos confiar nos ateus é na sua capacidade (dare I say it?) sobrenatural para "ofender de forma pedagógica".

    Epá, essa está mesmo boa, Ludwig. Vou juntar essa ao grupo do "Jeitinho Evolutivo". :-)

    ResponderEliminar
  7. Mats,

    «Sim, se há uma coisa que nós podemos confiar nos ateus é na sua capacidade (dare I say it?) sobrenatural para "ofender de forma pedagógica".»

    Nos ateus em geral não. Mas se ouvires mais coisas do Tim Minchin vais ver que ele ofende mas dá que pensar. É claro, o valor pedagógico de fazer alguém pensar dependerá da pessoa pensar mesmo ou não. E nisso, admito, a coisa pode falhar com alguns crentes ;)

    ResponderEliminar
  8. Ludwig,como era de esperar essa notícia não prova aquilo que disseste:

    "Há cartas assinadas pelo Sr. Ratzinger a recomendar explicitamente que os casos de violação de menores sejam mantidos em segredo".

    Quem alega,tem de provar. O caso que se montou a partir da carta "De delictis gravioribus", a que essa notícia parece referir-se, já está mais do que desmascarado.

    Mostra-me lá uma dessas cartas que dizes existirem para eu a ler.

    PS-Nuvens,quando se diz a alguém que se vá "foder",mas em inglês, ao som de música, dirigido a religiosos e apresentado como "feito para pensar", enquanto se acusa do pior o(s) visado(s), é mais agradável, não é?

    ResponderEliminar
  9. Jairo,

    «
    Quem alega,tem de provar. O caso que se montou a partir da carta "De delictis gravioribus", a que essa notícia parece referir-se, já está mais do que desmascarado.»


    Segundo o teu próprio critério, tens agora de provar que esse caso está mais que desmascarado. Enquanto não o fizeres, ganho eu :)

    ResponderEliminar
  10. Acusas uma pessoa, não importa quem seja, de encobrir casos de pedofilia. Tu é que tens de provar isso.

    ResponderEliminar
  11. «Acusas uma pessoa, não importa quem seja, de encobrir casos de pedofilia. Tu é que tens de provar isso.»

    Pensava que quem afirmava que algo não existia (ou acontecia, neste caso) é que tinha de provar a sua claim. Ou isso é só para quem diz que Deus não existe?

    O Papa encobrir a violação de casos de pedofilia é uma necessidade lógica! AH! Agora não tens argumentos que te safem!

    ResponderEliminar
  12. Jairo,

    Eu disse-te que sabia dessa carta do Ratzinger, presidente da C.D.F., a ordenar aos bispos que mantivessem secretos os casos de pedofilia. Quando me pediste evidências disso dei-te a referência.

    Agora dizes que isso "foi desmascarado" e queres que acredite porquê? Por ter fé em ti? Sem explicares nada? Isso é uma bela treta...

    Responde lá então: era ou não política da congregação que Ratzinger dirigia manter secretos estes casos? Era o não isso da responsabilidade dele? Se sim, então ele teve um papel activo no encobrimento. Se não, então dá-me evidências que mostrem que os indícios que eu tenho estão errados.

    Não esperes é ir muito longe com o argumento se não apresentas nada para suportar a tua posição.

    E não respondeste à minha pergunta inicial. Imagina que eras levado pelas evidências a admitir que o Ratzinger mandou encobrir casos destes. Se assim fosse dizias-lhe também "vai-te foder"?

    ResponderEliminar
  13. panoramix o druida num dizia por toutatis assim como o ideafix também não fazia esses comentários devia ler melhor as suas fontes

    não sou consumidor de hóstias só consumi 2 na minha vida
    uma após ter sido espancado pelo Royal Ulster Constabulary pelo que não tenho simpatias nem por uns nem por outros
    não gosto particularmente das élites de ontem, nem das actuais
    a resposta ao comentário que fiz creio ser jocosa
    todas as famílias encobrem o que julgam não ser aceite pela sociedade
    hoje a capa do CM esse paradigma de vendas jornalísticas tem um desses casos na capa
    são histórias que vendem
    assim como se vendiam crianças há uns tempos e ninguém se indignava no Rossio e no Parque onde se fazem hoje outras vendas refiro-me às barracas a 4000euros que estão lá instaladas
    é tudo comerciável hoje os filhos das crianças dos anos 80 e 90 inda se vendem no Restelo por um preço ligeiramente superior

    a sua opinião e de outros intelectuais de pacotilha que medram nas Vossas faculdades são interessantes e foi por isso que eu me dei ao trabalho de ler as vossas opiniões representativas de um sector da nossa sociedade

    ResponderEliminar
  14. Tu apresentas uma notícia. Mas falaste em "cartas", no plural. Sobre a carta a que a notíca se refere, ela tem de ser compreendida por inteiro, não basta concluir aquilo que ela diz "explicitamente" não sei quê, a partir de boatos e acusações de advogados.

    Não provas nada do que dizes,é pena.

    "E não respondeste à minha pergunta inicial. Imagina que eras levado pelas evidências a admitir que o Ratzinger mandou encobrir casos destes. Se assim fosse dizias-lhe também "vai-te foder"?"

    E tu imaginas que ouvias alguém dizer ao Ratzinger coisa tão bonita. Imagina que levado pelas evidências tinhas de conluir que esse alguém era um mentiroso. O que é se impunha mandar essa pessoa fazer, só para gozar com o chico-esperto?

    ResponderEliminar
  15. encobrimentos sempre houve e haverá deves ter vivido pouco
    tuas ou suas como vossa incelência preferir denotam como o outro diz toda uma opinião de um conjunto de pessoas que se preocupam mais com o particular do que com o geral
    um feriadozito é sintomático dá-se circo e pão
    e no nosso caso folgas uma vez que nascemos cansados
    eu pelo menos extingui o meu emprego há 38 anos
    e não sendo um papa-hóstias tenho a percepção ou penso ter
    que a fé é algo pela sua natureza difícil de ser racionalizavel
    logo ó filho pródigo do Herman é possível que alguém se sinta ofendido por isso
    há 50 anos espezinharam-me por muito menos

    bona fides

    ResponderEliminar
  16. emmittis era a palavra de confirmação
    para quem tem fé tudo tem um significado
    tudo é blasfémia אסמודאי
    em tempos também se era lapidado por isto
    hoje só os ortodoxos dão umas pedradas...e nem sequer matam
    asherah

    ResponderEliminar
  17. é divertido mas não me akece nem arrefece
    já que és (ou vossa senhoria)é engenheiro informático podia-me enviar o vídeo não o link
    e pode enviar um virus ao
    asmo lündgren syaliot que ele em tempos criou-os
    ou ao bulbosa que não sabe mexer num rato de lab. ou de comp.

    ResponderEliminar
  18. satis once
    é este blogue gera anacronismos linguísticos que como foi comentado que eram usados pelos velhotes dos anos 70
    é propositado ou é mero acaso
    lamento mas os comentários são mais interessantes que o blog
    para mim que não pertenço a um Fanum - como diria alguém é templo em latim fanático tás a ver... tás a ver...
    é como dizem as crianças
    e alguns de vós têm algo de infantil
    digo eu que nada sei

    ResponderEliminar
  19. nah agora deu massurr masúrios ~mas surr nã num dah

    ResponderEliminar
  20. eskeci-me de subskrever por mail

    ResponderEliminar
  21. Lindo! Vou motherfucking repostar!

    ResponderEliminar
  22. Jairo,

    «Sobre a carta a que a notíca se refere, ela tem de ser compreendida por inteiro, não basta concluir aquilo que ela diz "explicitamente" não sei quê, a partir de boatos e acusações de advogados.»

    A carta mandava guardar segredo de várias coisas, é verdade. Mas à excepção da violação de menores, as outras coisas só eram relevantes para os católicos, que a justiça civil está-se a marimbar se um padre come a hóstia ou se a deita ao lixo.

    Mas continuas a não dar evidências de ser falsa a acusação de encobrimento. Parece que já reconheceste que Ratzinger mandou encobrir estes crimes, mas agora dizes que "deve ser compreendido" e tal, sem explicar coisa nenhuma... Isso não vale de muito.

    ResponderEliminar
  23. "vais ver que ele ofende mas dá que pensar"

    Pois dá. O seu regozijo dá para pensar ao ponto a que chegou a sua falta de decência.

    ResponderEliminar
  24. Nuno Gaspar,

    Não sei quanta me falta para ser decente, mas posso dizer que nunca encobri violadores de crianças nem nunca defendi organizações que o tenham feito. E por muitas desculpas que vocês inventem para desresponsabilizar os líderes da Igreja Católica, resta ainda o facto incontestável que, como um todo, essa organização ajudou muito pedófilo a violar crianças. Julgo que haverá aí muita gente menos decente que eu.

    ResponderEliminar
  25. "o facto incontestável que, como um todo, essa organização ajudou muito pedófilo a violar crianças"

    Ludwig descobre o Stefano que está em si.

    ResponderEliminar
  26. Ludwig

    "não devia indignar-vos ainda mais que se encubra a violação de crianças"

    Pode crer que o encobrimento da violação de crianças me indigna muitíssimo mais do que este vídeo que até me parece muito bem conseguido em termos de música e animação.

    O que me preocupa é ver tanta energia com algo que se passou há algum tempo e que até já está a ser corrigido e tão pouca atenção ao que se passa neste pequeno país. Ou a indignação depende da religião ou dar cor política do abusador? E que dizer da alteração legislativa que em Portugal foi introduzida há pouco tempo para proteger os abusadores ao considerar que os abusos sucessivos sobre uma mesma criança são apenas um único crime na forma continuada?

    ResponderEliminar
  27. Carlos,

    «O que me preocupa é ver tanta energia com algo que se passou há algum tempo e que até já está a ser corrigido e tão pouca atenção ao que se passa neste pequeno país.»

    Se está a ser corrigido é precisamente pela atenção que lhe têm dado. Parece-me que se não fossem os escândalos e denúncias, e a reacção pública, não teriam alterado nada.

    E não é pelo que se passou há décadas. É para que nunca volte a acontecer.

    «E que dizer da alteração legislativa que em Portugal foi introduzida há pouco tempo para proteger os abusadores ao considerar que os abusos sucessivos sobre uma mesma criança são apenas um único crime na forma continuada? »

    É uma boa pergunta. Também me parece que há muita coisa errada com a legislação, mas não a conheço toda. E teria de comparar com outros crimes. Por exemplo, um marido que bate na mulher durante anos é acusado de centenas de crimes de agressão ou de um crime de agressão continuada?

    De qualquer forma, entre essa legislação e a violação de crianças parece-me mais grave a última.

    ResponderEliminar
  28. Rosário,

    Obrigado. Muito esclarecedor.

    ResponderEliminar
  29. Ludwig

    "Parece que já reconheceste que Ratzinger mandou encobrir estes crimes, mas agora dizes que "deve ser compreendido" e tal, sem explicar coisa nenhuma..."

    Parece-te mal, muito mal. Ratzinger, pelo que está provado, foi parte da solução e nunca a causa do problema. O problema consistiu basicamente nisto:padres pedófilos, bispos cobardes que ocultaram os casos, favorecendo a imagem em detrimento das vítimas, autoridades civis negligentes.

    Agora pergunto eu; não és tu que te dizes céptico, e que até dás aulas de "pensamento crítico"?

    Estranho muito que tenhas apanhado com o boato de que Ratzinger proibiu a divulgação destes casos ( a quem, à polícia?) e o teu primeiro instinto seja engoli-lo. E que tal ouvires as explicações que foram dadas? Conheces algum sítio onde isso tenha sido divulgado?

    È que se não sabes,ainda estás muito verdinho para este campeonato.

    Um céptico que chegasse à conclusão de que Ratzinger realmente proibiu a divulgação dos casos teria de conseguir demonstrar como falsas tudo aquilo que se sabe, já foi explicado e facilmente compreendido por muita gente, incluindo não católicos, como revelador da ausência de culpa do cardeal Ratzinger neste caso da pedofilia.

    Mas pronto, tu tens um link de uma notícia e isso para ti chega-te.

    ResponderEliminar
  30. "Se está a ser corrigido é precisamente pela atenção que lhe têm dado. Parece-me que se não fossem os escândalos e denúncias, e a reacção pública, não teriam alterado nada."

    Que estupidez!

    Se andam de volta de coisas passadas há 30, 40 e 50 anos, é porque as coisas se alteraram. E sem a preciosa colaboração dos voluntariosos Ludwig, Rosário e afins.

    ResponderEliminar
  31. Jairo,

    «Estranho muito que tenhas apanhado com o boato de que Ratzinger proibiu a divulgação destes casos ( a quem, à polícia?)»

    Negas a autenticidade desta carta?

    Se sim, porquê? Se não, negas que ordena expressamente que se guarde segredo de delitos de abuso sexual de menores?

    ResponderEliminar
  32. Nuno Gaspar,

    Não foi há 30 ou 40 anos que o Papa declarou ser preciso mais transparência nisto. Pelo contrário, o JP2 deixou bem claro que era para guardar segredo destas coisas.

    ResponderEliminar
  33. Jairo,

    "Ratzinger, pelo que está provado, foi parte da solução"

    Pois foi. Foi o Ratzinger, como Cardeal e como Papa, que mandou comunicar tudo às autoridades competentes, demitiu os padres pedófilos e os bispos que os mudaram de paróquias, e os excomungou a todos. Err... espera lá... só se tiver sido nalgum universo paralelo... pq neste, que eu saiba, não fez nada disso!

    PS: Este post já leva uma série de comentários estranhos e alguns completamente incompreensíveis. O Mats e o Jairo ao menos usam pontuação e português perceptível (embora a lógica nem sempre o seja)!

    ResponderEliminar
  34. Não nego a autenticidade da carta. Nego que a carta explicitamente ordene a ocultação de casos de pedofilia ou a denúnica às autoridades civis. A carta refere-se aos procedimentos que estes casos passariam a ser tidos em conta dentro da hierarquia da Igreja. A partir dessa data, os assuntos referidos passam a ser da responsabilidade do Vaticano. Pelo princípio da presunção de inocência, é claro que os casos são sigilosos. Assim como o são os processos nos tribunas civis. Ninguém está a impedir denúncias ou a tentar obstruir a Justiça, mas a tomar medidas para resolver o problema já referido dos bispos que tinham o dever de julgar canonicamente os casos que conheciam e, em vez disso, ocultavam-nos. Processos civis e processos canónicos podem decorrer ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar
  35. "ou PROIBA a denúnica às autoridades civis"

    ResponderEliminar
  36. Jairo,

    «Nego que a carta explicitamente ordene a ocultação de casos de pedofilia ou a denúnica às autoridades civis.»

    A carta diz:

    «Cases of this kind are subject to the pontifical secret.»

    Ou seja, que estes casos devem ser mantidos secretos.

    « Pelo princípio da presunção de inocência, é claro que os casos são sigilosos.»

    Isto é ridículo até pelos padrões a que nos habituaste. Então um bispo, ao longo de anos, recebe queixas e denuncias que um dos padres a seu cargo viola crianças. Os colegas confirmam, é mesmo assim. Manda investigar e descobre mais evidências desse abuso. Escreve ao Vaticano para que o abusador seja expulso do sacerdócio, ou que façam alguma coisa, e nada. E no meio disto tudo não pode nem denunciar o criminoso à polícia nem sequer avisar os pais das crianças porque está tudo em segredo pontífice.

    E tu justificas isso com presunção de inocência? Presunção, ainda concordo, agora inocência é absurdo.

    Seja como for, esse princípio aplica-se ao processo judicial precisamente para que se possa denunciar um suspeito. Por essa ordem de ideias nunca se devia investigar nem denunciar ninguém...

    ResponderEliminar
  37. Nelson,

    «Este post já leva uma série de comentários estranhos e alguns completamente incompreensíveis.»

    Será a invasão dos tradutores automáticos? Ou isso ou alguém teve um colapso nervoso... espero que não por culpa minha :)

    ResponderEliminar
  38. O que o Sr. Ludwig Krippahl afirma sobre o documento de 2001 é incorrecto e só a sua cegueira fanática e doentia o faz ler como lê. Depois desse documento ser emitido, a conferência episcopal dos EUA emitiu um documento onde se afirma, entre outras coisas:

    "ARTICLE 4. Dioceses/eparchies are to report an allegation of sexual
    abuse of a person who is a minor to the public authorities. Dioceses/
    eparchies are to comply with all applicable civil laws with respect to
    the reporting of allegations of sexual abuse of minors to civil authorities and cooperate in their investigation in accord with the law of the jurisdiction in question.
    Dioceses/eparchies are to cooperate with public authorities about
    reporting cases even when the person is no longer a minor.
    In every instance, dioceses/eparchies are to advise victims of their
    right to make a report to public authorities and support this right."

    O documento integral pode ser encontrado aqui:

    http://www.usccb.org/ocyp/charter.pdf

    Se a carta citada pelo Sr. Ludwig Krippahl tivesse o sentido que lhe foi dado todos os Bispos da conferência episcopal dos EUA tinham sido excomungados por não cumprirem as instruções do Vaticano.

    ResponderEliminar
  39. Já agora, chamo a atenção para este documento:

    http://www.usccb.org/ocyp/2005RevisedEssentialNormsComparison.pdf

    e para esta página:

    http://www.usccb.org/ocyp/april_cap_month_2010.shtml

    ResponderEliminar
  40. Paulo,

    Então em que sentido é que se deve ler a ordem de manter secretos os casos de pedofilia? No sentido em que não devem ser mantidos secretos e devem ser denunciados às autoridades?

    O facto da Igreja Católica ter directivas contraditórias não isenta o Ratzinger do papel que teve neste problema.

    ResponderEliminar
  41. Sr. Ludwig Kripphal

    Está tudo explicado no documento da conferência episcopal dos estados unidos. O segredo aí mencionado refere-se à fase de investigação canónica, onde existe uma denúnica cuja veracidade precisa de ser comprovada. Não impede que a vítima se dirija directamente às autoridades civis nem isenta as sutoridades eclesiásticas de comunicarem à polícia as denúnicias que receberam e em relação às quais não existem dúvidas. Se perder o seu tempo a ler os links que lhe indiquei vai entender tudo.

    Quanto ao papel de Bento XVI em tempos também tive dúvidas sobre o seu papel. Hoje não tenho. É um homem corajoso que enfrentou o problema de frente e com muita determinação. A História será justa com ele. Até o NYT já começa a mudar o tipo de artigos que escreve:

    http://www.nytimes.com/2010/04/27/world/europe/27vienna.html?hpw

    Há gente responsável por encobrimento de crimes dentro da hierarquia da Igreja Catolica? Com certeza que há e devem ser castigados e afastados dos seus cargos. Aliás já há demissões e não são por acaso. Mas até agora ninguém conseguiu manchar a imagem de Bento XVI, um homem sério que não escondeu o probema e o enfrentou sem medo.

    ResponderEliminar
  42. Ludwig,

    "A carta diz:"

    «Cases of this kind are subject to the pontifical secret.»

    "Ou seja, que estes casos devem ser mantidos secretos."

    Devem ser comunicados ao Vaticano e mantidos secretos, sim.

    JE-« Pelo princípio da presunção de inocência, é claro que os casos são sigilosos.»

    LK-"Isto é ridículo até pelos padrões a que nos habituaste."

    Não é ridículo, é a verdade.

    "Então um bispo, ao longo de anos, recebe queixas e denuncias que um dos padres a seu cargo viola crianças. Os colegas confirmam, é mesmo assim. Manda investigar e descobre mais evidências desse abuso."

    E a seguir faz o quê?

    "Escreve ao Vaticano para que o abusador seja expulso do sacerdócio,"

    Mal feito. Não precisava de nada disso para resolver o problema. Tinha era de denunciar à polícia e, antes de 2001, resolver o problema da sua diocese com a legitimidade canónica que tinha.
    O caso Kiesle também já foi desmascarado, não vás por aí... ;)

    "ou que façam alguma coisa, e nada."

    Um problema de pedofilia não se resolve secularizando o clero pedófilo, à distância do Vaticano, sem os gajos serem processados civil e canonicamente e fazendo-lhes a vontade. ( um pedido desses é feito pelo bispo e pelo padre). A histórinha de que os bispos estavam de mãos e pés atados para denunciar os casos que conheciam à polícia, precisando da autorização do Vaticano, não tem plausibilidade.


    "E no meio disto tudo não pode nem denunciar o criminoso à polícia nem sequer avisar os pais das crianças porque está tudo em segredo pontífice."

    Aqui és tu a delirar; assim como num processo civil há presunção de inocência e segredo de justiça, num processo canónico desses também. Mas é claro que os dois podem decorrer ao mesmo tempo. Ninguém impediu a denúnica à polícia.

    "E tu justificas isso com presunção de inocência?"

    Pois, não justifiquei isso tudo, tu é que inventaste um "tudo" ( como se eu defendesse que não se deve denunciar os casos à polícia") e depois fazes acusação em forma de pergunta retórica.


    "Seja como for, esse princípio aplica-se ao processo judicial precisamente para que se possa denunciar um suspeito. Por essa ordem de ideias nunca se devia investigar nem denunciar ninguém..."

    Pela tua ordem de ideias quando um pedófilo é alvo de um processo disciplinar numa insituição; se esse processo implicar sígilo e presunção de inocência até a medida disciplinar ser apurada; isso para ti significa que o processo disciplinar impede a denúncia à polícia.

    Não estás com febre ou assim?

    ResponderEliminar
  43. Jairo,

    Se não notas a contradição entre

    «Devem ser comunicados ao Vaticano e mantidos secretos, sim.»

    e

    «Tinha era de denunciar à polícia»

    então é manifestamente inútil discutir o que quer que seja contigo, visto que de uma contradição tudo se deriva...

    ResponderEliminar
  44. (a menos que queiras dizer a polícia do Vaticano, é claro...)

    ResponderEliminar
  45. Paulo,

    «Quanto ao papel de Bento XVI em tempos também tive dúvidas sobre o seu papel. Hoje não tenho.»

    Daí a minha preocupação. Preocupa-me precisamente que haja tanta gente sem dúvidas.

    ResponderEliminar
  46. "Preocupa-me precisamente que haja tanta gente sem dúvidas."

    Como parece ser o caso do Ludwig

    ResponderEliminar
  47. Não há nenhuma contradição, apenas truncaste duas expressões.

    Antes dessa carta, os casos, que obviamente podiam e tinham de ser denunciados à polícia, eram resolvidos disciplinarmente na Diocese. Depois dessa carta, os casos continuam que continuam a ter de ser denunciados à polícia(como é óbvio), passam a ser resolvidos disciplinarmente pela CDF.

    Denunciar os casos ao ministério pública, não viola nenhum sigilo, porque se está a denunciar a uma instituição que também guarda sigilo e presume inocência.

    Mas já vi que não queres perceber...

    ResponderEliminar
  48. Jairo,

    Por cá os padres continuam com o direito legal de não dizer nada sobre crimes de que tomem conhecimento no cumprimento do seu ministério. Nos EUA, com os escandalos que rebentaram em 2001, em 2002 mudaram de ideias quanto a isso. Mas aqui em Portugal, apesar de se noticiar que há 10 padres a serem investigados, os bispos ainda dizem não haver "casos concretos". Vai ser preciso mais uma forcinha antes de ganharem alguma decência.

    ResponderEliminar
  49. Nuno Gaspar,

    Porque lhe parece ser o caso que eu não tenho dúvidas? É só por duvidar de si? :)

    ResponderEliminar
  50. Sr. Ludwig Krippahl

    Os casos divulgados em Portugal estão sobre a alçada do Ministério Público e da PJ. Não se sabe se foram arquivados ou se foi deduzida acusação. Não se sabe porque quer o MP quer a PJ recusaram divulgar informação sobre os casos. Vai culpar o Vaticano e Bento XVI por isso?

    Parece-me que quando o assunto toca à Igreja a estes cérebros científicos dá-lhes uma travadinha.

    ResponderEliminar
  51. Para quem insiste na treta do segredo, leia-se o relatório de 2009 (parece que há mesmo um relatório anual!) sobre os abusos sexuais de menores cometidos por padres nos eua. Está lá tudo. É só ler. Pesquisem o site e encontrarão muita informação sobre o assunto. Qual é a fonte? A Igreja Católica, representada pela conferência episcopal dos eua. Não deve haver segredos mais divulgados do que estes.

    http://www.usccb.org/ocyp/annual_report2009.shtml

    ResponderEliminar
  52. Paulo,

    Se compararmos o que acontece agora nos EUA com o que acontecia nos EUA antes dos escândalos, e se fizermos o mesmo para a Bélgica, a Alemanha, a Irlanda e assim por diante, o padrão é óbvio. A Igreja Católica só abraça a transparência e honestidade depois se a apanharem com a boca na botija ou, conforme o caso, a botija na boca.

    ResponderEliminar
  53. Sr. Ludwig Krippahl

    Leia o relatório John Jay. Está lá tudo.

    http://www.usccb.org/nrb/johnjaystudy/index.htm

    Não vou perder mais tempo em corrigir as suas tretas. Divirta-se.

    ResponderEliminar
  54. Paulo,

    Agradeço esse relatório, que me parece interessante. Mas não encontrei nele evidências que a ocultação de tantos crimes destes durante décadas foi uma mera coincidência e não se deveu a um esforço deliberado por parte da hierarquia da Igreja Católica -- na qual o Ratzinger era um dos principais responsáveis.

    É isso que vocês estão a dizer? Que calhou rebentar o escândalo em 2001 apesar de já haver décadas disto por trás, e que calhou ser em 2002 que decidiram fazer estudos e apurar o que se passava, não tendo essa decisão nada que ver com terem sido apanhados, por assim dizer, com as calças em baixo?

    Parece-me coincidências demais mas, admito, não sou uma pessoa de fé...

    ResponderEliminar
  55. Sr. Ludwig Krippahl

    Não sei a quem se refere quando escreve "vocês". Falo em meu nome pessoal e não em nome de nenhuma organização.

    É claro que houve encobrimentos e membros da hierarquia católica que tiveram comportamentos censuráveis na forma como conduziram estes processos e que merecem todo o meu repúdio e indignação e que, na minha modesta opinião, devem ser penalizados mas a forma como o Sr. Ludwig analisa esta questão não é isenta porque tem como base o seu fanatismo ideológico que lhe obscurece o pensamento e tolda o raciocínio. Dito de outra maneira, quando cheira a religião também lhe dá uma travadinha tal como a todos os cérebros cientificados que populam a sua caixa de comentários.

    Passe bem.

    ResponderEliminar
  56. "mas a forma como o Sr. Ludwig analisa esta questão não é isenta porque tem como base o seu fanatismo ideológico que lhe obscurece o pensamento e tolda o raciocínio".

    Paulinho, dá ai uns exemplos e tal para a gente perceber do que est+as a falar, sim filho?

    ResponderEliminar
  57. Você sabe muito bem o que o Paulo quer dizer. E se sentir alguma dificuldade vá a este lugar:

    http://neoateismodelirio.wordpress.com/

    Em menos de um ano de actividade, já ali está alojado o material suficiente para explicar e reduzir a pó as tretas deste blog e dos tutores que lhe deram origem.

    ResponderEliminar
  58. Vocês aki debicam-se
    Isto Inda kontinua é a prova da existência de deus in nós

    Assim para o kristhus de serviço neste blog

    "em todos os homens um kristu em todos os kristus um Homem"
    é preciso ter uma paciência divina pra continuar

    1º Deus é favor da tolerãncia de ponto ao 7º um dos tais gajos descansou logo.....
    2ºNão há nenhum Estado Constitucional laico pode sê-lo formalmente...
    nem a URSS era um Estado ateu, quando houve necessidade puxou a religião e os paramentos (1941-45)crenças em que somos filhos da lua ou filhos espirituais de Marx ou de poeiras estelares são comuns.

    3º os valores mudam a dignidade humana, da autonomia moral e racional individual, da igualdade, da justiça e da solidariedade valem pouco em RAs-el-Tan e em muitos outros lugares só têm fundamento enquanto existe abundância

    3ºse criou os indivíduos à Sua ou sua imagem e os dotou DE dignidade intrínseca então fez um mau trabalho ou tinha dupla personalidade um dia é deus no outro o demo pois são essas alternâncias que existem na humana psiqwe alma ou balde de água e esfingolípidos qwe lhes faz de caixa pensante
    4ºtodos os seres humanos são iguais, é do mais bizarro é falta de percepção devendo por isso amar-se (duvidoso9 e respeitar-se uns aos outros(impossível).
    É racionalmente que se podem estabelecer os princípios que regem as sociedades em que vivemos. Não a partir da Bíblia.Nem a partir do homem qwe raramente é racional


    4ºUm fenómeno físico e químico é algo incompreensível existe a vários níveis como os biológicos se deve qualqwer coisa a outro acidente (e ele a dar com o assidente) físico e químico, compreendemo-los apenas ao nosso nível de percepção nem compreendemos os fundamentos da matéria pensamos compreende-los a microfísica Phisica do Microworld 1983 Mir Press-cccp) dos anos 80 cedeu à nanofísica e esta cederá em 20 ou 50 anos a nova vaga

    Esses saltos de lógica são típicos do pensamento HUMANo e do seu também.
    tudo é relativo -distinguir quem pode ou não sentir dor, quem pode ou não tomar decisões, etc.


    em todos os lados há ou pode-se descobrir informação codificada se for na tabela periódica de Primo Levi há uma contra a intolerância das elites pelos danados da vida.
    há até blogs de informação codificada transformar a tabela em códigos é mais fácil do qwe partir do binário se ler em asmo códice ou no sapo tstopps há códigos se fala em codificação de um artefacto
    como o é a tabela e se tem formação em física parece-me qwe tem os seus défices ou a sua física está fora de prazo -entre as a física nuclear e a física das partículas elementares francamente aos 12 anos há miudos qwe têm um desenvolvimento melhor. O que mete muita muita pena só há discussões estéreis neste blog

    . Porque não se limdo caos não nasce a luz do caos nada sai abyssus,abyssum invocat
    falar daquilo que conhecemos razoavelmente, não somos capazes e abdicar de nos armarmos em especialista (termo depreciativo um especialista meu pobre ser de meninges inflamadas é um ser limitado) de biologia, física e química,somos todos microespecialistas estão dentro de nós no seu caso é um etologista com falta de controlo qwe qwer sair


    num objecto de chacota? Não somos todos
    perdi 10 minutos nisto para comentar esta meleca no asmo pelo menos aí há capacidade de autocrítica
    Limitados ó imbecile vem de báculo todos nós o somos
    todos precisamos de um báculo para nos apoiar a sua pseudo ciência ou as falsas ou veras fés, fezes e feriados

    ResponderEliminar
  59. Paulo,

    Estamos de acordo que a Igreja Católica ocultou crimes de pedofilia durante décadas. Estamos de acordo que isso em si é um crime grave. Estamos de acordo que muitos membros importantes da hierariquia da Igreja tiveram culpa nisto, que o fizeram de propósito, e não foram só os pedófilos os culpados daquilo que se passou.

    E estamos de acordo que o Ratzinger era o presidente da congregação para a doutrina da fé e que escreveu aos bispos dizendo para manter secretos estes processos e que competia à congregação para a doutrina da fé decidir como agir em cada caso destes.

    Só discordamos num ponto. O Paulo acha que Ratzinger, um dos homens mais importantes da Igreja Católica durante uma boa parte desta tragédia, e o mais importante agora, é inocente do que aconteceu. Eu acho que essa posição é absurda, face às evidências, ao cargo que Ratzinger ocupou durante muito tempo e à natureza fortemente hierárquica e disciplinada desta organização.

    ResponderEliminar
  60. Puxa, Nuno, hoje acordou com o dito cujo destapado, não? Vai-me desculpar, mas, honestamente, já tentei ler esse blogue uma vez, mas faz menos sentido do que o raisuna.

    ResponderEliminar
  61. Cristy,

    Não seja brejeira.

    Percebo que fuja desse blog como o diabo foge da cruz. Queira ou não queira o que lá está escrito já é mais que suficiente para revelar a condição de bobos de Dawkins, Dennet, Harris, Hitchens e dos seus discípulos. E continua a produzir material a bom ritmo.
    Acho que está na altura de organizar um debate ao vivo entre o Luciano Henrique, o Jairo Entrecosto o Ludwig Krihpall e a Palmira Silva. Se os gurus destes não estivessem entretidos a vender palestras e livros por esse mundo fora também poderiam ir à festa.

    ResponderEliminar
  62. ó blog lê-se os comentários tem alguma cripticidade, o do raisuna
    (ou Rais- de gilles de rais)ou seja de gente que teve problemas com a santa sé e as suas hierarquias é Legível desde que se pense

    refere-se à troca estéril de ideias ao longo deste blog e é transversal aos 3 últimos posts pelo menos

    é possível que esteja em mais mas não tenho patientia

    ResponderEliminar
  63. "Queira ou não queira o que lá está escrito já é mais que suficiente para revelar a condição de bobos de Dawkins, Dennet, Harris, Hitchens e dos seus discípulos".

    Nuno
    sim, para quem não pensa.

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.