terça-feira, dezembro 11, 2007

Treta da Semana: Paulo Cardoso na Praça da Alegria.

Ontem, na RTP1, o programa Praça da Alegria dedicou pelo menos meia hora ao Paulo Cardoso. A “entrevista” visou publicitar o seu livro de previsões astrológicas para 2008. Às nossas custas. Não me incomoda que façam publicidade a obras de ficção, mas ninguém compra as previsões para o ano se perceber que é ficção. Só compra quem for enganado, e é um mau serviço público enganar as pessoas.

A astrologia tem tanta treta que vou ter que me limitar a uma parte desta meia hora. Mais precisamente, a um minuto e vinte e oito segundos. É mesmo muita treta. O Paulo Cardoso (PC) mostrou uma carta astral e disse que com um estudo detalhado deste tipo «já podemos fazer com tranquilidade projecções, previsões. Além de descobrir como a pessoa é podemos descobrir que periodos mais ou menos positivos vai viver ao longo da existência». O Jorge Gabriel (JG) perguntou se os astrólogos concluíram isso por observação de exemplos no passado, ao que o PC respondeu que

«provavelmente [...] os primeiros astrólogos descobriram que quando Mercúrio [...] estava a passar num dado signo, as pessoas que nasciam naquele momento (Mercúrio é a comunicação, a inteligência, a capacidade de raciocinar [...]), uma pessoa mais racionalista ou menos racionalista depende essencialmente da sua posição de Mercúrio porque Mercúrio é o deus da inteligência, da comunicação e do raciocínio lógico...»

Desta forma confusa, PC diz que «provavelmente» os astrólogos antigos terão notado alguma correlação entre a inteligência e a posição de Mercúrio. Ou seja, não faz ideia se notaram ou não. E como não tem registo de tais estudos pelos Babilónios, Sumérios, Egipcios ou Gregos, se o fizeram ele também desconhece os resultados. O que é óbvio pela explicação que dá: «Mercúrio é a comunicação, a inteligência».

Isto não é literalmente verdade. Mercúrio é uma rocha, com a capacidade de comunicação e inteligência inerente a esses seres. Admito que pelos critérios astrológicos até pode não ser pouco, mas quando o PC diz que Mercúrio é estas coisas quer dizer apenas que havia religiões antigas que associavam Mercúrio à inteligência. Vamos imaginar então a explicação se o PC tivesse nascido sob uma conjunção planetária mais favorável à honestidade e clareza de discurso. O JG perguntava se tinham concluído isto por observação, e o PC esclarecia:

«Não. Inventaram, porque pensavam que os planetas eram deuses. Os Romanos, por exemplo, consideravam Mercúrio o deus do comércio e do lucro. Mas é chato dizer a alguém que vai ser um merceeiro ganancioso, por isso dizemos que Mercúrio governa o aspecto da racionalidade. O que é duplamente vantajoso. A quem tem um Mercúrio forte dizemos que é inteligente e racional, e a quem está mal de Mercúrio dizemos que é intuitivo e criativo. Fica tudo contente porque ninguém acha que se enganam a falar de si quando dizem coisas boas.»

Muita treta mais à frente, o PC avisa os Carneiros nascidos entre 21 e 23 de Março para terem especial cuidado com a influência nefasta de Plutão. Segundo PC, este é um dos cinco planetas mais importantes do sistema solar. É mais pequeno que a Lua, está tão longe que até nos melhores telescópios é uma pinta desfocada e já nem sequer é considerado um planeta. Mas PC explica que é importante porque «tem uma órbita abrangente». Ah. Pois...

Estes Carneiros estão tramados porque Plutão é o deus dos infernos. Este planeta só foi descoberto em 1930, pelo que é duvidoso que os antigos astrólogos tenham notado fosse o que fosse acerca dele. O mais o engraçado é que o nome foi sugerido por uma rapariga de 11 anos, Venetia Burney (1). As alternativas eram Minerva, rejeitado por ser já o nome de um asteróide, e Cronus, que foi rejeitado porque ninguém gostava do astrónomo que o propusera (2). Por causa disto a jovem Venetia recebeu cinco libras do seu avô e uma data de gente tem o deus dos infernos a governar a sua vida. Mas vejam o lado positivo. Ao menos não foi o deus das hemorróidas ou coisa assim.

1- Wikipedia, Venetia Phair
2- Wikipedia, Pluto

19 comentários:

  1. A RTP? Ui, o meu cavalo de batalha preferido. Não se junta aí meia dúzia de pessoas para a por em tribunal por atentado à moral pública, desvio de fundos, anti-constitucionalidade etc. pp? Só esta publicitação da astrologia deve cumprir estes critérios todos e mais alguns.
    Cristy

    ResponderEliminar
  2. Cristy

    Acho que já abordamos o assunto com leveza há uns meses, mas olha que não está nada mal pensado. Ou por abaixo-assinado ou por opiniões de figuras influentes da sociedade, devia fazer-se alguma coisa contra esta verdadeira publicidade enganosa, que ainda por cima apanha quem já está mais frágil em primeiro lugar.

    ResponderEliminar
  3. Abobrinha.
    concordo, vou pensar numa estratégia. Mas terá que ser mais dos que abaixo-assinados, porque esses não fazem confusão a quem está a esbanjar o dinheiro dos outros. Que tal o Tribunal Europeus dos Direitos do Homem? Penso que este género de programas também fere os direitos fundamentais.
    Cristy

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde,

    E mandar cartas e emails em massa ao provedor?

    ResponderEliminar
  5. Alguém que pense numa estratégia consertada que eu também alinho. Fora com as tretas na RTP.

    xxxxx

    ResponderEliminar
  6. Só uma correção.

    Se plutão é o deus dos infernos então por arrasto é o deus das hemorroidas, porque as hemorroidas são um verdadeiro inferno :)

    ResponderEliminar
  7. Cristy

    Um abaixo-assinado para a RTP ou cartas para o provedor terão o mesmo destino: lixo e uma p.f.o. letter.

    O que é preciso é ganhar visibilidade, ou seja, aparecer na televisão e ser discutido. O problema não se resume à RTP, embora nesta doa mais por os dinheiros serem públicos. Dito isto, o desmando no dinheiro é tal que é mais milhão ou menos.

    Como o problema é transversal aos canais todos, talvez os jornais ajudem nesta causa por mobilização de opinião pública via uma carta/comunicado subscrita por muita gente ou por pressão de intelectuais (das ciências exactas ou sociais, aqui não me parece haver grande problema).

    Alternativamente pode fazer-se um abaixo-assinado para ser debatido na Assembleia da República, exigindo a regulamentação de (ora deixa-me usar uma palavra suave) charlatanices. Ou escrever ao Presidente da República. Ou ambos. Em todos os casos, é preciso adquirir visibilidade: é assim que a coisa funciona! Ter razão não basta.

    Vá, digam qualquer coisa, que eu alinho!

    ResponderEliminar
  8. Abobrinha
    claro, alinho. Vou pensar num texto e depois proponho por mail a quem estiver interessado. Só não o prometo para ontem.
    Cristy

    ResponderEliminar
  9. (...) No que toca à apresentação de horóscopos nos programas da manhã, entenda que estes são percebidos, por uma grande maioria, como momentos lúdicos, visitados em função de um interesse descomprometido.(...)
    (recebida em Outubro de 2006)

    Excerto de uma resposta à pergunta "Como é possível, nos programas da manhã e da tarde da RTP ser dado tempo de antena a uma pseudo-ciência como a astrologia?" dada pelos serviços do Provedor do Telespectador.

    Como é óbvio, o problema são as minorias!

    ResponderEliminar
  10. Osvaldo

    Obrigada por ilustrares o que eu tinha dito em relação a cartas ao provedor do telespectador. Aposto que nem foi o provedor a responder, mas alguém contratado a metro (bem, sendo a RTP foi um metro bem pago) para dar a resposta.

    Acontece que a maioria das pessoas NÃO entende essas coisas como entretenimento mas como verdade (se passa na televisão, é porque é verdade! Eles têm cursos!), mas de certeza que haveria uma qualquer resposta curta e grossa para isso também.

    Segue a mensagem que enviei a respeito da falta de tratamento subesquente da vitória de Salazar no programa Grandes Portugueses, o que me cheirou a varrer a coisa para debaixo do tapete a ver se passava. E justificava-se porque era um assunto sério e com implicações a nível da confiança nas instituições, como vemos a nossa História (particularmente a ditadura e o colonialismo)... nem vou começar a dizer como era importante o debate sério do assunto.

    "Suponho (espero) não estar a ser original, mas tenho que protestar contra o facto de nenhum dos serviços noticiosos da RTP fazer menção à vitória do Salazar no vosso programa \"Grandes Portugueses\". Não quero gastar caracteres nem o seu tempo a explicar-lhe como isso é um assunto relevante. Se vocês criaram a situação, desenterraram o Salazar e o seu fantasma, devem no mínimo ao país uma reflexão cuidada sobre o assunto. Não minimizem o assunto, porque ele é sério. Façam serviço público, que é isso que é esperado de vós!"

    Notem que fui (ao contrário do meu costume) muito peca em palavras, porque não queria que me saltasse a tampa. E possivelmente porque adivinhei a profundidade filosófica da resposta. Andei meia doente nessa altura, porque levo muito a sério as liberdades a que tenho acesso por ter nascido dias depois de uma tal revolução.

    A resposta:

    "Em nome do Provedor do Telespectador agradeço o e-mail que enviou.

    Foi tomada em devida conta pelo Provedor o conteúdo da sua mensagem.

    Tomámos nota da sua posição.

    No entanto, gostaria de lhe dizer que o programa "Os Grandes Portugueses" trata-se de um concurso na área da programação, nada tendo a ver, portanto, com a Informação, ou mesmo com o jornalismo."

    Portanto o importante não é enviar a mensagem nem sequer só o seu conteúdo: o importante é a quem se envia a dita cuja e a amplificação que esta tem.

    ResponderEliminar
  11. Francisco

    Afinal eu tinha uma certa razão em ser sucinta: para me mandarem pastar não valia a pena gastar muitos caracteres! Esqueci-me de dizer que um tio meu enviou uma mensagem na mesma altura e recebeu uma resposta idêntica à minha e à tua.

    Duas palavras-chave: "grande maioria" e "oportunamente" (OK, são 3 palavras, mas não vamos ser picuínhas). Por aqui percebemos que o pessoal da RTP não sabe contar, mas já tínhamos essa noção. Oportunamente significa qualquer coisa como: nunquinha da Silva.

    Uma coisa é certa: acho que não nos podemos restringir à RTP. Um logro é um logro, seja na televisão estatal ou nas outras. O que é preciso é que estas coisas tenham avisos como o tabaco (com todo o respeito pelos fumadores, mas vão poluir para outro lado ;-) ): pode fazer mal à saúde. Ou seja, mais que escrever, é preciso determinar a quem se escreve.

    ResponderEliminar
  12. Abobrinha e Cristy,

    Eu estou nessa!

    ResponderEliminar
  13. Eu acho que não se vai conseguir regulação. Mas podia-se insistir então que assumam essa posição. Se o provedor justifica a astrologia por um interesse lúdico, deviam deixar claro que aquilo é tudo a brincar.

    É que da maneira como as coisas estão agora a RTP não está só a facilitar o engano mas está também a enganar, dando a entender que leva aquilo a sério mas depois dizendo que é tudo a brincar.

    ResponderEliminar
  14. Fugindo um pouco aos assuntos obviamente "falsos" seria interessante tentar "desmascarar" assuntos ou notícias que são apresentados, às vezes com falsidades, outras vezes induzindo falsidades ou erro, e/ou com omissões básicas que não permitem, minimamente, um juízo crítico.
    Muitas vezes quando dou por ela - ou pelo que me pareceu um "erro" - já passou a notícia... e não tenho gravador de vídeo.

    Fica o desafio para futuras discussões de tretas mais comezinhas, ou seja, não metafísicas e de largo espectro.

    ResponderEliminar
  15. Ludwig

    Eu não tenho grande fé (por assim dizer) que se consiga a regulamentação. Dito isto, é um dos casos em que só falar do assunto já é notícia, logo fala-se no assunto, logo é positivo.

    Dito isto, já vi coisas mais estranhas a acontecerem!

    ResponderEliminar
  16. Acho interessante toda esta conversa á volta daquilo que chamam pseudo-ciência...
    é muito fácil comentar sobre algo que não se conhece,...e até aparvalhar sobre o assunto!
    eu estudo astrologia há muitos anos,....e posso garantir que é extraordinário!!
    Podem verificar que existem mais nascimentos na lua cheia, a taxa de suicídio também aumenta nessa altura...e estou a falar apenas da lua, e de 2 exemplos comprováveis!
    Os astrólogos bons, mas mesmo bons, que não são muitos!!!, são das pessoas mais cépticas que conheço!...
    Não cortem na casaca do pessoal sem conhecimento de causa!!

    ResponderEliminar
  17. este gajo é o maior charlatão que existe...mente com todas as letras e até conseguiu enganar a nossa televisão pública que lhe paga durante meia-hora para o ouvir a enganar a população portuguesa que infelizmente tem muito pouca instrução e acredita em qualquer anormal que se faça passar por criatura divina...isto é tão ridículo e absurdo que até envergonha as pessoas que tenham o minimo de bom senso e inteligência...um bocadinho de respeito por quem trabalha e paga impostos não fazia mal a ninguém...

    ResponderEliminar
  18. PAULO CARDOSO...PALAVRAS PARA QUÊ...OLHAR PARA ELE DIZ TUDO...O MAIOR PALHAÇO AO CIMO DA TERRA...É UM DOENTE MENTAL QUE A SOCIEDADE AJUDA A SUSTENTAR...

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.