quinta-feira, maio 06, 2010

Os papamóveis.

Não me refiro ao caruncho mas sim aos carros blindados que o Papa usa para se deslocar entre os fãs. Segundo noticia o DN, dois agentes do Corpo de Segurança Pessoal da PSP embarcaram num avião de transporte da Força Aérea Portuguesa (FAP) para ir ao Vaticano buscar os carros do Joseph Ratzinger (1). Estas viaturas foram concebidas especialmente para garantir a segurança e o espectáculo, com o representante oficial de Deus sentado numa cadeira, elevada hidraulicamente, dentro de uma caixa de vidro à prova de bala (2).

papamóvel

Como os pára-raios nas igrejas, isto faz lembrar sempre aos ateus que fé e confiança não são sinónimos. Mas isso compreendo. Como o Miguel Panão já explicou aqui várias vezes, o deus sofisticado do católico moderno age sem intervir no espaço de possibilidades da Natureza. Ou seja, tanto faz se existe ou não que o resultado é o mesmo. Por isso serve bem para rezas e missas mas, quando o problema é balas, o vidro laminado torna-se a melhor opção.

No entanto, carros com vidro à prova de bala temos que chegue por cá. A segurança do Joseph Ratzinger, mesmo sem protecção divina, pode ser adequadamente garantida com os recursos disponíveis em Portugal sem ser preciso enviar agentes ao Vaticano, e um avião de transporte, para trazer esses carros. E, provavelmente, levá-los de volta no fim da festa. Pago por nós. É que transportar carros de avião não sai nada barato. Além disso, estes C-130 da FAP têm quase a minha idade e não são nada amigos do ambiente. Mesmo que o PEC tenha uma clausula permitindo esbanjar dinheiro em crendices, parece-me que a despesa e a “pegada” de CO2 não são justificadas pela dúbia vantagem de ver o Ratzinger numa cadeira elevada dentro de um aquário. A segurança, o orçamento, o ambiente, a dignidade do personagem e até, lamento dizer, a estética, saiam todos a ganhar se o ilustre visitante fosse conduzido num carro diplomático com vidros escuros.

E outra coisa me preocupa nisto. «Ao que o DN também apurou, [os dois agentes da PSP enviados para ir buscar os carros] são católicos praticantes e casados pela Igreja.» Pode ter sido coincidência. Talvez sejam católicos praticantes casados pela Igreja como poderiam ser divorciados, viver com a namorada ou namorado, serem protestantes, budistas, agnósticos ou ateus. Mas gostava de saber se foi mesmo coincidência ou não. Porque se a PSP selecciona os agentes para estas missões com base nestes aspectos da sua vida privada, como a religião que professam, se a praticam com assiduidade e se o seu estado civil é reconhecido por uma organização religiosa, então o problema já vai além do mero desperdício idiota.

1- DN, 4-5-2010, Agentes católicos vão buscar papamóveis, via Diário Ateísta
2- Wikipedia, Popemobile

101 comentários:

  1. «Ao que o DN também apurou, [os dois agentes da PSP enviados para ir buscar os carros] são católicos praticantes e casados pela Igreja.»

    Esperemos que não seja um caso claro de discriminação laboral e através de uma entidade pública.

    ResponderEliminar
  2. «Conhecido pelas suas posições conservadoras, monsenhor Grings criticou igualmente a "liberalização" dos hábitos sexuais, que a seu ver "facilita os desvios de comportamento", incluindo a pedofilia.»

    A sociedade hoje é que é pedófila... Antigamente, quando as criancinhas casavam e tinham filhos acabadas de saír da puberdade é que não.

    Por acaso é engraçado verificar como, felizmente, na realidade se passa precisamente o contrário daquilo que o Arcebispo diz: à medida que aumentou a tolerância por uma série de comportamentos sexuais não coercivos (relações homossexuais consensuais, sexo oral, etc...) aumentou - e bem - a intolerância para com comportamentos sexuais coercivos: abuso de menores, violação, bestialismo, etc...

    ResponderEliminar
  3. O que me preocupa é a profunda estupidez desta gente.

    A pedofilia ( <12 anos) deve ser um problema do desenvolvimento e deve ter-se mantido estável ao longo dos tempos.

    é uma parvoeira

    ResponderEliminar
  4. Ludwig,

    Como o Miguel Panão já explicou aqui várias vezes, o deus sofisticado do católico moderno age sem intervir no espaço de possibilidades da Natureza. Ou seja, tanto faz se existe ou não que o resultado é o mesmo. Por isso serve bem para rezas e missas mas, quando o problema é balas, o vidro laminado torna-se a melhor opção.

    Percebo a tua conclusão, mas eu sempre soube de outra: "o Cristão não é parvo". Nem Deus o quer parvo, uma vez que o Cristão tem consciência que "não sendo do mundo", está no mundo e esse é como é. Rezas e missas não servem para instrumentalizar Deus, mas para aprofundarmos a nossa relação com ele. Desse diálogo pessoal ou comunitário podemos pedir tudo e mais alguma coisa. Coisas inteligentes, idiotas, úteis ou inúteis, não importa. É um acto de fé que merece o respeito, sobretudo dos não-crentes, quanto mais não seja por uma questão de tolerância. E sobre esta última os ateus ... enfim. Sejamos pacientes reciprocamente.

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Qual o respeito que um sportinguista deve exigir de um benfiquista? Que o benfiquista não critique o sporting? Não diga que jogou mal? Não escarneça se o sporting perdeu?

    Qual o respeito que um sportinguista deve exigir de alguém que não gosta de futebol? Que a sua opção por gastar dinheiro em gorros e bilhetes não seja criticada? Que nunca lhe digam que futebol é alienação?

    E que respeito deve alguém que não gosta de futebol exigir dos que gostam? Que não lhe digam que ele devia era divertir-se?


    Eu acho o contrário disto tudo. Digam o que quiserem uns aos outros. Respeito, entre outras coisas, é aceitar que otros digam aquilo com que discordamos.

    Intolerância pode ser a incapacidade de o fazer, e chamar intolerante a quem diz o que não gostamos de ouvir.

    Cá por mim podem dizer que o "ateísmo é o maior drama da humanidade". Discordo, e até aproveito para me rir um bocadinho. Isso não é falta de respeito, é uma opinião divergente.

    Dizer que a reza geralmente é uma dança da chuva não é desrespeito (e quem o acha não está a desrespeitar as danças da chuva?). É uma opinião.

    ResponderEliminar
  6. Miguel Oliveira Panão

    Essa é boa, para quem já vendeu indulgências a ICAR anda muito arredada da comunicação com o supremo.

    ResponderEliminar
  7. João Vasco


    Eu acho que se confunde respeito com educação, que são coisas muito diferentes.

    Eu devo manter uma conversa dentro do normal da educação , seja sobre que tema for, não dentro do respeito.

    ResponderEliminar
  8. Há quem também sofra de "pressão psicológica" com blogs?

    Respeito:
    - «Sentimento que nos impede de fazer ou dizer coisas desagradáveis a alguém.»
    - «Apreço, consideração, deferência, obediência, submissão, temor, medo.»
    - «Temor do que os outros podem pensar de nós.»

    Tolerância:
    - «Condescendência ou indulgência para com aquilo que não se quer ou não se pode impedir.»
    - «Boa disposição dos que ouvem com paciência opiniões opostas às suas.»
    - « Med. Faculdade ou aptidão que o organismo dos doentes apresenta para suportar certos medicamentos.»

    ResponderEliminar
  9. Portanto, segundo o Ludwig, cada vez que um cristão usa a tecnologia ele está a revelar falta de fé.

    Faz todo o "sentido". Dentro do ateísmo, claro.

    (Não sei porquê, mas a palavra "caricatura" veio-me à mente outra vez)

    ResponderEliminar
  10. Já agora, Ludwig, usando a "lógica ateísta" (e todos nós sabemos como isso funciona), será que posso dizer que os ateus não devem consultar ajuda médica se por acaso os seus filhos nascerem com mutações genéticas?

    Afinal, segundo a fábula ateísta que se dá pelo nome de teoria da evolução, as mutações genéticas são o material que a selecção natural usa para evoluir a forma de vida. Consultar ajuda médica, e não deixar a natureza seguir o seu curso, é mostrar que os ateus não tem muita fé na mamã natureza.

    Ergo, seguindo aquilo que pareces implicar no teu texto (excepto para o João Vasco, uma vez que ele nunca vê maldade nas tuas palavras), eu vivamente aconselho os ateus a deixarem de ir ao médico.

    Como diria o Cristiano Ronaldo, "bale" ?

    ResponderEliminar
  11. «Ao que o DN também apurou, [os dois agentes da PSP enviados para ir buscar os carros] são católicos praticantes e casados pela Igreja.»

    Pode ter sido coincidência.


    Eu acho que não foi coincidência. Vendo a azia que anda por aí (ver este post), é mais seguro confiar em católicos.

    Obviamente que isto não implica que Bento XVI não sofra atentados por parte de católicos (acho que João Paulo II é um bom exemplo), mas as probabilidades do líder do mundo católico sofrer um ataque por parte de um católico practicante são mais reduzidas do que sofrer um ataque por parte de um não-católico. Pior ainda se for um ateu cheio de azia (Rennie, pessoal).

    O Estado, ou quem quer que tenha nomeado os polícias católicos, revelaram bom senso.

    ResponderEliminar
  12. Panão:

    " Rezas e missas não servem para instrumentalizar Deus, mas para aprofundarmos a nossa relação com ele. Desse diálogo pessoal ou comunitário podemos pedir tudo e mais alguma coisa."

    Ja reparaste que não é um dialogo? É um monologo? Em que a resposta é a tu crença de que foste ouvido e a relação é unilateral? Essa proximidade que tens é efeito da crença em ti proprio. Não da existencia do objecto. Percebes a diferença? Será que podes considerar como inteligente defender ter uma relação de qualquer especie quando uma das partes não só não participa, como qualquer manifestação dessa relação se deve à crença de que ela existe e a mais nada?

    Consideras mesmo inteligente dizer como deus é sem fazer puto de ideia de como o distinguir de uma fantasia? Consideras inteligente e digno de respeito querer construir valores morais e culturais numa entidade cuja existencia é para TODOS OS EFEITOS igual à inexistencia, como depreendido pelas tuas proprias palavras?

    Respeito o crente, mas não a crença:

    E tolerancia costuma ser uma coisa boa, mas há limites para o que tem de ser tolerado. Mas eu até tolero a crença de um modo geral. Isso é diferente de respeitar.

    Respeitar as pessoas sim. Respeitar a crença nem por isso. Ou tambem respeitas qualquer crença e mais alguma desde que a pessoa acredite mesmo nisso?

    ResponderEliminar
  13. Mats:

    As mutações sao quase sempre mas. E quanto mais evoluido o ser vivo menos probabilidade há de aparecer uma mutação "boa". Se elas são devido ao acaso é de3 esperar que depois de muita sofisticação seja preciso esperar ainda mais tempo para aparecerem melhorias.

    Não ha nenhuma contradição aí.

    Mas voces usarem a tecnologia é bizarro sem duvida. Para quem fala com o omniomni e acredita que ele esta ca para nós é no minimo cómico e revelador de falta de fé... Vossa. Mas longe de mim de vos aconselhar a virar as costas à tecnologia.

    APenas reparem como ela faz mais por voces do que deus - o tal todo-poderoso, bom e etc,etc,etc

    E a tecnologia faz mais por voces mesmo com a vossa tactica desonesta de atribuir a deus tudo o que é bom e desculpa-lo por tudo o que acontece de mau.

    ResponderEliminar
  14. Nuvens de .. Fumo,

    A sociedade de hoje é de facto pedófila. Até a própria ONU, organização muito do agrado dos secularistas, está a tentar normalizar a sexualização das crianças.


    Evidências:

    1. ONU promove sexualização precoce

    2. ONU publica material para crianças ensinando como obter prazer sexual com pessoas, animais e objetos inanimado

    E muito mais há por aí.

    Adivinha quem está por trás destas investidas? Evangélicos? Católicos? Ateus/Homossexuais?

    Quid juris?

    ResponderEliminar
  15. Miguel Oliveira Panão

    A igreja em tempos não só conseguia comprar lugares no céu através da venda de indulgências como para se certificar do facto sem dúvida tinha contactos , certo ? não vamos acreditar que eram o papas corruptos e mentirosos , certo ?

    POr isso, desde essa altura até aos dias de hoje perdeu qualidades pelo caminho

    ResponderEliminar
  16. Mats,

    o Papa João Paulo II sofreu dois atentados: um de um muçulmano turco (que agora pensa ser Jesus), outro de um padre católico espanhol. Até agora, que eu saiba, nenhum ateu tentou matar um Papa. Por isso isto não tem fundamento: «mas as probabilidades do líder do mundo católico sofrer um ataque por parte de um católico practicante são mais reduzidas do que sofrer um ataque por parte de um não-católico. Pior ainda se for um ateu cheio de azia».

    A crítica sobre a oração e o uso de tecnologia não aplica ao Miguel Panão, porque ele respondeu: «Rezas e missas não servem para instrumentalizar Deus, mas para aprofundarmos a nossa relação com ele». Mas aplica-se a ti e a muitos outros evangélicos que evocam milagres e acreditam no poder da oração, em benefício de crentes. Aliás, existem alguns que proíbem, por exemplo, tratamentos médicos e uso de certas tecnologias modernas. Portanto, não é caricatura.

    Existem mutações genéticas benéficas que não são removidas. Pelo contrário, são investigadas para tratamento de doenças genéticas. Doenças e mortes são males, portanto é desejável que sejam ultrapassadas, mesmo que teorias científicas defendem que são reais na natureza. Se são verdadeiras, permitem que resolvamos os problemas e as usemos para benefícios. (Duh!)

    ResponderEliminar
  17. Parece que a ICAR não gosta que se use o seu profeta também

    http://www.tvi24.iol.pt/portal-iol/tvi24-venezuela-graffiti-jesus-espingarda-igreja/1160553-5281.html

    ResponderEliminar
  18. http://uniaodasfamiliasportuguesas.blogspot.com/2009/12/natal-com-sic-e-walt-disney.html

    que a disney é uma seca sempre achei, agora fiquei curioso com esta aliança demoníaca,
    Podem existir pessoas tão ignorantes ? tão ...
    ai que seca

    ResponderEliminar
  19. Já agora, sugiro que se quiserem dizer que a ONU defende algo, que indiquem fontes da própria ONU ( http://www.un.org/ ), em vez da Nova Ordem Global e do Repórter de Cristo. Antes do século XIX pedofilia era universalmente aceite. Podem obter facilmente informações sobre a história das idades de consentimento, as idades em que as pessoas casavam (e idades dos membros dos casais) e esperavam ter filhos, e até as idades das jovens raptadas e violadas nos saques de guerras, como se fosse normal.

    ResponderEliminar
  20. Nuvens,

    A igreja em tempos não só conseguia comprar lugares no céu através da venda de indulgências como para se certificar do facto sem dúvida tinha contactos , certo ? não vamos acreditar que eram o papas corruptos e mentirosos , certo ?

    Felizmente que há muito tempo que não é assim. Significa que a Igreja evolui e aconselho que o Nuvens faça um "update".

    ResponderEliminar
  21. MAts:

    Tentar insinuar que os ateus são mais propensos à criminalidade que os crentes é idiotice. Ja aqui foram citadas inumeras vezes censos que mostram que o crime é menor onde a religião penetra menso.

    ~Ha e segui um dos teus links e depois o link do link e é a mesma treta à criacionista de sempre. Um tipo so lê opiniões fundamentadas em outras opiniões de envagelicos a tentar passar por facto. Fiquei sem saber exactamente como a Onu quer sexualizar as crianças.

    Provavelmente não ha nada de escandaloso nos programas da onu a não ser que acham que o sexo é algo demasiado real para que se finja que não existe à frente das crianças. Ou talvez apenas dizer que o sexo não é o diabo.

    ResponderEliminar
  22. Miguel Panão:

    todas as instituições evoluem, senão desaparecem. Como considera que a Igreja cometeu erros no passado, suponho que acharia legítimo que eles fossem expostos e que seria falacioso responder aos críticos acusando-os de intolerância, e outros recursos ad hominem.

    E se cometeu erros no passado, talvez cometa hoje outros que alguns católicos não considerem erros, como havia muitos que não consideravam que eram erradas as indulgências para comprar um lugar no Céu, e que outros católicos (heréticos) criticavam como erros.

    Se ateus exprimem a mesma opinião que esses heréticos, como se conclui que são intolerantes e que sentem raiva em relação às religiões? E como é que adjectivá-los como intolerantes e raivosos responde-os adequadamente?

    ResponderEliminar
  23. Miguel Panão,

    Se eu disser que o circo é uma fantochada e que a astrologia é treta, e disser além disso que o Estado não deve gastar dinheiro nessas coisas nem dar tolerância de ponto às pessoas só para ir ver um astrólogo dar um espectáculo de circo penso que concordarás que não estou a ser intolerante. Estou apenas a exprimir a minha opinião, e a contribuir com ela para a democracia da nossa sociedade, forma de governo que depende totalmente da liberdade de expressão.

    E tu és livre de discordar. Ou de concordar. Por exemplo, estou de acordo contigo que o Estado não deve pagar abortos a menos que haja motivos de saúde que justifiquem matar o embrião. Não só por questões éticas mas também porque se não é doença o SNS não deve pagar. Defendi isso na altura do referendo e votei contra a legalização do aborto. Penso que isso não faz de mim um intolerante; apenas exerci o meu direito e dever como cidadão.

    Nem te considero intolerante se disseres que o ateísmo é um problema, que é mau ser ateu ou de outra forma expressares a tua opinião acerca do ateísmo. É a tua opinião, e és livre de a dar.

    E eu acho que a religião católica equivale à mistura de circo com astrologia. Acho-a uma fantochada, porque não me atrai aquele aparato com velhos de vestido, rituais, bajulação aos deuses e pedinchice, e acho que é tudo treta porque não vejo fundamento objectivo para aquelas alegações todas, da virgindade de Maria à transubstanciação da hóstia.

    Exprimo a minha opinião acerca disto como acerca de qualquer outro assunto e não considero ninguém intolerante só por discordar de mim.

    Por isso preocupa-me que me consideres intolerante só por escrever posts e assinar petições. Dá-me a sensação que, para ti, a tolerância não é respeitar o direito dos outros a ter a sua própria opinião mas apenas o "direito" de ter uma opinião da qual tu aproves. E isso é que parece pouco tolerante...

    ResponderEliminar
  24. Mats,

    Provavelmente não vale a pena explicar-te isto, mas tento mais uma vez.

    A teoria da evolução diz que somos o resultado de um processo natural pelo qual mutações se foram acumulando, algumas sob pressão selectiva. Da mesma forma, uma teoria central da medicina diz que muitas doenças são causadas pela proliferação de microorganismos, um processo igualmente natural.

    Ora, nem um nem outro nos obrigam a permitir que isto aconteça ou a julgar que é assim que deve ser. Apenas descrevem o funcionamento da natureza nessas condições. E da mesma forma que o processo natural de infecção não torna imoral o recurso a antibióticos, também o processo natural de evolução não diz nada acerca de usar preservativos, corrigir a miopia com cirurgia ou óculos ou procurar tratamento para os sintomas de doenças genéticas.

    O que já não é o caso se assumirmos que é um deus omnipotente que faz essas coisas de propósito. Antigamente julgava-se que as doenças eram um castigo de deus e por isso muitos religiosos se opuseram às vacinas por contrariarem os planos divinos. O mesmo para a epidural, porque muitos achavam que a mulher deve mesmo ter dores de parto pois foi esse o castigo que o deus da bíblia deu às descendentes de Eva. E assim por diante.

    O erro que apontas é realmente um erro, mas não sou eu que o cometo...

    ResponderEliminar
  25. Ludwig,
    A teoria da evolução diz que somos o resultado de um processo natural pelo qual mutações se foram acumulando, algumas sob pressão selectiva.

    Portanto, se as mutações são o material que a selecção natural usa, sempre que se tenta reverter o efeito das mutações está-se a impedir a natureza de seguir o seu curso normal. Quem sabe se as mutações que nós chamamos de "más" não vão no futuro produzir algo de bom?

    Daí se infere que o ateu não deveria procurar ajuda médica. Ele deveria sofrer os efeitos das mutações e aceitá-las como mais uma etapa evolutiva.

    Se ele morrer, então a selecção natural não o achou apto o suficiente.

    Atenção: estou a usar a tua lógica e não a minha. Eu não acredito nem na evolução nem nos poderes criativos das mutações, portanto isto é-me irrelevante.

    ResponderEliminar
  26. Ao menos os hindus são consistentes (embora errados).

    Segundo o Ravi Zecharias, durante o tempo em que a católica Madre Teresa trabalhava com os mais desfavorecidos de algumas cidades indianas, alguns líderes hindus levantaram a questão se o que ela fazia não era uma intromissão no "karma" das pessoas. Se elas nasciam pobres, então era o seu karma e portanto a católica Madre Teresa não tinha nada que ajudá-los.
    Eles aceitavam a consequência das suas crenças e agiam em conformidade.

    Os ateus já não são consistentes. Atribuem poderes fantásticos e nunca vistos às mutações aleatórias e à selecção natural, mas nenhum deles quer deixar um dos seus sofrer os efeitos das mesmas.

    Mutações aleatórias com poderes para criar sistemas de visão e células cheias de informação codificada são coisas do passado. Hoje em dia os ateus já não tem fé que essas coisas sejam assim tão benéficas.

    Vá-se lá saber porquê....

    ResponderEliminar
  27. Mats,

    "Portanto, se as mutações são [...]. Daí se infere que o ateu não deveria procurar ajuda médica."

    Curvo-me perante a sua inteligência tão bem demonstrada nesta dedução lógica...

    ResponderEliminar
  28. Pedro Amaral Couto e Ludwig,

    Se ateus exprimem a mesma opinião que esses heréticos, como se conclui que são intolerantes e que sentem raiva em relação às religiões? E como é que adjectivá-los como intolerantes e raivosos responde-os adequadamente?

    Sugiro que reflicta sobre o que por aqui se escreve, o tom com que se escreve e os fundamentos infundados com que se argumenta. As razões que têm sido aqui comentadas sobre o papel desempenhado pelas instituições públicas demonstram a intolerância que mencionei. Não é novo, mas são sempre lamentáveis.

    E eu acho que a religião católica equivale à mistura de circo com astrologia. (Ludwig)

    Podemos e devemos expressar a nossa opinião, mas não à custa de "tretas", como demonstra a frase acima que coloca no mesmo saco coisas completamente diferentes.

    Acho-a uma fantochada, porque não me atrai aquele aparato com velhos de vestido, rituais, bajulação aos deuses e pedinchice, e acho que é tudo treta porque não vejo fundamento objectivo para aquelas alegações todas, da virgindade de Maria à transubstanciação da hóstia.

    Pois é perfeitamente normal que a falta de um experiência religiosa séria leva à impressão de que tudo se trata de uma fantochada colectiva, mas quando desenvolvemos a nossa percepção cultural verificamos como ateus sérios tipo Paolo Flores d'Arcais ou Ricardo Araújo Pereira demonstram o positivo contributo ateísta na reflexão Cristã. O Ludwig emite, por vezes, opiniões interessantes e com alguma fundamentação, mas nestas últimas vezes tem-se deixado levar pela superficialidade de argumento. Pena ...

    preocupa-me que me consideres intolerante só por escrever posts e assinar petições. Dá-me a sensação que, para ti, a tolerância não é respeitar o direito dos outros a ter a sua própria opinião mas apenas o "direito" de ter uma opinião da qual tu aproves.

    Deves estar a brincar a comigo, certamente ... Porém, basta leres a Concordata entre a Santa Sé e Portugal que está na Wikipedia (que tanto gostas e eu também) para perceber como a petição é infundada, por exemplo,

    ao receber Joseph Ratzinger com honras de chefe de Estado ao mesmo tempo que como dirigente religioso, o Presidente da República Portuguesa fomenta a confusão entre a legítima existência de uma comunidade religiosa organizada,

    O presidente apenas cumpre o Art. 1º ... "E esta hei?" (Peça)

    ResponderEliminar
  29. Sandra, não te curves muito senão aleijas as costas.

    ResponderEliminar
  30. O Ludwig emite, por vezes, opiniões interessantes e com alguma fundamentação, mas nestas últimas vezes tem-se deixado levar pela superficialidade de argumento

    Talvez esta última fase seja o verdadeiro Ludwig?

    ResponderEliminar
  31. Miguel Panão,

    leio o que teólogos dizem sobre ateus e até sobre agnósticos, não só como maior drama da humanidade, até uma comparação com comunistas feita pelo actual Papa e atribuição de defeitos a agnósticos como falta de humildade, falta de auto-crítica, persistência, paciência e auto-correcção científica. Há poucos dias estive a ler "Evolução a duas vozes: Criação e Evolução: a verdade a dois andamentos?", do Padre Carreira das Neves, com uma descrição muito pejorativa em relação aos ateus e agnósticos. Aqui os ateus são muito maltrados por católicos e evangélicos. Somos imorais, adoradores da ciência, seguidores cegos do Ludwig, um ninho de cobras que salta para atacar os cristãos, etc. Portanto, tenho muito material para reflectir sobre o que escrevem e suponho que não tenhas nada a dizer sobre essas atitudes.

    Gostaria de saber afinal de contas qual é o tom e os argumentos infundados que Ludwig usa. Se não concordo com os seus argumentos, contra-argumento, como outros ateus comentadores e a Joaninha fazem. Não usamos tons, ataques pessoais e meras acusações de que foram usados argumentos infundados de alguém que pretende destruir a religião, quando católicos usam os mesmos argumentos e Ludwig defende o direito de prática religiosa.

    E não me respondeu às perguntas que citou. Seja como for, gostaria de saber se fosse um católico a escrever o que Ludwig escreveu, se seria considerado o reflexo de «um ateísmo zangado», com atitudes «típicas de quem está contra a religião, pouco tolerantes e infundadas» que impõe a «visão Laicista do Estado».

    ResponderEliminar
  32. Sobre pedofilia, UN, a UNESCO e a masturbação:

    que eu saiba, quer concordemos ou não com a medida proposta na "International Guidelines on Sexual Education", a educação sexual e reprodutiva («sexual and reproductive education»; «reproductive health care») não é o mesmo que a pedofilia, que a UN rejeita:
    «Keeping Children Safe T3»: «Child sexual abuse is the involvement of a child in sexual activity that he or she does not fully comprehend, is unable to give informed consent to, or for which the child is not developmentally prepared, or that violate the laws or social taboos of society.» ... «For professionals working in the area of child sexual abuse it is important to understand the dynamics of sexual abuse. If you understand this, you will be more effective when you respond to abuse.» ... «This is particularly important in the context of humanitarian aid/development situations as it is more likely that concerns will be investigated internally. If the investigation and the evidence are reliable, then disciplinary proceedings and other measures aimed at keeping children safe can be implemented.»

    Outra questão é se as crianças devem ser ignorantes sobre isso ou se devem conhecer a verdade sobre o tema. Pelos vistos o maior problema é conhecerem a definição de "masturbação". A proposta da UNESCO pode ser lida neste PDF. Começa assim:
    «Few young people receive adequate preparation for their sexual lives. This leaves them potentially vulnerable to coercion, abuse and exploitation, unintended pregnancy and sexually transmitted infections (STIs), including HIV.» ...

    ResponderEliminar
  33. Pedro Amaral Couto,

    tenho muito material para reflectir sobre o que escrevem e suponho que não tenhas nada a dizer sobre essas atitudes

    Muito pelo contrário. Por várias vezes afirmei como o ateu pode (e é) um dom para o Cristão, assim como já distingui "a-teísmo" de "anti-teísmo". Nesse sentido creio que o P.Carreira das Neves se referia ao segundo tipo, enquanto me parece que te enquadras e identificas com o primeiro. Penso que o Alfredo Dinis fez uma crítica dura a esse livro, pelo que não deves considerar as posições nele expressas como consensuais.

    Recomendo-te vivamente outro do John Haught, "Cristianismo e Evolucionismo" da Gradiva. Estou certo que acharás muitíssimo mais interessante.


    qual é o tom e os argumentos infundados que Ludwig usa

    Referi-me a muitos outros que não apenas ao Ludwig, mas cá vai ...

    Da Petição ...

    Receber Bento XVI como chefe de Estado e fazer uma visita cordial como dirigente religioso "fomenta a confusão": argumento infundado. São momentos distintos e o primeiro de acordo com a Concordata.

    o discutível reconhecimento oficial a essa confissão religiosa de prerrogativas estatais

    O Vaticano é um Estado particular e não pode ser confundido com um Estado democrático como o português. Confusão propositada, certamente, para levar o leitor ao equívoco. Porquê?

    o Vaticano é um regime teocrático arcaico que visa a defesa, propaganda e extensão dos privilégios temporais de uma religião, e que não reúne, de resto, os requisitos habituais de população própria e território para ser reconhecido como um Estado

    A conotação negativa desta descrição provém da intolerância de que o Vaticano possa ser um Estado particularmente associado a uma religião, cujo conceito de política é muito diferente da que se vive em Portugal, por exemplo.

    a Santa Sé, governo da Igreja Católica e do «Estado» do Vaticano, não ratificou a Declaração Universal dos Direitos do Homem

    O que é intrínseco à vivência Cristã não precisa de ser assinado, mas vivido e testemunhado. Quem não vê isso, só pode ser intolerante.

    ResponderEliminar
  34. não aceita nem a jurisdição do Tribunal Penal Internacional nem do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem

    ... talvez porque o Direito Canónico tenha uma especificidade própria?! Quem não o reconhece, talvez seja porque não tolera que um Estado funcione assente nesse Direito ...

    utilizando o seu estatuto de Observador Permanente na ONU para alinhar, frequentemente, ao lado de ditaduras e regimes fundamentalistas.

    Acusação infundada. Não é isto intolerência por quem quer "agir sem intervir"? A Observação permanente não deixa de ser activa e não passiva, pois quem nega o quanto a Igreja está no terreno com quem sofre?

    agressões perpetradas contra os princípios de laicidade do poder político

    Lamento, mas é aqui que fica demonstrada a imposição ideológica, pois é perfeitamente natural que esta visita seja oficial; tanto quanto eu saiba o financiamento público é residual pois os tais 200mil Euros, por exemplo, foram totalmente pagos com donativos (é notícia); e quanto à tolerância de ponto, ninguém é obrigado a fazê-la (não percebo como o Ludwig diz que a Faculdade dele fecha...), mas acredito que muitos não-católicos irão aproveitar para descansar, tal como fizeram no Carnaval. Neste último caso, porque não se queixaram?

    gritante e deletéria quando consideramos que se celebra este ano o Centenário da Implantação da República, de cujo legado faz parte o princípio de clara separação entre Estado e Igreja

    Só quem assume uma postura intolerante perante este evento que diz respeito à maior parte da população portuguesa é que vê uma infracção onde ela não existe.

    repúdio pelas posições veiculadas pelo Papa em matéria de liberdade de consciência, igualdade entre homens e mulheres, auto-determinação sexual de adultos, e outras matérias políticas.

    Conhecem os seus fundamentos? Duvido ... Basta ler "Creio para hoje" ou "Fé e Futuro" para vislumbrar um pouco da lucidez do pensamento deste Papa. Desafio-o a conhecer esse pensamento.

    a laicidade da política é condição fundamental das liberdades e direitos democráticos em cuja defesa e extensão estão apostados

    Não vejo qualquer ameaça à laicidade do Estado, mas a um Estado laicista que é, no fundo, aquilo que esta carta pretende advogar.

    Por fim ...
    Se ateus exprimem a mesma opinião que esses heréticos, como se conclui que são intolerantes e que sentem raiva em relação às religiões?

    Quando o seu discurso é anti-teísta.

    E como é que adjectivá-los como intolerantes e raivosos responde-os adequadamente?

    Correcção fraterna ... o problema é ver a ofensa quando se tem uma visão negativa do mundo, em vez de um estímulo a ser melhor e mais respeitador da diferença de crenças.

    ResponderEliminar
  35. Uma última nota.

    Num tempo difícil como o nosso, que afecta muitos aspectos da vida quotidiana, quem é capaz de ficar indiferente a alguém com uma mensagem de esperança?

    Passa-se a vida a criticar Bento XVI. Porque não, apenas desta vez, escutá-lo?

    Quando do interior emergir a questão ... "why should I ..."

    ... why not?

    ResponderEliminar
  36. «intolerância de que o Vaticano possa ser um Estado particularmente associado a uma religião, cujo conceito de política é muito diferente da que se vive em Portugal»

    Infelizmente é muito diferente.

    Hei-de ter que escrever isto em post, mas aqui vai:
    -um Estado democrático e laico existe para garantir e defender os direitos dos seus cidadãos;
    -o Vaticano/Santa Sé existe para defender uma religião.

    A diferença é enorme: é a diferença entre debater e votar leis, ou aceitá-las porque são dogmas impostos por uma autoridade.

    A Arábia Saudita e o Irão podem orientar-se por princípios religiosos, mas um dia os povos desses países hão-de tomar o seu destino colectivo nas suas mãos, e transformar os seus Estados em qualquer coisa mais parecida com o que temos na Europa. No Vaticano isso nunca acontecerá. Porque não há povo para se revoltar. Há só uma administração.

    «O que é intrínseco à vivência Cristã não precisa de ser assinado, mas vivido e testemunhado. Quem não vê isso, só pode ser intolerante.»

    Quem não vive e testemunha a fé cristã é automaticamente «intolerante»? Essa é boa... Pensei que se fosse, automaticamente, não cristão.

    Quem não é cristão é intolerante? É mesmo isso que queria dizer, Miguel?

    «Desafio-o a conhecer esse pensamento.»

    Li todas as encíclicas do B16. Antes de ele ser papa, só conhecia a «Dominus Iesus» (impressionante como define o «caminho único»), e o documento sobre a participação dos católicos na vida política (clericalíssimo). Para além da crítica aos milagres de Fátima, que creio que será esquecida nos próximos dias.

    «Não vejo qualquer ameaça à laicidade do Estado»

    Mas afinal o Ratzinger é um líder espiritual ou um chefe de Estado?

    ResponderEliminar
  37. The idea of a Volksgemeinschaft, a community of the people, had a very powerful, very idealistic appeal seya ela de católicos, nacionais-socialistas, comunistas, ateus ou pretensos ateus,laicos pela res publica ou similares, inda bem que continuam seus....
    o facto de haver para-raios e carros blindados é que os gajos sabem com quem estão a lidar...quando o gajo se chateia....e depois há sempre um a dizer sou um instrumento de deus Deus etc

    se o problema é balas depende uma de titânio calibre 50 atravessa, o vidro laminado como manteiga ou outra analogia

    por isso se se quiser gastar $

    The “strong” papamobile (power) – almost a “wing of an angel?” (protecting this wholesome/ideal

    ResponderEliminar
  38. Miguel Panão,

    «Felizmente que há muito tempo que não é assim. Significa que a Igreja evolui e aconselho que o Nuvens faça um "update".»

    Que as coisas mudaram estamos de acordo. Mas penso que a pergunta do Nuvens era acerca do que é que mudou, em concreto. Porque se antes vendiam indulgências e agora dizem que isso não se pode fazer, ou é admitirem que os papas e padres de antigamente eram uns aldrabões gananciosos que vendiam favores fictícios do seu deus, ou é alegar que antigamente esse deus vendia os seus serviços a troco de moedas e agora já não.

    Gostava de saber a tua opinião acerca disto. Foi o teu deus que mudou ou a tua igreja que estava enganada? (e quando alguém se "engana" de forma a receber dinheiro é de desconfiar que o engano não é inocente)

    ResponderEliminar
  39. Miguel Panão,

    «não percebo como o Ludwig diz que a Faculdade dele fecha...»

    Porque recebemos todos um comunicado dos serviços administrativos dizendo que a faculdade está fechada nesses dias. A escola dos meus filhos também. Mesmo que algum professor queira dar aulas nesse dia, ou que alguns pais queiram lá deixar os miudos, não podem.

    Isto é aliás de esperar em qualquer organização que dependa da cooperação de várias pessoas para funcionar. Se dizes que só vem quem quer não há forma de garantir o funcionamento.

    ResponderEliminar
  40. O Ludwig não deixa de ter alguma razão quando critica a venda de indulgências e outras práticas católicas sem qualquer fundamento Bíblico.

    Foram essas práticas que desencadearam reacções reformadoras na Europa, que procuraram renunciar às tradições católicas, muitas delas influenciadas pelo paganismo greco-romano, e regressar à Bíblia.

    No entanto, o Ludwig faz mal em acreditar na evolução.

    Desde logo, a mesma não explica a origem da vida a partir de químicos inorgânicos. Não existe qualquer evidência empírica credível de evolução cósmica, química e biológica.

    Além disso, as mutações e a selecção natural degradam e eliminam informação genética, nunca criando informação genética nova que codifique para estruturas e funções inovadoras e mais complexas.

    As mutações e a proliferação de microorganismos, e as doenças que umas e outras causam, não são evidência de evolução, mas sim da
    corrupção que, por causa do pecado, afecta toda a natureza criada.

    Os criacionistas não negam nem as mutações, nem a selecção natural nem a proliferação de microorganismos.

    Pelo contrário! Toda essa realidade corrobora inteiramente o que a Bíblia diz.

    As doenças não são o castigo de Deus por este ou aquele pecado, desta ou daquela pessoa, mas exprimem a maldição que Deus fez impender sobre toda a natureza pecaminosa.

    É por isso que Deus nos promete corpos incorruptíveis e afirma que vai restaurar toda a Criação, com aqueles que aceitarem a sua salvação, eliminado todo o pecado, toda a corrupção, todas as doenças, todo o sofrimento e toda a morte.

    Na verdade, a Bíblia ensina que antes do pecado não existiam doenças, corrupção, sofrimento e morte.

    A corrupção da natureza não significa que não devamos curar os doentes.

    Jesus curou muitos.

    O evangelista Lucas era médico.

    O Velho Testamento tem muitos conselhos de saúde pública.

    Na verdade, a Bíblia ensina que o nosso corpo é o templo do Espirito Santo, dando muitos conselhos sobre a sua preservação.

    Deus preocupa-se tanto com a nossa saúde física e espiritual que nos quer dar uma vida eterna com corpos incorrupíveis numa criação restaurada sem doenças, sofrimento e maldição.

    Não faz muito sentido criticar Deus por existirem doenças e sofrimento e ao mesmo tempo recusar a solução eterna que Ele tem para esse problema.

    ResponderEliminar
  41. "Na verdade, a Bíblia ensina que antes do pecado não existiam doenças, corrupção, sofrimento e morte."

    Pois, antes do pecado até os leões só comiam relva.

    ResponderEliminar
  42. Miguel Panão:

    "Sugiro que reflicta sobre o que por aqui se escreve, o tom com que se escreve e os fundamentos infundados com que se argumenta"

    Penso que te devias estar a referir a ti proprio.

    Ou ja és capaz de dizer como se distingue a crença em deus da existencia do proprio deus?

    Para começar era bom. Ou vais dizer que o argumento esta muito bem explicado num livrinho qualquer e chamar-me ignorante por não o ter lido como costumas fazer?

    A tua tolerancia à critica é muito baixa e a tua abertura a refutação é nula. Não é melhor que aqueles a quem criticas. Ao menos aqui há abertura a refutação. Estou disposto a acreditar em deus quando isso for facto ou ate uma hipotese forte. E tu? Que seria nesseçario para saberes que deus não existe? É que não falta nada para provar que não existe. Só a crença e voces acharem que se há crença há objecto da crença. Se ha mais que isso por favor diz.

    ResponderEliminar
  43. Miguel Panão: «Muito pelo contrário. Por várias vezes afirmei como o ateu pode (e é) um dom para o Cristão, assim como já distingui "a-teísmo" de "anti-teísmo". Nesse sentido creio que o P.Carreira das Neves se referia ao segundo tipo, enquanto me parece que te enquadras e identificas com o primeiro.»

    Isso não contradiz o que eu disse. Não és o universo católico nem evangélico, mesmo nestes comentários. Pelo que li, parece é que o padre Carreira das Neves refere-se mesmo a ateus e agnósticos. Vou reler a obra e colocar a citação como comentário. O que interessa é que o fez, e não é por isso que considero-o intolerante. Se considerar que atribui qualidades falsas a esses grupos de pessoas e quiser demonstrá-lo, faço-o com argumentos para esse fim. Pesquisei pela crítica de Alfredo Dinis ao livro, mas não encontro referências.

    Não me parece que Ludwig critique a visita do Papa em si, como os católicos que também fazem as críticas não estão a criticar a sua visita. Eu tinha colocado críticas de várias entidades e uma citação completa de uma católica directora adjunta do Diário de Notícias que faz a mesma crítica que o Ludwig faz. Não é por isso que és intolerante.

    Pelo que percebi, consideras que criticar o conceito de política do Vaticano, por ser muito diferente de Portugal, é ser intolerante. O Vaticano é uma teocracia e o último Estado Papal que sobreviveu com tratados com governos italiano, com documentos que opunham a liberdade religiosa e separação do Estado e Igreja. As minhas opiniões sobre isso podem ser consideradas pejorativas e considero que quem me chama intolerante por causa disso é intolerante. Se, por exemplo, admites que o Vaticano não assinou o Declaração Universal dos Direitos do Homem e consideras que críticas a esse facto é intolerância, as críticas a nações com as mesmas condições é também ser intolerante.

    Se eu disser que até 1996 havia Irmãs de Madalena, "raparigas caídas", segundo os pais, confinadas em Asílos de Madalenas para trabalharem como escravas para freiras e que sofriam abusos sexuais por padres, eu passo a ser considerado intolerante - contrários à Declaração Universal dos Direitos do Homem. Segundo as estatísticas recentes sobre católicos portugueses, há imensos intolerantes em relação à Igreja. Enquanto houver intolerância em relação a esses intolerantes, não existe o tal dom para o Cristão. São esses intolerantes que fazem a Igreja evoluir e acabarem com poucas vergonhas, que agora só existem no passado. Se quiseres posso dizer o que é ser intolerante e dar exemplos.

    ResponderEliminar
  44. Papa em Portugal
    Pais contra fecho das escolas

    Os pais estão desagradados com o encerramento das escolas públicas motivado pela vinda do Papa a Portugal e sublinham o «grande transtorno» que causa às famílias, apelando a que no futuro estas situações sejam mais bem ponderadas

    http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=171718

    Enfermeiros: Tolerância de ponto demonstra "incoerência" do governo
    05 de Maio de 2010, 15:10

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) acusa o governo de ser “incoerente” ao conceder tolerância de ponto para a visita do Papa, o que deverá deixar os serviços de saúde como se existisse uma greve no sector.

    http://noticias.sapo.pt/especial/bentoxvi_portugal/info/artigo/1062923.html

    Consultas e cirurgias adiadas
    Utentes e profissionais da saúde criticam tolerância de ponto devido a visita do Papa

    05.05.2010 - 15:27 Por PÚBLICO, com Lusa

    A tolerância de ponto que foi decretada pelo Governo durante a visita do Papa a Portugal na próxima semana está a ser fortemente criticada pelos utentes e por alguns profissionais da área da saúde. Os utentes defendem que Portugal tem “um regime republicano e laico” e, por isso, “não tem de obedecer às regras religiosas”. Os enfermeiros consideram a decisão “incoerente”. Já os médicos pedem o reforço das equipas de urgência hospitalar entre 11 e 14 de Maio.

    http://ww2.publico.pt/Sociedade/utentes-e-profissionais-da-saude-criticam-tolerancia-de-ponto-devido-a-visita-do-papa_1435690

    E depois os ateus é que são os intolerantes! Não há pachorra para aturar estes beatos.

    ResponderEliminar
  45. Miguel Panão:

    "(...) quem é capaz de ficar indiferente a alguém com uma mensagem de esperança?

    Passa-se a vida a criticar Bento XVI. Porque não, apenas desta vez, escutá-lo?"

    Mensagens de esperança baseadas numa vida eterna que não existe. Num pai do céu que não está cá. Em conceitos morais que atentam contra a saude.

    Não há consciencia depois da morte. Não há ninguem a cuidar de nós com superpoderes. Nem indicios fracos de se preocupar, nem de sequer existir.

    É agora, nesta vida, que o homem tem de fazer pelos outros e mensagens de esperança baseadas no amor de uma entidade enixistente são placebos para mascarar problemas, atrazar soluções e minimizar a importancia da vida aqui e agora.

    Somos nós que temos a responsabilidade do nosso futuro e do dos nossos filhos. Somos nós, os que estamos agora vivos , que temos a responsabilidade sobre nós proprios e sobre o futuro do planeta e da humanidade. É essa responsabilidade que temos de assumir, sem recorrer a deuses que não intervem ou a consolos de vidas futuras. É essa responsabilidade que temos de assumir sem estar à espera de melhor de outra vida que pode não vir.

    Uma mensagem de esperança apoiada numa mentira vale tanto como um placebo. Porque é que os meios com melhor qualidade de vida são onde há mais ateus? É porque estes são maus e não se preocupam ou porque percebem a urgencia dos problemas e o significado verdadeiro do sofrimento humano? De saber que nãio há segunda chance. Que quem perdeu a infancia perdeu a unica que tinha. Que quem perdeu a vida perdeu tudo. E quem esta a sofrer esta a perder tudo.

    Quem fez mais pelos que precisam? Os ateus ou a Igreja? Quem tentou realemnte fazer diferença? Ateus ou cristãoes? Sera coincidencia? Satisfas-te responder que se fizeram mais é só porque são mais ricos? Não te faz pensar ao menos?

    Mensagens de esperança ha muitas. A do papa não tem nada de especial. Dizer que deviamos ser todos bonzinhos eu tambem digo. E tu das-me ouvidos por causa disso? Queres saber o que eu digo por causa disso? É isso que legitima o teu papa? Não. É a tua crença na santidade dele. E do deus que nos protege sem proteger. E na vida eterna que nos temos de ter (como se fosse um facto!).

    Mensagens fundamentadas são mais importantes. E essas tu não queres ouvir. Porque? Apenas porque acreditas em deus! E na vida eterna, e no amor unilateral. Mas são ilusoes. Não passam de crença.

    Conhecer a verdade e aceita-la é importante. Para sabermos com o que podemos contar. Para sermos honestos e consistentes no que sabemos, dizemos e fazemos. Para termos moral. PAra conseguir construir um futuro.

    Mas o que acreditas é mais importante do que o que se pode saber realmente. E isso é preocupante

    ResponderEliminar
  46. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  48. Miguel Panão,

    estive à procura de definições de "laicismo" e "laicidade". Pelo que percebi, o laicismo é uma ideologia humanista que defende a exclusão de influências religiosas no Estado, Cultura e Educação, opondo-se ao etnicismo, e a laicidade é a prática dessa ideologia ou "qualidade de laico". Suspeito que não são essas definições que adoptas - estarias a dizer que a teoria é válida, mas não pode ser colocada em prática. Podes explicar-nos como é que distingues os dois termos?

    ResponderEliminar
  49. Mats:

    "Os ateus já não são consistentes. Atribuem poderes fantásticos e nunca vistos às mutações aleatórias e à selecção natural, mas nenhum deles quer deixar um dos seus sofrer os efeitos das mesmas."


    Onde é que leste um ateu dizer que não devemos contrariar a natureza e deixar as coisas acontecerem porque são como são sem assumir uma responsabilidade de acção.

    Quanto a poderes fantastisco são voces que os vem.

    Mas obrigado por este belo exemplo de honestidade intelectual mas ao contrario.

    ResponderEliminar
  50. Panão:

    E seu eu disser que qualquer medico em santa maria em 6 meses cura mais pessoas que Jesus tambem estou a ser intolerante e a argumentar mal?

    Não importa que isso seja tão real quanto se pode saber?

    ResponderEliminar
  51. JOÃO DIZ:

    "Se eu disser que qualquer medico em santa maria em 6 meses cura mais pessoas que Jesus tambem estou a ser intolerante e a argumentar mal?"

    Em primeiro lugar, não sabemos quantas pessoas Jesus curou.

    A Bíblia afirma que os milagres de Jesus que ficaram registado são apenas uma ínfima porção dos que ele fez.

    Além disso, Jesus pode dar-nos corpos imortais e incorrupíveis, coisa que os médicos não podem fazer.

    Estes só podem adiar o problema da morte algum tempo, sem o resolver.

    ResponderEliminar
  52. «Além disso, Jesus pode dar-nos corpos imortais e incorrupíveis, coisa que os médicos não podem fazer.»

    Pode? Você (ou alguém) já VIU algum corpo imortal e incorruptível? O argumento que usa para descartar a evolução ("ninguém observou") não serve aqui?

    ResponderEliminar
  53. KRIPPMEISTER DIZ:

    "Pois, antes do pecado até os leões só comiam relva."

    Relva e outras plantas e frutos.

    Por exemplo, os seus dentes fariam certamente muito jeito para abrir melancias, abóboras ou ananáses...

    Na verdade, ainda hoje existem leões vegetarianos.

    Basta procurar no google a história da leõa vegetariana Little Tyke.

    Ela é um exemplo da plausibilidade da história bíblica...

    ResponderEliminar
  54. ALTO ! NOVO PATAMAR ATINGIDO!! LEÃO VEGETARIANO !!!

    Eu não sou especialista em animais mas sei que os carnívoros necessitam de morfar carne não apenas por gosto mas porque não sintetizam uma data de tralha que por azar só pode ser encontrada ... na carne de outros animais.

    Um leão nunca poderá ser vegetariano a não ser que coma produtos plantados pelo homem o que não ajuda muito ao argumento do paraíso :))


    mais ainda a taurina que é necessária aos felinos só se encontra em carnes e peixes e no red bull com vodka que eu adoro em ambiente de discoteca.

    Penso que no paraíso não haveria red bull, mas como dá asas....

    ResponderEliminar
  55. ARDORIC DIZ:

    "Você (ou alguém) já VIU algum corpo imortal e incorruptível?"

    Aqueles que foram testemunhas oculares da ressurreição de Jesus Cristo, com um corpo glorioso, puderam ver isso mesmo: um corpo que livre da lei da morte.

    Por terem ficados tão espantados (e até incrédulos) é que alguns deles quiseram observá-lo e tocá-lo.

    Eles sabiam que estavam a ver algo que era natural e humanamente impossível.

    Por isso mesmo, eles concluiram que Jesus era Deus, uma entidade sobrenatural.

    Eles relataram detalhadamente o que viram, com nomes de pessoas, locais, sequências de eventos, etc. Além disso, fazem-no com a maior consistência.

    Os seus relatos não são vagos ou indeterminados, como os dos nossos políticos nas comissões de inquérito, que, para não serem específicos, se refugiam em lapsos de memória e generalidades...


    Depois, essas testemunhas defenderam o seu relato até à morte, com a maior integridade, não hesitando em enfrentar as autoridades judaicas, romanas, gregas, etc.


    "O argumento que usa para descartar a evolução ("ninguém observou") não serve aqui?"

    Por aqui já se vê que, do ponto de vista empírico, faz muito mais sentido acreditar que Jesus ressuscitou dos mortos (porque isso foi realmente observado por muitas testemunhas íntegras, independentes e fidedignas ) do que acreditar que, contra todas as leis da física, da química e da biologia, a vida surgiu por acaso ou que um micróbio deu lugar a microbiologistas ao longo de milhões de anos de acidentes químicos...

    Nunca ninguém viu o nada a criar energia e matéria, a vida a surgir da não vida e uma espécie a transformar-se noutra diferente e mais complexa...

    E no entanto, há muitos cientistas que acreditam nisso, apesar de não existir qualquer evidência empírica (no terreno ou em laboratório)nesse sentido...

    A única coisa que explica essa crença é a fé naturalista...

    Não é certamente nenhuma lei natural ou observação científica...

    ResponderEliminar
  56. ALTOCUMULOS DIZ:

    "Eu não sou especialista em animais mas sei que os carnívoros necessitam de morfar carne não apenas por gosto mas porque não sintetizam uma data de tralha que por azar só pode ser encontrada ... na carne de outros animais."

    Num mundo corrompido e afectado pela devastação pós-diluviana isso é, geralmente, correcto.

    Por isso mesmo Deus, que tinha criado os seres humanos também vegetarianos, permitiu que eles comessem carne depois do dilúvio.

    A flora antediluviana tinha sido devastada e muitas das suas propriedades nutritivas tinham-se perdido.

    "Um leão nunca poderá ser vegetariano a não ser que coma produtos plantados pelo homem o que não ajuda muito ao argumento do paraíso :))"

    Esta afirmação é empircamente refutada pela existência hoje de leões vegetarianos.

    A demonstração da falsidade desta afirmação demora uns segundos no google.

    "mais ainda a taurina que é necessária aos felinos só se encontra em carnes e peixes e no red bull com vodka que eu adoro em ambiente de discoteca."

    Num mundo corrompido e afectado pelas condições pós-diluvianas isso faz algum sentido.

    Mas não se aplica ao mundo como foi originalmente criado...

    "Penso que no paraíso não haveria red bull, mas como dá asas...."

    Fica o desabafo...

    ResponderEliminar
  57. Esta afirmação é empircamente refutada pela existência hoje de leões vegetarianos.

    Pelo que percebi o leão em causa tinha uma doença grave e sofreu problemas de saúde complexos por causa da dieta a que era obrigado a ingerir.

    ResponderEliminar
  58. Não existem leões vegetarianos. O único que os vegetarianos fanáticos usam é a leoa Little Tyke, que o Sabino já tinha mencionado. Ela sofria de deficiência de alérgenos, que levou-a a ter várias doenças durante a sua vida de apenas 9 anos.

    Os felinos são incapazes de sintetizar taurina orgânica, que só podem obter da carne, e precisam de consumir vitamina B12, que só existe na carne, leite e ovos. Sem comerem carne, perdem pêlo e dentes, desenvolvem problemas cardíacos e cegueira. A leoa comia também ovos, bebia leite e tomava suplementos de vitamina B12, mas não de taurina. É um caso de um ser com problemas genéticos encontrado a morrer à fome e que viveu mais tempo com a ajuda de humanos.

    Seria interessante ver um leão a conseguir abrir uma melancia. E seria interessante perceber o que isso tem a ver com o Papa. Só se for para termos um intervalo para um spammer palhaço.

    ResponderEliminar
  59. Não. A leoa não apenas não comia carne, como gozou de boa saúde durante uma boa parte da sua vida.

    Na verdade um dos curadores mais competentes de um zoológico americano afirmou que ela era um exemplar perfeito da sua espécie...

    Em todo o caso, importa ter presente que existem dois factos que impedem o estilo de vida vegetariano original:

    1) a corrupção da natureza (incluindo do reino vegetal)

    2) a devastação da fauna pré-diluviana...

    ResponderEliminar
  60. RESPOSTA AO PEDRO AMARAL COUTO

    Não só existem leões vegetarianos, como existem outros felinos vegetarianos.

    Pense-se, por exemplo, no tigre do jardim zoológico Kamla Nehru de Ahmedabad, na Ìndia, que comia bambu.

    Na verdade, há outros casos registados, nomeadamente na tailândia.

    O que é que isso tem que ver com o Papa?

    Bento XVI reconhece que o ser humano não é o simples produto de um processo de evolução aleatória.

    Mas, infelizmente, não sabe explicar porquê...

    ResponderEliminar
  61. off-topic
    «A leoa não apenas não comia carne, como gozou de boa saúde durante uma boa parte da sua vida.»

    Um leão vive por média 15 anos. Em cativeiro vive em média 30 anos.
    Se ela tinha problemas sanguíneos e neurológicos, não tinha boa saúde. Aliás, ela morreu de problemas cerebrais. E se precisava de suplementos de vitaminas e de leite e ovos, podemos perceber que a corrupção da natureza continuou a afectar a leoa.

    Existem sites para tornar gatos em vegetarianos, como este: http://www.vegepets.info/pages/vegetarian_feline_diets.htm . O problema é que falam sobre evolução e juntam suplementos sintéticos para substituir a carne, incluíndo a tal taurina.

    Sugiro ao perspectiva que crie um blog para escrever as suas palhaçadas em vez de continuar a ser um spammer.

    ResponderEliminar
  62. RESPOSTA AO PEDRO AMARAL COUTO

    "...se precisava de suplementos de vitaminas e de leite e ovos, podemos perceber que a corrupção da natureza continuou a afectar a leoa."

    Concordo inteiramente...

    "Sugiro ao perspectiva que crie um blog para escrever as suas palhaçadas em vez de continuar a ser um spammer."

    Não se trata de ser um spanner. Trata-se de intervir na discussão com um comentário e depois ir respondendo às perguntas que são colocadas...

    Se eu fosse um spammer, pelo mesmo critério o Pedro Amaral Couto e muitos outros neste blogue também o seriam...

    ResponderEliminar
  63. off-topic
    Infelizmente o que eu e outros fazemos é alimentar um troll, que o é por via de spam. Supostamente os donos dos blogs têm o direito e dever de remover spam. Por exemplo, há alguém que anda a colocar comentários com caracteres japoneses e vários links para sites pornográficos, e o Ludwig remove-os. Não estamos num site pornográfico. O problema é que se remover os seus, o mais certo é que você invoque injustiça e acuse-o de censura, apesar de sites, como o YouTube, terem um botão chamado "Flag" para avisar casos de spam. E Ludwig teme que isso aconteça. Mats já me fez isso, apesar de ter também ter avisado ao João. A partir daí, o Mats tem-me ignorado.

    O Miguel Panão tem acusado o Ludwig de intolerância, como resposta aos artigos. Quer se concorde ou não com ele, está colocar conteúdos que servem de extensão aos artigos respondendo-os. Por isso são legítimos.

    Você e outros criacionistas para todo o artigo que respondem têm de fazer propaganda para o mesmo. Até o Mats fez o mesmo para um vídeo onde tinha apenas a minha gata. Foi o que ele voltou a fazer aqui, como costuma fazer, e você também. Senão, como raios é que se começou a escrever sobre evolução, doenças e leões que comem melancias? É essa postura que ensinas a futuros advogados?

    Ao introduzires esses assuntos, poderíamos ignorá-los para ter um efeito semelhante se o Ludwig removesse os comentários: "não temos resposta". Mas responder é alimentar um troll que parece fingir de totó com o último comentário. O meio de atenuar um problema inerente desses actos é colocar um aviso em negrito avisando que o comentário não está relacionado com o artigo.

    Como é que resolvemos esse dilema? (Espero não ter contado alguma novidade)

    ResponderEliminar
  64. VOLTANDO AO PAPAMÓVEL:

    Reparam no franco contraste do Papamóvel com a simplicidade de Jesus Cristo, que entrou triunfalmente em Jerusalém, montado num burro...

    Escusado será dizer que nem isso impediu que fosse crucificado pouco tempo depois...

    ResponderEliminar
  65. Eh pá... Não aguento mais de tanto rir.

    O perspectiva diz:

    "Por exemplo, os seus dentes [dos leões] fariam certamente muito jeito para abrir melancias, abóboras ou ananáses... "

    Eu até pensava que ele estava a ser sarcástico... Mas aparentemente não: ele acredita mesmo que deus fez os leões providos com um "descaca melancias" natural. :D

    LOL

    ResponderEliminar
  66. Só mais uma reflexão...

    Como é que os criacionistas querem ser levados a sério quando dizem tantos disparates.

    A necessidade de ultrapassar as inúmeras incoerências que existem na descrição bíblica do mundo natural e efectivamente o mundo natural é tal que dizem coisas como:

    "Os leões têm dentes grandes porque, antes do dilúvio, comiam ananazes e melancias e precisavam de as descascar de alguma forma."

    LOL!!!!

    Vou só enumerar mais uma vez o argumento criacionista, pois acho delicioso...

    "Os leões têm dentes grandes porque, antes do dilúvio, comiam ananazes e melancias e precisavam de as descascar de alguma forma."

    Obrigado por este momento de boa disposição...

    ResponderEliminar
  67. «Eles relataram detalhadamente o que viram, com nomes de pessoas, locais, sequências de eventos, etc. Além disso, fazem-no com a maior consistência.
    Os seus relatos não são vagos ou indeterminados, como os dos nossos políticos nas comissões de inquérito, que, para não serem específicos, se refugiam em lapsos de memória e generalidades... »

    Qualquer historiador especialista em épocas pré-clássicas, clássicas e medievais sabe que os “relatos detalhados” de personagens neo-testamentárias não tinham nada de objectivo. Foram fortemente influenciados por uma série de factores sociais, emocionais, psicológicos que a ciência hoje explica perfeitamente. Além disso, esses relatos chegaram até nós copiados de cópias de cópias, sempre sujeitas a refundições como sabe qualquer crítico textual. É incrível como se pode continuar a dar credibilidade histórica total a este tipo de testemunhos. Só documentam mentalidades e interpretações e não factos históricos!

    Haja paciência para tanta ignorância!

    ResponderEliminar
  68. Pedro Ferreira e Altocumulus: as garras e os dentes podem servir para muita coisa.

    Os certos animais (v.g. ursos, lémures) por exemplo, usam as suas garras e os seus caninos afiados para partir e abrir frutos e rasgar vegetais...

    Mas não falem mais disso, senão ainda vem aí o Pedro Couto a acusar-vos de serem spammers....

    Falemos das características técnicas do Papamóvel...

    ResponderEliminar
  69. Vicente:

    "Qualquer historiador especialista em épocas pré-clássicas, clássicas e medievais sabe que os “relatos detalhados” de personagens neo-testamentárias não tinham nada de objectivo."

    É pena não apresentar um historiador específico nem argumentos específicos...

    "Foram fortemente influenciados por uma série de factores sociais, emocionais, psicológicos que a ciência hoje explica perfeitamente."

    É pena não fundamentar esta afirmação...

    "Além disso, esses relatos chegaram até nós copiados de cópias de cópias, sempre sujeitas a refundições como sabe qualquer crítico textual."

    É pena não apresentar nenhuma análise do processo de cópia...

    É pena não mencionar qualquer crítico textual nem os seus argumentos...

    Também é pena não aplicar o mesmo critério a todos os escritos da antiguidade...


    "É incrível como se pode continuar a dar credibilidade histórica total a este tipo de testemunhos."

    É pena não explicar fundamendadamente qual é o problema com a credibilidade histórica dos evangelhos...


    "Só documentam mentalidades e interpretações e não factos históricos!"

    Galileia, Belém, Jerusalém, Jesus, Pilatos, Caifás, Anás, etc. eram tudo mentalidades e interpretações...

    Enfim... tanta pobreza intelectual...

    ResponderEliminar
  70. Obrigado, perspectiva, apesar do sarcasmo e admissão de que não tens nada para comentar.

    ResponderEliminar
  71. "Aqueles que foram testemunhas oculares da ressurreição de Jesus Cristo, com um corpo glorioso"

    Caro Perspectiva,
    e eles especificaram se era mais do tipo Schwarzeneeger ou mais para o lado do George Clooney?

    ResponderEliminar
  72. Perspectiva,

    "as garras e os dentes podem servir para muita coisa."

    Pois podem. Assim de repente, ocorrem duas coisas:

    1) podem servir para comer carne;
    2) podem servir como alibi para o vegetarianismo geral que existia antes do dilúvio.

    ResponderEliminar
  73. RESPOSTA AO PEDRO AMARAL COUTO:

    Já comentei o Papamóvel, chamando a atenção para o franco contraste entre ele e o burro que Jesus usou quando entrou em Jerusalém...

    Satisfeito?

    ResponderEliminar
  74. RESPOSTA À CRISTY

    Felizmente nem Schwarzeneeger nem George Clooney, porque ambos (como todos nós) estão sujeitos à lei da morte...

    ResponderEliminar
  75. RESPOSTA AO PEDRO FERREIRA

    Como é sabido, existem hoje muitos animais com caninos e garras que são herbívoros...

    Para além de leões ou tigres, encontramos ursos, lémures, pandas, etc.

    Mas falemos do Papamóvel... não vá o Spammer-buster Pedro Amaral Couto aparecer por aí...

    Pessoalmente acho inteiramente desproporcional esta tolerância de ponto...

    Nisso concordo com o Ludwig...

    ResponderEliminar
  76. Acho que aqui uma pequena confusão entre fé ou magia e actos.

    É natural que um lavrador antes de deitar a semente à terra faça um ritual mágico para que as colheita seja boa.

    Se a qualidade da colheita depende da perfeição do ritual este por si só não substitui a sementeira e todo o trabalho necessário à boa colheita.

    Diz o povo : - fia-te na virgem e não corras.

    Assim invocar deuses ou demónios ajuda a conseguir o resultado mas não se substitui à acção.

    No caso do Papa a blindagem do papamobil e a boa organização da segurança são os meios de acção.

    Uma medalha em prata do S. Cristóvão, advogado dos motoristas, entrar sempre com o pé direito no carro e substituir a água do radiador por água benta garantem, e por esta ordem, uma boa condução do motorista, que objectos arremessados não penetrem o vidro e, por fim, a água benta evita falhas mecânicas.

    Tão simples como isso.

    São métodos muito usados, e de bons resultados, para que as coisas corram bem.

    Os deuses dão uma ajudita, em estando bem dispostos e de feição, mas o trabalho duro deve ser feito por nós.

    Eu próprio conheço uma poderosa novena ao S.João que afasta maridos e namorados ciumentos e com mau feitio e pouco dados a perdoar o semelhante.

    Tem-se mostrado eficaz não dispensando no entanto as cautelas e caldos de galinha.

    Que se formos tansos e nos metermos na boca do lobo, neste caso no tálamo conjugal, sem uma saída de emergência no caso do energumeno chegar mais cedo, não há santo que nos valha e temos mesmo que recorrer ao hospital mais próximo.

    Podemos é neste infeliz caso apelar a um santo da nossa confiança para nos sarar mais cedo. Conheço uma oração eficaz na recuperação de ossos partidos e olhos negros. Sempre, é claro, seguindo a prescrição do médico e não faltando à fisioterapia.

    ResponderEliminar
  77. Oh perspectiva...

    Ainda me está a fazer confusão os dentes do leão como descascador de melancias...

    Mas afinal que raio de desing inteligente foi esse ao providenciar dois caninos exuberantes para descascar fruta? É que não dá jeito nenhum...

    Eu, que não sou nada divino, conseguia fazer melhor, desenhando uns dentes mais especializados para descascar fruta (p.ex., em forma de descascadores de batata manuais que se compram no IKEA).

    Para além disso seria mais fácil desenhar fruta sem casca dura e assim dar a oportunidade a todos os animais de comer melancia, e não apenas a alguns. Bem vistas as coisas, deus criou logo à partida classes hierárquicas: os que podem comer fruta de casca dura e os que se têm de contentar somente com erva rasteira.

    Tudo isto me parece um bocado ridículo. Não lhe parece também ridícula a ideia de dar caninos enormes a alguns animais para estes poderem descascar melancias?

    ResponderEliminar
  78. Perspectiva,

    "Mas falemos do Papamóvel... não vá o Spammer-buster Pedro Amaral Couto aparecer por aí... "

    Também concordo. Acho que já todos percebemos o quão inteligente foi o design no que toca a descascar fruta... :)

    Mudemos então de assunto.

    ResponderEliminar
  79. RESPOSTA AO PEDRO FERREIRA

    "Ainda me está a fazer confusão os dentes do leão como descascador de melancias..."

    Não sei porquê! Se os dentes de ursos, tigres e lémures podem fazer isso...

    "Mas afinal que raio de desing inteligente foi esse ao providenciar dois caninos exuberantes para descascar fruta?"

    Não é fácil abrir certos frutos apenas com os dedos...

    "É que não dá jeito nenhum..."

    Basta observar os ursos, os lémures, os pandas, etc.


    "Eu, que não sou nada divino, conseguia fazer melhor, desenhando uns dentes mais especializados para (p.ex., em forma de descascadores de batata manuais que se compram no IKEA). descascar fruta"

    Infelizmente o Pedro Ferreira não conseguiria fazer funcionar uma única célula... ou será que conseguia?


    "Para além disso seria mais fácil desenhar fruta sem casca dura e assim dar a oportunidade a todos os animais de comer melancia, e não apenas a alguns."

    A todos os animais foi dado o alimento necessário...


    "Bem vistas as coisas, deus criou logo à partida claes hierárquicas: os que podem comer fruta de casca dura e os que se têm de contentar somente com erva rasteira."

    Não. Ele criou os seres humanos à sua imagem e semelhança e os restantes animais, tendo providenciado alimento para todos...

    Em Génesis 1: 29 diz-se que os homens e os animais eram vegetarianos...

    "Tudo isto me parece um bocado ridículo."

    Não é nada ridículo. Todos sabemos que os vegetais e as frutas são mais saudáveis do que a carne...


    "Não lhe parece também ridícula a ideia de dar caninos enormes a alguns animais para estes poderem descascar melancias?"

    Claro que não. Os ursos, os lémures, os pandas gigantes, etc., descascam a fruta e comem bambu com as suas garras e os seus caninos e saem-se muito bem nisso...

    Mutos morcegos, apesar de terem dentes afiados, comem fruta...

    Mas não insista muito nisso, senão ainda lhe chamam Spammer...

    Voltando ao Papamóvel, devo dizer que me choca não apenas o contraste com a simplicidade com que Jesus entrou triunfalmente em Jerusalém, montado num burro, mas também com todos aqueles que vão a pé a Fátima, com feridas nos pés e correndo o risco de serem atropelados, na convicção de que isso é importante para Deus...

    A Bíblia diz que Deus vem ter connosco onde estamos. Não precisamos de andar muito para o encontrar...

    ResponderEliminar
  80. Perspectiva:

    Podia fornecer-lhe uma vasta bibliografia. Mas não vou dar-me ao trabalho. Procure por si, pode ser que o trabalho lhe seja aceite para remissão dos seus pecados.

    ResponderEliminar
  81. Quanto ao Papamóvel.

    Lembra-me uma história.

    Pedro era procurado pelos romanos e quis entregar-se para sofrer o martírio (martírio vem do grego e significa testemunho, ou seja dar testemunho por Cristo). Mas os cristãos de Roma pediram-lhe que não se entregasse porque a comunidade precisava dele e do seu apoio espiritual. Por isso, Pedro, de madrugada, tentou fugir da cidade.
    Mas às portas de Roma encontrou Jesus no caminho, que ia em sentido contrário e perguntou-lhe:

    - Quod vadis, Domine? (Onde vais, Senhor?)

    E Jesus respondeu:

    –Vou a Roma entregar-me para ser crucificado outra vez.

    Pedro entendeu a mensagem. Voltou para trás, entregou-se aos romanos e foi crucificado (de cabeça para baixo, por sinal).

    Ora, que faz Joseph, herdeiro de Pedro ?...

    ResponderEliminar
  82. Correcção de gralha:

    - Quo vadis

    ResponderEliminar
  83. Vicente:

    "Ora, que faz Joseph, herdeiro de Pedro ?..."

    Usa uma montra à prova de bala. hahaha

    ResponderEliminar
  84. Perspectiva:

    ""Por exemplo, os seus dentes [dos leões] fariam certamente muito jeito para abrir melancias, abóboras ou ananáses... "

    Abrir não digo, mas talvez para fazer um furinho para depois apertar e beber o suminho... :P Acho que os evolucionistas não pensaram nisso. No furinho pro suminho.

    ResponderEliminar
  85. Perspectiva:

    Que seja uma parte infima do que ele fez parece-me justo. mas achas que fez o que? 30 ou 40 milagres? Pois, um medico em santa maria salva mais que isso em 6 meses.

    "Além disso, Jesus pode dar-nos corpos imortais e incorrupíveis, coisa que os médicos não podem fazer."

    Sim? Corpo imortal? TEns tido noticias dessa malta? Tipo... Algo que sirva de prova que não é apenas gabarolice? E ja agora, se falares com Jesus pergunta-lhe porque é que ele nao me da um corpo desses? Nem precisa de ser para sempre. Isso é muito tempo. Pode ser so enquanto eu quiser, para não me tirar o livre arbitrio, que isso é que não pode ser. Somos tão livre assim!

    " Estes [os médicos] só podem adiar o problema da morte algum tempo, sem o resolver."

    De facto. Apenas isso. Pouca coisa comparado com os milagres que pululam como cogumelos do teu deus. São tantos e a tão grande escala que os hospitais estão cheios de gente a pedir para ficar doente.

    Olha, eu tambem faço milagres, faço nascer o sol todos os dias, a gravidade existe porque eu quero e tu so podes dizer que a evolução é treta porque eu sou misericordioso. E sou imortal, a minha alma continuará cá a manter o universo como é tal qual. Queres ser salvo? Anda ca lamber-me as botas. Ou então não digas disparates.

    ResponderEliminar
  86. Panão:

    Estas a ver? A distração que causa a crença do que é realemente importante?

    Consegues ao menos ver isso nos outros?

    E não me digas que o prespectiva é uma caricatura, porque tu és igual. Apenas acreditas em coisas diferentes. A JUSTIFICAÇÂO È A MESMA. Não és nem melhor, nem pior.

    Porque toda a argumentação pseudocientifica que produzes, com niveis de realiudade e energias livres da treta não diferem muito do criacionismo epistemologicamente.

    Porque?

    Porque não te preocupa a consistencia e integração com os factos mas sim com as ideias que queres proteger e manter como verdade.

    ResponderEliminar
  87. Sera que sou o unico que acha que quando o santo padre diz que o ateismo é do pior que aconteceu à humanidade isso é pior do que as criticas que nos fazemos?

    É que eu não tenho lido ainda por aí que a Igreja é o pior que aconteceu à humanidade. Até ja teve a sua função. Mas agora que sabemos que é treta e que estamos sozinhos será que não é altura de ver o qeu podemos realmente fazer? Ja que rezar não muda nada?

    ResponderEliminar
  88. Ateísmo, enquanto ideologia, é o pior que aconteceu à humanidade. Bastar ver China, Cuba, Coreia do Norte, Ex-União Soviética,etc....

    Escusam de responder-me com os países do norte da europa; alguns deles têm religião oficial e nunca foram estados ateus como os mencionados acima. Têm uma cultura cristã que ainda não foi erradicada.

    Para se compreender o porquê de um líder cristão afirmar que o ateísmo é um drama da humanidade, repito aqui o que escrevi uma vez a propósito de uma crítica choramingas que o palhaço profissional Araújo Pereira fez a D.José Policarpo:

    "Suponho que será precisamente por considerar que o ateísmo é incapaz de resolver fome e guerra, que José Policarpo se terá referido a ele como o maior drama da humanidade, em 2007.
    Considerar que o pensamento cria realidade, em vez de se adequar a esta, que a verdade é questão de gosto e de conveniência social, já que a verdade não existe objectivamente, e que os valores morais nunca são objectivos mas meras construções sociais culturalmente contextuais; são algumas consequências lógicas da visão ateísta da vida, materialista ou idealista, que levarão à destruição da ciência e da filosofia; burocratização da política, decadência económica e social; e relativismos morais, em que o "mais correcto de se fazer" passa a ser sinónimo de gosto e de interesse.

    O maior drama da humanidade não é realmente um conflito armado específico ou uma crise humanitária localizada. Grave é a apologia do idealismo em detrimento do realismo, pois o idealismo,por vezes defendido paradoxalmente por ateus materialistas,(...) torna-se militância pela imposição do que convém particularmente, não de atingir a verdade. Tal coisa nunca poderá resolver qualquer guerra.

    Alguém familiarizado com o conflito histórico entre realismo e idealismo, não estranhará que um religioso considere ateísmo, comunismo, maio de 68 ou qualquer outra apologia ou episódio relativista, o maior drama da humanidade."

    ResponderEliminar
  89. Jairo:

    Começas mesmo mal. O problema aí não é o ateismo. E se queres para a troca ha piores com religiao para comparar. Ficas sempre a perder nestas comparações.

    Vê antes os paises onde de facto ( eu sei que não gostas de factos, mas tenta) ha mais ateus. Não onde existem leis a dizer em que se deve acreditar (coisa que eu como ateu repudio).

    ResponderEliminar
  90. Mas viva o respeito. O pior que aconteceu na humanidade ha? E isto sem deus existir. Se ele existe concerteza que acabava com uma coisa tão ma. Bastava aparecer.

    Assim so acredita nele quem não se rala com a realidade ou não a compreende. Logo os mais inteligentes são ateus como se sabe. Que deus mais estranho seria este...

    ResponderEliminar
  91. Perspectiva diz

    "Por exemplo, os seus dentes [do leão] fariam certamente muito jeito para abrir melancias, abóboras ou ananáses..."

    Ah pois claro! E suponho que as teias das aranhas nessa época servissem para estender a roupa.

    ResponderEliminar
  92. Perspectiva,
    tenho que lhe dar os parabéns. Com esta história hilariante dos leões e tigres vegetarianos conseguiu algo que eu julgava impossível: pôr-me a ler outra vez os seus comentários. Não sou pessoa para desprezar uma boa barrigada de risos. Mas agora espero de si que mantenha o nível e não recaia na lenga-lenga do copy-paste. A popularidade tem os seus custos ...

    ResponderEliminar
  93. Bruno,
    não, as teias de aranha eram o fio dental para os leões e os tigres depois de se deliciarem com melancias. Deus pensa em tudo.

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.