quarta-feira, agosto 19, 2009

Grande descoberta criacionista.

Há quem julgue que o criacionismo é estéril, um beco sem saída cognitivo onde não se aprende nada. Mas o Marcos Sabino desmente essa ideia, revelando no seu blog uma descoberta significativa que certamente abalará a geologia.

«Mesmo nos oceanos temos água suficiente para cobrir toda a Terra. A superfície terrestre não está nivelada. As bacias oceânicas são extensas e profundas e as áreas terrestres são elevadas. Se a superfície terrestre estivesse ao mesmo nível, a água que temos nos oceanos seria suficiente para cobrir o globo.»(1)

Como qualquer descoberta revolucionária, as implicações não se limitam à sua área. Fora da geologia, teve um grande impacto na minha vida pessoal ao revelar-me que tenho altura suficiente para ser o humano mais alto do mundo. É certo que há pessoas mais altas que eu, mas se todas fossem mais baixas que eu não precisava sequer de mais um centímetro para ser o mais alto.

Penso que já disse isto ao Marcos uma vez, mas vale a pena repetir:

Duh!...

Adenda: se a Terra fosse lisa e a cobríssemos de água com uma molécula de profundidade, cada molécula de água ocuparia 10-19m2 do total de 5x1014m2 de superfície. Por isso seria preciso 5x1033 moléculas de água, ou 1010 mol de água. Como 1 mol de água equivale a 18g, seria 180 mil toneladas de água. É um bocado mais que a estimativa do Pedro Ferreira (nos comentários) mas não é muito, à escala planetária. Há navios que deslocam mais que isso. O que sugere uma explicação para a arca de Noé. Não serviu para levar os animais. Serviu para guardar a água do dilúvio.

1- Marcos Sabino, As águas do Dilúvio

57 comentários:

  1. leiam este absurdo!

    http://neoateismodelirio.wordpress.com/2009/08/18/hitchens-segunda-divisao/

    Primeiro que ajudar a fuga de nazistas é um ato de compaixão, portanto não pode ser considerado apoio ao Holocausto Judeu.
    A questão de “escravos” de nazismo era típica para a época. Para evitar que as pessoas morressem nas mãos dos nazistas, elas ficavam trabalhando, entendeu?
    Só que não só a Igreja Católica como também grandes empresas (incluindo a Nestlé) fizeram indenizações a respeito disso.
    Acho que você anda lendo site comunista anti-igreja católica demais… rs.



    Alemães fugindo em um período de guerra, na fase em que estavam sendo esmagados, são seres humanos como qualquer um.
    Não fiz juízo de valor algum sobre tratamento de escravos, até pq não há informações oficiais sobre o tratamento deles. Então não coloque palavras na minha boca.Não existe ‘conivência’ alguma com padre Tiso. Existe liberdade de opinião.
    Dizem que comunistas são incapazes de entender coisas como essa. Será verdade?



    As vítimas do Nazismo correspondem a uma tragédia mundial, que deve ser lembrada sempre. A Igreja Católica fez o máximo possível para evitar massacres. A Igreja também não deu apoio nenhum para qualquer tipo de violência contra os judeus.

    ResponderEliminar
  2. ... and if my aunt had nuts, she would be my uncle.

    É interessante que usa para argumento uma referência ao grande abismo (tĕhowm: Gen 1:2) e janelas no céu.

    É também curioso a tendência dos criacionistas argumentarem que as coisas aconteceram muito mais rapidamente do que observamos, como uma montanha que surge em cerca de 4000 anos pelo movimento de placas tectónicas. Apesar de moverem-se à mesma velocidade do crescimento das unhas. E pelos vistos sem gerar uma energia enorme que fervesse a água e destruísse a Terra. Devem ter sido uns geysers gigantes que miraculosamente não cozeram Noé.
    E há o problema indicado pelo Dário: «Então e o que ficou no lugar da água que estava lá em baixo? Temos de pensar em física.» Houve um que disse que rochas que havia por cima cobriram esse espaço. Curioso que se o volume de água foi significativo, não houve um desmoronamento mundial que descesse o nível da Terra...

    Reparem nas fontes usadas: AnswersInGenesis e Discovery Institute. Está explicado! Tenho de dar aplausos ao ad hominem do Sabino em Agosto 19, 2009 @ 5:03 pm para desviar o assunto para se mostrar especialista em física quântica pondo o senso-comum por cima da ciência. Bravo! Graças a Deus que eu sou o céptico, não um dogmático como o Sabino.

    ResponderEliminar
  3. eheh ... quem só vir este post até pode pensar que dediquei o post a essa grande eureka.

    Realmente é um grande"duh", pena é que tantos evolucionistas insistam em papaguear que não existe água suficiente para cobrir a Terra. Mas é para esses que os criacionistas cá andam, para lhes mostrar esses "duhs"

    ;)

    ResponderEliminar
  4. pedro romano19/08/09, 23:54

    Eurekas à parte, o Marcos Sabino fez ontem 23 anos :)

    ResponderEliminar
  5. E a minha mãe fez anos hoje e recebeu uma câmara de filmar da minha parte. Ela ganhou.

    Sabino, não ouve "duhs" da minha parte.
    Li a Bíblia de lés-a-lés, a cosmologia semítica com um abismo cheio de água onde habitam os mortos e o grande monstro marinho não era novidade para mim e desde os vídeos de Kent Hovind, há dois anos, que conheço esse tipo de argumentação ad hoc. Lembro-me muito bem de ter escrito um comentário há um ano sobre esse mesmo tema, no dia 24 de Junho de 2008 às 16:55, para ser mais preciso.

    Estou já muito batido nesses assuntos, apesar de ter apenas 26 anos. E pelos vistos respondi-te. Mas não vi qualquer resposta da tua parte. É isso que interessa. Não é se ficaste com os mamilos e o pénis rijos por dizeres que se o Evereste tivesse abaixo do nível da água, então estaria coberto por água.

    ResponderEliminar
  6. Sabino:

    Não existe água suficiente para cobir a terra PORQUE ela é acidentada.

    Se a terra fosse lisa, muito pouca água chegaria para cobri-la. Nem que a altura fossem poucos milímetros...

    Mas não existe água suficiente para que toda a terra, acidentada como é, fique submersa.
    Se a tua teoria é que Deus submergiu a terra não com chuva mas sim desfazendo as montanhas, então a tua explicação é válida - mas nesse caso contrarias a Bíblia.

    Se não queres contrarias a Bíblia, então a tua observação não responde à questão que os "evolucionistas" (como lhes chamas, mas evolucionista é o nome de uma corrente antropológica ultrapassada, não existe nome para quem aceita a evolução tal como não existe para quem aceita a gravidade) te colocam.

    ResponderEliminar
  7. Que lorpas.
    O pior de tudo é que acha que está a dizer uma grande coisa.

    ResponderEliminar
  8. Sabino,

    Em teoria, seria possível até cobrir toda a Terra com um copo de água, desde que a Terra fosse perfeitamente lisa.

    Um copo de água deverá ter cerca de 10^24 moléculas o que, bem espalhadinhas ao longo de uma superfície completamente lisa, daria para cobrí-la.

    Teríamos um mar com cerca de um átomo (de oxigénio) de profundidade, mas a Terra estaria coberta de água.

    O problema, é que a Terra não é lisa... Duh!...

    P.S.: Não fiz as contas porque me falta a pachora. Mas bastava calcular a superfíce de uma esfera com o mesmo raio que o da Terra, definir uma distância mínima entre moléculas de água para que possamos dizer "está coberta", e fazer uma simples divisão. Mas se um copo não der, um garrafão dará certamente...

    ResponderEliminar
  9. pequeno Sabino,

    Não leves a mal mas tenho muito mais esperança no Mats. Sobretudo porque o Mats se aguenta sem dizer uma única vez "papaguear". Acho muito agressivo da tua parte e expõe um certo desgoverno eréctil, como bem notou o PAC.

    Depois tens outro problema, vamos ser francos. O comentário que deixaste serve para sugerir que o teu post não é nulo pela simples razão de já teres escrito outros piores. O Mats nunca cairia neste abismo.

    ResponderEliminar
  10. 1)
    Gen 1 - «E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo (tĕhowm); e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.» ... «Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca» ... «Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares» ...

    Gen 8 - «Cerraram-se também as fontes do abismo e as janelas dos céus, e a chuva dos céus deteve-se. E as águas iam-se escoando continuamente de sobre a terra, e ao fim de cento e cinqüenta dias minguaram.» ... «E foram as águas indo e minguando até ao décimo mês; no décimo mês, no primeiro dia do mês, apareceram os cumes dos montes

    2) No artigo da New Scientist: ... «the rocks are so hot that they crawl like super-thick treacle. It is an inferno worthy of Dante» ... «more than 400 kilometres inside the Earth there may be enough water to replace the surface oceans more than ten times» ... «water is not a series of immense seas. Rather, it is scattered in droplets, some as small as a single molecule» ... «he causes of deep earthquakes hundreds» ...
    * National Geographic
    * LiveScience
    Comparar com: «existe água suficiente debaixo da Terra para substituir a água dos oceanos mais de 10 vezes.»

    Imaginem a água a ferver - mais quente que a água das Furnas - com 10 vezes mais do volume dos oceanos a subir para a superfície, provocando tremores de terra e derretendo as rochas com a energia produzida pela fricção. O espaço que ocupavam fica vazio e o peso da superfície faz toda a terra desmoronasse e encolhesse como uma esponja seca. E depois a água voltou...
    À velocidade normal das placas tectónicas em 4000 anos o Everest subiria até 200 metros. Mas graças ao milagre divino, elas moveram-se com uma velocidade cerca de 2000 vezes maior só para agradar os criacionistas. Miraculosamente isso produziu energia tal que fervesse todos os oceanos e provocasse enormes terramotos por toda a Terra.

    Os muçulmanos também usam esse tipo de argumentos, com um geologista muçulmano a ajudar:
    * Origin of Water and quran
    * Big bang between the holy Quran and the Bible(Dr:Zahlool)

    E se as montanhas tivessem abaixo da água, elas estariam cobertas por água... Por favor, gostaria de saber por que é que o Sabino acha que essas desculpas criacionistas são geniais. É uma curiosidade na psicologia desse género de pessoas que tenho.

    ResponderEliminar
  11. Uma película de moléculas de água muito deitadinhas (e portanto com uma altura de cerca de um átomo de oxigénio, aproximadamente 152 pm) que cobrisse toda a Terra corresponderia a cerca de 78 milhões de litros, o que são cerca de 31 piscinas olímpicas. Isto se não houver marés nem vento numa Terra perfeitamente esférica.

    Se por acaso houvesse uma pedrinha de 1 cm no chão desta Terra hipotética, o volume de água que seria necessário para a tapar subiria para 5147 quilómetros cúbicos, cerca de dois Lagos Vitória.

    Enfim, fiz as contas só por piada. A Terra criacionista é engraçada.

    ResponderEliminar
  12. Francisco,

    Fizeste as contas à físico. Eu fiz à químico. Vá-lá, deu a mesma ordem de grandeza :)

    ResponderEliminar
  13. Francisco Burnay

    Pelos vistos, substimei por completo o tamanho da Terra. :D Tenho apenas na cabeça que uma mol de moléculas de água (pouco menos que um copo de água) são mesmo muitas moléculas de água que, bem alinhadinhas, cobririam uma grande superfície.

    Mas 31 piscinas olímpicas não é assim tanto...

    De qualquer forma, apenas queria rebater o argumento "se a Terra fosse assim, então blá, blá, blá".

    ResponderEliminar
  14. É de notar que se a Terra tivesse o tamanho de uma laranja com umas gotinhas fazia-se bem um dilúvio. Sendo um deus omnipotente, nada impedia que tivesse sido esse o método escolhido: encolher a Terra e cuspir-lhe para cima...

    ResponderEliminar
  15. Nunca percebi, se foram apenas dois elementos de cada espécie na arca , como é que as espécies não morreram por consanguinidade ?

    Mats ? Perspectiva ? Anónimos nas suas multiplas encarnações ?

    ResponderEliminar
  16. Nuvens,

    Suponho que a teoria dos pares apenas se aplica para os seres sexuados. Se bastava um par de animais sexuados, certamente que bastaria apenas um para os seres assexuados.

    Provavelmente o Noé levou também para dentro da arca um tubo de ensaio com uma paramécia, levou outro tubo com uma como a hidra (da ordem Hydroidea), e assim por diante.

    E está aqui a prova cabal de que a história da Arca é um embuste: na altura não havia tubos de ensaio.

    ResponderEliminar
  17. Pedro Ferreira

    Repara no entanto que se deus quisesse , todos os animai cabiam numa pasta de tamanho A4. Deus pode tudo, amem e afins.
    ai pois é, nah nha nha

    ResponderEliminar
  18. Tubos de ensaio... Por favor mantenham o debate sério e não descambem para caricaturas.

    A Bíblia não aborda a questão das criaturas invisíveis porque o rigor discursivo permitiu às testemunhas declarar apenas aquilo que viram. Além disso se o problema aqui é a humidade, o pH neutro e a temperatura ideal, pode muito bem ter embarcado uma ou outra espécie nas unhas do casalinho de saurópodes que Noé levou no deck para não enjoar.

    (e se vissem as boxes ao fim dos penosos 40 dias a bordo sem manutenção nem mangueira deixavam já cair as gracinhas todas sobre micróbios)

    ResponderEliminar
  19. Tens razão Nuvens...

    E já que deus pode tudo, todas as moléculas de água que caíram na Terra (*) foram reduzidas a um trilionésimo do seu tamanho e empacotadas num ovo da pomba branca da paz (aquela que trazia o ramo de oliveira na boca e que se deverá ter escapulido da arca e apanhado entretando esse ramo logo após as moléculas de água terem sido todas empacotadas).

    Ah pois é... micro-moléculas de água!!! todas empacotadas num ovo de pomba. Quando o ovo for descoberto não deverá ser partido pois, reza a lenda, as moléculas voltarão ao seu tamanho normal e haverá outro dilúvio.

    Isto de facto ter um Deus omnipotente por trás de cada explicação é fixe... Conseguimos explicar mesmo tudo... :)

    (*) A água da chuva veio sabe-se lá de onde, mas por evaporação dos mares não foi. Caso contrário, após o dilúvio, o nível dos mares seria o mesmo que antes do dilúvio.

    ResponderEliminar
  20. Deus pode até ter reduzido o tamanho da terra, e com a mesma quantidade de água ter feito o dilúvio.
    E todas as pessoas sabem que quando se lava pela primeira vez um tecido, este encolhe.

    è a falta de visão dos ateus que faz com que não vejam a Luz. Pois

    ResponderEliminar
  21. A água veio, toda a gente sabe , de cometas que depois derreteram e caiu chuva.
    Acho importante misturar bem a ciencia com a religião, de forma a dar o aspecto de rigor que convém a estes temas

    ResponderEliminar
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  23. Claro que as bactérias que comem terra há milhões de anos, bem essas são um bocado mais difíceis de explicar....
    Mas penso que pode ter sido lá colocadas por deus.
    Desta forma , não só mostra a magnificência do seu poder , como ao mesmo tempo testa a fé dos seus seguidores.

    ResponderEliminar
  24. Falo das bactérias enterradas a Klm de profundidade.

    ResponderEliminar
  25. Nuvens, é esse o vício de forma da vossa abordagem. Partem do princípio de que teria sido impossível Noé atirar a pá de geólogo à sua mulher e dizer-lhe “Pega nisso, escava até ao caroço e traz-me uma zaragatoa”.

    Porque é que não abrem as vossas mentes?

    ResponderEliminar
  26. Bruce

    Eu sei , tenho estado a tentar ler aqui uma nova teoria, mas confesso que me sinto abalroado pelos termos pomposos. A não perder.

    ResponderEliminar
  27. Infi'eis, irão pr'o infernho

    DEUS criou a água a partir do nada à medida que foi necessário, nada mais fácil.

    Depois fez desaparecer ou então mandou-a para Marte o que explica muita coisa.

    Terra plana? Qual a importância? As leis gravitacionais de hidroestática E A TENSÃO SUPERFICIAL e as forças de VAN-DER-WALLS estiverem no momento e localmente inválidadas, pelo sim pelo não.

    (E já agora ainda andou a mudar as razões dos isótopos ao mesmo tempo, quem pode pode pode).

    Vão todos para o ... sítio para onde foi o momento angular do Sol num 13 de Maio recente.


    José Simões

    ResponderEliminar
  28. Mário Miguel21/08/09, 01:45

    Esta do Marcos Sabino está quase tão bom como o Deus é um frigorífico! Isto com o tempo vai melhorando, tipo fermentação requintada :)

    Já coloquei mais este no meu anedotário.

    ResponderEliminar
  29. Mário Miguel21/08/09, 02:26

    No outro dia vi, numa revista de um consultório, um comentário, sem a fonte, em que o João Magueijo dizia que era Ateu, mas ficava lixado por se usar a ciência para refutar deus. Procurei na Net e não encontrei nada sobre essa afirmação. Se alguém souber onde isso está, agradecia que colocasse aqui. Obrigado.

    ResponderEliminar
  30. Ludwig,

    Agora os criacionistas já podem acusar-nos de estarmos em desacordo teórico. É a Ciência a fraquejar... Ou aquilo da forquilha.

    ResponderEliminar
  31. NÃO É SPAM: É RESPOSTA AO LUDWIG

    O REGISTO FÓSSIL: EVIDÊNCIA DE UM DILÚVIO GLOBAL

    Os fósseis dizem-nos, acima de tudo, como é que muitas espécies foram abruptamente sepultadas, antes mesmo de se decomporem ou serem comidos pelos predadores. Essa mensagem dos fósseis é inteiramente consistente com a ocorrência de um dilúvio global.

    O facto de, em muitos casos, muitos desses fósseis de animais marinhos poderem ser encontrados muito acima do nível do mar é um testemunho eloquente da veracidade do relato bíblico do dilúvio.

    O dilúvio global descrito na Bíblia fornece o contexto extraordinário que tornou possível a rápida deposição de sedimentos e o sepultamento abrupto de biliões de seres vivos.

    A deriva dos continentes, a idade do gelo, a origem dos oceanos e a origem das montanhas também encontram uma explicação plausível dentro do modelo do dilúvio global.

    Dizer que os fósseis falam de evolução já é pressupor a ocorrência de evolução.

    Tanto mais, que, como logo notou Charles Darwin e Stephen Jay Gould confirmou mais recentemente, não existe evidência de evolução gradual no registo fóssil.


    Dos milhões de fósseis intermédios que deveriam existir se a evolução gradual fosse verdade, só se encontra pouco mais do que meia dúzia de exemplos de alegados fósseis intermédios, por sinal altamente disputados mesmo pelos evolucionistas (Archaopteryx; Acanthostega, Tiktaalik), os quais, nalguns casos, são os primeiros a reconhecer que se trata de “mosaicos”.

    Além disso, a recém descoberta de uma formiga viva do género Gracilidris, supostamente extinta há cerca de 15 a 20 milhões de anos atrás, mostra quão precárias são as conclusões que se tiram do registo fóssil.

    Para os evolucionistas, a descoberta de um “fóssil vivo” é sempre uma surpresa. Para um criacionista, não é surpresa nenhuma. Ela mostra que o registo fóssil nada tem que ver com a hipotética evolução das espécies, mas apenas com o sepultamento abrupto de biliões de seres vivos, muitos deles ainda vivos.

    Importa desde logo ter presente que 95% do registo fóssil consiste em organismos marinhos, corais e conchas.

    Dentro dos restantes 5%, 95% compreende algas, plantas, árvores, incluindo a vegetação que constitui triliões de toneladas de carvão, bem como invertebrados, incluindo insectos.


    Assim, os vertebrados (peixes, anfíbios, répteis, aves e maníferos compreendem apenas 5% de 5%, ou seja, 0.25% do registo fóssil.

    Isso significa que comparativamente existem muito poucos fósseis de vertebrados, embora se façam grandes construções evolucionistas com base neles.


    Além disso, destes 0.25%, apenas 1% consiste em fósseis com mais de um osso. Por exemplo, muitas das espécies de cavalos são representadas por um único dente.


    A Bíblia, ao falar do dilúvio global, tem uma explicação inteiramente consistente para a existência de biliões de fósseis nos cinco continentes.


    Nisso ela é claramente superior, quer ao evolucionismo, quer a outras filosofias da antiguidade, como o neoplatonismo, que interpretava os fósseis como resultado de forças astrais, a filosofia aristotélica, que via os fósseis como resultado do transporte para terra de sementes de animais marinhos, ou algumas linhas de pensamento do budismo tibetano, que interpretam os fósseis como reproduções milagrosas do círculo da vida.

    ResponderEliminar
  32. NÃO É SPAM: É RESPOTA AO LUDWIG!

    DIMENSÃO DOS DINOSSAUROS REVISTA EM BAIXA!IMPLICAÇÕES PARA A ARCA DE NOÉ!

    É sabido que o facto de se encontrar, com alguma frequência, tecidos moles não fossilizados, células, proteínas, vasos sanguíneos, em ossos de dinossauro (v.g. R Rex, Hadrossauro) demonstra que os mesmos não podem ter milhões de anos, como os evolucionistas afirmam.

    Os dinossauros foram criados há cerca de 6000 anos, na semana da criação, tendo sido quase extintos pelo dilúvio, em virtude do escasso número que estava na Arca e das alterações climáticas subsequentes a um cataclismo global sem qualquer paralelo na história da Terra.

    Muitos cépticos perguntam frequentemente aos criacionistas como é que os dinossauros poderia ter cabido na Arca.

    A resposta já era simples, para os criacionistas.

    Como os dinossauros se reproduzem muito cedo, só dinossauros pequenos, em idade reprodutiva, é que caberiam na Arca.

    No entanto, um estudo recente veio afirmar a necessidade de rever em baixa a dimensão e o peso dos dinossauros, alertando para o carácter erróneo dos cálculos até hoje feitos para calcular esses valores.

    Os criacionistas não precisam desse argumento para corroborar a sua tese, embora dinossauros mais pequenos facilitem a acomodação e a alimentação na Arca de Noé.

    No entanto, os criacionistas não deixarão de fazer referência a esse novo estudo, quanto mais não seja para mostrar o que existe de precário e de provisório nos "factos" da teoria da evolução.


    Durante décadas foi disseminada informação errónea em todos os livros escolares e museus, com base em inferências e extrapolações erradas baseadas em evidência paleontológica fragmentária, tendo sido aceite pela generalidade da comunidade científica.

    Isso só alerta para o facto com que informação errónea pode ser disseminada com base em evidência fragmentária, para ser depois aceite de forma acrítica.

    A aceitação generalizada da teoria da evolução é um sintoma disso mesmo.

    FONTE:
    Dinosaurs May Have Been Smaller Than Previously Thought
    ScienceDaily (June 22, 2009)

    P. S. quem quiser ver uma Arca com as medidas bíblicas pode procurar no google fotografias da réplica da mesma que foi construída em Hong Kong. Basta procurar no Google "Noah's Ark Hong Kong". Basta procurar no Google "Noah's Ark Hong Kong".

    ResponderEliminar
  33. NÃO É SPAM: É RESPOSTA AO LUDWIG


    UNIFORMITARISMO, CATASTROFISMO E DILÚVIO GLOBAL

    Nunca ninguém assistiu à deposição de sedimentos ao longo de milhões de anos, por isso ninguém pode afirmar, com certeza, que as camadas de sedimentos levaram tanto tempo a ser depositadas.

    Isso é pura interpretação e especulação evolucionista.

    Pelo contrário, já foi observado, várias vezes, que catástrofes naturais podem criar canyons em poucas horas, perfeitamente laminados e em tudo iguais aos canyons “datados” com supostos milhões de anos.

    Charles Lyell, apoiado noutros trabalhos precursores, lançou as bases da geologia uniformitarista moderna, partindo do princípio (não demonstrado) de que os processos físicos hoje observados se mantêm sempre constantes.

    Ele partia da premissa (indemonstrada e indemenostrável!) de que o presente é a chave do passado.

    Os criacionistas sempre negaram a validade desta premissa, apontando a sua incapacidade para explicar os dados geológicos observáveis.

    Nas últimas décadas, evidências crescentes de catastrofismo na natureza têm posto em causa o uniformitarismo de Lyell, ao ponto de muitos geólogos não criacionistas falarem de um neo-catastrofismo (v.g Derek Ager).

    Os criacionistas mantêm-se fieis ao catastrofismo bíblico, apoiado num dilúvio global sem paralelo na história da Terra, sustentando que o mesmo é o que melhor permite explicar linhas de evidência empírica como:

    1) Fósseis de animais marinhos encontrados a cima do nível do mar (v.g. no Grand Canyon, 1,5 Kms acima do nível do mar; Himalaias)


    2) Sepultamento abrupto de plantas e animais (v.g. cemitérios de fósseis com milhões de nautilóides, peixes, plantas bem preservados)


    3) Sedimentos rapidamente depositados, em vastas áreas (v.g. Falésias de Dover com traços na Estados Unidos, Europa e Médio Oriente).

    4) Sedimentos transportados a grandes distâncias (v.g. a areia de Coconino, no Arizona, resulta de erosão e transporte a partir do Canadá)


    5) Erosão rápida ou ausência de erosão entre estratos (v.g. ausência de erosão entre a camada de Coconino e a formação Hermit, no Grand Canyon)


    6) Muitas camadas depositadas em sucessão rápida (v.g. camadas com dobras, sem fracturas e alongamento dos grãos de areia).

    7) Tecidos moles com ligamentos, vasos sanguíneos, células, aminoácidos e proteínas, em ossos de dinossauro não fossilizados (v.g. TRex e Harossauro).

    Contrariamente ao que especulava Lyell, o presente não é a chave do passado.

    Um cataclismo ocorrido no passado é que é a chave para interpretar os fósseis e as rochas que observamos no presente.

    ResponderEliminar
  34. «P. S. quem quiser ver uma Arca com as medidas bíblicas pode procurar no google fotografias da réplica da mesma que foi construída em Hong Kong.


    Perspectiva,

    Eles construíram a Arca porque alguns documentos indicam que foi assim que chegaram lá os portugueses. Não há qualquer ligação com o dilúvio.

    ResponderEliminar
  35. "NÃO É SPAM: É RESPOSTA AO LUDWIG"

    :D :D :D

    Bom, esperemos que o cabeçalho das mensagens seja sempre usado de forma correcta e não se torne ele mesmo um spam...

    ResponderEliminar
  36. Agora fiquei confuso: os fósseis de peixes e animais marinhos também são uma consequência do dilúvio? Aquilo é que foi um dilúvio a sério, afogou-se mesmo tudo!

    ResponderEliminar
  37. Bruce,
    há também uma réplica do cavalo de Tróia na Turquia (onde foi encontrada a cidade de Tróia): 1, 2.
    Num programa do Discovery Channel demonstrou-se que é possível construí-lo com ferramentas da altura e esconder vários humanos lá dentro: 1 (acho que foi nesse programa)

    Como podem ver a arca de Noé permitia albergar todos os tipo do mundo: 1, 2,
    3
    ... «Doctors Morris and Whitcomb in their book, The Genesis Flood, estimate that approximately 35,000 animals were placed on board the ark. In another book written on the subject, Noah's Ark - A Feasibility Study, John Woodmorappe states that only about 2,000 animals would have to be on the ark. Being rather conservative he continues his study with the assumption that 16,000 animals could easily be cared for on the ark. » ...
    Agora podem fazer a experiência, como no cavalo de Tróia.

    ResponderEliminar
  38. São uns pândegos estes criacionistas
    , um dilúvio até preservou pegadas, muito bom....
    LOLADA completa

    ResponderEliminar
  39. Claro que seus encolheu os animais, cá para mim guardou o ADN, dái ele existir, ai pois , com deus não se brinca

    ResponderEliminar
  40. PAC, reparaste nesta declaração do relações públicas do parque temático?

    “I think what the Noah's Arc stand for is love, care, peace, and... a family, together!”

    Dude ?!? E os outros marmanjos que ficaram debaixo de água? O dilúvio como mensagem de paz? Desta nem o Perspectiva se lembrava...

    (e o cavalo de Troia em Kusadasi está monumental :)

    ResponderEliminar
  41. Mário Miguel21/08/09, 12:37

    Fora de tópico, mas nem por isso.

    Encontrei um sítio na Net onde se pode encurtar uma ligação, vulgo link, para outro que será sempre reduzido no tamanho, vou dar um exemplo:

    Esta ligação:

    http://ktreta.blogspot.com/2009/08/miscelanea-criacionista-os-embrioes-de.html

    Fica transformada assim:

    http://bit.ly/uJCsF


    É jeitoso não é? E depois ainda se fica com a hipótese de se obter estatísticas de cliques nessa ligação, etc...

    não sei quanto tempo dura essa ligação mais curta, o que é algo de importante para se saber.

    Caso queiram colocar directamente aqui uma ligação longa, ou enviar por mail uma ligação, igualmente longa, e não dê para enviar sem ser em formado da ligação completa, isto dá jeito.

    O sítio onde se pode fazer isto é:

    http://bit.ly/

    ResponderEliminar
  42. Mário Miguel21/08/09, 12:41

    E mais...

    O exemplo da ligação anterior convertida, com um sinal "+" à frente, redirecciona-nos para as estatísticas dessa ligação sem o "+".

    Exemplo:

    http://bit.ly/uJCsF

    http://bit.ly/uJCsF+

    ResponderEliminar
  43. O dilúvio extinguiu tudo o que tem espírito de vida na terra, mas tenho umas dúvidas se as espécies dos seguintes fósseis foram levados para a Arca ou foram extintos no dilúvio:
    * plantas
    * Peixes
    * Dinossauros com câncro
    * Répteis marinhos
    * Cetáceos
    * Aves marinhas
    * Aracnídeos marinhos e crustáceos
    * Vermes
    * Insectos

    Deixo uns artigos na AiG para rirem um pouco:
    * High & Dry Sea Creatures
    * The fossil record

    Respostas:
    * Six bad arguments from Answers in Genesis (Part 1)
    * Carbon dating doesn't work -- debunked
    * Noah's Flood - debunked (Part 1)
    * * Noah's Flood - debunked (Part 2)

    ResponderEliminar
  44. Mário Miguel21/08/09, 14:46

    Mais no gozo de que outra coisa, que isto só pode ser levado na brincadeira, se não um gajo ainda ia parar ao manicómio se levasse isto a sério.

    As vossas contas estão erradas num ponto devido à tensão superficial da água, nunca seria possível um lençol de água de um átomo pois a água forma "aglomerados" de água num superfície perfeitamente lisa (acho que estou correcto nesta afirmação) e assim o cenário é um pouco mais problemático para os criacionistas que necessitam de mais água. Mas mesmo com um átomo de altura a coisa não dá para a arca flutuar e não adornar, o que seria um sarilho. Logo, os calculoso têm que ser feitos tendo em conta a hipótese histérica que a terra é lizinha que nem uma bola de bilhar e que a água a cobri-la tem que ser a necessária para que a arca com as sua medidas e peso (total = barco mais carga)flutue sem bater no fundo, pois aquilo baseado no relato bíblico navegava, logo tem que se contar com o volume da arca, peso total e impulsão para ver o que ficava submergido, e é melhor contar como se fosse água salgada a 100% (maior impulsão) para favorecer o cenário de haver o menos água possível para aquilo flutuar sem bater no fundo, primeiramente deveria ser feitas as contas com a arca sem carga, cenário que necessita menos água total e que é mais favorável ao criacionistas.
    Acho, sem grandes dúvidas, que mesmo assim deve haver água suficiente. O cenário de uma fina camada de água não é funcional para que o relato bíblico tenha lugar.

    ResponderEliminar
  45. Mário Miguel

    Homem de pouca fé, se deus conseguiu abrir o mar vermelho, se deus mandou as ursas comer as crianças, e sobretudo se deus conseguiu fazer o mundo em meia duzia de dias, não conseguiria fazer-se ele próprio uma força da natureza e ligar todos os átomos um a um que fosse. Para deus tudo pode ser feito, tudo consegue ser feito.

    E a prova é que nós não sabemos como tal foi possível, ultrapassa a nossa compreensão. Essa é a verdade falada pela boca dos simples, para ser ouvida por todos.

    Salvé Salvé Olé Olé senhor grandioso dos céus e das ombreiras das portas.
    Ai que sono que ue tenho, ai sono

    ResponderEliminar
  46. Mário Miguel21/08/09, 15:20

    Nuvens de fumo,

    Na volta deus até existe :)))))
    Só que os religiosos e seus derivados fazem um trabalhinho tão mauzinho que mesmo que ele existisse a coisa é posta por eles de forma tão risível que um gajo é levado a chorar a rir e rejeitar a cangalhada toda que eles debitam.

    Na volta deus escreve direito por linhas tortas, obliquas, às cores e às bolinhas e por aí adiante e nesse balanço criou os crentes para passar a palavra e entre eles os Criacionistas.

    ResponderEliminar
  47. Oscar Pereira21/08/09, 15:45

    Mário Miguel,

    Poderá ser isto?

    http://www.continentemulticultural.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1427&Itemid=132

    "Sobre Deus, acho que a cosmologia não tem nada a ver com religião, são completamente independentes. Sou ateu, mas por razões pessoais e humanas. Quando os físicos citam Deus, a palavra tem valor de metáfora, e com certeza não se empregou no sentido literal. Eu mesmo utilizo no meu livro a expressão .Deus sob efeito de anfetaminas .. É uma metáfora, claro."

    Li isto originalmente num artigo um pouco mais extenso (pdf), mas não consigo encontrar o link.

    ResponderEliminar
  48. Mário Miguel21/08/09, 15:48

    Obrigado Oscar.

    ResponderEliminar
  49. Nuno Gaspar21/08/09, 16:55

    Ó rapaziada, já se inscreveram no congresso ou não?

    http://www.congressos.facfil.eu/congress/c/26/darwins-impact-on-science-society-and-culture

    Está na altura de perceber que, em religião, há muitos modos de ver, e também há evolução e progresso como na ciência.

    ResponderEliminar
  50. Deus sobre o efeito de MDMA isso seria divertido, é a versão deus é amor.
    Já deus sobre o efeito de Crystal Meth seria um deus obsessivo, que poderia dar origem a um deus obcecado com os judeus e depois também vingador, muito ao estilo antigo testamento.
    E se no fundo deus for um consumidor de psicotrópicos e anda a gozar com o pessoal ?

    Eu acho muito possível, se fosse deus, que haveria para fazer ? e afinal não poderia morrer , certo ?

    Bom

    ResponderEliminar
  51. As cosmogonias devem ser comparadas entre religiões: deus contra buda, buda vs shiva e por aí fora .

    Deus contra a ciência não faz sentido, como não faz sentido a ciência contra a arte ou a escrita. é um disparate completo que só cabe na cabeça do perspectiva e acólitos.

    ResponderEliminar
  52. Nuno, existe variedade em toda a bosta. Basta usar o criacionismo como exemplo. No século passado as espécies eram estáticas e as mutações só faziam mal. Agora até os criacionistas é que inventaram a selecção natural. Sabes quantas variedades de criacionismo existem?

    Sabias que existem facções entre as Testemunhas de Jeová e que a organização progrediu ao ponto de evitar indicar datas para o final do Mundo e permitindo um pouco as transfusões de sangue? Sabias que há mórmons que põem em causa a interpretação literal do Livro de Mórmon por, entre coisas, as análises de ADN não sustentarem a ideia de que os hebreus viajaram para a América de barco?

    Por isso, parabéns. Existem diferenças, evolução e progresso na religião. Felizmente a Inquisição já não existe. Também é um "duh!"? E já que em todo o artigo argumentas dessa mesma maneira, o que isso prova e o que tem a ver para aqui?

    ResponderEliminar
  53. Nuno,
    dá a ideia de ser uma conferênia de facciosos para facciosos. Mas divirta-se.
    Cristy

    ResponderEliminar
  54. Nuno Gaspar21/08/09, 18:40

    Cristy,
    É uma excelente oportunidade para você contrapôr a sua facção.
    Se eu estivesse em Portugal iria de certeza.

    ResponderEliminar
  55. Eu vou repetir qual o grande problema de alguns católicos que enviam comentários.

    Vamos supor que há um artigo sobre a existência de Deus. Todos eles vão usar o mesmo tipo de argumento: as religiões são diferentes, são úteis, progridem, o problema é que acham que a ciência mistura-se com religião ou que acham que Deus precisa de um modelo, o problema é que a vossa concepção de Deus não é aquela que os cristão têm, o problema é que atacam só os argumentos fracos, os padres que conheço não são ricos, há gente que sente feliz com a religião, estão sempre a atacar-nos, qual o problema com o homem da bolacha, Santo Agostinho disse "a bolacha com leite simboliza o pénis molhado de Cristo", a subjectividade passa a ser objectiva, vocês são como os criacionistas a tomarem tudo de forma literal, o sentido que dá no sentido é verificar que há sentido no sentido.

    X diz que uma coluna tem dois metros. Y diz que não. Y argumenta dizendo que existem opiniões diferentes, que sente-se feliz por a coluna tem 3 metros, ou algo do género. X mede a coluna. Esses católicos fazem porventura como X ou Y quando comentam?

    ResponderEliminar
  56. Cristy

    Eu gostava de ouvir o Fraústo da Silva. Mas por €180 comprava antes o livro dele.

    ResponderEliminar
  57. Gostava que o Sabino nos dissesse quais são as alturas do monte Everest e Grand Canyon, uma estimativa da duração para atingirem essas altura e estimativas das médias das velocidades dos movimentos das placas tectónicas e sedimentação para os formarem (por exemplo, em altura por dia).

    E esqueci-me de mencionar as fezes fossilizadas e os ovos fossilizados durante o dilúvio.

    Uma discussão num fórum: 1 , 2. John Baumgardner é mesmo convincente...

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.