quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Talvez seja melhor um financiamento homeopático?...

O comité parlamentar de ciência e tecnologia do Reino Unido começou finalmente a desconfiar que o financiamento público da homeopatia não é bom negócio, e que os quatro milhões de libras por ano gastos em gotinhas de água podiam ser melhor empregues noutras coisas (1).

A maioria dos medicamentos homeopáticos não contém nem uma molécula do princípio activo. As diluições são tão grandes que fica só o solvente, normalmente água. Os homeopatas explicam isto alegando que a água tem memória das moléculas que por lá passaram, e que retém as suas propriedades mesmo depois de já não restar nenhuma dessas moléculas. Felizmente, não há evidências que isso seja verdade.

Memória da 
água
Imagem copiada do Hell's News Stand.

A extrema diluição dos medicamentos homeopáticos é justificada, segundo os homeopatas, pela potenciação do principio activo. Quanto menos tiver mais efeito faz, diz a homeopatia, uma regra que não se verificou no falhanço de um suicídio em massa na Bélgica, em 2004. Protestando contra a cobertura da homeopatia pelas seguradoras, um grupo de cidadãos tentou suicidar-se com soluções homeopáticas potentíssimas de veneno de cobra, arsénico e até leite de cão, que segundo a homeopatia dá vómitos e faz sonhar com cobras (2). Mas não tiveram sucesso. Ao que parece, a homeopatia só funciona em quem acredita.

Mas isto sugere uma solução simples e elegante para o problema dos britânicos. Podiam reduzir o financiamento de quatro milhões para quatro cêntimos ao ano, potenciando assim em cem milhões de vezes a eficácia desta terapia alternativa.

1- BBC, NHS money 'wasted' on homeopathy. Via Bad Astronomy.
2- Quackwatch, Homeopathic Products Used for Mass "Suicide"

15 comentários:

  1. Um grande poster. No site há lá outros também muito bons.

    ResponderEliminar
  2. O grafismo O'Reilly sugere até uma linguagem de programação:

    Quack in a Nutshell

    ResponderEliminar
  3. hahaha Finalmente um país manifestou publicamente o que as evidências sugerem sobre a homeopatia. A maioria das pessoas trata do assunto como se estivesse pisando em ovos. Parabéns aos britânicos.


    http://nerdworkingbr.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Voces não compreendem que a agua é realmente uma macromolecula, uma vez que as pontes de hidrogénio são quase tão eficazes como as covalentes. Todo o mar é a mesma molecula e todo o rio é a mesma molécula e como o mar vai dar ao rio são todos a mesma molécula.

    Agora se a natureza da agua é só uma e os rios e os mares são o mesmo, o que dizer de um copo de agua. Não será infinitamente insignificante no todo maior que é a agua?

    E não se sabe que a organização de moléculas pode num composto, ser influenciada pelos arranjos geométricos das moléculas havendo uma verdadeira transferência de informação, como na formação de um cristal?

    E não pode a agua transportar informação através das conformações geométricas possíveis com a sua triangularidade bipolar? Através de mares e oceanos? O que é um fraquinho de agua no meio disto. É um obstáculo infimamente menor que a grandiosidade do oceano.

    Na realidade vemos como a teoria do caos, da amplificação de fenómenos aleatoriamente, é apenas a tranferencia de informação, e da agua, do caos pode passar informação que é a vida. E por isso a vida nasce do caos.

    Vê-se pela exposição anterior que a agua não precisa de ter moleculas para agir - experimentem passar 2 dias sem agua. Basta-lhe a informação. E tal como saber o que é o amor, substitui a sensação da sua experiência também saber o que é o principio activo elimina a necessidade da sua presença. Neste caso, basta a informação, trazida pela agua, até ao nosso corpo. Que como sabemos tem nervos que ligam ao cérebro e que dizem ao corpo que já esta tratado. E como sabem o cérebro manda no corpo.

    Não há nada de errado na homeopatia...

    ... que não esteja errado em muitas outras coisas.

    ResponderEliminar
  5. João, que bela explicação pseudo-cientifica...

    ResponderEliminar
  6. Helder:

    Reparo agora que escrevia Agua com letra pequena. Mas obrigado na mesma.

    ResponderEliminar
  7. ... SIm ||| é como dizes... E depois há a questão dos homeosexuais, claro.

    ResponderEliminar
  8. Mas eu pergunto-me então porque não dissolver um bom ben-u-ron no oceano e transformar aquilo tudo numa gigantesca solução anti dor de cabeça? Os peixinhos agradecem. :D

    ResponderEliminar
  9. Nuno,

    Não é preciso. Se consultares este artigo da Visão, ficas a saber que já todos nós contribuimos para a saúde global.

    Ludwig,

    Proponho que a urinoterapia seja a próxima treta da semana.

    ResponderEliminar
  10. ou esta:

    http://www.computerworld.com/s/article/9162940/_Spygate_teenager_demands_webcam_pix_from_Pa._school

    ResponderEliminar
  11. Francisco Burnay

    urinoterapia ? é uma maravilha, beber mijo pela manhã é do melhor.

    No entanto já vi aquele tolinho das sobrevivências beber o próprio mijo por uns euros.

    Será que existe coproterapia

    ResponderEliminar
  12. Suspeito que a regra 34 se aplique à medicina alternativa da mesma maneira que à pornografia...

    Obrigado pelas sugestões para a treta da semana :)

    ResponderEliminar
  13. Seria de esperar que esta pseudo-terapia que dá pelo nome de urinoterapia (popularizada pelo ritual da "aqua vitae" no League of Gentlemen) requeresse provas bem substanciais, mais do que todas as outras. Aparentemente, não.

    Alguém podia oferecer um copinho destes à Maia e dizer-lhe: "não negue à partida uma ciência que desconhece".

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.