domingo, setembro 07, 2014

Treta da semana: Gonçalismo.

Gonçalo Portocarrero de Almada propôs que «Apesar de, na aparência, a nossa sociedade ser machista, na realidade são elas que mandam!» (1). Passou depois a apresentar exemplos que sugerem precisamente o contrário. Começou por contar que, «no relato bíblico, foi a mulher que obrigou o homem a comer o fruto proibido». Se reconhecermos que este relato não é uma descrição correcta dos factos mas sim um mito inventado por homens, é evidente o machismo na atribuição da culpa à mulher. E a interpretação de Portocarrero é ainda mais machista porque a expressão original é simplesmente «tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela» (Gen. 3:6). Interpretar isto como obrigar Adão a comer o fruto não está longe de interpretar uma mini-saia como “estar a pedi-las”.

Mais à frente, Portocarrero aponta que «Muitos privilégios da condição feminina não são extensivos aos homens: a consorte do rei é rainha, como as plebeias Letícia de Espanha, Sílvia da Suécia e Sónia da Noruega. Mas o marido da rainha só é príncipe, como Filipe de Edimburgo, Bernardo da Holanda ou Frederico da Dinamarca». A mulher que se case com um rei será rainha porque se presume que, havendo um rei, a rainha não manda nada e é simplesmente a esposa do rei. Para que a rainha seja a regente não pode estar casada com um rei e é por isso que o marido da rainha reinante tem de ser menos que rei. Senão seria ele a mandar. Isto só pode parecer discriminação em favor da mulher a quem também acreditar que três é um e que a bolacha é Deus. Para qualquer pessoa com discernimento é mais um exemplo de machismo e não de “privilégios da condição feminina”.

Portocarrero também critica a assimetria entre machismo e feminismo. «Um homem que considera as mulheres menos aptas para o exercício de um cargo ou profissão é, obviamente, machista. Mas, se uma senhora tecer a mesma opinião em relação aos cavalheiros, ninguém a acusará de feminista […] Em tese, também poderia haver um machismo bom e um feminismo mau.» Um machismo bom, duvido. Mas um feminismo mau, sim. O feminismo bom será o que defende a igualdade de direitos e rejeita a discriminação em função do sexo ou do género. O feminismo mau é também discriminatório, como o machismo. Por exemplo, é um feminismo bom defender que mulheres e homens devem poder fazer parte de corporações de bombeiros, ou de forças de segurança, sem discriminação. Mas será um feminismo mau o que defender que os testes físicos das mulheres devem ser mais fáceis do que os dos homens. Além de discriminatório, isto ignora o facto incontornável de que as exigências físicas das tarefas a executar não diminuem magicamente quando as tarefas são executadas por uma mulher.

No entanto, há uma grande diferença entre o machismo e o feminismo mau porque o machismo tem muitos séculos de tradição e uma aceitação social muito mais enraizada que qualquer feminismo, bom ou mau. Até os exemplos que Portocarrero escolheu demonstram isso claramente. Portanto, é como na canoagem. Quem remar olhando para o umbigo espera haver uma simetria entre a canoa apontar para aquele lado ou para o outro. Mas quem estiver atento à margem verá que é mais fácil empurrar a canoa a favor da corrente do que para o outro lado. Em águas paradas poderia ser como Portocarrero reclama mas, infelizmente, estamos muito longe disso. Tão longe que é preciso remar contra a corrente só para ficar parado e chamar feminismo à ideia tão simples de que devemos ter todos os mesmos direitos.

No entanto, concordo com Portocarrero quando afirma que «Impor restrições, por razão do sexo, no acesso aos cargos políticos, ou outros, é perverter a ordem da justiça». Mas lamento que seja inconsistente na aplicação desse princípio. Sendo padre, dá «graças a Deus por me ter chamado para a única profissão que elas nunca poderão exercer!» Não poderão porque, por razão do seu sexo, lhes impõem restrições no acesso a esse cargo. Mas, se não fosse essa perversão da ordem da justiça, poderiam perfeitamente fazer o que o senhor padre faz. Podem não ser muitas as mulheres com essa vocação, mas há com certeza algumas capazes de proferir disparates da mesma magnitude.

1- I Online, Eles e Elas.

15 comentários:

  1. "Não é que eu seja machista mas, pelo sim pelo não, dou graças a Deus por me ter chamado para a única profissão que elas nunca poderão exercer!"

    Eu acho que ele estava a brincar. É um poe concerteza.

    ResponderEliminar
  2. A brincar ou não, facto é que elas não podem exercer essa profissão (se bem que não seja graças a deus nenhum mas às regras que homens como ele inventaram...)

    ResponderEliminar
  3. A CIÊNCIA DOS HOMENS E DAS MULHERES E A DOUTRINA BÍBLIA DA CRIAÇÃO

    A Bíblia afirma que Deus criou o homem e a mulher à Sua imagem, como seres racionais e morais dotados de dignidade intrínseca e sacralidade.

    Ela diz que Jesus, sendo Deus, incarnou através de uma mulher, para morrer pelos pecados de homens e mulheres. A Sua ressurreição foi pela primeira vez vista e narrada por mulheres.

    Isto é muito diferente do que Charles Darwin dizia, quando se interrogava se homens e mulheres eram realmente da mesma espécie. Também é muito diferente do que diziam certos darwinistas, que classificavam o homem como Homo Frontalis, e a mulher como Homo Parietalis.

    Também é diferente do que ensinavam os “pensadores secularizados” da antiguidade, como Platão ou Aristóteles, que diziam que a mulher é um macho imperfeito, espiritual e racionalmente incompetente e se interrogavam como é que um homem inteligente pode perder tempo a falar com elas.

    Diferentemente, a Bíblia afirma que o homem e a mulher foram pensados para a complementaridade não apenas na reprodução (v.g. todos somos o produto de um espermatozoide e de um óvulo e todos herdamos 23 cromossomas de uma mulher e de um homem) mas em muitos outros domínios.

    Para choque de muita gente da época, Jesus empregava uma boa parte do seu tempo a falar com mulheres acerca do amor de Deus.

    Embora tenham igual dignidade, a mulher foi concebida para ser uma ajudadora do homem, que foi concebido para amar a mulher como Jesus amou a Igreja e a si mesmo se deu por ela.

    E a ciência mostra que, de facto, os homens e as mulheres tendem a ser diferentes e complementares, tendo estas capacidades superiores para fazerem várias coisas ao mesmo tempo.

    Os homens e as mulheres têm personalidades significativamente diferentes.

    Essa complementaridade de sexos, necessária ao nascimento de cada ser humano, é fundamental para o equilibrado e saudável desenvolvimento da personalidade.

    Esta complementaridade entre um homem e uma mulher é uma das maravilhas da criação, que dois homens ou duas mulheres nunca conseguirão igualar.

    É uma questão de qualidade e não apenas de quantidade.

    A igualdade da Bíblia significa igual dignidade na diferença e na complementaridade.


    P.S..

    ResponderEliminar
  4. P.S. Fósseis de insectos que, apesar de datados pela cronologia uniformitarista como tendo milhões de anos, e coexistindo com os dinossauros, apresentam-se excecionalmente bem preservados, corroborando o seu sepultamento abrupto recente, como a Bíblia ensina.

    O que eles dizem:

    "The exquisite quality of preservation of the fossils..."

    "Some layers have provided dinosaur footprints..."

    ResponderEliminar
  5. Que treta!
    Só de olhar para a foto vê-se logo que foi há pouco tempo... Nunca mais de 5000 anos!

    Pergunta: que diabo tem esta coisa a ver com o post original do machismo?!? Deve ser uma pulga aquática feminista, ou seria machista?

    Que diabo! Este, nunca mais aprende!

    ResponderEliminar
  6. Charles Darwin escreveu que as mulheres são seres menos evoluídos que os homens, com um cérebro mais pequeno, infantis, menos inteligentes, menos espirituais e mais materialistas. Ele descreveu-as como um perigo para a civilização contemporânea!

    Em Génesis 1, a Bíblia ensina que o homem e a mulher foram criados à imagem de Deus. Prefiro a visão bíblica!

    P.S. O fóssil foi encontrado hoje por cientistas de hoje, não trazendo uma etiqueta a dizer a sua idade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se como diz, "não tem etiqueta a dizer a idade", como pode concluir que são recentes? Porque não podem ser antigos, tipo, centenas de milhões de anos? Só porque a sua cabecinha pequenita não consegue alcançar tal ideia? Ou porque tem um livro acabado de escrever há 2 mil anos que diz que não? E se estiver errado? E todos estiverem errados? E depois?

      O que é que isso interessa? NADA!!!!

      Eliminar
    2. "Charles Darwin escreveu que as mulheres são seres menos evoluídos que os homens, com um cérebro mais pequeno,"

      Provávelmente você é menos evoluido do que um burro ou um boi, visto que o cérebro deles é maior que o seu!

      Eliminar
    3. "Provávelmente você é menos evoluido do que um burro ou um boi"

      Meu caro, se escreve tais barbaridades é porque não percebe absolutamente nada de evolução!
      Não existem seres mais e menos evoluídos. Apenas seres que existem agora e outros que deixaram de existir. Tudo o resto é invenção!

      Quanto ao duplo sentido, deixo à sua consideração retratar-se.
      Termino com a indicação de que eu não me escondo com pseudónimos ou "avatars" (mais moderno). Simplesmente não preciso de tais banalidades.

      Eliminar
  7. Respostas
    1. As respostas, tal como ensinou Descartes, estão espalhas pelo mundo!
      É preciso 2 coisas: esquecer tudo o que nos ensinaram e partir à descoberta.

      Eliminar
  8. São Antonio: “Qualifica à mulher como a besta e arma do diabo”. São João Damasceno diz: “a mulher é uma burra obstinada e um bicho terrível no coração do homem”. São João Crisóstomo diz: “soberana peste é a mulher, dardo do demônio”. São Boaventura diz: “a mulher é como um escorpião disposto a picar. É a pinça de Satanás”. São Tomás de Aquino diz: “A mulher só é necessária para a conservação da espécie. Considerada com a natureza particular; a mulher é algo deficiente e frustrado, já que a virtude activa reside no sêmen do homem. Que é a mulher? Responde taxativamente que é um varão frustrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto delas!
      E sobretudo, gosto de apreciar.
      Tudo o que é bom e belo deve ser apreciado!

      Eliminar
    2. Salvo melhor juízo, acho que fui incompreendido. Não sou machista e tal como tu gosto demasiado das mulheres. O comentário traz citações atribuídas a figuras top da história que infectadas pelo apelo religioso exibem um machismo patológico lamentavelmente defendido e/ou praticado por alguns em dias atuais. Saudações,

      Eliminar
  9. Este gajo é mesmo a sério ou é um troll? Não posso acreditar que tamnha estupidez exista no século 21 num país Europeu!!!!!!

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.