sábado, outubro 07, 2006

Introdução à Blinologia

A blinologia é a disciplina do conhecimento e revelação que estuda os Blins, como o nome indica. Responderei aqui a algumas perguntas acerca desta visão do Universo, que abarca as questões mais profundas acerca do sentido da nossa existência.

O que são os Blins?

Os Blins são os perfeitos criadores do Universo, omnipotentes, omniscientes e omniverdes. São a Origem e o Fim, a Vida e a Morte, o A e o Ya. O blinólogo escolástico São Francisco de Alcabideche declarou em 1208 que os Blins seriam também aqueles alfinetes com cabeça em forma de joaninha que se espetam nas plantas de plástico. Historiadores modernos afirmam tratar-se de um erro na tradução do original hebraico, mas hoje em dia a adoração destes adereços é uma parte importante do culto Bliniano.

Porquê estudar os Blins?

O estudo dos Blins é o mais elevado empreendimento do intelecto humano, pois é a única via para revelar o propósito do Universo, o sentido da vida, e a verdadeira utilidade dos alfinetes com cabeça em forma de joaninha.

Mas não há evidências que os Blins existam, pois não?

A existência dos Blins é uma questão metafísica e transcendente que não pode ser abordada pela ciência, pois o método científico assume à partida uma posição exclusivamente ablínica. Mais, aceitar a existência dos Blins é um acto de fé, e a única forma de receber a Sua graça. Por isso nunca poderá haver argumentos ou evidências que demonstrem a existência dos Blins.

E se a fé não me chega para aceitar que os Blins existem?

Nesse caso, há argumentos e evidências que demonstram a existência dos Blins. Por exemplo, o argumento ontológico. Sendo os Blins os seres mais perfeitos que se pode conceber, e sendo um ser que existe mais perfeito que um que não existe, forçosamente os Blins terão que existir. Podemos também demonstrar a sua existência pelo argumento da afirmação, que diz que os Blins existem porque sim.
As evidências são também claras. O Universo é de tal forma complexo que a sua origem não pode ser explicada pelo acaso, o que prova que é uma criação dos Blins. Também a natureza humana testemunha a existência dos Blins, pois todos os povos e culturas crêem em seres sobrenaturais.

Quantos Blins existem?

O Credo Blim é bastante claro e explícito, dispensando qualquer explicação: «Creio em três Blins, e apenas três. Creio que os Blins são exactamente vinte e seis, e o seu número, que é quantos são, é trezentos e doze. Excepto às quartas feiras.»

Mas isso não é uma contradição?

Não.

Como explicar a existência do vermelho?

Este um dos grandes problemas por resolver na blinologia. Sendo os Blins omnipotentes e omniverdes, a existência do vermelho é algo surpreendente. Será talvez um mistério que ficará para sempre além da compreensão humana. Mas a hipótese mais aceite é que a existência do vermelho foi consequência do livre arbítrio humano, e da escolha que levou à expulsão do Paraíso, onde tudo era verde. Este exercício de vontade que levou a espécie humana a afastar-se da perfeição do verde é relatado com grande beleza nos escritos sagrados Blim, nomeadamente na história de Lucinda, o tremoceiro, e os três porcos cantores.

E o que faz um blinólogo?

Como investigador, o blinólogo pesquisa textos antigos de blinólogos já falecidos, num esforço incessante para rescrever as mesmas ideias em frases ligeiramente diferentes. Este trabalho de leitura e contemplação metafísica tornam-no especialmente apto para se pronunciar sobre temas como a investigação em medicina, genética molecular, contracepção, e a orientação sexual de cada indivíduo.

7 comentários:

  1. Na jamaica e nos states, principalmente em grupos da cultura hip hop, as jóias e adornos são ainda chamados de "bling bling", claramente uma prova irrefutável da existência dos Blins.

    ResponderEliminar
  2. Não esquecer que apenas os blinólicos são detentores da verdadeira verdade, e únicos possuidores dos valores humanistas representadaos pela Religião Blinã.
    Ou seja, os valores que eles defendem (comer caracóis ao sábado, calçar peúgas diferentes, não fazer aos outros o que não queiramos que não nos não façam a nós, entre outros)são esclusivos dos blinólicos, pelo que qualquer pessoa que não o sejanão os pode professar nem praticar.

    ResponderEliminar
  3. Fantástico!
    Converti-me. Onde é a igreja dos blinólogos?

    ResponderEliminar
  4. Esta fé resultou de algum cisma com aqueles que seguem o Flying Spaguetti Monster?

    ResponderEliminar
  5. Eu por mim tenho mais fé no blins que no spaguetti.
    Genial!

    ResponderEliminar
  6. Blins... bahhh, isto é coisa de ignorantes, isto não existe, tudo mundo sabe que a Verdade está na Escrotoência, que usa métodos pragmáticos de experimentação e comprovação em laboratórios onde reproduzimos fielmente TODOS os fenômenos da natureza, os dissecamos e então deixamos TUDO Escrotoênticamente PROVADO.
    Nós Escrotoêntistas temos e somos os donos da Verdade, o resto é ignorãncia. E tenho dito!

    ResponderEliminar
  7. I think these blins are a splinter group of the more orthodox Flying Spaghetti Monster. I just hope they don't start a war that leads to the great schism. We have enough blood with the Sunnis and Shias !

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.