sexta-feira, agosto 12, 2022

É moeda, só que não.

Hugo Ramos é um guru português da Bitcoin. É o autor do price to time model, segundo o qual cada Bitcoin iria valer $200000 no final de 2021 (1), e de vários canais no YouTube intitulados «F U Money»(2). Em Maio, Ramos reagiu a uma conversa sobre cripto-activos entre Mariana Mortágua e Adolfo Mesquita Nunes (3). O estilo do discurso torna o vídeo doloroso de assistir mas Ramos revela aspectos do evangelismo da Bitcoin que é importante conhecer, especialmente se alguém pensa meter-se nisto. Antes de mais, devo declarar que até há uns anos fui entusiasta desta tecnologia e talvez volte a ser se alguma coisa sobrar depois dos reguladores acabarem com as aldrabices. Mas por agora só estou fascinado a ver o camião do lixo a arder.

Ramos começa por contradizer Mortágua afirmando que a Bitcoin é uma moeda e não um activo financeiro, e explica que só não é moeda porque legalmente não é reconhecida como tal. O que é estranho porque uma moeda distingue-se de um activo precisamente pelo seu estatuto legal. Depois diz que é moeda em El Salvador. Realmente, lá o governo obriga os comerciantes a aceitar Bitcoin e tentou que a população adoptasse a Bitcoin como moeda. Não teve sucesso (4) mas, legalmente, em El Salvador Bitcoin devia funcionar como moeda. No entanto, quando Mortágua apontou que tinham perdido dinheiro por comprar Bitcoin mais cara do que está agora, Ramos disse que não porque só se perde dinheiro com um activo financeiro quando se vende esse activo e, além disso, muitos ganharam porque compraram quando o preço estava inferior ao que está agora. Para quem estiver na dúvida acerca do que é a Bitcoin, é simples: é o que der mais jeito, moeda quando sobe para contar logo o ganho e activo quando desce porque nesse caso só conta como perda se venderem. O importante é que comprem sempre.

Acerca do uso ilegal de activos criptográficos, Ramos aponta que há mais uso criminoso de dólares do que de Bitcoin. Mas isto diz pouco. Não só porque há muito mais valor em dólares do que em activos criptográficos mas, e especialmente, porque o mercado destes activos não é regulado e muito que seria crime em dólares não foi ainda declarado ilegal com Bitcoin. Por exemplo, as transacções de activos criptográficos parecem ser maioritariamente falsas (wash trading), sendo o vendedor também o comprador (5). Isto serve para manipular preços ou dar uma ideia falsa de liquidez e é crime em mercados regulados. Como este mercado não tem regulação legal, ninguém foi preso por isto. Este mercado é regulado apenas pela decência natural que sabemos caracterizar quem quer ganhar dinheiro seja por que meios for.

Outro aspecto interessante da apologia da Bitcoin é uma ideologia libertária que Mortágua descreve como infantil mas que eu julgo ser demasiado hipócrita para tal benevolência. Por exemplo, Ramos defende que o princípio fundamental que justifica a Bitcoin é a liberdade das pessoas criarem o seu dinheiro e não serem oprimidas pelo Estado. Mas ao mesmo tempo Ramos opõe todos os activos criptográficos que não sejam Bitcoin, aos quais chama shitcoins, e aplaude a decisão do governo de El Salvador de obrigar os comerciantes a aceitar Bitcoin quer queiram quer não. A retórica de Ramos acerca da economia também é confusa e contraditória. Insurge-se repetidamente contra o que chama “economia Keynesiana”, ser ser claro o que quer dizer, e protesta contra a inflação apontando que imprimir dinheiro tira valor ao dinheiro que as pessoas têm. Mas depois pergunta porque é que o Estado cobra impostos se pode imprimir dinheiro. Pois é precisamente para mitigar a inflação que de outra forma resultaria ao pagar polícias, professores, médicos e assim por diante. Neste contexto, Ramos alega que a Bitcoin é a forma mais segura de guardar valor porque é impossível de roubar ou confiscar e não depende do Estado. Mas basta aos meliantes uma corda e um barrote para em poucos minutos persuadir Ramos a dar-lhes as chaves criptográficas e assim roubar-lhe irreversivelmente as Bitcoin. Ramos precisa de um Estado que o proteja destas coisas, mais ainda do que se tivesse o dinheiro no banco. A ideologia supostamente libertária que Ramos apregoa parece ser só demagogia para disfarçar o problema da utilidade prática da Bitcoin ter morrido afogada em especulação.

Se se conseguir resolver os problemas de escala, consumo de energia, e regulação, esta tecnologia de transacções distribuídas pode ter alguma utilidade. Mas o valor económico desta aplicação será talvez uma milésima do que alegam ser agora o valor total dos activos criptográficos. O preço de uma Bitcoin multiplicado pelo total em circulação dá quase quinhentos mil milhões de euros. Só que isto nem corresponde ao dinheiro disponível para comprar Bitcoin nem deriva de qualquer negócio que justifique os 23 mil euros por Bitcoin. O preço cai sempre que ao volume regular de transacções fictícias se junta uma fracção a trocar Bitcoin por dinheiro porque para isso é preciso gente disposta a meter dinheiro no sistema. É essa necessidade de aguentar a pirâmide que orienta o discurso dos cripto-evangelistas, as “mãos de diamante” e os olhos de laser.

Eu não tenho qualificações para dar conselhos sobre investimento financeiro. Mas se alguém estiver interessado em investir nestes activos recomendo o esforço de ver o vídeo de Ramos (3). Oiçam Ramos tendo em mente que quem investiu nisto só lucra se outros a seguir investirem mais ainda.

1- YouTube, P2T Model (Bitcoin) Revealed for the First Time on Tone Vays Channel - 3rd Jan 2021
2- Ver mais em fyoumoneypod.com
3- YouTube, F You Money! [#12] Hugo Responde à Amiga Mariana Mortágua Sobre a Bitcoin - Take #2
4- Investing, NBER: El Salvador’s Bitcoin Legal Tender Adoption Failed To Take-Off
5- Pennec et al., Wash trading at cryptocurrency exchanges

3 comentários:

  1. se ainda tivesses as 10 bitcoins valeriam agora 200 mil euros ou dólares uma vez que estamos na paridade, era um bom fundo de reforma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOTE 144 - VENEZUELA, MOEDA DE 5 BOLIVARES EM PRATA 900, ANO 1936 - MOEDA DA REPÚBLICA DA VENEZUELA, BOLIVAR LIBERTADOR. PESO INDICATIVO DE 25 G. DIM: 37 MM (DIÂMETRO). SEM CLASSIFICAÇÃO ATRIBUÍDA PELA OPORTUNITY LEILÕES, CABE AO LICITANTE ATRIBUIR A CLASSIFICAÇÃO E A VALORIZAÇÃO QUE ENTENDER CORRETA




      Click na Imagem para Aumentar
      AnteriorPróximo
      Item Similar
      Lance Actual: €2

      Eliminar
    2. LOTE 224375060 DE 150:
      LOTE 60 - POSTAIS DA ALEMANHA NAZI - CONJUNTO DE 6 POSTAIS A PRETO E BRANCO COM IMAGENS ALUSIVAS À ALEMANHA NAZI. DIM: 12X8 CM




      o valor que se dá a algo sejam bitcoins ou 1 página de guttenberg é sempre subjectivo postais de Hitler valem mais que moedas de Ag pra derreter
      Lance Actual: €16

      Eliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.