quinta-feira, dezembro 01, 2016

Treta da semana (atrasada): “Racionalidade”.

No dia 13 de Outubro de 1917, dezenas de milhares de pessoas foram a um descampado perto de Fátima com o intuito de assistir a um milagre. Dessas, várias relataram ter testemunhado o Sol a bailar e maravilhas afins. Seguindo Hume, Dawkins argumentou que, por muito improvável que pareça que tais relatos possam surgir sem um milagre, menos provável ainda será que um deus tenha feito o Sol bailar. O Domingos Faria escreve que Dawkins cometeu «uma clara falácia do "homem de palha" [...] porque ninguém que investigou seriamente e que procura defender racionalmente esse fenómeno de Fátima sustenta que "o Sol realmente se moveu".» (1) É bom ver que Faria e Dawkins concordam nisto. O que as pessoas dizem ter testemunhado não foi o que realmente aconteceu. Mas Faria não dá o devido crédito à crença irracional de milhões de católicos fiéis que acreditam que o Sol bailou, que Maria apareceu e que podem obter curas e favores arrastando-se de joelhos em Fátima e queimando cera. Sem essa irracionalidade nem haveria o negócio dos milagres nem a apologética erudita de Faria teria mais adeptos que a análise “séria e racional” dos milagres de Osiris.

Também não me parece que a hipótese de Faria seja mais racional do que a do Sol bailarino. Alega Faria que apenas ocorreu um fenómeno meteorológico e que o milagre esteve «na previsão impressionante desse fenómeno meteorológico (pois os pastorinhos anunciaram com antecedência e precisão o dia, hora, e local desse fenómeno». A previsão não é muito impressionante, pois nem os videntes previram o que iria acontecer nem os testemunhos concordam acerca do que teria acontecido. Mas, se é para explicar isto com um milagre, um deus omnipotente podia ter feito o Sol bailar e eliminado, ao mesmo tempo, todos os efeitos desse baile fora daquele descampado em Fátima. Isto exigiria apenas uma infinitésima parte do seu poder infinito e evitava enganar os crentes que, na sua ignorância, julgaram ver o milagre do Sol a bailar num mero “fenómeno meteorológico”. Para um deus moralmente perfeito, isto deveria compensar o esforço infinitesimal de fazer um milagre de jeito.

Faria alega também que a hipótese de Deus existir torna a previsão correcta dos videntes menos improvável do que seria sem Deus: «dada a existência de Deus, [o milagre da previsão] não será impossível nem talvez bastante improvável.» No entanto, o poder explicativo dessa hipótese é meramente ilusório. Retrospectivamente, a hipótese do deus milagreiro ajusta-se a tudo e um par de botas. É por isso que parece explicar qualquer mistério. No entanto, esta hipótese é análoga a um “é o destino” ou um “tudo pode acontecer”. Se Faria tentar usar essa hipótese para estimar a probabilidade de um vidente prever correctamente eventos futuros, facilmente constatará que a hipótese é inútil. Assumir que Deus existe não permite alterar a probabilidade estimada de qualquer acontecimento futuro. Apenas cria a ilusão de o fazer nos acontecimentos passados, pelo que é irracional aceitá-la como explicação.

Ironicamente, esta falha na racionalidade da análise de Faria sugere uma hipótese alternativa mais racional. As histórias das crianças levaram muita gente à procura de milagres. Algum exagero e imaginação no que viram, misturado com o que esperavam ter visto, resultou em relatos difíceis de explicar assumindo-os verdadeiros. Neste contexto, a facilidade com que aceitamos explicações ilusórias, especialmente quando se alinham com os nossos preconceitos, popularizou a tese dos milagres e o concomitante negócio de cera e joelheiras. Não é uma sequência muito provável. Na maioria dos casos, o encadeamento falha e o processo fica-se pelo caminho. Não se vê grandes peregrinações à casa da Alexandra Solnado, por exemplo. Mas há sempre tantos videntes a tentar a sorte que, de vez em quando, lá surge uma Fátima, Lourdes, Mecca, Jerusalém ou Lumbini. Esta é uma explicação muito melhor do que a do milagre. Não só por depender apenas de factores independentemente confirmáveis mas também por fazer previsões substanciais e falsificáveis. Por exemplo, se esta for a explicação correcta, em vez daquela que Faria propõe, então nenhum vidente, sacerdote ou místico tem poderes especiais, não há milagres, não há deuses e todas as religiões são falsas. Seria muito fácil refutar tal previsão se estivesse errada, mas o estado patético dos milagres de agora, reduzidos à mera previsão de fenómenos meteorológicos, sugere o contrário.

Finalmente, Faria alega que o Carlos Pires, no Dúvida Metódica, não tem justificação para afirmar que «Os milhões de pessoas que acreditam no milagre de Fátima acreditam, portanto, numa falsidade»(2). Isto porque, segundo Faria, «o argumento de Hume não é metafísico mas sim epistémico» e, por isso, «No máximo o que se pode concluir com uma argumentação humeana é o seguinte: os milhões de pessoas que acreditam no milagre de Fátima acreditam em algo que é, do ponto de vista epistémico, irrazoável ou irracional.» Mas isto não é o máximo que se pode concluir. É verdade que as afirmações acerca da realidade podem ser verdadeiras ou falsas independentemente daquilo que nós sabemos acerca da realidade. No entanto, nós só podemos concluir acerca da falsidade ou verdade de tais afirmações em função daquilo que sabemos. A metafísica sem fundamento epistémico é, literalmente, argumentar com base na ignorância. A validação epistémica de alegações não é um mero “ponto de vista”. É a única forma que temos para distinguir entre tretas e afirmações correctas. Por isso, se reconhecemos que a crença no milagre de Fátima é irracional, temos toda a justificação para concluir que não ocorreu lá milagre nenhum e que essa crença é falsa.

A metafísica sem fundamento epistémico permite alinhar a argumentação erudita com qualquer disparate popular. Isto pode dar jeito mas não é por isso que o disparate deixa de o ser.

1- Domingos Faria, Hume, Fátima, e o Milagre do Sol.
2- Carlos Pires, Milagre??

13 comentários:

  1. Ludwig,

    Parece-me claro que nada percebes deste assunto. Aliás, bastava uma leitura rápida na Bíblia, e já ficavas a saber que, não existem previsões, só posvisões - a Bíblia tem desses casos aos pontapés. Não acreditas? Hum... olha que não acredito nisso... ;)

    De qualquer forma, ficam aqui umas perguntas: o que é a mensagem de Fátima? É só a cena de rezar o terço todos os dias, para que Deus deixe de estar zangado com o pessoal, e assim deixe de nos enviar para o inferno? Se temos o evangelho, para que precisamos da mensagem de Fátima?
    Portanto, com tantas questões teológicas importantes, e vens tu falar de malabarismos astronómicos, meteorológicos ou até de paranoia coletiva...

    Meu caro, tens de voltar para o Django e que o Pyton te proteja.

    ResponderEliminar
  2. Este post levanta várias questões. Para não alongar excessivamente o comentário vou cingir-me a duas questões.
    A primeira relaciona-se com Richard Dawkins e as pessoas que pensam como ele, os chamados naturalistas, ateus ou céticos. Até há uns anos atrás, eu pensava que Dawkins e outros defendiam a razão mas quando comecei a ler com mais atenção percebi que Dawkins e outros que pensam como ele são pessoas intelectualmente desonestas nas discussões que travam com os seus oponentes, isto para ser brando. Utilizam várias técnicas desonestas nas discussões como, por exemplo, desferir ataques pessoais contra investigadores, tentar desencorajar ativamente a investigação de fenómenos que não lhes agradam, fugir à discussão dos casos mais fortes, utilizar o ridículo em vez de argumentos concretos e muitas outras. Um exemplo que está na Internet foi um debate que Dawkins travou há uns anos com o biólogo britâncio Rupert Sheldrake sobre a telepatia. Neste caso de Fátima, Dawkins defende no seu livro A Desilusão de Deus que o chamado Milagre do Sol foi uma alucinação coletiva. Diz ele que por muito improvável que esta explicação seja, a alternativa, ou seja um fenómeno dito sobrenatural, é inaceitável. Este tipo de raciocínio nada tem de científico e na verdade significa dogmatismo e fanatismo. Dá mau nome à ciência um indivíduo que se considera cientista utilizar este tipo de argumentos. Quando defendemos uma explicação, ela deve impor-se pelos seus próprios méritos e não apenas por as alternativas serem piores. Isso é o que fazem os defensores das teorias da conspiração que por aí pululam. Por exemplo, no caso do assassinato de John Kennedy, existem várias teorias alternativas à versão oficial. Esta última diz que Kennedy foi assassinado por Lee Harvey Oswald que atuou isoladamente. As teorias alternativas dizem que ele atuou por instigação e com o auxílio da Mafia, da Cia, do governo cubano ou dos exilados cubanos anticastristas, entre outras possibilidades. No entanto, quando vamos analisar os méritos de cada uma destas teorias, o que é que vemos? Nada de positivo, apenas uma crítica às inconsistências da versão oficial acompanhadas de uma explanação dos motivos, por exemplo, da Mafia mas nenhuma evidência positiva para qualquer uma dessas teorias. Ora, isso não chega porque haver inconsistências na versão oficial por si só não demonstra a verdade das teses alternativas, é preciso haver evidências que apoiem diretamente essas teses. Isto porque a versão oficial pode ter inconsistências por muitas razões. No caso dos acontecimentos de Fátima, é a mesma coisa. Qual é a evidência positiva a favor da hipótese de alucinação coletiva? Nenhuma, zero porque alucinações coletivas simplesmente não existem, nada existe na literatura científica que comprove a sua existência a não ser em casos muito especiais que não se aplicam ao que estamos a falar. Aliás, não é difícil de perceber que a alucinação coletiva é um contrassenso pois que a alucinação é algo de bizarro e individual. Em alguns doentes esquizofrénicos, existe um fenómeno de alucinações compartilhadas, a chamada folie à deux ou à trois mas trata-se de factos muito raros que envolvem poucas pessoas e cuja existência é contestada por muitos psiquiatras. Este tipo de tática é muito comum nos naturalistas que quando confrontados com factos que lhe desagradam, dizem que eles são impossíveis (que arrogância esta de considerar que isto ou aquilo é impossível quando nós conhecemos tão pouco da natureza), portanto, temos de encontrar uma explicação alternativa, por mais bizarra que esta seja. Isto não é ciência, é fanatismo e dogmatismo. Estes indivíduos não são racionalistas mas, parafraseando Álvaro Cunhal eu chamar-lhes-ia irracionalistas de fachada racionalista. E depois admiram-se que 40% dos britânicos não acreditam na teoria da evolução

    ResponderEliminar
  3. A segunda questão tem a ver com a Igreja Católica. Devo dizer que não sou católico, não gosto da Igreja Católica e não aceito a versão da Igreja para os acontecimentos de Fátima. E não aceito essa versão porque me parece absurdo e até blasfemo acreditar que a mãe de Jesus fosse descer à Terra naquelas condições para proferir uma mensagem de conteúdo tão banal. No entanto, devo dizer que a forma como os céticos e ateus tratam a atitude da Igreja perante estes casos nada tem em comum com a realidade. A Igreja Católica é uma instituição conservadora e tem grande receio de ser acusada de abusar da credulidade popular pelo que não cria as chamadas Aparições Marianas (o que não quer dizer que, posteriormente, não se aproveite delas para, entre outras coisas, promover o turismo religioso e reforçar a devoção dos fiéis. Desde a Idade Média, encontram-se descritas centenas de casos de Aparições Marianas e a Igreja só aceitou como genuínos um número muito pequeno, a maioria nos séculos XIX e XX. Aliás, a Igreja é muito cautelosa em aceitar a genuinidade de fenómenos ditos sobrenaturais e só os aceita após aturada e rigorosa investigação. Não é por acaso que na investigação para a beatificação e canonização dos santos, existe a figura do chamado advogado d diabo que argumenta vigorosamente contra a ocorrência dos chamados milagres. Por exemplo, nas aparições de Medjugorje, na Bósnia, a Igreja ainda não aceitou a sua autenticidade existindo até indícios fortes de fraude neste caso. No caso do chamado Milagre do sol, há que dizer que ele foi visto a não só pelos fiéis mas também por observadores críticos incluindo, pelo menos, um jornalista e um professor universitário. Então o que se passou em Fátima em 1917? Parece-me claro que, vendo as coisas com objetividade, é difícil de resistir à conclusão que algo de cientificamente inexplicável ocorreu. O quê? Sinceramente, não sei. Mas é certo quer a Igreja não inventou os fenómenos (há até relatos que o bispo local procurou dissuadir as crianças de os relatar) se bem que se aproveitou deles e os manipulou para reforças a sua popularidade. Com sucesso, deve-se dizer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudio Filipe,

      Sobre as questões relativas à evolução, eu não partilho de todo a sua opinião.
      Em vez de tentar argumentar, peço-lhe que considere ler o seguite post http://freethoughtblogs.com/pharyngula/2016/12/17/i-get-email-49/. É sempre melhor deixar quem percebe sos assuntos dizer e argumentar. Há muita gente (demasiada?) a falar do que não sabe e a falar do que não compreende.

      Eliminar
  4. PEDERASTA INCULA BAMBINI DANIELE MINOTTI (AVVOCATO CRIMINALE DI RAPALLO SU FACEBOOK: NAZI, LAVA CASH MAFIOSO, AGENTE SEGRETO IN COPERTO DI TIPO KILLER). SUA LA SETTA DI SATANISTI STUPRA BIMBI CON GIULIANO FERRARA, ANSELMA DEL'OLIO E GIUSEPPE LAZZARI!!
    1
    LO HAN BECCATO UN'ALTRA VOLTA A STO SCHIFOSO SATANISTA, ANZI, A STO SATANAZISTA PEDOFILO DI DANIELE MINOTTI, AVVOCATO CRIMINALISSIMO DI RAPALLO E GENOVA (
    Sede di Rapallo (GE)
    Via della Libertà, 4/10 – 16035 RAPALLO (GE)
    Tel. +39 0185 57880
    Fax +39 010 91 63 11 54

    Sede di Genova
    Via XX Settembre 3/13 16121 – GENOVA)
    CHE EFFETTUA ANCHE, DA SEMPRE, TANTISSIMO RICICLAGGIO DI DENARO MAFIOSO, COME ROVINA O TERMINA LA VITA DI GENTE PER BENISSIMO (ANCHE ORDINANDO OMICIDI), ATTRAVERSO COMPLOTTI MASSO-N-AZIFASCISTI, OSSIA, DI LOGGE SATANICHE DI ESTREMISSIMA DESTRA. STO VERME SCHIFOSO DI DANIELE MINOTTI FACEVA PARTE DI UNA SETTA DI PEDERASTA BERLUSCONIANI. IL CUI KAPO', E' OVVIAMENTE, IL PEDOFILO MAXIMO, IL SUO CAROGNESCO MANDANTE DI MILLE CRIMINALITA' E STALKING VIA WEB, METASTASI DI DEMOCRAZIA E GIUSTIZIA: SILVIO BERLUSCONI.

    http://www.huffingtonpost.it/2015/03/26/intervista-gianni-boncompagni_n_6945522.html

    http://www.giornalettismo.com/archives/104797/berlusconi-pedofilo-mafioso/

    DI CUI IL NUMERO DUE E' IL SACCO STRA COLMO DI ESCREMENTI, NOTISSIMO PEDOFILOMOSESSUALE TANTO QUANTO, GIULIANO FERRARA ( LUI STESSO CONSIGLIA IL FARSI SODOMIZZARE, QUI

    http://www.blitzquotidiano.it/politica-italiana/giuliano-ferrara-omosessualita-giochetto-consiglio-contro-natura-1483446/).

    VOLETE ALTRE PROVE? ECCOLE QUA. IAMM BELL, IA'! LA, INVECE LEI, NOTA LESBICA, ZOCCOLONA MOGLIE DI GIULIANO FERRARA, ANSELMA DELL'OLIO ( PEDOFILISSIMA ANCHE LEI, SPESSO IN ORGE LESBO CON POCO PIU' CHE BAMBINE), IN QUESTO VIDEO CHE SEGUE

    http://video.corriere.it/sesso-11enne-arrestato-regista-giuseppe-lazzari-l-intervista-rai/4287e44c-5e41-11e6-bfed-33aa6b5e1635

    DAVA DEL GENIO AL SODOMIZZA BIMBI ( COME I SUOI COMPARI SATANISTI E SATANAZISTI DANIELE MINOTTI, GIULIANO FERRARA ED IL GIA' TRE VOLTE IN GALERA PAOLO BARRAI, NATO A MILANO IL 28.6.1965, DI CRIMINALISSIMA WORLD MAN OPPORTUNITIES LUGANO E WMO SA PANAMA), L' APPENA ARRESTATO PER PEDOFILIA: REGISTA GIUSEPPE LAZZARI ( PEDOFILO E NON PER NIENTE, DA SEMPRE BERLUSCONIANISSIMO... OO CHE CASO, OO).

    http://brescia.corriere.it/notizie/cronaca/16_agosto_11/pedofilia-arrestato-regista-bresciano-giuseppe-lazzari-5e4ca24a-5fb2-11e6-bfed-33aa6b5e1635.shtml

    ResponderEliminar
  5. 2
    CHE FACEVA SESSO CON UN BAMBINO DI 11 ANNI, A RAVENNA. COME AVRETE NOTATO NEL VIDEO, LA PEDOFILA TANTO QUANTO, ANSELMA DELL'OLIO, DAVA DEL GENIO AL SUO COMPARE PEDERASTA GIUSEPPE LAZZARI. IN QUANTO PARTE DELLA STESSA SETTA SATANISTA E PEDOFILESCA DI SILVIO BERLUSCONI, GIULIANO FERRARA, PAOLO BARRAI DI CRIMINALISSIMA WORLD MAN OPPORTUINITES LUGANO ED IL CITATO NOTO AVVOCATO SODOMIZZA BAMBINI: DANIELE MINOTTI DI GENOVA E RAPALLO, PURE AGENTE SEGRETO IN COPERTO, DI TIPO ASSASSINO. SI, ASSASSINO, PER OVRA E GESTAPO PUBBLICHE E PRIVATE DI SILVIO BERLUSCONI ( VOLETE PROVE ED INIDIZI? IAMM BELL, IA'....GUARDATE QUESTI LINKS, PLEASE.... GUARDATE COME STO PEDERASTA INCULA BAMBINI DI DANIELE MINOTTI, AVVOCATO CRIMINALISSIMO DI RAPALLO E GENOVA, SEMPRE DIFENDA SUOI DEPRAVATI "COLLEGHI", OSSIA VOMITEVOLI PEDOFILOMOSESSUALI COME LUI
    http://www.lettera43.it/cronaca/adescava-minorenni-sul-web-miltare-a-processo_43675123449.htm
    http://genova.repubblica.it/cronaca/2014/02/26/news/sesso_virtuale_in_cambio_di_soldi_per_videogame-79717213/
    http://www.ansa.it/liguria/notizie/2014/06/20/adescava-minori-sul-web-condannato_36c57304-90aa-4c7f-8463-c7d610ed10dd.html
    http://iltirreno.gelocal.it/massa/cronaca/2013/04/19/news/casolare-a-luci-rosse-il-pm-7-anni-e-mezzo-all-ex-dipendente-nca-1.6917147
    E QUI A SEGUITO, LEGGETE, SEMPRE, PLEASE, LA TESTIMONIANZA DI STEFAN CUMESCU, CHE DA BAMBINO FU STUPRATO, FU SODOMIZZATO A SANGUE, FU SODOMIZZATO A MORTE, DAL BASTARDO NAZIPEDERASTA DANIELE MINOTTI, MASSONE NEO PIDUISTA, AVVOCATO DI MAFIOSI E CRIMINALI DI OGNI, DI GENOVA E RAPALLO
    http://www.devsuperpage.com/search/Articles.aspx?hl=en&G=10&ArtID=1908142&KeyWords= ).

    ED ECCO UN ALTRO TESTO CHE CHIARISCE QUANTO IL FIGLIO DI PUTTANA DANIELE MINOTTI STESSO, DA SEMPRE, RICICLI SOLDI KILLER, DI COSA NOSTRA, CAMORRA E NDRANGHETA, A GO GO!!!

    http://grokbase.com/t/python/python-list/148jckyh1w/avvocato-pedofilomosessuale-ed-assassino-daniele-minotti-facebook-oltre-che-nazi-megalava-euro-mafiosi-e-come-detto-mandante-di-omicidi-o-suicidate-stalker-di-eroe-civile-michele-nista-su-ordine-di-tiranno-fasciocamorrista-silvio-berlusconi

    http://anti-matrix.org/Convert/Articles_Conspiracy/Conspiracy/Conspiracy-Selected-Articles-140730152020.html

    ResponderEliminar
  6. Ó sr. António Carvalho, quais é que foram as referências à evolução que fiz no meu comentário? Deixe de dizer disparates.

    ResponderEliminar
  7. Ó Sr. Claudio Filipe,

    Eu ajudo a lembrar, porque o seu texto é mesmo muito longo:

    «A primeira relaciona-se com Richard Dawkins e as pessoas que pensam como ele[...] são pessoas intelectualmente desonestas nas discussões que travam com os seus oponentes, isto para ser brando.»
    «[...]Este tipo de tática é muito comum nos naturalistas que quando confrontados com factos que lhe desagradam, dizem que eles são impossíveis[...]»
    «[...]E depois admiram-se que 40% dos britânicos não acreditam na teoria da evolução.»

    Talvez possa substituir evolução por naturalismo. Creio no entanto que o caso é irrelevante; o seu texto é suficientemente esclarecedor.
    De qualquer forma, não sou eu a dizer disparates. As taticas dos anti-naturalismo/anti-evolução são mais do que conhecidas: e são precisamente ao contrário do que diz, quer goste quer não goste dos argumentos.
    O caso mais espetacular, foi durante o julgamento Kitzmiller vs Dover.
    É que nem é assunto para mais debate.

    ResponderEliminar
  8. Ó Sr. António Carvalho, volta a dizer disparates. Quando critiquei Dawkins, não o fiz por ele defender a teoria da evolução. Não contesto a teoria da evolução e não sou criacionista ainda que algumas interpretações que Dawkins faz da teoria da evolução sejam discutíveis e contribuam para o facto de tanta gente contestar a teoria da evolução o que se reflete na sondagem que eu citei.
    O que eu critiquei em Dawkins foi a defesa que ele faz de uma "explicação" para o Milagre do Sol que não explica nada e é absurda apenas para não ter de reconhecer que qualquer coisa de inexplicável se passou em Fátima em 1917. Aliás, ele já fez isso em outras discussões que nada têm a ver com a teoria da evolução. É esse tipo de atuação, que relevam do dogmatismo e do fanatismo, que depois trazem descrédito a outras coisas que ele defende e que até são corretas como é o caso da teoria da evolução.
    Não confunda evolução com naturalismo. Por exemplo, a Igreja Católica defende a teoria da evolução, ainda que não da mesma forma que Dawkins, mas não defende o naturalismo.

    ResponderEliminar
  9. Só para acrescentar, existem muitos autores que não são ateus e, portanto, naturalistas, mas que defendem a teoria da evolução. Um exemplo é Kenneth R. Miller que escreveu um livro brilhante no qual defende a teoria da evolução mas rejeita as implicações digamos assim ateístas de certas interpretações da teoria da evolução. Em suma, uma coisa é ser ateu e naturalista, outra coisa é defender a teoria da evolução.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Sr. Claudio Filipe,

      Creio que há confusão por esses lados e vou tentar esclarecer. Também me parece haver uma certa agressividade, para a qual não vejo sentido.

      Eu nunca disse que era criacionista; tampouco disse ou segeri que defendia essas ideias. Também sei distinguir evolução e naturalismo.
      Até aqui, creio que podemos estar de acordo.

      A minha crítica, foi que não concordo com o que disse sobre "Dawkins e quem pensa como ele" - as palavras são suas.

      Eu tenho direito à minha opinião, desde que fundamentada, como tentei fazer no primeiro post.

      Quanto aos "disparates", a César o que é de César. Como não vejo qualquer interesse em manter um debate sem sentido, por aqui me fico.

      Votos de bom Natal e um bom Ano para todos.

      Eliminar
  10. E, de repente, ocorreu-me, sem eu querer, que nem tudo está sujeito a evolução, como pensava que estava. Alguém arrisca adivinhar? (Não é propriamente uma adivinha...)

    ResponderEliminar
  11. Sr. António Carvalho, não há aqui nenhuma agressividade nem tem de haver. Cada pessoa tem direito à sua opinião e é normal haver discordâncias. Estranho seria todos termos a mesma opinião. O que me pareceu foi que estava a insinuar que eu era criacionista apenas por estar a criticar Dawkins. Se não foi esse o caso, peço desculpa.

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.