domingo, junho 08, 2014

Treta da semana (passada): para todos os gostos.

A medicina convencional tem uma grande desvantagem. Atola-se nas minudências do nosso corpo físico, também conhecido como corpo real, em vez de abordar de forma holística o nosso ser espiritual, também designado por fictício. Pela necessidade de considerar detalhes de anatomia, fisiologia, bioquímica e afins, os praticantes da medicina convencional têm de focar a sua especialização. Se um médico disser ser cardiologista, pediatra, neurocirurgião, veterinário, farmacêutico, psiquiatra, fisioterapeuta, dentista e oftalmologista achamos estranho.

O praticante de terapias complementares não sofre desta limitação. Apresento, como exemplo, o Paulo Nogueira, especialista em leitura de aura, terapia multidimensional, regressão com reiki, cura reconectiva, cirurgia psíquica, tarot, limpeza espiritual, reiki tradicional, kundalini reiki e terapia vibracional com taças tibetanas (1). A sua missão é tão modesta quanto o seu currículo: «ajudar o ser humano a tomar consciência da sua dimensão espiritual [...] a reconhecer a divindade que habita em si, a ser verdadeiramente livre e a se experienciar como um ser completo.»

No caminho para esta tomada de consciência da divindade no ser humano há também outros serviços mais particulares que o Paulo Nogueira pode prestar. Por exemplo, pela cirurgia psíquica pode extrair «bloqueios energéticos do corpo físico […] Esta técnica bastante eficaz actua dissolvendo os coágulos energéticos decorrentes de eventos negativos fazendo com que a energia vital possa circular de forma totalmente livre pelo organismo, restituindo a saúde física, mental e emocional do paciente.»(2) Os coágulos de energia são um problema quase tão grave como os defeitos na coagulação energética, que podem originar hemorragias de energia vital.

A limpeza espiritual, por seu lado, serve para remover «fluidos de negatividade tais como tristeza, desânimo, desmotivação, raiva, apatia ou vontade de isolamento social sem motivo aparente.»(3) O Paulo Nogueira tem uma concepção física inovadora dos aspectos sobre os quais incidem as suas terapias. Enquanto a energia coagula, a raiva e a desmotivação são fluidos. Podemos assim perceber a importância crucial das terapias do Paulo Nogueira, porque se uma pessoa desmotivada sofre um coágulo energético o resultado pode ser como o de puxar o autoclismo com a sanita entupida. Mas não se preocupe o leitor porque o Paulo Nogueira é tão especializado nestas coisas todas que até limpa fluidos de negatividade à distância. Isso é possível, por Skype ou telefone, porque «Somos espíritos. Somos energia. Para acedermos a um dado espírito, seja em que dimensão estiver (4ª dimensão ou superior), basta focarmos a nossa intenção nele.»(4) Assim, qualquer pessoa que esteja na 4ª dimensão (ou superior) e tenha telefone lá (ou ligação à Internet) pode limpar o seu espírito de fluidos negativos e até remover algum coágulo que esteja a incomodar. Quanto ao pagamento, pode ser por Visa, MasterCard ou PayPal. Somos espírito e energia em muitas dimensões mas nestas três todos temos contas para pagar.

A terapia vibracional com taças tibetanas é uma excepção a esta forma conveniente de limpar fluidos e coágulos à distância. Isto porque «as taças tibetanas são pousadas sobre os chakras do paciente de forma a remover bloqueios. Por essa razão, dado que envolve material físico (as taças), só pode ser realizada presencialmente no espaço Paulo Nogueira Terapias.» Sugeria ao Paulo Nogueira que se especializasse numa variante: a terapia vibracional sem taças tibetanas, que até poderia ser feita remotamente em todas as dimensões do espaço e também do tempo. Bastava gravar um ficheiro mp3 com as vibrações espirituais e depois aplicar sobre os chackras sempre que se quisesse. Tenho a certeza de que teria um efeito tão real como o de qualquer forma alternativa de desbloquear chackras coagulados.

O site do Paulo Nogueira tem muita informação acerca de outras terapias também, como o resgate da criança interior e a Mini Leitura de Aura que, pelo que percebo, está para a Leitura de Aura como estavam para as radiografias aquelas micro-radiografias que tirávamos para rastreio da tuberculose. A maior lacuna é a ausência de qualquer descrição de como o Paulo Nogueira determinou a verdade do que afirma. Como se descobriu os coágulos da energia, como se sabe que a tristeza é um fluido de negatividade e que as taças tibetanas desbloqueiam os chackras, por exemplo. Mas talvez seja por eu não aceder à Internet acima das quatro dimensões. Talvez lendo o site do Paulo Nogueira a partir da quinta ou da sexta dimensão se veja lá isto tudo bem explicado.

1-Paulo Nogueira Terapias
2- Palo Nogueira, Cirurgia Psíquica.
3- Paulo Nogueira, Limpeza Espiritual,
5- Paulo Nogueira, Consultas à distância (por Skype ou telefone)

36 comentários:

  1. "Cirurgia psiquíca" e "terapia vibracional" estão bem sacados.

    ResponderEliminar
  2. Em contraposição, as normas sanitárias que Deus deu aos judeus no Antigo Testamento foram tão eficazes que as comunidades judaicas da Idade Média conseguiram resistir melhor à Peste Negra, ao ponto de terem sido até responsabilizadas por ela...

    ResponderEliminar
  3. A BÍBLIA E A SAÚDE PÚBLICA

    O livro de Levítico, escrito por Moisés, contém importantes normas alimentares e sanitárias que os judeus deviam respeitar.

    Por exemplo, hoje sabe-se que a carne de porco é das mais prejudiciais à saúde. A interdição bíblica da carne de porco, numa situação em que os hebreus andavam pelo deserto ou, mesmo quando mais sedentários, não dispunham de condições de adequadas de conservação dos alimentos, revelou-se uma importante medida de higiene e segurança alimentar, com reflexos positivos na saúde de todo o povo.


    Na verdade, a Bíblia, no Pentanteuco, contém um amplo conjunto de medidas sanitárias de protecção da saúde pública (v.g. quarentenas; lavagem de mãos e do corpo, deposição de resíduos, destruição de objectos contaminados, destruição de roupa de doentes e mortos, protecção contra doenças sexualmente transmissíveis, precauções no sepultamento dos mortos).

    As mesmas salvaram os judeus da Peste Negra, embora por isso mesmo esta tenha sido atribuída a uma conspiração judaica!

    O objectivo era garantir que o povo judeu pudesse ter um estilo de vida que lhe permitisse gozar de boa saúde. Deus preocupa-se com o bem estar físico e espiritual das pessoas.

    Ainda hoje, muitas das normas morais da Bíblia visam, em boa medida, o bem estar físico, emocional, social e espiritual das pessoas.

    É interessante notar que muitas destas medidas eram praticadas pelos judeus muito antes de Louis Pasteur e Robert Koch terem demonstrado, no século XIX, que o contágio passa de um indivíduo para o outro. Curiosamente, ambos foram ridicularizados pela comunidade científica do seu tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O colega comentador come carne de porco? Entende que devemos cumprir todas as prescrições do Levítico?

      Eliminar
    2. Meu caro,

      Mostre-me um bom leitão à bairrada, com tudo o que manda a lei, e eu mostrar-lhe-ei uma data de hipócritas!

      Eliminar
  4. A Bíblia ensina, em Génesis 1, que todos fomos criados vegetarianos.

    Mas depois do dilúvio, numa Terra corrompida e devastada, o próprio Deus nos autorizou a comer carne, como mal menor.

    Existe, portanto, uma clara associação entre corrupção e ingestão de carne. A mesma encontra-se amplamente documentada, pelo que não subsistem dúvidas razoáveis.

    O Levítico impõe restrições, todas elas benéficas. A carne de porco é especialmente problemática.

    O Novo Testamento liberta os cristãos de se sujeitarem às restrições da lei de Moisés. Cada um fará o que, em consciência, entender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela resposta. Já agora: o colega é vegetariano?

      Eliminar
    2. António Parente,

      estás a tentar comunicar com uma pessoa obviamente doente, com comportamentos compulsivos e autistas.

      Fica pior quando entra em dissonância cognitiva, como quando fizeste as perguntas e ele responde como se não tivesse lido.

      Deixa-o estar.

      Eliminar
    3. MÊ DES O COITO GRIPOU

      MIUDEZAS ...MINUDÊNCIAS CALHA MAL NA ORDEM Ó KRIPP

      é uma questão de gostos e desgostos

      Entrades
      Entrada Visualitzacions de pàgina

      AI A DEMOCRACIA AGUENTA ? AI AGUENTA AGUENTA A DEM...

      10/02/2014, 1 comentari

      1151

      QUANDO A PRECIPITAÇÃO É MUITA ATÉ O MELHOR RELVADO...

      04/04/2013

      9

      E O GELO AGUENTA-SE AGUENTA-SE ? LIGUEM A REFRIGER...

      18/05/2014, 3 comentaris

      8

      THE OBAMA WAR GAME IN THE BALTIC AGUENTA AGUENTA ?...

      10/05/2014, 2 comentaris

      6

      E DAS RELVAS ALTAS BRAMIU UMA VOZ DE COMANDO ESTE ...

      07/03/2013, 1 comentari

      4


      Més »
      Fonts de trànsit
      Entrada Visualitzacions de pàgina

      http://airelvasaguentaaiaguentaaguenta.blogspot.com/


      109

      http://www.vampirestat.com


      24

      http://www.vampirestat.com/


      10

      Eliminar
    4. Criacionista Bíblico,

      Eu gosto muito do Génesis, tem muitas boas histórias e de facto pode-se aprender algumas coisas.
      Por exemplo no capítulo IV:3 - 4:
      “Passado algum tempo, Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho. O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta, mas não aceitou Caim e sua oferta. Por isso Caim se enfureceu e o seu rosto se transtornou.” (http://www.bibliaonline.net/biblia/?livro=1&versao=17&capitulo=&leituraBiblica=&tipo=&ultimaLeitura=&lang=pt-BR&pag_ini=60&cab=)

      Pergunta: devo assumir que Deus porque gostou mais das “partes gordas” é carnívoro?

      Já agora, se somos vegetarianos, porque é que o Bom Deus não nos deu um estômago complexo como o dos ruminantes? Já agora, porque é que os chamados dentes do siso que tão bons seriam para ajudar a mastigar a matéria vegetal, são essencialmente vestigiais sendo em algumas pessoas completamente inexistentes? E que tal explicar o motivo pelo qual o nosso apêndice já só serve para dar problemas?
      Finalmente, mais uma pergunta simples com resposta que espero simples: se fomos concebidos como seres vegetarianos, em qual órgão é que devíamos efectuar a fermentação? No estômago, no intestino delgado ou no intestino grosso? É que caso não saiba, dependendo do animal que estamos a falar, podemos estar a falar de qualquer um dos processos.

      Eliminar
    5. Criacionista Bíblico,

      A Bíblia diz em S. Marcos VII, 13-16:
      "Assim vocês anulam a palavra de Deus, por meio da tradição que vocês mesmos transmitiram. E fazem muitas coisas como essa. Jesus chamou novamente a multidão para junto de si e disse: Ouçam-me todos e entendam isto: Não há nada fora do homem que, nele entrando, possa torná-lo impuro. Ao contrário, o que sai do homem é que o torna impuro. Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça!”
      (http://www.bibliaonline.net/biblia/?livro=41&versao=17&capitulo=&leituraBiblica=&tipo=&ultimaLeitura=&lang=pt-BR&pag_ini=240&cab=)
      Assim, parece-me que quando diz “Existe, portanto, uma clara associação entre corrupção e ingestão de carne”, está a sobrepor-se aos ensinamentos de Cristo.
      Em especial, todo o texto parece ser aplicável a muito boa gente, que me parece falar de mais, pensar de menos e não praticar de todo.
      No mesmo texto, um pouco antes, podemos encontrar (S. Marcos VII, 6-8):
      “Ele respondeu: Bem profetizou Isaías acerca de vocês, hipócritas; como está escrito: “Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens. Vocês negligenciam os mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos homens. “
      Parece-me ser espacialmente aplicável ao “Criacionista Bíblico”.

      Eliminar
    6. Pelo contrário! Trata-se de levar a sério o ensinamento de Deus!

      A Bíblia ensina que no início comíamos apenas frutas e legumes. Ela diz, em Génesis 1:29:

      "E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento."

      O texto não podia ser mais claro! E na verdade, ainda hoje sabemos que frutos e legumes são inerentemente saudáveis.

      No entanto, depois do dilúvio, diante de uma Terra devastada, Deus diz:

      "Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento; tudo vos tenho dado como a erva verde". (Gênesis 9:3)

      Ou seja, pela primeira vez há uma autorização divina explícita para os humanos comerem carne. O que não quer que antes dela não se comesse carne. Muito provavelmente comia, embora isso nada tenha que ver com a aceitação da adoração de Abel e a rejeição de Caim.

      Em face do texto, é claro que não temos que ser vegetarianos. Só por ignorância é que alguém poderia pensar isso.

      As normas da Lei de Moisés sobre a carne de porco eram normas de higiene e segurança alimentar que visavam a proteção da saúde pública. Elas desempenharam um papel fundamental na preservação da saúe e da inteligência do povo de Israel no meio dos demais povos.

      No entanto, elas não vinculam os Cristãos. Como dizia Paulo,

      "Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei" (Romanos 3:28)


      Eliminar
    7. Criacionista Bíblico,

      As minhas perguntas continuam sem resposta... e nem eram assim tão complicadas!
      Não faz mal, já percebi que daí não tenho mais nada a aprender.

      Eliminar
  5. resumindo estais todos a comunicar com doentes mentaes

    a universidade é um couto de doenças dessas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A CIÊNCIA DAS PLANTAS E A DOUTRINA DA CRIAÇÃO

      A Bíblia ensina que tudo foi criado racionalmente por um Deus racional e que as plantas foram criadas no terceiro dia da criação. Ela diz:

      “E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
      E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro” Gênesis (1:12-13)

      O texto mostra que Deus ficou satisfeito com as plantas que criou, certamente porque elas têm marcas da sua racionalidade, sabedoria e poder. As mesmas foram racionalmente criadas para interagirem com o ambiente e fornecem evidência disso mesmo.

      As observações científicas corroboram a doutrina da criação racional da vida. Embora Interpretem as rochas e os fósseis com base no uniformitarismo, que nega a priori o dilúvio bíblico, a verdade é que a evidência mostra que as plantas sempre coexistiram com os demais seres vivos.

      Para além de que códigos e informação codificada das plantas são a marca por excelência de inteligência,

      Hoje sabe-se que o design das plantas obedece a leis matemáticas, geométricas e mecânicas muito específicas e precisas, devidamente codificadas no DNA das plantas.

      O desenvolvimento das plantas é um processo altamente regulado, permitindo-lhes uma
      interação dinâmica com o ambiente.

      As plantas foram concebidas para interagirem umas com as outras, estando devidamente protegidas do ambiente. Elas têm até capacidade pré-programada para tomar decisões complexas.

      O processo de fotossíntese, que converte a luz solar em energia, sem queimar as plantas além de codificado no DNA das plantas, tem marcas de racionalidade e eficiência, mostrando a interdependência e a complexidade irredutível da criação a nível macro e micro, corroborando a omnisciência e a omnipotência de Deus.

      Mas as plantas são eficientes ao Sol e à Lua, porque foram criadas por quem criou o Sol e a Lua.

      As mesmas estão preparadas para contar a passagem do tempo.

      Apesar de a evidência fóssil mostrar que plantas sempre foram plantas, os cientistas especulam sobre a evolução das plantas floridas e perfumadas, no passado inobservado, a partir do facto de que as mesmas são altamente eficientes dominam na criação.

      Daí a necessidade de distinguir entre factos e especulações nos artigos científicos!

      Mas os dados observados em si mesmos corroboram a existência de um Criador que, além de ser omnisciente e omnipotente, tendo dotado as plantas de grande eficiência na fotossíntese, é amoroso e criativo, dotando-as de beleza, com o objetivo de proporcionar bem-estar físico e psíquico e prazer estético ao ser humano.

      Eliminar
  6. GUIA PARA LEITURA CRÍTICA DOS ESTUDOS CIENTÍFICOS: MARCAÇÃO DE CORES

    Os criacionistas são, de longe, quem mais referências fazem a artigos científicos neste blogue. O problema dos criacionistas nunca é com os factos, mas com as interpretações e especulações que os evolucionistas constroem em torno desses factos.

    Por vezes, depois de referir um artigo, os criacionistas são acusados de não citar uma parte em que os autores do mesmo interpretam os factos documentados à luz da teoria da evolução ou especulam sobre a importância dos mesmos para o processo evolutivo de supostos milhões de anos impossíveis de observar.

    Os criacionistas não ignoram essas partes do artigo!

    De um modo geral, elas estão sempre presentes, mesmo quando os factos em si mesmos nada tem que ver com a evolução. Essas especulações envolvem o que se terá passado ao longo de milhões de anos, algo que obviamente nunca foi nem poderia ter sido observado pelos autores do artigo científico.

    Por vezes, os factos e as interpretações e especulações evolucionistas são apresentadas como um todo, como se a verificação dos primeiros constituísse prova irrefutável das segundas.

    A única “prova” da evolução encontra-se nessas interpretações e especulações e nunca nos factos em si mesmos.

    Na verdade, se não tivessem essas interpretações e especulações, os autores dos artigos poderiam ser acusados de criacionistas.

    Por causa das confusões entre factos e interpretações é que os estudos científicos devam ser lidos criticamente. É isso que nós fazemos e recomendamos que todos façam. Especialmente aqueles que se querem especializar em pensamento crítico!

    Importa sempre distinguir entre factos observáveis e mensuráveis, por um lado, e interpretações, especulações, modelos e teorias, por outro lado.

    Sugiro que os factos reportados sejam assinalados com marcador florescente de cor amarela. As interpretações e especulações evolucionistas podem ser assinaladas com marcador cor-de-rosa.

    Em seguida, há que identificar as pressuposições evolucionistas (v.g. naturalismo, uniformitarismo) por detrás das interpretações, especulações, modelos e teorias. Essas pressuposições estão normalmente implícitas, devendo ser identificadas e assinaladas na margem do artigo.

    Quem adotar este método logo verá que os factos em si mesmos podem ser facilmente interpretados à luz da Bíblia e que a evolução de um género para outro diferente e mais complexo nunca é realmente comprovada empiricamente.

    Ela é sempre pressuposta ou imaginada pelos autores do artigo e usada para interpretar os factos.

    Esta estratégia crítica ajuda a clarificar o pensamento e a desenvolver nitidez na análise.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os argumentos que apresentou e as fontes que citou em nada alteram os fundamentos do darwinismo ou a sua versão moderna (evoluída) o neo darwinismo.

      Todos os processos que descreve, bem como os artigos dos links apenas corroboram a ideia de um mundo natural, em perpétua mudança, ou seja, sem uma criação definitiva e final.

      Se o mundo tivesse um Criador, das duas uma: ou estava sempre a tentar arranjar coisas novas e lá se ia o tempo para a Sua criação favorita, ou então, temos de assumir que a Criação não é perfeita, logo precisa de arranjos e assim voltamos ao primeiro caso.

      Sinceramente, a natureza é muito mais simples e mais económica do que isso. Felizmente que funciona sem ajuda extra.

      A Bíblia não é e nunca vai ser um manual de Biologia ou de qualquer outra ciência. Pensar o contrário é pura perda de tempo.

      Eliminar
    2. "A Bíblia não é e nunca vai ser um manual de Biologia ou de qualquer outra ciência. Pensar o contrário é pura perda de tempo."

      Ainda bem que a Bíblia não é um manual de biologia ou de qualquer ciência. Se fosse, teria erros científicos e necessitaria de correcção periódica, como sucede com os manuais.

      Ela é a Palavra de Deus e por isso fala com verdade e definitiva, não necessitando de revisão periódica.

      P.S.

      O que observamos na natureza é os seres vivos a reproduzirem-se de acordo com o seu género, tal como a Bíblia ensina.

      Eliminar
    3. Caríssimo,

      Ainda bem que a ciência não é uma verdade e não é definitiva. Só assim tem espaço para poder evoluir. Graças a Deus por isso!
      Ao contrário, a Bíblia continua parada no tempo, venerável sim, mas completamente fora de contexto.

      Por outro lado, se a Bíblia é "a Palavra de Deus e por isso fala com verdade e definitiva"), como decidir quais das palavras é que são verdade qual Deus é mais verdadeiro? Porque motivo temos de aceitar o que está na Bíblia e recusar o que está escrito no Corão ou nos Rig Vedas?
      Porque motivo temos de aceitar a história de Noé, mas recusar a história de Gilgamesh (que muitos historiadores acreditam ser a base original do dilúvio)...
      Sinceramente, nada se pode aproveitar daqui.

      Se conseguires indicar um único artigo, um único investigador que defenda que a evolução permite numa única geração, uma espécie gerar uma segunda nova, então consegues provar que a evolução não funciona.
      Desejo-te desde já boa sorte!

      Eliminar
  7. COMO O PEDRO AMARAL COUTO PRECISA DE APRENDER A LER CRITICAMENTE ARTIGOS CIENTÍFICOS

    O Pedro Amaral Couto é um bom exemplo de alguém que lê os artigos científicos sem distinguir entre facto observado e especulação evolucionista.

    Num dos seus posts ele pretendeu apresentar como prova da evolução precisamente a parte de um artigo por nos referido em que evolução é presumida especulativamente sem ser provada.

    Analisemos criticamente a parte do artigo que ele citou:

    "Because humans, chimps, and orangutans all have a common ancestor..."

    Isso é pura especulação! Dá-se como demonstrado o que é necessário demonstrar.

    O que realmente podemos observar aqui e agora é que humanos, chimpanzés e orangutangos são contemporâneos.

    Esses são os factos realmente observados. O antepassado comum é uma especulação evolucionista!

    Eis a confusão que reina na cabeça do Pedro Amaral Couto.

    Depois dele continua a citar

    "...it is possible that humans and orangutans may still share genetic variants that were later lost in more closely related primates." ...

    Como o texto indica (..."it is possible"...) trata-se aí de pura especulação,construída sobre a especulação do antepassado comum. Mas uma vez, o que vemos aqui e agora é a coexistência de orangutangos com seres humanos, com semelhanças e diferenças genéticas.

    Como se vê, o Pedro Amaral Couto é um bom exemplo de alguém que, como no post acima, precisa mesmo de aprender a analisar criticamente artigos científicos de maneira a distinguir entre a parte fáctica e a parte especulativa.

    O Ludwig não é o único a fazer essa confusão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Criacionismo Bíblico,

      não me parece que eu tenha citado:
      "Because humans, chimps, and orangutans all have a common ancestor..."
      nem
      "...it is possible that humans and orangutans may still share genetic variants that were later lost in more closely related primates."

      Uma pesquisa no Google, com o meu nome ou com "pedroac", apenas aponta para esta página:
      1, 2, ...

      Seria muito estranho, porque nunca iria responder a alguém dessa forma.
      Suponho que esse comentário apenas servia de engono para chamar a atenção.

      Os criacionistas deviam parar de ser mentirosos e cobardolas.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. Já percebi a tolice do "Criacionismo Bíblico".

      É claro que ele não ía responder onde eu escrevi, porque iria revelar a mentira dele.

      O artigo foi ele que referiu e comentou sobre ele:
      "Estudos recentes vieram demonstrar que chimpanzés e os seres humanos têm semelhanças genéticas importantes. Mas também há semelhanças entre seres humanos e orangotangos."

      Ou seja, para ele esse facto seria problemático, mas a verdade é que não só é esperado na teoria da evolução algo similar, como acontece entre a mesma espécie, como entre humanos.

      A minha intenção foi - como eu disse - mostrar que "[a]pesar de interessante, é irrelevante e demonstra apenas a sua incapacidade de raciocínio e de interpretação de um texto"

      Eu respondi:
      «Para perceberes o conceito, vamos usar apenas humanos.
      Existem dois primos: o Zé e o António. Os dois têm o mesmo avô chamado Alberto.
      O António é muito mais parecido com o Alberto, mas o Zé tem algumas semelhanças que o António não tem. Por exemplo, na cor dos olhos, e do cabelo e a forma dos dedos.»

      Para o caso não interessa se o conteúdo das frases sobre os oragotangos, chimpanzés e humanos é verdadeiro. O que interessou o argumento do Criacionismo Bíblico, que não sabe interpretar textos.

      Já agora:
      peço que nunca mais refiras o meu nome, se não for ao carregar no link "Responder", para um comentário que escrevi, para não distorceres o que eu digo e não parecer que estou a incentivar o "spam" (o artigo do Ludwig não tem a ver com o assunto). Verifica-se que o problema não é só nos artigos que os criacionistas citam. Também é com os comentários de blogues que citam.

      Eliminar
    5. As semelhanças que observamos não provam um antepassado comum, porque são inteiramente consistente com um Criador comum.

      Convém analisar criticamente os artigos científicos para não fazer confusão entre a parte empírica e a parte especulativa.

      Use marcadores de diferentes cores!

      Eliminar
  8. Ludwig,

    «A medicina convencional tem uma grande desvantagem.»

    Sem quereres, dás pontos àqueles que criticas. Por que é que o fazes?
    Todos sabemos que a medicina convencional não tem nenhuma desvantagem. Diria que tem todas as vantagens.
    Farias bem, muito bem até, em desocultar ou em desmontar o discurso enganador de uns mágicos que "andem por aí" a inebriar de falsas esperanças quem vai a precipitar-se no desespero.
    Mas, se tu próprio tens um discurso enganador...
    Na política, o discurso é fatal, quer dizer, é crucial. Por isso é que os políticos podem dizer tudo, que ninguém os toma a sério.
    Vivemos um tempo que merece ser vivido com inteligência, atenção e serenidade. Nos próximos dez anos o mundo vai mudar mais do que mudou nos últimos cem anos e, nestes, os últimos dez foram decisivos na produção, por exemplo, de cimento e de novos ricos.

    ResponderEliminar
  9. A CIÊNCIA DAS MUTAÇÕES E A CORRUPÇÃO DE TODA A NATUREZA

    Os evolucionistas afirmam (sem qualquer evidência conclusiva) que as mutações aleatórias e a seleção natural transformam micróbios em microbiologistas em milhões de anos.

    Mas nunca ninguém viu um ser vivo a evoluir para outro género diferente e mais complexo.

    O que observamos aqui e agora leva-nos a rejeitar a plausibilidade do cenário imaginado pelos evolucionistas.

    A vida depende de códigos genéticos e epigenéticos com informação altamente complexa, especificada e integrada, que é lida e executada com a maior precisão, o que constitui evidência por excelência de inteligência.

    Neste contexto, de extrema precisão, e apesar dos sistemas pré-programados de correção automática do DNA, as mutações aleatórias tendem obviamente a introduzir ruído e a degradar essa informação e os sistemas de leitura e execução,, causando doenças de toda a sorte e cancros de toda a sorte.

    Uma pequena falha na configuração do sistema de replicação e correção de mutações é suficiente para desencadear consequências deletérias.

    As mutações no impropriamente designado (pelos evolucionistas) “Junk DNA” também causam doenças e morte.

    Infelizmente, conhecemos cada vez melhor os efeitos das mutações.

    Os estudos mais recentes mostram que as mutações benéficas são aquelas que não se propagam por toda a população, verificando-se que as que se propagam tendem a ser consideradas deletérias e a ser eliminadas por seleção natural, diminuído a sua capacidade de transformação de bactérias em bacteriologistas ao longo de milhões de anos.

    As mutações podem ser observadas todos os dias, infelizmente.

    Elas podem ocorrer logo no embrião e no feto, preparando os efeitos nocivos que se irão sentir ao longo da vida de cada pessoa.

    Elas acumulam “silenciosamente”, afetando negativamente a formação, a dobragem e o funcionamento das proteínas, mesmo que os seus efeitos deletérios para a saúde não sejam imediatamente perceptíveis.

    A tendência geral, porém, é claramente degenerativa e degradativa podendo destruir funções existentes.

    Felizmente para nós, o corpo humano consegue tolerar uma certa quantidade de mutações, antes de estas causarem doenças e a morte. Mas elas não são evidência de evolução.

    Elas introduzem ruído (“missense”) e degradação na informação genética pré-existente.

    Sempre que detetadas, elas são removidas por seleção natural. Mas como muitas não são detetadas, elas tendem a acumular-se com consequências degenerativas nos indivíduos e nas populações.

    As mutações, longe de provarem a evolução de partículas para pessoas, são evidência da corrupção que, segundo o livro de Génesis, afeta toda a natureza criada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um novo estudo revela ainda mais buracos no modelo dominante de evolução cósmica, dando ainda mais força àqueles que entendem que não houve evolução cósmica, mas sim Criação cósmica.

      O que eles dizem:

      "The model predicts that dwarf galaxies should form inside of small clumps of dark matter and that these clumps should be distributed randomly about their parent galaxy,"

      "But what is observed is very different. The dwarf galaxies belonging to the Milky Way and Andromeda are seen to be orbiting in huge, thin disk-like structures."

      Não faltarão certamente modelos alternativos. A imaginação dos cientistas é fértil. Mas em última análise, não passarão nunca de modelos, votados ao fracasso por novas observações.

      Eliminar
    2. Notícias frescas de codificação de informação em ondas cerebrais, o que corrobora a criação inteligente do cérebro, já que códigos e informação codificada são marcas por excelência de racionalidade e inteligência.

      Também saiu uma notícia sobre como o cérebro regula de forma precisa a circulação do sangue.

      Eliminar
    3. Um artigo científico recente mostra que existe maior probabilidade de os chimpanzés pais transmitirem mutações aos seus filhos do que os seres humanos.

      Estes são os factos. A especulação evolucionista vem logo a seguir, como não podia deixar de ser. Como dissemos várias vezes, esse é o padrão recorrente nos artigos científicos.

      No entanto, algumas coisas não batem certo na relação entre factos e especulações.

      Apesar de as mutações serem consideradas na especulação evolucionista como motores de evolução, os autores do estudo referem-se à transmissão de mutações como sendo um risco ligado à origem de doenças físicas e mentais!

      Mas então, em que ficamos? As mutações são globalmente boas para a evolução, ou são um globalmente risco para a saúde?

      A resposta criacionista é clara: elas são um risco para a saúde, na medida em que introduzem ruído em informação genética pré-existente, tendendo a acumular de geração em geração sem serem eliminadas por seleção natural.


      Eliminar
  10. Carlos Soares,

    «Mas, se tu próprio tens um discurso enganador...»

    Suspeito que percebeste mal o tom sarcástico do post... Relê, por favor, o princípio do post, com especial atenção para os termos “real” e “fictício”:

    «A medicina convencional tem uma grande desvantagem. Atola-se nas minudências do nosso corpo físico, também conhecido como corpo real, em vez de abordar de forma holística o nosso ser espiritual, também designado por fictício.»

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um programa interessante sobre as razões pelas quais os criacionistas acreditam que os seres humanos viveram com os dinossauros.

      Quem não conhece os argumentos ou pensa que eles se baseiam na ignorância científica pode ver este programa...

      Eliminar
  11. Caro Ludwig,

    Em primeiro lugar, como uma mulher atenta à verdade, penso que o seu post induz em erro quem o lê em meio às acusações que profere.
    Eu fundamento (ao contrário de quem apenas acusa ;.-) ):
    - não conhece o profissional em questão
    - provavelmente, nunca experimentou nenhuma das terapias de que fala
    - provavelmente, nunca sequer entrevistou as pessoas que experimentaram as terapias de que fala para se basear nos resultados das mesmas. Ao invés, ataca sem conhecer.

    Eu confesso que tb nunca experimentei nenhuma das terapias que esse senhor de quem tanto fala ao longo do seu extenso post mas não posso simplesmente dizer que sim ou que não dado que nunca experimentei e, portanto, seria errado da minha parte falar e difamar gratuitamente quem nem sequer conheço ou aquilo que faz.

    Tal como o Luís Grave Rodrigues(Ludwig), sou ateia e agnóstica e é por isso que gosto e simpatizo com o seu blog.
    Não me interprete mal mas o problema não está no que escreve mas sim nos fundamentos do que escreve. Como ateia, sou defensora da verdade mas sou uma verdadeira ateia, ou seja, respeito as crenças de todas as pessoas que sejam diferentes de mim e mantenho uma postura verdadeiramente científica sobre o cosmos: a Ciência continua a evoluir.
    Tenho plena fé na Ciência.

    Em relação às terapias de que fala, muitas delas nem ouvi falar mas ao pesquisar no google sobre as mesmas, verifiquei que eram conduzidas por centenas de pessoas em centenas de espaços de terapias alternativas em Portugal - leitura de aura, terapia regressiva (acho que pertence ao campo da Psicologia hmmm interessante se calhar já acredita mais), Taças Tibetanas, Terapia Multidimensional...
    Também verifiquei em Inglês e os resultados foram os mesmos: aura reading, reconnective healing, reiki, ou seja, as terapias que esse senhor faz é o mesmo que fazem milhares ou dezenas de milhares de pessoas pelo mundo afora. Embora, eu não as conheça porque não tive vontade sequer de conhecer (quiçá um dia), sei que há milhares de pessoas que as praticam.

    Não me interprete mal até porque, repito, gosto muito do seu blog e da forma como escreve.
    Só acho que deveria pesquisar um pouco mais quando fala das coisas...

    Quando vou sair à noite e conhecer rapazes giros, gosto de falar deles para as minhas amigas mas não falo sem ver...

    Aqui, entre nós, acho que o Ludwig está a precisar de sair mais à noite e espairecer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  12. Cara Mariana,

    Em primeiro lugar, obrigado pelo comentário, mas queria esclarecer que não sou o Luís Grave Rodrigues. Sou mesmo eu, Ludwig Krippahl. No entanto, quando vir o Luís a ver se me lembro de lhe enviar os seus cumprimentos :)

    Quanto ao seu método de que «não posso simplesmente dizer que sim ou que não dado que nunca experimentei», devo dizer que é errado e duvido que a Mariana se guie mesmo por esses critérios. Se o fizesse, então se eu lhe dissesse que Zeus existe e vive no Monte Olimpo a Mariana não poderia dizer nem que sim nem que não enquanto não fosse lá pessoalmente percorresse tudo para poder concluir que afinal Zeus não vive lá. Então eu diria que me tinha enganado, que afinal era no Evereste, e lá tinha de ir outra vez a Mariana perder uma data de meses à procura de um deus fictício.

    Isto é obviamente uma abordagem incorrecta.

    O mais correcto é ponderarmos a plausibilidade de uma hipótese perante hipóteses alternativas. Assim, se eu lhe disser que se pode curar todos os cancros pondo 3 gotas da água da minha torneira (tem de ser da minha torneira cá de casa) na testa e murmurando “o Ludwig é que sabe” 3 vezes, a Mariana pode logo decidir que é muito mais plausível que isto não funcione porque não há razão nenhuma para funcionar.

    É essa a abordagem que deve fazer. Procurar a informação suficiente para poder decidir para onde pende o peso das evidências. Em alguns casos, como a terapia das gotas, a existência de Zeus ou a eficácia da leitura da aura e afins, nem é preciso muita informação porque essas coisas são tão extraordinárias que, se fossem verdade, as evidências seriam muito diferentes do que são. Noutros casos, seria bom obter mais informação primeiro. Por exemplo, quando conclui que o meu nome não é o meu nome ou que eu preciso é «de sair mais à noite e espairecer» :)

    ResponderEliminar
  13. Boa tarde

    Não conheço O Sr. Paulo Nogueira, de qualquer forma conheço algumas dessas terapias. A questão de fluidos, quistos, etc, não são tretas criadas pelo Sr. Paulo, são adaptações de vocabulário numa tentativa de descrever um bloqueio, estagnação, energia doente. Bão há uma Organização Mundial de Terapias Alternativas, logo não há termos internacionais definidos, estes termos dependem do "criador" da terapia. Não estamos a falar de ciência, daí que termos técnicos sejam o menos importante. O que contam são os resultados e eu tive a sorte de conhecer gente séria que trabalha nestas áreas e que me ensinou. Os resultados falam por si. Placebo? Talvez, por vezes, não sei, não sou cientista, apenas aplico as técnicas, sem pensar em vocabulário, e os resultados são cada vez melhores. O Senhor pensa que é treta, e haverá, para mim, por exemplo, a Cura Reconectiva é treta, mas há terapias realmente sérias em termos de resultados.

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.