domingo, dezembro 09, 2012

Treta da semana (passada): o melhor do universo.

O Mats, aparentemente dotado de sabedoria extra-galáctica, alega que o ADN é «O melhor sistema de armazenamento de informação do universo»(1). No entanto, para suportar a alegação considera apenas a densidade de informação por grama de ADN, cerca de 700 terabytes, e compara-a com a dos discos rígidos que temos neste momento, talvez assumindo serem o segundo melhor sistema de armazenamento de informação do universo:

«uma grama de ADN pode armazenar 700 terabytes de dados. […] Para armazenar o mesmo tipo de dados em discos rígidos – o meio de armazenamento de dados mais denso actualmente – seriam precisos 233 3TB discos, totalizando mais de 151 quilos.»(2)

Para mostrar que tudo neste universo foi criado pelo menino Jesus em seis dias, o Mats afirma que «Nada feito pelos seres humanos se aproxima desta notável eficiência biológica. [...] Quem diria que o ADN pode armazenar informação de modo mais eficiente que nós?» A resposta é simples. Ninguém com dois dedos de testa diria tal disparate.

Mesmo em densidade de informação, o ADN não é assim tão bom. Um metro quadrado de uma fina película polimérica, pesando alguns grama, pode armazenar cerca de mil terabytes (3). Usando padrões de interferência de electrões numa superfície condutora é possível armazenar dezenas de bits por electrão (4), numa relação de bits por massa milhares de vezes superior à do ADN, com uma vintena de átomos por bit.

Além disso, não é só a densidade da informação que conta. O acesso à informação também é importante. No caso do ADN, talvez em breve seja possível sequenciar – “ler” – mil milhões de bases em poucos minutos e por poucas centenas de dólares (5). Isto é extraordinário, como tecnologia de sequenciação. Mas como armazenamento fica muito aquém de um disco rígido comum, que lê essa informação num segundo pelo preço de 0,000003 kilowatt-hora em electricidade.

Mas o Mats não está a falar apenas da nossa tecnologia. A mensagem importante é que «Nada feito pelos seres humanos se aproxima desta notável eficiência biológica». Nas células, o ADN é transcrito em ARN por enzimas naturais e não por máquinas de sequenciação automática. Talvez seja essa a “notável eficiência” que o Mats refere. Se for, pior ainda. A polimerase do ARN é uma enzima muito rápida, transcrevendo o ADN em ARN a uma velocidade de 50 bases por segundo(6). Não é mau, para uma proteína. Mas isto são 50 bits por segundo. Um disco rígido debita informação a uma taxa de mil milhões de bits por segundo. À velocidade «desta notável eficiência biológica» um filme de duas horas em alta definição demoraria uns mil e quinhentos anos a ver. Nem o Manoel de Oliveira aguentava.

Outro aspecto importante é a fiabilidade. A taxa de erro na leitura do ADN para ARN, em sistemas biológicos, é de um em cada dez mil bases lidas. Mais uma vez, para biologia não está nada mal. Mas isto equivale a cerca de um erro de leitura por kilobyte, mil e quatrocentos erros por disquette, setecentos mil por CD, quatro milhões por DVD e mil milhões de erros por disco rígido. Na terminologia informática, um computador com esta «notável eficiência biológica» designa-se por avariado.

Ironicamente, estes exemplos que os criacionistas apresentam em defesa da criação por intervenção divina só suportam a alternativa, de que os sistemas biológicos surgiram por processos naturais de evolução e não por design inteligente. A grande vantagem que o ADN tem em relação a um disco rígido ou um cartão de memória não está no armazenamento de dados. Enquanto um disco rígido acede a um bloco específico em milissegundos e transmite centenas de megabytes em poucos segundos, o ADN é transcrito por tentativa e erro, um pedaço aqui e outro ali, por batalhões de proteínas cegas, com cada uma “lendo” poucos bytes por segundo. A grande vantagem do ADN é que, ao contrário de circuitos electrónicos e discos rígidos, é algo que pode resultar de um processo gradual de evolução a partir de moléculas orgânicas modestas e comuns. Um cartão de memória ou um leitor de DVD não pode resultar da acumulação de características hereditárias sob selecção natural. Estas coisas têm mesmo de ser produzidas sob supervisão de algum ser inteligente. Os sistemas biológicos são muito menos eficientes para certas coisas, como armazenamento de dados, mas são muito mais robustos e autónomos. As células reproduzem-se, alimentam-se, desenvolvem-se e, em conjunto, com o passar das gerações, evoluem. É isso que os sistemas biológicos têm de extraordinário. Mas é precisamente por isso que não precisam de um criador inteligente.

1- Mats, O melhor sistema de armazenamento de informação do universo
2- Traduzido daqui:Harvard cracks DNA storage, crams 700 terabytes of data into a single gram
3- Science news, New Method Of Self-Assembling Nanoscale Elements Could Transform Data Storage Industry
< 4- Stanford News, Reading the fine print takes on a new meaning (fonte: Wikipedia).
5- Science now, DNA Sequencing, Without the Fuss
6- Stryer, Biochemistry. 5th edition, Section 28.1Transcription Is Catalyzed by RNA Polymerase

180 comentários:

  1. "o ADN é «O melhor sistema de armazenamento de informação do universo»" Consegue ser um exemplo de generalização apressada e de argumento da ignorância ao mesmo tempo. 2 falácias numa só frase.
    Mesmo se fosse verdade, nem assim seria evidência de que deus criou o |DNA (era só o que faltava: ser preciso só isso para chamar teoria ao criacionismo).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É de um comodismo extremo dizer "deus fez" em vez de tentar explicar o modo como algo surgiu, procurando padrões e processos capazes de produzir certos efeitos. Um dos piores efeitos que a religião pode ter é levar á preguiça intelectual.

      Eliminar
  2. «No entanto, para suportar a alegação considera apenas a densidade de informação por grama de ADN, cerca de 700 terabytes, e compara-a não com os discos rígidos que temos neste momento»

    Parece-me que o "não" está a mais, de outra forma o texto não faz grande sentido.

    Excelente texto. Ainda dei umas tantas gargalhadas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão... era um vestígio da frase que estava antes (algo como compara-a não com todos os sistemas de armazenamento do universo mas só com ...) Já corrigi, obrigado.

      Eliminar
    2. Ah!

      E vejo que também estás a usar a possibilidade de responder à mensagem fora da ordem :p

      Eliminar
    3. Sim. Como estes comentários não aparecem no fim da página, é difícil a quem queira acompanhar uma conversa saber quando é que disseram o quê. Por isso, em geral não gosto deste sistema, que faz muita confusão. No entanto, para um cochicho privado essa desvantagem passa a ser vantagem, e não aparece o comentário no meio das outras conversas :)

      Eliminar
  3. Voces não percebem nada. Ele quer dizer informação semantica, não informação dessa que não informa nada. Se calhar até porno tem.

    ResponderEliminar
  4. O grande problema do evolucionismo é explicar a origem dos códigos e de informação codificada, necessários à programação da vida. Como se trata aí de grandezas imateriais e semânticas, a sua origem não pode ser encontrada em qualquer causa material ou física.

    Assim se compreende porque é que todas as teorias que tentam explicar naturalisticamente o código genético e a sua informação são necessariamente más teorias

    O projecto ENCODE veio recentemente acentuar a extrema e precisa organização e regulação do genoma, refutando a sua origem aleatória e corroborando o criacionismo bíblico.

    Na verdade, a quantidade, qualidade e densidade da informação nele contida é esmagadora, estimando-se que o cérebro humano é mais complexo do que todos os computadores existentes na Terra. E quantos cérebros humanos existem hoje e existiram ao longo da história?

    Já para não falar no cérebro dos animais, embora estes obedeçam a códigos regulatórios muito diferentes dos que existem nos seres humanos, já que pertencem a géneros diferentes, o que também corrobora o criacionismo bíblico.

    Na verdade, quanta informação é necessária para regular e programar toda a vida existente no tempo e no espaço? E quem pode abarcar essa informação e miniaturizá-la no núcleo das células?

    Os cientistas podem hoje saber que o genoma é muito mais complexo e activo do que anteriormente se pensava, tendo recentemente encontrado ordem e regularidade onde pensavam existir apenas caos. Também isso corrobora o criacionismo bíblico.

    A quantidade e a qualidade de informação encontrada pelo ENCODE foi tão esmagadora que os cientistas estão a ser obrigados a rever a própria noção de gene e a descobrir um novo mundo para além dos genes. Como devem calcular, tudo isto veio reforçar a posição criacionista em todo o mundo.


    P.S. Um estudo recente sugere que os dinossauros foram sepultados em lama e lava. Esta evidência, quanto interpretada à margem de premissas uniformitaristas, é inteiramente consistente com um cataclismo global, como o descrito na Bíblia, cenário ulteriormente corroborado pelas sucessivas descobertas de tecidos moles, proteínas e mesmo DNA em fósseis (e material não fossilizado!) de dinossauros...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A correspondência codão - aminoácido não é um código (no sentido de ser convencional).

      http://ktreta.blogspot.pt/2008/12/miscelnea-criacionista-outra-vez-treta.html

      Eliminar
    2. Claro que é! O que é que lhe falta para ser um código?

      Sempre que um sequência de símbolos (quaisquer que sejam) signifique instruções específicas precisas temos um código...

      Do ponto de vista criacionista, que fala de um Criador comum, não admira que se encontrem códigos genéticos semelhantes em plantas diferentes, na medida em que a regulação da expressão genética é diferente...

      Realmente deve ser desesperante tentar negar um código quando se está diante de um código...

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. "(no sentido de ser convencional)". Não leu esta parte.

      Eliminar
    5. O que é que quer dizer? Qual é a diferença entre um código convencional e o DNA?

      Eliminar
    6. Já lhe tinha explicado isso: 1 corresponde a um apenas na nossa cabeça (é uma convenção) e não porque ocorrem reacções quimicas que faça com que isso aconteça. Pode chammar-lhe código se quiser, mas não é uma convenção e não tem obrigatóriamente origem inteligente.

      Eliminar
    7. É por haver um significado operativo específico para as diferentes sequências específicas que se fala de um código.

      Como todos os códigos conhecidos têm origem inteligente, e como o código genético é muito mais complexo, denso e miniaturizado do que os códigos conhecidos, armazenando informação de qualidade e quantidade inabarcáveis por toda a comunidade científica, seque-se que é inteiramente razoável e racional concluir que o código genético teve origem inteligente...

      Consegue dar-me algum argumento empírico ou lógico contra esta conclusão?



      Eliminar
    8. "Consegue dar-me algum argumento empírico ou lógico contra esta conclusão?" Nos vários estudos que lhe tenho indicado há evidências de uma origem natural, de que o dito código se originou devido ás propriedades de certas moléculas. Não pode pedir mais que isto.

      Eliminar
    9. Perspectiva,

      "Um estudo recente sugere que os dinossauros foram sepultados em lama e lava. Esta evidência, quanto interpretada à margem de premissas uniformitaristas, é inteiramente consistente com um cataclismo global, como o descrito na Bíblia"

      Sério? Isso eu considero interessante mesmo. Principalmente se junto aos dinossauros encontrarem leões, antas, hienas, macacos, micos, pelicanos, papagaios, cães, gatos, porcos, periquitos, cobras, jacarés, e toda sorte de animais que, juntamente com os dinossauros, morreram no "cataclismo global, como o descrito na Bíblia" - AKA dilúvio.

      Eliminar
  5. --> "O grande problema do evolucionismo é explicar a origem dos códigos"

    No dia que o Jónatas escrever aqui algo assim:

    Pessoal, aquele negócio de código, deixem para lá... finalmente eu entendi.

    Neste dia eu vou acreditar em milagres :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por uns tempos cheiguei a pensar que ele tinha esquecido a treta do código, mas it's not gonna happen.

      Eliminar
    2. Maria,

      O que é a treta do código perto de Dinossauros vivos em Paua Nova Guiné ?

      Eliminar
    3. Como se não bastasse dizerem que os dinossauros viveram com os humanos.

      Eliminar
    4. Se fosse verdade que os dinossauros coexistiram com os seres humanos, que evidência esperaríamos encontrar?

      Certamente esperaríamos encontrar, na antiguidade, relatos de seres vivos com características semelhantes aos dinossauros (embora esta expressão só tenha sido inventada no século XIX por Robert Owen), juntamente com evidência biológica da sua existência recente.

      E o que é que encontramos?

      Encontramos efectivamente muitos relatos antigos referindo seres vivos com características semelhantes às dos dinossauros, juntamente com vários exemplos de tecidos moles, proteínas e mesmo DNA de dinossauro.

      Ou seja, encontramos exactamente o que seria de esperar se os dinossauros tivessem vivido e morrido recentemente...

      P.S. Também encontramos ampla evidência de que judeus e etíopes têm ligações genéticas próximas o que corrobora inteiramente várias passagens de Génesis e do Velho Testamento(v.g. Moisés casado com uma etíope; Salomão e a Rainha da Etiópia).

      Em bom rigor, podemos confirmar que a genética liga europeus, africanos e populações do médio oriente, ao mesmo tempo que liga europeus e índios americanos.

      Ou seja, somos todos parentes uns dos outros!

      Isso corrobora inteiramente a Bíblia quando ensina:

      "E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação"

      Atos 17:26

      Eliminar
    5. Prezado Icarus, eu sou mais humilde. Acreditarei em milagres se encontrar UM artigo onde o Perspectiva não tenha escrito "gaivotas dão... gaivotas". Abraços.

      Eliminar
    6. E ai Alex.

      Satisfação em revê-lo na blogosfera. :-)

      Eliminar
    7. Neste ele não escreveu nada sobre gaivotas

      Eliminar
    8. Posso recordar as "provas" da evolução aqui apresentadas pelo Ludwig usando um diálogo ficcionado em que as recolhi e comentei. Cá vai.

      LUDWIG KRIPPAHL (LK), O INCAUTO CIDADÃO (IC) AS “ALEGAÇÕES INFUNDADAS DOS CRIACIONISTAS”, O “MÉTODO CIENTÍFICO”, O “CONSENSO DOS BIÓLOGOS” E A SUA “ABORDAGEM DOS PROBLEMAS”

      LK: Sabes, estou convencido que os micróbios se transformaram em microbiologistas ao longo de milhões de anos e que os criacionistas fazem alegações infundadas acerca dos factos.

      IC: A sério? Grandes afirmações exigem grandes evidências!! Quais são as tuas? Se forem realmente boas, convencerão certamente os criacionistas!

      LK: É simples! O meu “método científico”, o meu “naturalismo metodológico”, o meu “empírico”, a minha “abordagem dos problemas”, o “consenso dos biólogos” são infalíveis. Se os criacionistas soubessem bioquímica, biologia molecular, genética, etc., poderiam observar que:

      1) moscas dão… moscas!

      2) morcegos dão… morcegos!

      3) gaivotas dão… gaivotas!

      4) bactérias dão… bactérias!

      5) escaravelhos dão… escaravelhos!

      6) tentilhões dão… tentilhões!

      7) celecantos dão… celecantos (mesmo durante supostos milhões de anos)!

      8) guppies dão… guppies!

      9) lagartos dão… lagartos!

      10) pelicanos dão… pelicanos (mesmo durante supostos 30 milhões de anos)!

      11) grilos dão… grilos (mesmo durante supostos 100 milhões de anos)!

      IC: Mas...espera lá! Não é isso que a Bíblia ensina, em Génesis 1, quando afirma, dez vezes, que os seres vivos se reproduzem de acordo com o seu género? Os teus exemplos nada mais fazem do que confirmar a Bíblia!

      LK: Sim, mas os órgãos perdem funções, total ou parcialmente, existem parasitas no corpo humano e muitos seres vivos morrem por não serem suficientemente aptos…

      IC: Mas…espera lá! A perda total ou parcial de funções não é o que Génesis 3 ensina, quando afirma que a natureza foi amaldiçoada e está corrompida por causa do pecado humano? E não é isso que explica os parasitas no corpo humano ou a morte dos menos aptos? Tudo isso que dizes confirma Génesis 3!

      Afinal, os teus exemplos de “método científico”, “naturalismo metodológico”, “empírico”, “abordagem dos problemas”, “consenso dos biólogos” corroboram o que a Bíblia ensina!! Como queres que os criacionistas mudem de posição se os teus argumentos lhes dão razão?

      Não consegues dar um único exemplo que demonstre realmente a verdade aquilo em que acreditas?

      LK: …a chuva cria informação codificada…

      IC: pois, pois… as gotas formam sequências com informação precisa que o guarda-chuva transcreve, traduz, copia e executa para criar máquinas para fabricar disparates no teu cérebro… cá para mim estás chumbado a pensamento crítico!


      P.S. Todas as “provas” da evolução foram efectivamente usadas pelo Ludwig!

      Eliminar
  6. Não sei porque é que a Maria quer que eu negue a existência do código genético e dos códigos epigenéticos regulares quando a verdade é que os cientistas encontram todos os dias novos níveis de informação codificada com os quais nem Darwin nem os darwinistas podiam sequer sonhar...

    Se a existência do código genéticoe a análise das variações genéticas recentes da população humana corroboram inteiramente o que a Bíblia diz, porque deveriam os criacionistas rejeitar a Bíblia e a genética?

    Sinceramente, não percebo a estratégia da Maria Madalena...


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não quero que negue a existencia de nada só quero que perceba que AUG corresponder a Metionina não é um código, no sentido em que a correspondência não é uma convenção e vários estudos apontam para uma origem natural e é tudo.

      Eliminar
    2. O facto de sequências de codões corresponderem a aminoácidos e de sequências de aminoácidos codificarem proteínas e existirem muitos outros níveis de informação codificada regulatória corrobora inteiramente a origem sobrenatural e inteligente da vida.

      Códigos e informação codificada são as evidências, por excelência, da inteligência, da racionalidade e da programação.

      Nenhum estudo prova a origem natural da vida.

      Se encontrar algum, diga-me. Já vimos que todas as teorias que o tentam explicações naturalistas, irracionais e acidentais da vida são más teorias

      Apresente-me uma boa teoria.


      Eliminar
    3. se as teorias estão incompletas, isso não faz as evidências da origem natural da vida desaparecerem como lhe disse anteriormente.

      "e de sequências de aminoácidos codificarem proteínas"? as sequências de aminoácidos não codificam proteínas, constituem as proteínas, mais especificamente as sequências de rsíduos (aminoácidos ligados entre si por logações peptidicas).

      Eliminar
  7. Os criacionistas insistem nisso mesmo, as teorias científicas estão incompletas.

    Daí que não achem que se possa refutar a Bíblia com base em teorias incompletas, baseadas em informação incompleta. Para além de estarem incompletas, elas não fornecem sequer evidências da origem natural da vida.

    Nunca ninguém observou a vida a surgir naturalmente no terreno ou em laboratório. E não foi por falta de cientistas a tentar isso.

    As proteínas informação codificada em execução.

    Como os cientistas observam,

    "the cell follows a decoding procedure provided by the "genetic code," which tells what protein is made from a given sequence."


    "a new sub-code... determines at which rate given products must be made by the cell."

    "In every living cell, the translation allowing the production of proteins takes place at specialised factories, the ribosomes.

    "The discovery of this novel sub-code will therefore also provide more information about the functioning of these ribosomes."

    Ou seja, mais códigos e mais informação codificada...


    ResponderEliminar
  8. Bem, eu ia responder, mas o Jónatas já disse tudo:

    "Como todos os códigos conhecidos têm origem inteligente, e como o código genético é muito mais complexo, denso e miniaturizado do que os códigos conhecidos, armazenando informação de qualidade e quantidade inabarcáveis por toda a comunidade científica, segue-se que é inteiramente razoável e racional concluir que o código genético teve origem inteligente... "

    Na mosca..

    .........

    Mas para não dar por mal gasto o tempo, eu gostaria que algum evolucionista explicasse 1) a origem dum sistema de informação por via não-inteligente e 2) dizer o porquê do ADN não ser um código no verdadeiro entendimento da palavra "código". Dizer "porque é o resultado dum processo não-inteligente" não serve de resposta uma vez que assume o que tem que ser demonstrado.

    Obrigado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lucas,

      1) TODA a natureza tem informação. Não é só o “código” genético que a tem. E é a natureza a origem da informação genética. A origem da informação para ter pelos no corpo vem da natureza (tempo ou local frio, por exemplo). A origem da informação para ter pescoço comprido vem da natureza (alimento mais difícil de alcançar, por exemplo). A origem da informação para asas vem da natureza (fugir de um predador, por exemplo). E tantos outros exemplos mais que podem ser dados.

      2) Podemos, sim, chamá-lo “código”, assim como chamamos “manga” àquele apêndice das camisas onde entram os braços (e ninguém estará a pensar que se trata de uma fruta). As palavras são convenções humanas utilitárias. Por falta de uma melhor, chamamos “código” ao código genético. Mas com certeza ninguém em sã consciência achará que se trata de um “código” strictu sensu (no sentido de criptografia ou sistema de símbolos, o que realmente denotaria uma consciência por trás). Os genes obedecem a leis químicas, e não é por acaso que o Carbono está em sua base, haja vista sua capacidade de formar longas cadeias moleculares. De todas as formas possíveis (e de tantas outras impossíveis) dos elementos químicos se unirem, poucas seriam capazes de chegar a ter, em algum momento, a capacidade de replicação. E se há a possibilidade, e se há um Universo infinito em possibilidades, então em algum momento irá ocorrer. E se por acaso ocorrer, poderá vir a gerar seres conscientes que se perguntem por que as coisas são como são, se há tantas outras formas que poderiam ter sido.

      Eliminar
    2. "Bem, eu ia responder, mas o Jónatas já disse tudo" Disse tudo mal, como sempre. A evidência do contrário não desaparece só porque os criacionistas querem.

      Eliminar
    3. Alex Castro

      "TODA a natureza tem informação. Não é só o “código” genético que a tem."

      A Bíblia ensina que toda a natureza foi criada pela Palavra de Deus.

      Tudo tem por trás informação. No entanto, não podemos dizer que a chuva ou uma pedra codifique informação.

      Uma bicicleta obedece a informação, mas em si mesma ela não é um sistema de codificação e armazenamento de informação.

      Para isso precisamos sempre de um código.

      "E é a natureza a origem da informação genética."

      Isso não está demonstrado. Apenas observamos as mutações e a selecção natural a degradar e a eliminar genes e informação genética, criando doenças e morte.


      "A origem da informação para ter pelos no corpo vem da natureza (tempo ou local frio, por exemplo). A origem da informação para ter pescoço comprido vem da natureza (alimento mais difícil de alcançar, por exemplo)."

      Por mais que estiques o teu pescoço não crias genes novos...


      "A origem da informação para asas vem da natureza (fugir de um predador, por exemplo). E tantos outros exemplos mais que podem ser dados."

      Achas que se correres vais ganhar genes codificadores de asas? Acreditas demasiado na publicidade da Red Bull.

      As asas existem se e quando existe a informação necessária à sua produção.

      "Podemos, sim, chamá-lo “código”, assim como chamamos “manga” àquele apêndice das camisas onde entram os braços (e ninguém estará a pensar que se trata de uma fruta)."

      Claro. Nós chamamos código e os ingleses chamam code. Mas todos queremos designar sequências de símbolos que codificam instruções...


      "As palavras são convenções humanas utilitárias."

      Claro. Antes de um bebé começar a falar já as máquinas moleculares tiveram que transcrever, traduzir e ler a informação necessária ao desenvolvimento do bebé.


      "Por falta de uma melhor, chamamos “código” ao código genético."

      Porque estamos aí diante de sequências de símbolos que codificam instruções...

      "Mas com certeza ninguém em sã consciência achará que se trata de um “código” strictu sensu (no sentido de criptografia ou sistema de símbolos, o que realmente denotaria uma consciência por trás)."

      Porque não? Trata-se de uma linguagem quaternária que codifica instruções para a produção e reprodução de seres vivos. Por isso achamos que denota uma consciência por trás.


      "Os genes obedecem a leis químicas, e não é por acaso que o Carbono está em sua base, haja vista sua capacidade de formar longas cadeias moleculares."

      Mas porquê específicas sequências? E porque é que as máquinas moleculares "sabem" atribuir um significado operativo específico a esses milhões de sequências? Quem as ensinou?

      "De todas as formas possíveis (e de tantas outras impossíveis) dos elementos químicos se unirem, poucas seriam capazes de chegar a ter, em algum momento, a capacidade de replicação."

      Mas a verdade é que o DNA codifica as instruções para a produção de seres vivos extremamente complexos e funcionais, sendo que nem toda a comunidade científica consegue criar um ser vivo.


      "E se há a possibilidade, e se há um Universo infinito em possibilidades, então em algum momento irá ocorrer."

      Acha que existe alguma possibilidade de um Ferrari ou um Smartphone surgir por acaso num universo infinito?

      "E se por acaso ocorrer, poderá vir a gerar seres conscientes que se perguntem por que as coisas são como são, se há tantas outras formas que poderiam ter sido."

      Acha que um Universo infinito poderia criar um Ferrari com consciência e capacidade para fazer perguntas existênciais?

      São realmente estes os seus melhores argumentos?

      Eliminar
    4. Perspectiva,

      “A Bíblia ensina que toda a natureza foi criada pela Palavra de Deus.”
      E os ovos dourados com letras prateadas do Ornitorrinco Azul, que tem asas de morcego e antenas de formiga e tece teias como as aranhas, me dizem que foi ele quem criou a natureza. E veja! Isso é corroborado pela ciência, que a cada dia mais descobre acerca da Teoria das Cordas, já que na verdade as tais cordas são as teias finíssimas e extremamente fortes do Ornitorrinco Azul. Quero ver evidência melhor e mais científica que essa...

      “Por mais que estiques o teu pescoço não crias genes novos...”
      Está invertendo a situação. Esticar pescoço não cria genes. Parou no tempo de Lamarck?

      “Achas que se correres vais ganhar genes codificadores de asas?”
      Se eu estivesse no tempo de Lamarck, como parece que você está, talvez eu até dissesse que correr poderia fazer com que eu ganhasse genes para pernas mais fortes (o que em nada melhoraria minhas asas). Mas como não estou, está novamente invertendo a situação.

      “Porque estamos aí diante de sequências de símbolos que codificam instruções...”
      Estamos aí diante de reações químicas cuja consequência é resultar, por exemplo, em um bebê. Reações químicas naturais, regidas por leis naturais, que fazem com que os tais “símbolos” (que REPRESENTAM – são por isso convenções utilitárias – mas não SÃO as bases que formam o DNA) resultem em algo visível. Tudo o que os genes fazem é atuar na construção (síntese) de proteínas. É por isso que o que chamamos – convencionalmente – de “genes para a cor verde dos olhos” é tão somente uma característica que é consequência fenotípica da proteína que foi sintetizada.

      “Trata-se de uma linguagem quaternária que codifica instruções para a produção e reprodução de seres vivos.”
      Trata-se de reações químicas, e não de “linguagem”. Não vai achar no DNA nenhuma “instrução” parecida com “construa um olho verde”. Apenas reações químicas cuja consequência final poderá ser uma perna, um braço, um bico, uma asa, um olho verde, etc. É fácil enganar os incautos, que pensam que podem destrinchar o DNA e lá encontrar uma “enciclopédia”, com instruções e mais instruções para construir um ser vivo, do tipo: “construa uma asa aqui”, “construa uma perna acolá”. Somente há reações químicas. Assim como a reação H+H+O resulta em água; a reação de pares de bases + fosfatos resulta em alguma coisa, que vai depender de muitos outros fatores relacionados, como por exemplo a temperatura, outras reações químicas que funcionem como gatilho, etc. (assim como a reação que resulta em água também depende de muitos outros fatores, como por exemplo uma atmosfera que retenha os gases).

      “Acha que existe alguma possibilidade de um Ferrari ou um Smartphone surgir por acaso num universo infinito?”
      “Acha que um Universo infinito poderia criar um Ferrari com consciência e capacidade para fazer perguntas existênciais?”
      E por que é que eu haveria de achar que uma coisa ARTIFICIAL (sabidamente construída, sabidamente moldada a partir de outras partes ARTIFICIAIS pré-existentes) deveria surgir por acaso num Universo infinito? E mais, surgir e adquirir consciência e fazer perguntas existenciais. Explique o que tem a ver uma Ferrari com um ser humano. Isso é totalmente ilógico.

      Eliminar
    5. Informação convencionada não há nenhuma não inteligente. E o ADN não é uma delas. O ADN reage e as propriedades do que chamas codigo emergem das propriedades das moleculas.

      Por outro lado, como pensas que reconheces as coisas quando olhas para elas? Julga receber etiquetas com nomes e verbos ou será que recebes a informação armazenada em fotões?

      2) Done. De qualquer modo, precisavamos de ter provas fortes de um criador para que essa hipotese fosse tivesse mais peso. Assim presume uma entidade a mais, viola a lamina de occam e todo o processo cientifico que tanto nos dá.

      A tua ingratidão é apenas comparavel à tua incapacidade de juntares peças e por isso te desculpo.

      Eliminar
    6. "Informação convencionada não há nenhuma não inteligente. E o ADN não é uma delas. O ADN reage e as propriedades do que chamas codigo emergem das propriedades das moleculas." É isso que tenho sem sucesso tentado explicar ao perspectiva e ao Mats (ou Lucas).

      "precisavamos de ter provas fortes de um criador para que essa hipotese fosse tivesse mais peso." Também tenho tentado que o perspectiva leia os estudos que eu lhe indico sobre a origem quimica (natural) do código genético.

      Eliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. As proteínas corroboram o que a Bíblia ensina:

    A dobragem das proteínas é um exemplo eloquente de informação codificada e de ruído que a destrói, corroborando totalmente o que a Bíblia diz sobre criação e corrupção.


    A Bíblia ensina que Deus criou a informação que programa a vida.

    No entanto, ela também diz que a corrupção introduzida pelo pecado afecta toda a vida, podendo isso ser observado nas mutações e no ruído que degrada a informação.

    Corroborando a criação, os cientistas podem observar que "Proteins only function properly when the chains of amino acids, from which they are built, fold correctly"

    Ou seja, as proteínas requerem precisão e ordem.

    Corroborando a corrupção, os cientistas também notam que "Misfolded proteins can be toxic for the cells and assemble into insoluble aggregates together with other proteins."

    Ou seja, as proteínas não toleram caos e o acaso.

    Fica-se, assim, sem saber como é que elas poderiam ter evoluído por mutações aleatórias e caóticas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "corroborando totalmente o que a Bíblia diz sobre criação e corrupção"

      Resumindo: Seu deus fez merda hahahahaha

      Eliminar
    2. E o que é pior, prezado Icarus, fez M já sabendo que iria dar M... e pior, sabendo que teria que consertar a M depois, afogando todo mundo... e pior, afogando todo mundo já sabendo que não adiantaria M nenhuma... e pior, não adiantaria M nenhuma e ele teria que vir cometer suicídio prá tentar resolver a M que ele poderia ter resolvido logo lá no início, se tivesse recomeçado do zero (o que, afinal de contas, ele tentou fazer ao afogar todo mundo)...

      Caramba... que M... Pára o mundo que eu quero descer!!!!

      Eliminar
    3. Perspectiva,

      "No entanto, ela também diz que a corrupção introduzida pelo pecado afecta toda a vida,"
      Tem certeza que não te incomoda esse "deus" que você defende, que sempre faz os inocentes pagarem pelos erros dos outros? O que raios os animais e plantas tinham que ver com esse tal "pecado" do homem? Lascava um raio na cabeça dele, fazia outro bonequinho e pronto... deixava os bichinhos em paz, ora essa. Deixava lá o pobre leãozinho a comer alfafa com o coelhinho, que já era uma coisa tão guti-guti e não precisava estragar.

      Eliminar
    4. "A Bíblia ensina que Deus criou a informação que programa a vida" Que eu saiba, a Biblia ensina que viemos da lama. Não me parece que na Biblia se encontre a expressão "informação que programa a vida"

      Eliminar
    5. Alexa Castro diz:

      "O que raios os animais e plantas tinham que ver com esse tal "pecado" do homem? Lascava um raio na cabeça dele, fazia outro bonequinho e pronto... "

      Se Deus nos matasse se pecássemos, já estaríamos todos mortos. Se não estamos, é porque Deus nos quer dar oportunidades de arrependimento.

      A criação é um todo físico e moral. A Bíblia diz que por causa da maldade do homem toda a criação foi amaldiçoada. O homem não poderia pretender pecar e continuar a viver num paraíso.

      Se mesmo num mundo amaldiçoado o homem continua a pecar, imagine o que sucederia se o homem visse que o seu pecado não tem grandes consequências...


      Maria Madalena diz

      "Não me parece que na Biblia se encontre a expressão "informação que programa a vida":

      A Bíblia diz que a vida foi feita pela Palavra de Deus.

      A vida depende de um programa assente numa dada linguagem.

      Logo, Deus foi o criador do programa e da linguagem de que a vida depende...

      Como somos racionais, podemos usar a lógica.

      Eliminar
    6. Perspectiva,

      “Se Deus nos matasse se pecássemos, já estaríamos todos mortos. Se não estamos, é porque Deus nos quer dar oportunidades de arrependimento.”
      Sei, como no caso do dilúvio (aceitando que esse mito tenha sido real, será que Deus deu oportunidade de arrependimento a TODO MUNDO, no MUNDO TODO?). Será que a melhor forma de dar oportunidade de arrependimento não seria mostrar-se? Se, ainda assim, alguém não quisesse seguir, aí sim, sofreria as consequências de seus atos. E ademais, onde entra a onisciência? Ele já sabe quem vai se arrepender e quem não vai. Ele já sabe quem vai ser condenado e quem não vai. Essa estória de “dar oportunidades” é balela. E ademais – de novo – bastava ter recomeçado lá em Adão. Vaporizava o Adão, a Eva, a cobra e pronto! Fazia outro bonequinho e todo mundo vivia no paraíso com os leõezinhos e os cabritinhos a comer alface. Ou será que não era isso o que Deus queria?

      “A criação é um todo físico e moral. A Bíblia diz que por causa da maldade do homem toda a criação foi amaldiçoada. O homem não poderia pretender pecar e continuar a viver num paraíso.”
      Em primeiro lugar, quem criou o homem? Se havia maldade no homem, ela era imanente. Ele não “aprendeu” a maldade. Ou, se quisermos avançar o argumento, aceitando que ele “aprendeu” a maldade por meio da cobra, então Deus é, no mínimo (e estou sendo muito legal), omisso por deixar uma fonte de maldade à disposição do homem que, por natureza, deveria ser inocente, privado de malícia, pois do contrário voltamos à primeira hipótese (homem criado já com maldade). E se ele era inocente não estava preparado para provações, ainda mais aquelas perpetradas pelo animal “mais astuto” que havia na natureza.
      Em segundo lugar, ainda falta explicar por que TODA a natureza tem de pagar pelo pecado do homem. Por que não só o homem pagar pelo seu erro? Esse tema de inocentes pagando pelos pecadores permeia toda a Bíblia e denota, a meu ver, uma moral das mais baixas. E se quiser questionar em qual moral me baseio, ora, me baseio na MINHA moral que, pelo menos no que toca a esse tema, considero melhor: que pague pelo erro quem errou.

      “A Bíblia diz que a vida foi feita pela Palavra de Deus. A vida depende de um programa assente numa dada linguagem. Logo, Deus foi o criador do programa e da linguagem de que a vida depende... Como somos racionais, podemos usar a lógica.”
      Quer que eu avalie essa “construção lógica” prá você? Já pra ficar apenas na primeira premissa, a menos que se comprove a existência de Deus ela é totalmente irrelevante. Pode-se trocar “Bíblia” por “ovos dourados com letras prateadas” ou “Corão” (livro sagrado por livro sagrado) e “Deus” por “Ornitorrinco Azul” ou “Allah” (divindade por divindade) que a premissa não se altera. E isso é uma falha na construção lógica.
      Veja por exemplo esta premissa: “todos os cães latem”. Se trocarmos “cães” por “baleias” (mamífero por mamífero), e “latem” por “miam” (voz por voz), haverá alteração da premissa, pois ela deixará de ser verdadeira e passará a ser falsa, coisa que não ocorre com o seu exemplo. É preciso uma forma de validar – ou ao menos tornar mais plausível – a premissa, do contrário ela é inválida.

      Eliminar
    7. "As proteínas corroboram o que a Bíblia ensina

      A dobragem das proteínas é um exemplo eloquente de informação codificada e de ruído que a destrói, corroborando totalmente o que a Bíblia diz sobre criação e corrupção."

      Por isso é que já não aceitamos a escravatura, as mulheres são iguais ao homem, os satelites mostram uma terra redonda e a matemática vai em niveis nem sonhados pelo biblicos.

      Idem a esperança média de vida, a qualidade de vida, a igualdade entre as pessoas, etc... Mesmo com tudo o que há para resolver.

      Isso que andas aí a espalhar são mentiras.

      Eliminar
  11. Perspectiva,

    “Os criacionistas insistem nisso mesmo, as teorias científicas estão incompletas.”
    Todas estão (e provavelmente sempre estarão) incompletas. Isso é o que de mais óbvio há na ciência. Insistir na obviedade não os fará mais inteligentes, e muito menos tornará mitos antigos mais reais. Criacionistas querem exigir da ciência algo que é praticamente impossível, que é A explicação definitiva. Isso é ridículo. A ciência é cumulativa, é evolutiva, nunca ficando satisfeita com as respostas do momento. E isso é a sua beleza.

    “Nunca ninguém observou a vida a surgir naturalmente no terreno ou em laboratório. E não foi por falta de cientistas a tentar isso.”
    E você quer que cientistas façam, em laboratório, o que a natureza levou milhões/bilhões de anos para fazer? Isso é exigir demais do ser humano que, apesar de tudo, já tem respostas bem satisfatórias – ainda que incompletas.

    “Nenhum estudo prova a origem natural da vida.”
    Origem natural é a única corroborada pela observação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que estranho... o segundo comentário, pelo menos vendo daqui, substituiu o primeiro... bom, vai de novo.

      Perspectiva,

      “Se fosse verdade que os dinossauros coexistiram com os seres humanos, que evidência esperaríamos encontrar?”
      O que EU esperaria encontrar (se acreditasse no mito bíblico) seriam fósseis de dinossauros E DE seres humanos no mesmo estrato geológico.

      “juntamente com vários exemplos de tecidos moles”
      Você sabe que “tecidos moles” NÃO SÃO carne como aquelas encontradas penduradas nos açougues, não sabe? Isso apenas significa que outras partes, que não os ossos ou conchas ou partes mais duras, fossilizaram. O que é difícil de acontecer, mas não impossível.

      “Ou seja, somos todos parentes uns dos outros!”
      Muito bom... já é quase um evolucionista... continue assim.

      “Se a existência do código genético e a análise das variações genéticas recentes da população humana corroboram inteiramente o que a Bíblia diz, porque deveriam os criacionistas rejeitar a Bíblia e a genética?”
      Mostre um versículo que, de forma expressa, faça menção ao código genético e eu até posso pensar em aceitar esse argumento. Quanto ao “código” genético em si, o simples fato de ser um “código” degenerado já depõe contra um criador inteligente (e infinitamente ciente e potente). Veja que muitos criacionistas defendem o argumento do “que funciona” (se Deus fez, e funciona, então é bom). Mas será que um mero “que funciona” é o melhor que um ser “oni-praticamente-tudo” poderia ser capaz de fazer? É muito pouco (e muito fraco o argumento) a meu ver.

      Eliminar
    2. Estimado Alex Castro

      Encontramos em estratos geológicos supostamente muito antigos seres vivos (v.g. celecantos) que são igualmente contemporâneos dos dinossauros e dos seres humanos.

      Também sabemos que os dinossauros eram incomodados por piolhos exactamente o que sucede com os seres humanos hoje.

      Além disso, encontramos tecidos moles, proteínas e DNA em fósseis de dinossauros, apesar de a semi-vida destes tecidos ser comprovadamente muito curta.

      Logo, não existe nenhuma razão lógica ou empírica que exclua à partida a coexistência de seres humanos e dinossauros.

      Como fomos criados por um Criador comum e somos descendentes de um casal dotado de toda a variabilidade genética do género humano, somos parentes uns dos outros. Isso nada tem que ver com a crença num hipotético ancestral comum.

      Se o código é degenerado, isso corrobora o que a Bíblia ensina. Não se vê é como um código degenerado poderia transformar partículas em pessoas por mero acaso.

      A Bíblia ensina que todas as coisas foram criadas e são sustentadas pela palavra de Deus. Daí que faça todo o sentido encontrar códigos e informação codificada no núcleo das células e até, como os cientistas estão agora a descobrir, no núcleo dos átomos.

      Eliminar
    3. Alex Castro diz:

      "E você quer que cientistas façam, em laboratório, o que a natureza levou milhões/bilhões de anos para fazer?"

      Se os cientistas não podem observar o que aconteceu em milhões e bilhões de anos, como é que eles sabem que foi a natureza que fez tudo?

      Como é que eles podem provar isso?

      Isso só corrobora os criacionistas. A teoria da evolução é aceite pela fé porque simplesmente não pode ser confirmada no laboratório ou no terreno.

      Ora, fé por fé, os criacionistas já têm uma fé.




      Eliminar
    4. Alex Castro diz:

      "Origem natural (da vida) é a única corroborada pela observação."

      Alguém já viu a vida a surgir da não vida em laboratório ou no terreno?

      Eliminar
    5. Perspectiva, antes de mais nada me desculpo por não responder a certas partes de seus posts. Como acesso o blog do meu serviço, muitos links ficam bloqueados e não consigo ver o seu conteúdo (como o dos dinossauros piolhentos, por exemplo), e sem ver o conteúdo é melhor nem tentar tocar no assunto. Mas assim que for possível, vou tentar ler o conteúdo dos links.

      “Encontramos em estratos geológicos supostamente muito antigos seres vivos (v.g. celecantos) que são igualmente contemporâneos dos dinossauros e dos seres humanos.”
      Tirando o fato de que os Celacantos fósseis não são da mesma espécie dos atuais Celacantos (muito provavelmente porque os Celacantos que viviam na época dos dinossauros estão extintos... é, pode ser isso...) e que, portanto, não poderiam ser “igualmente contemporâneos dos dinossauros E dos seres humanos” (até mesmo porque não havia seres humanos a 240 milhões de anos atrás), será que tem algum mamífero aí nesses estratos (já que eles morreram todos no dilúvio)? É só curiosidade minha (não sua, pelo visto).

      “Se o código é degenerado, isso corrobora o que a Bíblia ensina. Não se vê é como um código degenerado poderia transformar partículas em pessoas por mero acaso.”
      Você sabe o que é um código degenerado?

      “Se os cientistas não podem observar o que aconteceu em milhões e bilhões de anos, como é que eles sabem que foi a natureza que fez tudo?”
      Essa é tão fácil que até eu respondo: é porque ninguém, até hoje, conseguiu comprovar que exista algo SOBREnatural (e não foi por falta de tentativas). Portanto, tudo o que inferimos da natureza é, por falta de uma outra explicação melhor, natural.

      “Alguém já viu a vida a surgir da não vida em laboratório ou no terreno?”
      Não é preciso ver in loco, basta saber que não existem causas sobrenaturais. Consequentemente, só restam as causas naturais. E se a vida surgiu em algum momento, a melhor explicação é ter surgido de materiais inanimados.

      Eliminar
  12. Uma utilização prática do criacionismo da terra jovem e da religião em geral:

    É sabido que uma grande parte dos portugueses não conseguem - vide o snr dr Relvas - lidar bem com o problema dos livros. Estão cheios de letras e a junção delas em palavras e frases aparece como um obstáculo intransponível.

    A maioria dos jovens portugueses não consegue completar o 12 ano.

    Poucos conhecem os rudimentos de português quanto mais de matemática ou ciência.

    Porque não enviar os jovens com dificuldades de aprendizagem para escolas onde lhe fosse ensinado o criacionismo da terra jovem e religião?

    Conseguiam uma mundividência ser terem que ler livros só com letras e aprendiam regras básicas de convívio social sem terem de puxar muito pela cabeça.

    Poderiam aprender a obedecer à autoridade estabelecida - A César o que é de César - e tinham uma visão das origens sem terem de puxar muito pela cabeça.

    Coisa que sabemos é mau para muita gente.

    Se calhar dão óptimos motoristas e domésticas. No Brasil e em África toda a gente prefere pessoal doméstico da igreja. São mais domesticáveis.

    Numa altura de crise toda a ajuda é pouca. Parece-me que seria prudente aplicar alguns recursos neste tipo de educação.

    Aprenderem desde a mais tenra idade que a obediência é importante, que estas coisas de ciência não são para eles e que - e isto é a cereja no bolo - no fundo a culpa é deles. Porque são manhosos, invejosos, concuspicientes e dados ao pecado.

    Claro que isto em grande escala ia levar a cedências tipo proibir o aborto para os pobres e prender alguns gays pobres por paneleirice.

    Coisa que também não ia atrapalhar a vida de ninguém....

    Se os jovens aprendessem desde cedo a respeitar a propriedade alheia, resignarem-se com a sua situação - fruto do seu pecado original - e interiorizassem que quando alguém dorme com a sua mulher ou filha esse é que é o perdido.

    Deus, na sua infinita sabedoria, vai castigar perpétuamente o iníquo que degusta abundantemente da sua mulher e filhas e recompensá-lo perpétuamente desde que ele se resigne e continue a polir o carro do iníquo.

    Isto sim é educação e serviço publico. Principalmente em alturas de crise em que nem Deus no seu sacrário está seguro. Especialmente se o sacrário for de prata...

    ResponderEliminar
  13. Por acaso parece-me que muitos ateus e agnósticos não percebem o papel importante que as religiões tem no mundo.

    Cheios de boas intenções - das quais o inferno está cheio - verberam que as religiões são tretas e que são comparáveis à astrologia e à homeopatia.

    Nada mais falso.

    A astrologia e a homeopatia fazem a felicidade de quem vende tais produtos mas ... só isso. Não cumprem qualquer função social.

    A Astróloga Maya ou um Professor Doutor Homeopata podem ganhar ganhar uma pipa de massa com a veniaga e dar algum conforto ao freguês. No entanto não é ciência certa que lhe mudem a visão do mundo ou que o impeçam de desejar coisas fúteis como cuidados de saúde- sabendo nós quão mutável é a ciência - , reformas e outras futilidades.

    A religião por outro lado é muito mais holistica. Não trata só dum problema especifico como uma unha encravada mas da pessoa humana como um todo.

    Ora sabemos nós que os recursos do planeta são finitos e escassos. Desígnio e mistério de Deus.

    Se todos os utilizássemos isto ia acabar muito mal.

    Imaginem os nossos queridos leitores que os muçulmanos donos do petróleo se metiam a estudar em universidades, se borrifavam nos sagrados preceitos do Islão e desatavam a pensar por si próprios ?

    Valha-nos Deus, A Santa Mãe de Deus e todos os santos do coro celestial.

    Não é melhor que os portugueses vão a Fátima - altar do mundo - ou à IURD em alternativa a atirarem pedras ?

    É que isto de a sagrada alternância de poder entre outros e uns é a basesinha do regime democrático.

    Mina-se a basesinha e o resto vai por aí abaixo.

    E nestas coisas de democracia e ética muito se pode discutir:

    Honra, palavra, seriedade são sempre valores a discutir.

    O dinheiro meus senhores é que não!

    PS:

    E vistas bem as coisas a religião é bastante mais barata que o ópio. Andamos todos aos tiros no Afeganistão para controlar o comércio do dito quando a H20 benta é muito mais barata. E, segundo dizem os entendidos, igualmente eficaz.

    ResponderEliminar
  14. Duas notícias científicas recentes sobre genética e C-14 colocam problemas à teoria dos milhões de anos e encaixam perfeitamente no ensino bíblico sobre a idade recente do genoma e da Terra.

    No tocante ao genoma, a primeira notícia, que já referimos antes, conclui que as mutações deletérias do genoma humano desenvolveram-se nos últimos 5000 a 6000 anos, sendo responsáveis pelas doenças do homem contemporâneo. Esta notícia foi igualmente mencionada no site Science Daily, que é tudo menos criacionista, corroborando inteiramente o carácter recente, cumulativo e degenerativo das mutações, ou seja, a tendência do genoma para a entropia.

    Embora os cientistas evolucionistas tenham procurado interpretar esta evidência de acordo com modelos de evolução "out of Africa", a verdade é que a evidência em si mesma pode ser perfeitamente entendida à luz da criação e corrupção recente.


    Uma outra notícia, respeitante à dendrocronologia, observa que como a radiação cósmica pode afectar subitamente as quantidades de C-14 presentes nos troncos de árvores, pondo em causa a sua utilização uniformitarista como método de datação.

    Se um cataclismo global, como o dilúvio narrado na Bíblia, envolvesse a emissão de radiação cósmica, isso teria certamente um impacto na calibragem actual de todos métodos de datação por decaimento radioactivo.




    A segunda,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perspectiva, como consegui abrir os links deste comentário, gostaria de fazer um alerta: cuidado com essa sua leitura tendenciosa. Isso não é muito bem visto em debates (muitos chamam a isto mau-caratismo intelectual, mas não vou chegar a tanto por enquanto).

      "conclui que as mutações deletérias do genoma humano desenvolveram-se nos últimos 5000 a 6000 anos"
      Não é bem isso que conclui não. A própria chamada da matéria no ScienceDaily já começa com "Most of the Harmful Mutations in People Arose in the Past 5,000 to 10,000 Years" (tradução livre: a maior parte - A MAIOR PARTE - das mutações prejudiciais na população surgiu nos últimos 5000-10000 anos), informação também encontrada no site da Nature. Estamos falando da maior parte, não de todas; e não apenas de mutações deletérias ("and a few might be beneficial").

      Sem contar que, convenientemente, são "esquecidas" certas partes do texto, como esta: "Older single-nucleotide variants -- first appearing longer than 50,000 years ago -- were more frequent in African samples" (ora, 50000 anos atrás?) ou esta: "To place this discovery in the context of the prehistory and ancient history of people, humans have been around for roughly 100,000 years" (ora, 100000 anos?)

      "a verdade é que a evidência em si mesma pode ser perfeitamente entendida à luz da criação e corrupção recente."
      Quando eu costumava escrever no site do Sabino (a lógica ilógica para os íntimos), costumava pedir (não apenas eu, outros também) que fosse demonstrada uma linha do tempo "atochando" toda a história conhecida da humanidade em 6000 anos. Por que será que até hoje ninguém fez isso? Simples. O mundo hoje é incompatível com uma criação recente. Não há como prensar a história em 6000 anos.

      "Uma outra notícia, respeitante à dendrocronologia, observa que como a radiação cósmica pode afectar subitamente as quantidades de C-14 presentes nos troncos de árvores, pondo em causa a sua utilização uniformitarista como método de datação."
      Meu inglês deve estar muito enferrujado, pois li e reli o artigo e não encontrei a parte na qual é posta "em causa a sua utilização uniformitarista como método de datação". Quer me parecer que você tenta desmerecer o método C-14 em razão dele não ser 100% eficaz, 100% à prova de erros. Ora, todo método tem sua margem de erro e esta já é considerada quando da realização de medições. E é por isso que temos não um, mas diversos métodos para se datar um achado arqueológico. E é por isso que, descontadas as margens de erro, esses métodos funcionam bastante bem (pelo menos bem melhor que contar gerações bíblicas).

      "Se um cataclismo global, como o dilúvio narrado na Bíblia, envolvesse a emissão de radiação cósmica, isso teria certamente um impacto na calibragem actual de todos métodos de datação por decaimento radioactivo."
      Não viaja na maionese, Perspectiva. E como é que uma chuvarada vai emitir radiação cósmica??? Non sense. A que ponto chegou o desespero criacionista...

      Eliminar
  15. "À velocidade «desta notável eficiência biológica» um filme de duas horas em alta definição demoraria uns mil e quinhentos anos a ver. Nem o Manoel de Oliveira aguentava."
    Lindo! Nem mais! Acho que comparar o incomparável foi sempre o calcanhar de Aquiles destes falsos cientistas.

    ResponderEliminar
  16. Um estudo recente sugere que a homossexualidade resulta da eliminação e degradação de informação epigenética dos genomas...

    O estudo mostra que a homossexualidade compreende-se melhor como o resultado de corrupção do genoma do que de evolução.

    Na verdade, os autores do estudo observam que:

    "From an evolutionary standpoint, homosexuality is a trait that would not be expected to develop and persist in the face of Darwinian natural selection. Homosexuality is nevertheless common for men and women in most cultures."

    Ou seja, também aqui estamos diante de corrupção e não de evolução.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jónatas,

      A sua desonestidade não tem limites hein?

      Ainda bem que qualquer um que saiba ler poderá perceber que vc não passa de um mentiroso.

      Eliminar
    2. Estas a assumir que a homosexualidade é uma coisa má e que todas as mutações também.

      Algo que sabemos estar errado.

      As mutações trouxeram-nos onde estamos e alguns casos existem que ilustram que as mutações pode ter bons resultados como as experiencias de lenski, evolução da capacidade de digerir leita, gene da anemia falsiforme, etc.

      É só mentira o que espalhas por aqui. Se deus existir deve estar envergonhado com o que se diz em seu nome.

      Eliminar
  17. "À velocidade «desta notável eficiência biológica» um filme de duas horas em alta definição demoraria uns mil e quinhentos anos a ver. Nem o Manoel de Oliveira aguentava. "

    Deus estava distraido. Ele tinha outros planos, mas o ADN já ia a todo o vapor quando ele olhou para a vida.

    ResponderEliminar
  18. O estudo tem o cuidado de explicar:

    "Epi-marks constitute an extra layer of information attached to our genes' backbones that regulates their expression. While genes hold the instructions, epi-marks direct how those instructions are carried out -- when, where and how much a gene is expressed during development.

    Different epi-marks protect different sex-specific traits from being masculinized or feminized -- some affect the genitals, others sexual identity, and yet others affect sexual partner preference.

    However, when these epi-marks are transmitted across generations from fathers to daughters or mothers to sons, they may cause reversed effects, such as the feminization of some traits in sons, such as sexual preference, and similarly a partial masculinization of daughters."

    Trata-se, como se vê, de uma anomalia no processamento normal de (meta)-informação epigenética.



    ResponderEliminar
  19. Um estudo sobre a descoberta de novos componentes do código epigenético que programa a vida das abelhas, que corrobora a sua criação inteligente.

    Os cientistas dizem:

    "This code is known to exist in humans and other complex organisms in order to control changes in cell development -- but this is the first time it's been discovered in the honeybee."

    Ou seja, também isso corrobora a ideia de que abelhas e seres humanos têm um Criador comum.

    ResponderEliminar
  20. Pelos vistos, a arqueologia subaquática começa a levar os relatos do dilúvio mais a sério, embora ainda fale num dilúvio local.

    Mas já é um paço na direcção certa, ainda que pequeno.

    ResponderEliminar
  21. Respostas
    1. Quando comecei a ler pensei que era uma piada (não acreditava que fosse verdade)

      Eliminar
  22. é eu tamém sempre vos achei piada mesmo
    mas a con petição é tanta...

    ResponderEliminar
  23. Ludwig:

    Desculpa, Off topic.

    Acho que tens de ler isto,

    o Desidério está a destruir tudo o que pessoas como tu e eu temos defendido, (sobretudo nos ultimos 3 paragrafos). Agora a ciencia é a discussão de seja o que for da maneira que for...

    "Desidério Murcho12 de Dezembro de 2012 01:31
    Talvez valha a pena esclarecer assim as coisas:

    1) Eu e o David Marçal aceitamos que as pessoas que acreditam no Índigo têm todo o direito a viver e a acreditar no que acreditam.

    2) O David Marçal acredita que as crenças índigo são cientificamente falsas. Eu não sei, porque nem sei que raio de crenças são, mas aceito que o sejam, para efeitos de discussão.

    3) O David Marçal acredita que se as crianças educadas segundo a vontade dos seus pais sofrem danos, eles não devem poder ensinar-lhes isso. Eu discordo disto porque faço uma distinção entre danos inequívocos e danos vagos. Além disso, a posição do David Marçal não tem aqui ponta de ciência, pois não há qualquer estudo científico que mostre os efeitos negativos que tem nas crianças uma educação índigo.

    4) Além disso, o David acredita que o estado não deve reconhecer as práticas de vida de pessoas que têm crenças cientificamente falsas. Eu discordo frontalmente, e isto é claramente ditatorial. Um estado livre não serve para promover os valores que um sector da população defende, contra os valores que outro sector não aceita. Um estado serve para vivermos tão harmoniosamente em conjunto quanto possível, com todas as diferenças que efectivamente tivermos. Esta é a parte que mais me faz ficar realmente muito perturbado. A ideia de usar o poder do estado para promover um dado estilo de vida ou mundividência, por mais que seja saudável e desejável ou cientificamente verdadeira, parece-me completamente e inapelavelmente inaceitável. Isto é a ditadura benevolente de que falava Popper e contra a qual se insurgia.

    Um último ponto. Há algo de autoderrotante no género de ditadura benevolente do David Marçal -- que qualquer pessoa com formação histórica adequada conhece bem, basta pensar no debate entre Mill, defensor da liberdade, e Comte, que defendia o género de ditadura científica do David. E é autoderrotante devido a isto: o que me atrai, e atrai muita gente, na mundividência científica é a autonomia da razão. A razão não é serva da tradição nem da autoridade. A razão é livre para escolher por si, errando, tentando, errando de novo, voltando a tentar.

    Só que não há a razão. Isto é conversa parva de crianças. Tudo o que há são pessoas, a raciocinar. E portanto só há uma maneira de haver a autonomia que o David e eu admiramos na ciência: é haver pessoas livres, que erram, tentam, erram de novo, voltam a tentar. Se impedirmos as pessoas de errar nas suas crenças mais básicas, dizendo-lhes nós, com a autoridade do estado, quais devem ser as suas crenças e as suas práticas, já perdemos a batalha pela ciência e pela autonomia, porque já estamos a fazer tolos que acreditam no que digo eu porque eu tenho o poder do estado por detrás e não porque eu tenho uma boa justificação científica a favor do que digo.

    Em conclusão: com defensores da ciência como o David Marçal, a ciência não precisa de inimigos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Corretíssimo, como aliás as anteriores mensagens do Desidério a este respeito, mas esta é ainda mais óbvia.

      E nem se trata de nenhuma questão sobre ciência, mas apenas de crenças que, supostamente, não têm base científica (como muitas crenças religiosas, por exemplo).

      Logo, essa afirmação de que "a ciência é a discussão de seja o que for" não encontra qualquer suporte nesta opinião do Desidério, muito embora até possa ser correta em abstrato, se entendermos "scientia" como busca do conhecimento e não apenas a aplicação de um método específico de validação desse conhecimento.

      Eliminar
    2. Leprechaun:

      Não, não está correctissimo. Mas como a minha critica é longa eu vou antes deixar uma ligação para o meu post:

      http://cronicadaciencia.blogspot.pt/2012/12/nao-ha-falta-de-democracia-na-ciencia.html

      Entretanto o Desidério é tão pela liberdade da palermice que decide não ler os meus textos porque têm erros de ortografia. Não sei se por direito à sua propria palermice ou à minha, mas isso diz algo acerca da vontade dele de legitimar as vontades dos outros ou querer chegar ao fundo dos argumentos.

      Eliminar
  24. MEC deixa no desemprego mais 40 por cento de professores contratados

    •Estamos hoje perante a primeira e grave consequência de medidas decididas pelo governo e tomadas pelo Ministério de Nuno Crato:

    •De propósito para despedir professores contratados

    •De propósito para criar bolsa de “horários-zero” para, eventualmente, despedir a seguir



    OS NÚMEROS
    Renovações de contratos:
    2010 – 9.998
    2011 – 7.915
    REDUÇÃO DE 2.893 (-20,8%)
    2012 – 4471
    NOVA REDUÇÃO DE 3.444 (-43,5%)

    Necessidades transitórias (horários anuais, completos e incompletos):
    2010 – 7.277
    2011 – 4.832
    REDUÇÃO DE 2.445 (-33,6%)
    2012 –3105, dos quais 1523 são horários incompletos
    NOVA REDUÇÃO DE 1.727 (-35,7%)

    Total de colocações em 31 de agosto:
    2010 – 17.275
    2011 – 12.747
    REDUÇÃO DE 4.528 (-26,2%)
    2012 – 7.576
    NOVA REDUÇÃO DE 5 .171 (-40,5%)

    Só as colocações em 31 de agosto (anuais) tiveram, em 2 anos, uma redução de 56,1%, correspondendo a 9.699 professores. Esta redução tem ainda maior dimensão quando considerados os docentes contratados, por “oferta de escola” para os TEIP, escolas com contrato de autonomia e outras escolas e agrupamentos, nos termos da lei.
    Entretanto, vem aí a chamada BR1 que em 2011 colocou 2.712 professores. Em 2011 esta BR 1 teve lugar em 12 de setembro. Segundo informação do MEC, até à BR5 (em 10 de outubro de 2011), foram colocados 22.399 docentes quando, em 2010, tinham sido colocados 32.330. Houve uma redução de 9.931 (-30,7%), quase 1/3. Em 2011 houve 13 BR, a última das quais em 28 de dezembro.

    A FENPROF mantém expetativa negativa de, até esse momento, haver redução de cerca de 18.000 docentes contratados.
    O que aconteceu este ano foi propositado, como se referiu. O primeiro momento da estratégia foi o OE para 2012 (a FENPROF, em CI que promoveu em novembro de 2011, denunciou aquela intenção, tendo em conta a redução orçamental prevista). Depois vieram as medidas concretas: 150 mega-agrupamentos; revisão da estrutura curricular; mais alunos por turma; extinção de projetos; encerramento de escolas…


    AS CONSEQUÊNCIAS

    Chegam agora as consequências:
    •Desemprego, em primeiro lugar! Maiores dificuldades à organização e ao funcionamento das escolas! Menos qualidade de ensino!


    Neste quadro tão complexo e difícil, a FENPROF promove as seguintes iniciativas:

    •Funcionamento em todas as sedes e delegações dos Sindicatos da FENPROF de Gabinetes de Apoio aos Professores e Educadores Desempregados e Contratados.


    •Dia 3, segunda, presença nos Centros de Emprego. Apoio aos docentes desempregados aí presentes e denúncia junto da população.


    •Na próxima semana, será requerida a abertura de um processo negocial, nos termos da lei, para concretização do regime de vinculação de professores que Nuno Crato anunciou na Assembleia da República em 19 de julho. A FENPROF apresentará proposta concreta e exige que, independentemente dos requisitos que forem fixados, sejam abrangidos os docentes que, deliberadamente, o MEC deixou agora sem colocação e à data do despedimento, reuniam esses requisitos. Se MEC não avançar com este processo de vinculação, Nuno Crato deverá demitir-se e pedir desculpas públicas por ter mentido em sessão parlamentar.

    en con clusão A FENPROF irá ainda requerer a elaboração de uma listagem de atividades concretas que sejam consideradas “atividade letiva”, nos termos previstos no ECD, para garantir que professores sem turma atribuída, mas com trabalho direto com os alunos, não se encontram em situação de “horário-zero”. São milhares que estão nesta situação.
    Por fim, o Secretariado Nacional da FENPROF reunirá a 6 e 7 (quinta e sexta da próxima semana) e, entre outras ações, estará em cima da mesa

    ResponderEliminar
  25. Din kommentar blev udgivet of jõãu murcho....c...is new né..

    ResponderEliminar
  26. Foi encontrado um fóssil de um crustáceo (bem identificável como tal) supostamente com 450 milhões de anos, mas muito bem preservado e com tecidos moles, tudo corroborando a ideia de que não pode ser tão antigo como resulta de datações uniformitaristas.

    Repare-se na descrição:

    "The discovered species, which is up to 10 millimetres long, is special because it is exceptionally well preserved, complete with not only the shell but also the soft parts -- its body, limbs, eyes, gills and alimentary system."


    Para os criacionistas é muito simples: ele foi subitamente sepultado por um cataclismo recente, o dilúvio, sendo o resultado de muita água em pouco tempo e não de pouca água em muito tempo.

    Neste cenário, não admira essa preservação, nem a de tecidos moles, proteínas e DNA em fósseis (e material não fossilizado) de dinossauros...




    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perspectiva, Perspectiva, cuidado com os comentários tendenciosos. Não leia apenas o que lhe convém nas notícias. Pegar o que te interessa e descartar o que lhe vai contra não é uma atitude muito legal.

      "The preservation of soft-parts of animals is a very rare occurrence in the fossil record..."
      A preservação de tecidos moles é rara, sim (mesmo a preservação de tecidos duros não deixa de ser rara), mas pode acontecer (e acontece, como podemos ver em tantos exemplos). E o tecido mole é TECIDO FOSSILIZADO. Pare de tentar passar a (falsa) ideia de que se trata de "carne fresca" (tática comum entre os criacionistas da terra jovem).

      E por falar em terra jovem (6000-10000 anos), esta parte da notícia ("The discovery of the tiny shelled arthropod was made in 425 million year old rocks in Herefordshire, Welsh Borderland.") você varreu para debaixo do tapete?

      "Para os criacionistas é muito simples: ele foi subitamente sepultado por um cataclismo recente, o dilúvio,"
      Aceito este argumento se - e somente se - junto ao citado fóssil do crustáceo, houver fósseis de cães, gatos, leões, elefantes, papagaios, lagartos, avestruzes, etc. Pois se morreram todos no dilúvio, têm de estar todos sepultados juntos. E se fossilizou um crustáceo, tanto mais fácil fossilizar um cavalo junto com ele. Se não tem isso prá mostrar, é treta. E que treta!

      Eliminar
    2. Estimado Alex

      A preservação de tecidos moles supostamente com milhões de anos está a deixar de ser rara.

      As notícias tornam-se cada vez mais frequentes.

      As mesmas têm sido confirmadas por laboratórios independentes para grande espanto dos cientistas.

      As mesmas são acompanhadas de da descoberta de pele mumificada de dinossauro que têm aspecto recente.

      Toda essa evidência corrobora a criação recente.

      Por acreditarem no catastrofismo bíblico e negarem o uniformitarismo, os criacionistas entendem que as idades de como essa de 425 milhões de anos, que se apoiam em premissas uniformitaristas (i.e. partem do princípio de que as taxas de sedimentação sempre permaneceram constantes), não devem ser acei

      Para seres sepultados juntos, os seres vivos têm que viver juntos.

      Normalmente os seres que vivem no fundo do mar não vivem junto com os cavalos, pelo que não é de esperar que fossem fossilizados juntos. Ou acha que é?





      Eliminar
    3. Perspectiva,

      "Normalmente os seres que vivem no fundo do mar não vivem junto com os cavalos, pelo que não é de esperar que fossem fossilizados juntos. Ou acha que é?"

      Sim, acho que é. Morreram todos no dilúvio. Morreram todos debaixo de água (pelo menos para quem acredita nesta treta deve ser assim que morreram: afogados). A menos que a chuva os tenha colado no lugar em que morreram, nada impede que a carcaça do cavalo boie e vá parar perto de um crustáceo. Ou o cavalo morto não boia? Ou o cavalo morto não se desloca pela água? Parafraseando-o: é este realmente o seu melhor argumento?

      Eliminar
  27. Perspectiva,

    "Também sabemos que os dinossauros eram incomodados por piolhos exactamente o que sucede com os seres humanos hoje."

    Finalmente consegui abrir o link do dinossauro piolhento. E nenhuma surpresa ao encontrar isso ("These flea-like animals, similar but not identical to modern fleas, were probably 10 times the size of a flea...") na notícia.

    Parece mesmo ser um mau hábito criacionista ler apenas o que convém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eram idênticos mas maiores. O que só mostra que em vez de se transformarem em seres vivos mais complexose inovadores, apenas perderam dimensão...

      Mas continuaram dentro do mesmo género, tal como a Bíblia diz.

      Também encontramos ainda hoje seres vivos (v.g. canídeos) e insectos (v.g. formigas) de tamanhos muito diferentes dentro do mesmo género...

      Mesmo nas pessoas, há indivíduos muito altos (v.g. jogadores dos Los Aangeles Lakers) e outros muito baixos (v.g. pigmeus), mas todos são seres humanos dentro da variabilidade do género.

      Eliminar
  28. Como é sabido, os criacionistas têm insistido no ponto de que a vida não é só matéria e energia, mas códigos e informação codificada. A vida executa um programa de software.

    Como códigos e informação (software) são a marca de inteligência por excelência e como o DNA codifica informação de complexidade e densidade inabarcável pela mente humana, isso corrobora inteiramente o que a Bíblia diz acerca da criação da vida por um Deus que se revela como Logos(Razão/Verbo).

    Os factos e a lógica são inatacáveis, apesar de evolucionistas como o Ludwig ou a Maria Madalena não apenas negarem o inigável, como pretenderem que os criacionistas incorram no mesmo erro.

    Curiosamente, os cientistas começam a reconhecer que as suas abordagens são insuficientes. Eles começam a tematizar a origem da vida como um problema de software e não como um problema de hardware.

    O estudo explica:

    "In a nutshell, the authors shift attention from the "hardware" -- the chemical basis of life -- to the "software" -- its information content."

    Até que enfim!!

    Como os criacionistas têm vindo a insistir nas últimas décadas, essa é a abordagem correcta, do ponto de vista Bíblico. O software é sempre criação inteligente.






    ResponderEliminar
  29. Mais confusão no registo fóssil e na suposta árvore evolutiva.

    Ela só deixará de existir se as pessoas se convencerem que os fósseis não mostram a evolução mas apenas o sepultamento abrupto e a morte de triliões de seres vivos nos cinco continentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Ancient multicellular fossils long thought to be ancestors of early marine life are remnants of land-dwelling lichen or other microbial colonies
      [...]
      Ediacaran fossils, he said, represent "an independent evolutionary radiation of life on land that preceded by at least 20 million years the Cambrian evolutionary explosion of animals in the sea."

      Obrigado Jónatas por confirmar a evolução e refutar o seu criacionismo.

      Next!

      Eliminar
    2. Não se provou evolução nenhuma.

      Os factos são apenas fósseis de organismos multicelulares abruptamente sepultados sem qualquer conexão evolutiva com os organismos marinhos que se pensava serem seus descendentes...

      Ou seja, os seres vivos que alegadamente terão surgido da explosão cambriana ficam agora sem antecedentes evolutivos, o que complica a teoria da evolução.

      Como os cientistas dizem:

      "This discovery has implications for the tree of life, because it removes Ediacaran fossils from the ancestry of animals,"


      Daí que eles tenham que falar em "evolução independente". Mas é mera suposição e imaginação sem qualquer fundamento.

      Como disse, eles apenas têm fósseis de seres vivos abruptamente sepultados, sem qualquer relação evolutiva com outros....,

      Isso é inteiramente compatível com a criação como géneros diferentes e com o dilúvio...

      Eliminar
    3. É só vc pegar o texto como um todo, sem excluir as partes que não te interessa, que vc vai perceber:

      "Ediacaran (pronounced EDI-akran) fossils date to 542-635 million years ago. They've been considered fossil jellyfish, worms and sea pens, but are preserved in ways distinct from marine invertebrate fossils"

      [...]

      "They lived immediately before the Cambrian evolutionary explosion that gave rise to familiar modern groups of animals"

      Eliminar
    4. Depois os criacionistas tem a cara de pau de dizer que não existem fosseis que provam a evolução.

      Temos que agradecer ao Jónatas pela lição hahahaha

      Eliminar
    5. Em primeiro lugar, os fósseis não provam a evolução.

      Eles apenas provam que seres vivos morreram e foram abruptamente sepultado por sedimentos. Isso corrobora o dilúvio.

      Em segundo lugar, os fósseis existem no presente, sendo a sua datação feita por cientistas que vivem aqui e agora, partindo de axiomas uniformitaristas.

      Em terceiro lugar, se removermos os fósseis ediacarianos da linha evolutiva anterior aos animais que surgiram na suposta explosão câmbrica, como resulta deste estudo, ficamos com um grande problema na teoria da evolução, porque os seres vivos marinhos ficam sem antecedentes evolutivos.

      Então evoluíram de quê?

      É isso mesmo que aqui sucede. Pensava-se que os fósseis ediaciarianos eram antecedentes evolutivos dos seres vivos que alegadamente surgiram dessa suposta explosão, mas afinal não são.

      Por explicar fica a origem desses seres multicelulares e dos demais seres vivos de que eles são independentes.

      Não percebo como isso prova a evolução, mas percebo que isso corrobora a criação de géneros independentes e o dilúvio catastrófico.



      Eliminar
    6. "Eles apenas provam que seres vivos morreram e foram abruptamente sepultado por sedimentos. Isso corrobora o dilúvio."

      Repito a pergunta: se morreram TODOS no dilúvio, sendo TODOS eles sepultados JUNTOS, ONDE ESTÃO os cães, os macacos, os gorilas, os patos, as galinhas, os elefantes, os hipopótamos, os leões, as hienas, os gatos, os pelicanos, os tamanduás, os periquitos, as águias, as lontras, as girafas, os bois, os gnus, os tucanos, os condores, etc etc etc etc etc etc e "eticétera"...

      Não se esqueça, Perspectiva, que morreram TODOS JUNTOS na treta diluviana. Parece até o paradoxo de Fermi: "onde estão todos?"

      Eliminar
    7. Os fósseis dizem-nos, acima de tudo, como é que muitas espécies foram abruptamente sepultadas, antes mesmo de se decomporem ou serem comidos pelos predadores.

      Essa mensagem dos fósseis é inteiramente consistente com a ocorrência de um dilúvio global.

      O facto de, em muitos casos, muitos desses fósseis de animais marinhos poderem ser encontrados muito acima do nível do mar é um testemunho eloquente da veracidade do relato bíblico do dilúvio.

      O dilúvio global descrito na Bíblia fornece o contexto extraordinário que tornou possível a rápida deposição de sedimentos e o sepultamento abrupto de biliões de seres vivos.

      A deriva dos continentes, a idade do gelo, a origem dos oceanos e a origem das montanhas também encontram uma explicação plausível dentro do modelo do dilúvio global.

      Dizer que os fósseis falam de evolução já é pressupor a ocorrência de evolução.

      Tanto mais, que, como logo notou Charles Darwin e Stephen Jay Gould confirmou mais recentemente, não existe evidência de evolução gradual no registo fóssil.


      Eliminar
    8. Animais marinhos do cambriano sendo sepultados por um dilúvio global só faz sentido em uma cabecinha criacionista :-)

      A coluna geológica em que os fósseis são encontrados prova que estes animais viveram em tempos muito diferentes.


      Eliminar
    9. "A deriva dos continentes, a idade do gelo, a origem dos oceanos e a origem das montanhas também encontram uma explicação plausível dentro do modelo do dilúvio global."

      Ah, sim? Já agora chuvarada eleva montanhas. Chuvarada movimenta continentes. Chuvarada dá início a era do gelo (cuidado, Sid! Cuidado, Diego! Olha a chuva!)Que treta desesperada! Isso só pode ser piada.

      Eliminar
    10. A chuva não eleva montanhas. Mas o movimento abrupto e catastrófico das placas tectónicas sim...

      Eliminar
    11. "Mas o movimento abrupto e catastrófico das placas tectónicas" O perspectiva aceita que isto ocorre e não aceita a evolução. Mas ele não observa "o movimento abrupto e catastrófico das placas tectónicas", enquanto que embora não se tenha observado a evolução que ocorreu no câmbrico, esta é observada actualmente (ex.: especiação, divergência entre populações dentro da mesma espécie)

      Eliminar
    12. Segundo o perspectiva, toda a geologia do planeta mudou em um prazo de menos de um ano. Mas não é ele mesmo que gosta de dizer "não se observa isso". Então, ninguém nunca viu mudanças drásticas na geologia do planeta em tão pouco tempo.

      Nós observamos a geologia do planeta mudando lentamente, bem debaixo dos nossos olhos. A deriva continental continua acontecendo, avançando poucos centímetros por ano.

      Eliminar
  30. Mais uma notícia, que a Maria Madalena não deve deixar de ler, sobre o modo como os cientistas estão a começar a ver o problema da origem da vida como um problema de software (i.e. códigos e informação codificada), abandonando velhos paradigmas...

    Nunca conseguirá compreender a origem da vida quem a comparar a cubos de gelo, flocos de neve ou sal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. “The new model is still in its infancy and doesn't yet point to new molecules that could have spawned life on other planets. But it lays out the behavior needed for a system needs to be considered living, Walker said.”

      Os cientistas estão a ficar menos preocupados com a constituição molecular para definir vida e mais com o "comportamento" da matéria que a constitui - ex.: resposta a estímulos, síntese proteica de acordo com o conteúdo genético (mas no fundo continua a ser quimica). E daí?

      Eliminar
    2. Eles estão a perceber que assim como não se pode compreender um computador sem códigos e informação codificada, também não se pode compreender a vida sem códigos e informação codificada...

      Para os criacionistas há muito que isso era evidente...

      Eliminar
    3. seu deus é feito de código?

      Eliminar
    4. Ele é o Criador do código

      Eliminar
    5. Como eu já disse, informação não é só o DNA ou o RNA ou as proteínas que a têm. Quanto a "códigos e informação codificada", nem uma referência.

      Eliminar
    6. Perspectiva.

      Seu deus criou a ele mesmo? :-)

      Sai dessa agora hahahaha

      Eliminar
  31. Um estudo recente removeu os fósseis ediacarianos da linha dos ancestrais dos invertebrados marinhos, supostamente surgidos depois da explosão cambriana.

    Estes invertebrados ficam agora sem antecedentes evolutivos.

    O problema é especialmente agravado se se pensar que esses invertebrados já eram extremamente complexos, por vezes com com olhos compostos de milhares de lentes, sem qualquer antecedente evolutivo.

    Tudo isso corrobora a criação e o dilúvio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo isso corrobora a criação e o dilúvio e um criador sádico e maluco que cria e depois destrói tudo.

      Eliminar
    2. "e um criador sádico e maluco que cria e depois destrói tudo." Se o deus do persectiva existisse, essa seria a sua descriação em poucas palavras.

      Eliminar
  32. O Criador não é sádico e arbitrário. Ele criou o ser humano sem derramar uma gota de sangue, deu-lhe liberdade e colocou-o num paraíso.

    Ele estabeleceu as normas e avisou o ser humano de que a morte seria o castigo pela sua desobediência. Ainda assim, o ser humano pecou.

    A Bíblia, em várias passagens, explica o que levou Deus a destruir o que havia criado:

    "A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência." Génesis 6:11

    "Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra." Génesis 6:13

    "Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos." Lucas 17:27

    "Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água" I Pedro 3:20

    "E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios" II Pedro 2:5

    Considerando que também hoje os a Terra se enche de violência, de rebeldia contra Deus e de desrespeito pelas normas divinas sobre o casamento, podemos esperar o que virá sobre a humanidade.

    De resto, a Bíblia avisa:

    "E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem." Lucas 17:26





    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "sem derramar uma gota de sangue" - E remover uma costela a alguém não conta como "derramar sangue"?

      Eliminar
    2. O Criador não é sádico e arbitrário.
      Claro que é. Quando ele criou já sabia que ia dar merda. E mesmo assim criou.

      Ele estabeleceu as normas e avisou o ser humano de que a morte seria o castigo pela sua desobediência.
      Sim, ele cria o ser humnano inocente e coloca uma árvore no meio do jardim praticamente com um luminoso:

      "Não coma, se não vcs vão se foder"

      E coloca uma cobrona falante para ficar atentando.

      É a mesma coisa que eu pegar os meus filhos e dizer: Não encoste aqui. É certo que basta eu virar as costas para eles mexerem.

      Ominisciênca cadê vc? :-)



      "E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem." Lucas 17:26
      "Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas [coisas] aconteçam." Mateus 24:34

      Epic Fail :-)

      Eliminar
    3. atentando -> tentando.

      Eliminar
    4. Estimado Ícarus. Logicamente Deus podia

      1) Não criar o mundo

      2)Criar o mundo sem o homem

      3) Criar o homem sem liberdade

      4) Criar o homem com liberdade

      Deus adoptou a escolha 4), mesmo sabendo que o homem poderia pecar, porque Ele também sabia que também iria dar ao homem uma forma de ele se salvar, dispondo-se Ele mesmo a pagar o preço do pecado.

      A geração a que se refere Mateus 24:34 não é a geração do tempo de Jesus, mas sim aquela que irá presenciar os eventos finais da grande tribulação descritos no capítulo 24.





      Eliminar
    5. Perspectiva,
      1) Não existe o "poderia" para o seu deus.
      Ou ele sabe o futuro ou não sabe. Ou ele é onisciente ou não é.

      Quando ele criou o mundo já sabia que o homem iria errar e já tinha um plano para salvação. Até ai, ok.

      Mas já sabia também que apenas uma pequenina parte iria ser salva, o resto iria para a danação eterna. Se isso não é ser sádico, não sei mais o que é :-)


      2) Ele disse esta geração, as pessoas com quem ele estava falando, não aquela geração do texto.

      De qualquer forma, a geração da primeira guerra mundial já se foi.
      Ou seja, mais uma falha nas profecias bíblicas :-)

      Eliminar
    6. Estimado Icarus

      Deus sabe o futuro. A Bíblia ensina que antes da criação do mundo já Deus sabia que o homem ia pecar e que Deus ia salvar aqueles que o aceitavam. Jesus orava:

      "Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo." João 17:24

      Ele também preparou, para os que se haviam de salvar, a vida eterna com Deus:

      "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;" Efésios 1:4

      Mas Deus também sabe, desde o início, que Satanás irá ser destruído e sabe quem não se vai salvar:

      "A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá." Apocalipse 17:8



      Ele sabia, por exemplo, que o Ícarus iria ser confrontado com a possibilidade de aceitar ou rejeitar a salvação que Deus dá e ter a vida eterna e iria tomar uma decisão livre...

      ..qual, eu não sei. Mas Deus sabe.

      ...a geração que vir a grande tribulação anunciada em Mateus 24 irá também ver a vinda do Filho do Homem




      Eliminar
    7. MAS, observando os detalhes do texto, fica claro que a geração é aquela mesma.

      Olha só:

      E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.

      Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada.
      E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo:

      Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?
      Mateus 24:1-3

      O templo foi destruído em 70DC, então aquela geração já se foi.

      Eliminar
    8. Está a dizer que Jesus estava a falar à sua geração que iria presenciar a destruição do Templo?

      Eliminar
    9. Estou dizendo que:

      O evangelho de Mateus, que segundo especialistas foi escrito depois de 70 DC, cujo capítulo 24 mostra que a volta de Jesus deveria ter ocorrido naquela geração.

      A sua alegação que aquela geração não é aquela geração com quem ele estava falando é desprovida de sentido, pois o texto começa falando da destruição do templo, que como sabemos, ocorreu em 70DC.

      Eliminar
  33. Estimada Maria Madalena

    Como sabe, algumas técnicas mais desenvolvidas de cirurgia conseguem realizar-se praticamente sem derramamento de sangue.

    Agora imagine o Criador, que é o médico dos médicos, que curou cegos e coxos e ressuscitou mortos pelo poder da sua palavra.

    Como sabe, a zona do peito é especialmente bem irrigada por sangue.

    As costelas têm uma membrana de tecido vascular fibroelástico, chamada perióstio, que, se preservada, assegura o crescimento da costela se for removida uma parte do osso. É por isso que muitas vezes os cirurgiões vão buscar tecido ósseo às costelas para as cirurgias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Agora imagine o Criador, que é o médico dos médicos, que curou cegos e coxos e ressuscitou mortos pelo poder da sua palavra." Como é que sabe? E além disso, que grande confusão: está a falar de deus, Jesus ou do espantalho que construiram á volta deste último?

      Eliminar
  34. perspectiva

    deus não pode saber o futuro como se demonstra pelo livre arbítrio, ou sabe e o livre arbítrio não existe, ou não sabe e o livre arbítrio existe.

    como parece que deus tem fama de não ser mentiroso, parece que o livre arbítrio existirá e com isso ele não pode saber o que vai acontecer

    a vida de deus é mais divertida desta forma, se soubesse tudo quanto iria acontecer a coisa era uma seca , ou não ?


    ResponderEliminar
  35. Estando Deus fora do tempo e do espaço, sabe o futuro e o livre arbítrio. Deus ensina ambas as coisas e, como diz bem, não mente.

    Na existência de Deus há aspectos misteriosos até intrigantes, que provavelmente nunca iremos compreender.

    Deus diz-nos:

    "Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos."

    Nunca poderemos abarcar a mente de Deus.


    Por exemplo, a Bíblia ensina que Deus edificou as suas promessas no Velho Testamento com base em 12 tribos de Israel, e usou 12 apóstolos, no Novo Testamento, para edificar a Igreja.

    Porquê 12? Não sabemos.

    Pelos vistos também achou por bem edificar toda a criação em 12 partículas fundamentais de matéria.

    Porquê 12? Não sabemos.





    ResponderEliminar
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  37. Realmente faz muita falta um botão "editar"...

    Perspectiva,

    “Ele é o Criador do código”
    E quem criou o criador do código? Ninguém? Beleza, então você aceita que algo/alguém não precisa ser criado. E olha o Universo aí! Eterno e infinito.

    “Ele estabeleceu as normas e avisou o ser humano de que a morte seria o castigo pela sua desobediência. Ainda assim, o ser humano pecou.”
    Primeiro. Como é que Adão e Eva poderiam observar tais normas sem ter consciência do bem/mal? Como eles poderiam discernir que estavam violando tais normas sem saber que tal violação poderia ter consequências maléficas para eles? É como a criança que põe a mão no fogo apesar do pai falar que ela vai se machucar. Ela simplesmente não sabe o que é se machucar. Não é um desejo consciente e malicioso de desobedecer o que o pai falou.
    Segundo. Deus queria que eles obedecessem pelo simples fato de obedecer, sem questionar o porquê? Ou seja, Deus queria que eles agissem como robôs sem vontade, programados para só dizer “sim”? Então quer dizer que Deus não quer robôs (famoso argumento religioso) mas condena quem não agir como um robô?

    “‘E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem.’ Lucas 17:26”
    Parafraseando os religiosos: “olha o contexto!” Era só o que faltava. Agnóstico explicando contexto bíblico para religioso.

    “A geração a que se refere Mateus 24:34 não é a geração do tempo de Jesus,”
    Afirmação sem base testamentária. Todo o contexto dos evangelhos indica que a geração a que Jesus se refere era aquela mesma, que ele acreditava ser a última antes do fim do mundo (e não era só ele que acreditava nisso, haja vista que a demora da parúsia gerou aclamados debates entre os judeus seguidores de Jesus anos depois). E sim, acredito que possa ter existido um Jesus (profeta, exorcista, curandeiro, andarilho, mestre(?) e outros adjetivos mais). E que era como tantos outros candidatos a messias foram: um líder carismático.

    “Mas Deus também sabe, desde o início, que Satanás irá ser destruído e sabe quem não se vai salvar:”
    Então, já que ele sabe quem não vai se salvar, não é meio sádico deixá-los nascer apenas para serem condenados?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A geração presente iria começar a ver o início de todas as coisas que se iriam cumprir.

      O texto traduzido diz:

      "Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam." Mateus 24:34

      A expressão usada no original pode ser traduzida como "sem que todas estas coisas comecem a acontecer".



      Eliminar
    2. A expressão usada no original pode ser traduzida como "sem que todas estas coisas comecem a acontecer".

      HAHAHAHAHAHAHA

      Desafio você a provar isso que você acabou de escrever :-)

      Boa sorte!

      Eliminar
  38. Estimado Alex

    Deus é eterno e infinito. O Universo não.

    Sabemos que o Universo teve um princípio porque está sujeito à entropia e não poderia estar sujeito à entropia desde tempos infinitos.

    Sabemos que o Universo não se criou a ele próprio, porque a energia se mantém sempre constante.

    Deus disse a Adão e Eva o que podiam e não podiam fazer. Mas Deus deu-lhes liberdade de obedecer ou não, tendo-os advertido para as consequências.

    Uma pessoa pode obedecer às normas de livre vontade. A liberdade implica que se pode desobedecer mas não que se tenha que desobedecer.

    Deus sabe o que o homem irá decidir de livre vontade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deus sabe o que o homem irá decidir de livre vontade.

      Aqui entramos em um paradoxo sem saída para a mitologia.

      Ele criou o ser humano sabendo que eles iriam errar e que a grande maioria iria sofrer eternamente. [Ainda que o inferno não um conceito do judaísmo, mas ok] Mesmo assim ele criou, logo ele é um sádico e 100% responsável por todo o sofrimento.

      Eliminar
    2. Perspectiva,

      “Deus é eterno e infinito. O Universo não.”
      Provar é que é o nosso problema, não é? Digo nosso, porque tanto para um quanto para outro essa prova - para todos os efeitos - é impossível. E por que então prefiro pender para o materialismo, você poderia perguntar. "Abra os olhos e veja" é a resposta que posso te dar. Vejo o Universo (ou ao menos uma parcela dele) em todo lugar, mas não vejo Deus (nem uma parcela dele) em lugar nenhum.

      “Sabemos que o Universo teve um princípio porque está sujeito à entropia e não poderia estar sujeito à entropia desde tempos infinitos.”
      Se o conceito de entropia for aplicável ao Universo, teríamos que defini-lo como sistema isolado. Acho meio temerário (para dizer o mínimo) afirmar que o Universo o é. Considerando-se que a energia total do Universo seja constante, nada impede que a entropia local aumente/diminua.

      “Deus disse a Adão e Eva o que podiam e não podiam fazer. Mas Deus deu-lhes liberdade de obedecer ou não, tendo-os advertido para as consequências.”
      Creio que meus questionamentos não foram resvalados. Que sentido poderia ter a expressão “obedecer para não sofrer consequências”, para Adão e Eva, sem o prévio conhecimento de que algo mal ou ruim poderia acontecer? Que sentido pode ter a expressão “não ponha a mão no fogo para não se queimar” para uma criança de 2 anos de idade que nunca se queimou, por exemplo?

      Eliminar
    3. Alex,

      Quanto ao Universo ter um princípio, ai eu preciso concordar com o Jónatas. Isso é consistente o modelo atual.

      Eliminar
    4. Também é verdade que, de acordo com a lei da conservação da energia, o Universo não se pode criar a si mesmo do nada...

      Eliminar
    5. Só as particulas virtuais podem "criair-se a elas próprias" (possíveis precursoras do nosso universo)

      Eliminar
    6. Errado.

      Energia pode se transformar em matéria, assim como matéria se transforma em energia. O que feriria o principio da conservação de energia seria energia sendo criada do nada.

      Eliminar
    7. "Quanto ao Universo ter um princípio, ai eu preciso concordar com o Jónatas. Isso é consistente o modelo atual."

      Prezado Icarus, eu já não vejo por este prisma. Não sou físico, portanto, estou mais nas searas do achismo. Mas não acredito que o Universo tenha surgido a pouco mais de 14 bilhões de anos. Acredito mais que este tenha sido o início de um universo, parte de um UNIVERSO.

      Mas repito: estou nas fímbrias da especulação descarada.

      Eliminar
    8. Alex,

      Eu também acredito em ciclos de inicio e fim de "Universos".

      Mas este nosso aqui existem muitas evidências que teve um inicio a +/- 13.75 bilhões de anos.

      Talvez a diferença seja apenas a semântica do "Universo" :-)

      Eliminar
  39. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  40. Estimado Ícarus

    Imagine que Deus, estando fora do espaço e do tempo, sabe que o Ícarus vai rejeitar a salvação de Deus, mas sabe também que o filho do Ícarus vai aceitar a vida eterna com Ele...

    Ele não impediria o nascimento do Ícarus, que se vai perder, porque isso iria impedir o nascimento do filho do Ícarus, que se vai salvar...

    Diante desta realidade, cuja complexidade só Deus consegue abarcar, o melhor é tentar compreender seriamente a natureza de Deus e a sua atitude perante a maldade e a rebeldia humana.

    Deus, sendo eterno, castiga eternamente a maldade, mas dá salvação e perdão eternos para o arrependimento sincero.

    Sem a informação total, que só Deus tem, o Ícarus é confrontado aqui e agora com a escolha com que Deus a todos nos confronta:

    "...te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência" Deuteronómio 30:19

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vejo muitas possibilidades.

      Por exemplo, olha que ótima ideia: Não ter colocado a porra na árvore no meio do jardim e nem a cobra falante.

      Ou simplesmente perdoar? Que tal? :-)

      Ou ainda apenas um castigo por um tempo limitado.

      Eliminar
    2. Ou criar um ser humano que escolhesse livremente obedecer a Deus.
      Criar "Maria" no lugar de "Eva", para dar início à humanidade, por exemplo. Certamente Maria não iria comer da árvore.

      Se Deus escolheu criar Eva (sabendo que iria escolher livremente o pecado) por oposição a criar Maria (sabendo que iria escolher livremente a obediência a Deus - curioso conceito este de considerar a liberdade para obedecer louvável...), então foi a escolha de Deus que determinou a ocorrência do pecado.

      Eliminar
    3. Estimado Ícarus

      A Bíblia ensina que Satanás usou uma cobra para iludir Eva. Ele não podia ter recorrido a nenhum ser humano.Teria que recorrer a qualquer coisa.

      Quanto ao perdão, ele está sempre em aberto. Mas é preciso pedi-lo e aceitá-lo.

      Um castigo por um limitado é difícil quando se viola as leis de um Deus eterno...

      Eliminar
    4. Estimado João Vasco

      Maria também era pecadora... ela era descendente de Eva...

      Eliminar
    5. Não vejo a lógica de ser eterno e não poder aplicar castigos temporários.

      Isso não faz o menor sentido

      Eliminar
    6. "A Bíblia ensina que Satanás usou uma cobra para iludir Eva." E quem é que criou satanás?

      Eliminar
    7. Icarus,
      Sobretudo se for omnipotente.

      Eliminar
    8. Vamos ver... Aceitemos por um momento que Deus exista. Um ser perfeito, onipotente, onipresente, onisciente, o máximo em bondade, infinito, imortal. Um ser que, por sua própria definição, de nada precisa, pois que, sendo perfeito, em si já abarca tudo o quanto necessite.

      Agora, tal ser, que de nada precisa, e consequentemente, nada precisaria exigir, ao contrário, é o que mais exige - e pior - o que mais exige e cuja desobediência acarreta na danação eterna.

      Ora, um tal ser assim seria mesmo digno de ser adorado? Nada precisa, mas quer - e exige. E o exige de seres finitos, limitados, mortais, que só podem contar com seu parco entendimento do Universo que o rodeia (e que nem sempre é suficiente para entender umas e outras sutilezas da natureza). E o exige sob o subterfúgio de não exigir ("não quero robôs mas destruo quem não for como um robô).

      Não quis fazer um mundo perfeito? Ou, se o fez, o homem estragou? (como se o homem pudesse mesmo estragar a obra de um Deus!) Ora, para tal ser, do alto de sua magnificência, já que de nada precisa, visto que perfeito já é, nada custaria - de graça - oferecer sua magnanimidade. Isso sim seria digno de adoração. Isso sim seria um Deus!

      Eliminar
    9. Perspectiva, sobre o pecado de Maria não sei. Essa lógica de sermos pecados por decisões que não tomámos ultrapassa-me, e creio que ultrapassa qualquer pessoa de bom senso, mas é irrelevante.

      É irrelevante porque eu não falei sobre Maria ser pecadora ou não, mas sim em qual seria a sua decisão quando confrontada com o dilema entre obedecer a Deus ou não obedecer. Pensei que o Perspectiva assumisse que ela escolheria a obediência a Deus. Mas não importa, pelo que vou expor.

      Quanto ao dilema que levou ao pecado original, existem duas hipóteses:

      a) Qualquer ser humano quando confrontado com esse dilema escolheria a desobediência. Nesse caso, a escolha não seria uma escolha livre: o ser humano seria escravo das suas limitações e imperfeições (pois nenhum seria capaz de livremente escolher a obediência). O culpado da desobediência seria naturalmente o criador de tal criatura imperfeita.

      b) Alguns seres humanos confrontados com esse dilema escolheriam livremente a obediência. Nesse caso, o criador, ao escolher criar aqueles que iriam livremente desobedecer em vez de criar aqueles que iriam livremente desobedecer, foi quem efectivamente escolheu a desobediência.

      Em ambos os casos, Deus é o derradeiro culpado do pecado original. Vendo bem, não podia deixar de ser, sendo omnipotente, criador e omnisciente.

      Eliminar
    10. Estimada Maria Madalena

      Quem viola as leis eternas de um Deus eterno e rejeita o perdão que resulta da morte do próprio Filho de Deus não pode esperar um castigo temporário...

      A sanção pela violação de leis eternas é o castigo eterno. A sanção é proporcional à dignidade das normas violadas.

      Mas quem confessar os seus pecados e aceitar sinceramente a salvação através de Jesus Cristo pode esperar a ausência de castigo, porque Jesus, que é eterno, já sofreu esse castigo...

      A omnipotência de Deus significa que Ele está acima das leis da física.

      Não significa que Ele possa contrariar a sua natureza...

      Deus é Logos. E isso implica ausência de contradição.

      Eliminar
    11. «A sanção pela violação de leis eternas é o castigo eterno. A sanção é proporcional à dignidade das normas violadas.

      Mas quem confessar os seus pecados e aceitar sinceramente a salvação através de Jesus Cristo pode esperar a ausência de castigo, porque Jesus, que é eterno, já sofreu esse castigo... »

      Curiosamente não foi um castigo eterno...

      Eliminar
    12. Nem foi uma morte "verdadeira" não é João Vasco?

      Ele ressuscitou depois de 3 dias?

      Quero meu dinheiro de volta :-)

      Eliminar
    13. João Vasco diz:

      "Curiosamente não foi um castigo eterno..."

      Mas foi assumido por um Deus eterno...

      A equação é:

      Um homem temporário sofre um castigo eterno

      ou um Deus eterno sofre um castigo temporário

      Eliminar
  41. Maria Madalena pergunta:

    "E quem é que criou satanás?"

    Foi Deus... ...a Bíblia é clara.

    ...mas provavelmente Satanás convenceu-se que tinha surgido do nada por acaso e não aceitou a soberania de Deus...

    ...pelos vistos tem seguidores...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jónatas,

      Satanás nem existe no velho testamento. Ele foi "fabricado" bem depois e acabou sendo adotado pela mitologia cristã.

      Para os antigos hebreus, ela se tratava de um animal do campo

      Mas ao que interess:. Meu desafio continua.Quero ver vc pegar o texto original de Mateus e provar o que vc disse :-)

      Eliminar
    2. "mas provavelmente Satanás convenceu-se que tinha surgido do nada por acaso e não aceitou a soberania de Deus" Ou talvez ele simplesmente não exista (e deus também não).

      Eliminar
    3. Estimado Ícarus

      As possibilidades interpretativas do texto de Mateus estão mais do que esclarecidas...

      Eliminar
    4. Maria Madalena diz:

      "Ou talvez ele simplesmente não exista (e deus também não)".

      Ou seja, a Madalena convenceu-se que tinha surgido do nada por acaso e não aceitou a soberania de Deus...

      Tal como Satanás...

      Eliminar
    5. "que tinha surgido do nada por acaso" - Que belo espantalho.

      Eliminar
    6. "Tal como Satanás..." E a próxima coisa que vou fazer é ensinar uma cobra a falar

      Eliminar
  42. Estimados Alex e João Vasco

    Eva responsabilizou a serpente pelo seu pecado. Adão responsabilizou Eva e o próprio Deus. A vossa argumentação é tão velha como a de Adão e Eva.

    Ainda hoje é típico do ser humano violar a lei e depois tentar culpar a sociedade, o Estado, etc. Vemos isso todos os dias.

    A Bíblia é clara:

    "De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados."

    Lamentações 3: 39

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Registo que fugiu ao argumento.

      Afinal como é: Deus poderia ter criado um ser humano que escolhesse livremente não lhe desobedecer, ou não?

      Eu diria que seria inconsistente acreditar na sua omnipotência e responder negativamente a esta pergunta, mas como as inconsistências do perspectiva são tantas, faço a pergunta à mesma:

      Deus poderia ter criado um ser humano que, perante o dilema de Adão e Eva, escolhesse livremente não lhe desobedecer, ou não?

      Eliminar
  43. "Um castigo por um [tempo] limitado é difícil quando se viola as leis de um Deus eterno..."

    Em Direito costumamos dizer: "quem pode o máximo, pode o mínimo". Quem pode aplicar castigos ilimitados, tão mais facilmente os pode aplicar limitados. O contrário é que já não haveria como.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estimado Alex

      É injusto aplicar uma pena insignificante à violação de uma norma com dignidade máxima. Isso significaria trivializar essa norma...

      Como as normas divinas reflectem o carácter de Deus, a sua violação é um atentado contra a dignidade eterna e infinita de Deus. Daí merecerem uma sanção eterna.

      A única maneira de resolver o problema seria o próprio Deus, como um pai amoroso faz pelos seus filhos, assumir o castigo devido pelos nossos pecados e perdoar os seus filhos.

      Foi o que Deus fez. Graças a Ele não temos que sofrer o castigo que merecemos. Mas temos que aceitar a dádiva de Deus.

      Eliminar
  44. João Vasco diz:

    "Curiosamente não foi um castigo eterno..."

    Mas foi assumido por um Deus eterno...

    A equação é:

    Um homem temporário sofre um castigo eterno

    ou um Deus eterno sofre um castigo temporário

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perspectiva,

      Eu concordo que, se tomarmos a treta do paraíso como fato histórico, ALGUÉM precisaria ser responsabilizado. Bom, Adão e Eva não poderiam ser responsabilizados, posto que eram inocentes e não se responsabiliza o inocente (se bem que a Bíblia está cheia de exemplos deste tipo, então, pelo menos contradição não haveria). A cobra não poderia ser responsabilizada pois não era culpada de lá estar (afinal ela “não se criou a si própria no paraíso”) e apenas fazia conforme sua natureza de “animal mais astuto”. A árvore, então, nem se fala.

      Quem sobrou? Sobrou apenas quem tinha o conhecimento e o poder de fazer diferente e não quis fazê-lo. Culpado, portanto, no mínimo, de omissão.

      Quanto à dignidade da norma... ora, mas qual! E desde quando “obediência” (que é a norma que foi violada) pode refletir o caráter de Deus? O caráter dele requer obediência? Mesmo sem precisar? Mas que raios é isso? E ademais, o tal “castigo assumido por Deus”, como bem chamaram a atenção, não teve um caráter eterno. Isso mais que demonstra a desnecessidade de uma sanção eterna.

      E então os homens (temporários) é que devem suportar o castigo eterno, enquanto Deus (que é eterno) se sai maravilhoso com um castigo temporário????????? MAS QUE RAIOS DE DEUS É ESSE, PERSPECTIVA??? Chame-o do que quiser, prezado, mas não o chame Deus – falta-lhe COM TODA CERTEZA o atributo da bondade.

      Eliminar
    2. "Chame-o do que quiser, prezado, mas não o chame Deus – falta-lhe COM TODA CERTEZA o atributo da bondade." Nem todos os deuses têm que ser bons para serem deuses.

      Eliminar
    3. Estimado Alex

      A sua retórica é humanamente degradantes. Assume que o ser humano não tem liberdade nem responsabilidade. Trata o ser humano como se não passasse de um "macaxo tagarela" como o Ludwig diz. Ela é bem previsível, sendo típica do ser humano pecaminoso.

      Ainda hoje os criminosos atiram com as responsabilidades para a sociedade, esta atira a responsabilidade para o Estado, este atira a responsabilidade para os cidadãos, estes atiram com a responsabilidade para com os bancos, estes atiram com a responsabilidade para as empresas e as famílias, etc.

      Deus criou-nos com liberdade moral e responsabilidade. Ele começou por estabelecer o que podia e não podia ser feito e quais as consequências. O ser humano desafiou a palavra de Deus e fez o contrário.

      O Deus da Bíblia castiga o pecado mas está disposto a dar a vida pelo pecador. Por isso, toma sobre si o castigo, para perdoar o pecador.

      Mas é preciso que o pecador aceite o perdão. Como se diz em direito, trata-se de uma dádiva receptícia, ou seja, que exige aceitação.

      Eliminar
    4. Perspectiva,

      "A sua retórica é humanamente degradantes. Assume que o ser humano não tem liberdade nem responsabilidade."
      Eu agradeceria se você não criasse espantalhos sobre o que eu falo, por favor. Um pouco mais acima nos comentários está o que eu tinha dito: "Que pague pelo erro quem errou".

      E na minha visão Adão e Eva (nessa treta tratante do paraíso) NÃO ERRARAM. Eles não tinham consciência do mal. Não há como eles terem sabido que a desobediência teria más consequências (a não ser que já tivessem sido criados com a ideia de maldade). Portanto, o único culpado naquela situação foi Deus, por ter deixado uma fonte de maldade livre, leve e solta por lá. Fim.

      Maria Madalena,

      Talvez eu devesse ter me expressado melhor. Eu estava me referindo, especificamente, do Deus cristão. Para este a bondade é um atributo. E claro, podemos imaginar deuses bons, maus, indiferentes, a receita é vasta.

      Eliminar
    5. "Eu estava me referindo, especificamente, do Deus cristão. Para este a bondade é um atributo." Sim, o deus descrito na Bíblia é tudo menos bondoso, no entanto os cristãos teimam que é.

      Eliminar
  45. «Culpado, portanto, no mínimo, de omissão.»

    Não é de omissão, mas sim de acção. Se existisse, teriam sido as duas decisões que teriam resultado nas decisões humanas, pois foi ele quem escolheu quem criar, sabendo de antemão quais seriam as suas decisões livres. Ele escolheu livremente criar quem iria escolher o pecado, pelo que quem primeiro escolheu o pecado foi ele. Não há volta a dar a isto.


    «E desde quando “obediência” (que é a norma que foi violada) pode refletir o caráter de Deus?»
    Nota que a desculpa inconsistente que dão para o MAL é o facto de Deus desejar que o homem seja livre, mas depois aquilo em que o homem ofende a infinita dignidade de Deus é em não lhe obedecer. A inconsistência é flagrante: Deus tanto valoriza a Liberdade de forma suprema, como não lhe dá valor algum.
    Mas quem vê a liberdade como a origem do Mal, não a vê com bons olhos...
    A inconsistência está em não perceber que nesse caso seria fraca desculpa para Deus...


    «E então os homens (temporários) é que devem suportar o castigo eterno, enquanto Deus (que é eterno) se sai maravilhoso com um castigo temporário???»

    Sim, a "equação" não faz sentido algum.
    É como dizer que tem muito deve pagar pouco, e quem tem pouco deve pagar muito. O "sentido" que isto faz é que em ambos os casos as palavras "pouco" e "muito" aparecem, portanto deve bater certo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estimado João

      Deus criou o homem, mas dotou o homem de liberdade. Deu-lhe a possibilidade de viver na Sua natureza criada, mesmo sabendo que alguns homens iriam rejeitar a Sua palavra e atribuir-lhe as culpas das suas próprias decisões.

      O João Vasco não é um autómato. O João é responsável pelo que diz e pelo que escreve. Não pode escarnecer de Deus e depois dizer que a culpa é de Deus por Ele o ter criado.

      O João Vasco é inteiramente responsável pela forma como escarnece de Deus, assim como é inteiramente responsável pelos contratos que assina, pelos cheques que passa ou pela forma como usa o cartão de crédito.

      A liberdade não é a origem do mal. A vontade humana de usar mal a liberdade é a origem do mal.

      De resto, para haver mal é necessário existir uma padrão absoluto de bem. A teoria da evolução, assente em milhões de anos de crueldade predatória não fornece qualquer padrão absoluto de bem.

      Bíblicamente, o bem é dado pelos atributos do carácter de Deus, de amor, justiça, racionalidade e verdade. O mal é a negação desses atributos.

      Não se trata de fazer pagar muito a quem tem pouco. Trata-se de fazer com que quem viola normas eternas tenha o castigo correspondente. O único que pode neutralizar esse castigo pelo perdão é o autor dessas mesmas normas.

      A Bíblia avisa-nos a todos:

      "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Gálatas 6:7

      Se o João Vasco ainda assim quiser escarnecer de Deus, já sabe o que o espera. Depois não pode vir deitar as culpas a Deus.








      Eliminar
    2. O perspectiva não só não responde ao argumento (por várias vezes referi nos exemplos a natureza livre da criação), como nem sequer responde às perguntas que coloquei.
      Preferiu desviar o assunto para a pregação.

      Eu entendo... afinal, não existe defesa possível para as suas crenças inconsistentes, e responder às perguntas que coloquei só o tornaria mais evidente.

      Eliminar
    3. "Deus poderia ter criado um ser humano que, perante o dilema de Adão e Eva, escolhesse livremente não lhe desobedecer, ou não?"

      Eliminar
    4. Estas a gozar?

      O homem foi castigado sobretudo por ter desobedecido. Não por ter estragado nada. E o castigo é maior que qualquer drama que viesse do conhecimento.

      A queda do homem é a vingança de Deus. Não conhecer o universo que deus havia criado.

      Essa historia, levada à letra é das coisas mais $#"!$ que há.

      Eliminar
  46. Jónatas,

    Se a tradução para γένηται significa "não passará esta geração sem que tudo isso comece" o versículo 22 fica totalmente sem sentido.

    "E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias."

    Da destruição do templo até os dias de hoje se passaram 1942 anos. Cade esta abreviação? :-)

    Repare também que o seu link diz que existe uma grande disputa teológica sobre este versículo e pouca concordância.
    Ou seja, seu deus falhou feio em transmitir a mensagem hehehe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estimado Ícarus

      Algumas discussões teológicas persistem porque as pessoas complicam aquilo que pode ser mais simples do que se pensa.

      Sem falsear o sentido do texto, é razoável concluir que Jesus fez uma profecia de cumprimento por fases.

      A geração de Jesus iria ver o começo das dores com a destruição do Templo em Jerusalém pelos soldados romanos.

      No entanto, outros aspectos da profecia de Jesus não ocorreram nesse momento, como é o caso dos eventos descritos em Mateus 24:29-31.

      À luz desta sequência de eventos, parece fazer mais sentido interpretar a expressão "esta geração" para designar a geração que estará a presenciar os eventos do fim dos tempos.

      A ser correto este entendimento, Jesus está a chamar a atenção para o facto de que os eventos do fim dos tempos, uma vez iniciados, se vão precipitar rapidamente.

      Este entendimento faz todo o sentido à luz da observada aceleração da história por nós vivida actualmente, em que em poucos anos as coisas mudam mais rapidamente do que dantes mudavam em centenas ou milhares de anos.

      Assim sendo, estou longe de considerar que houve uma falha de comunicação.

      Eliminar
    2. Jónatas,

      Olha o que você escreveu lá atrás:

      "A geração a que se refere Mateus 24:34 não é a geração do tempo de Jesus, mas sim aquela que irá presenciar os eventos finais da grande tribulação descritos no capítulo 24"

      E agora:

      "A geração de Jesus iria ver o começo das dores com a destruição do Templo em Jerusalém pelos soldados romanos"


      1) Você esta ajustando o texto para encaixar na sua visão, pois não tem nada que indique que seriam várias gerações, pelo contrário, o versículo 22 fica sem sentido, visto que já se passaram 1942 anos. Você fugiu de explicar isso.

      2) Se o que vc disse esta correto então todas as traduções da Bíblia, inclusive a King James que é considerada uma das mais fiéis, estão erradas. O que é mais provável? Que o seu link esteja errado ou todos os tradutores da bíblia de todos os tempos e lugares erraram? :-)

      Ainda tem a cara de pau de dizer que não houve uma falha de comunicação :-)

      Eliminar
  47. Ó ateus e agnósticos...ou melhor para quem defende urbi et orbi tal visão do mundo....

    Para Noruegueses ou Suecos tal visão é possível. As exportações cobrem tudo e a economia lá vai cantando e rindo.

    Nos países mais pobres o PIB dividido por todos, o tal PIB por habitante é uma merda.

    Que há de melhor que a moral judaico-cristã (a dos cristãos é muito cá de casa dum tal Saulo) que obriga as pessoas a afastarem-se voluntariamente, isto é sem que ninguém os obrigue, dos bens materiais ?

    Houvessem mais escolas cristãs onde se ensina a culpa, o respeito pela autoridade e pela propriedade alheia e isto ia muito melhor.

    Até podiam ensinar criacionismo da terra jovem.

    Respeito pela propriedade e pelo poder estabelecido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Respeito pela propriedade e pelo poder estabelecido."

      Uma simples frase que revela todo o programa do chamado Liberalismo. Sobretudo a segunda parte.

      Não, obrigado.

      Eliminar
  48. A Bíblia enaltece a relação matrimonial entre um homem e uma mulher, numa relação de respeito, amor e entrega mútua. A ciência corrobora esse ensino.

    ResponderEliminar
  49. Na verdade, Perspectiva, a Bíblia é um pouco mais específica no que toca à facturação:
    
    «Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.» (Ef. 5:22-23)

    Infelizmente, na minha formação judaico-cristã a união matrimonial traz-me logo ao pensamento o princípio da «moderação justa», introduzido por Pio XII em 1951 (que descobri aqui). Se por um lado a Bíblia me confere o direito inalienável às minhas assiduidades, logo vem um pontífice espartilhar-me com regulamentação.

    De qualquer forma penso que a ideia a reter da Bíblia e a partilhar com os evangélicos é que as mulheres são um bocado badalhocas. Na união, convém usufruir sem dar muita confiança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bada locas memo pô cê tem razão cara

      Das Kapital: hey du :)
      perspectiva: hey ♥
      Das Kapital: na, alles klar bei dir?
      perspex: naja, ich weiß nicht :/ bei dir?
      Das Kapital: oh was los? :o bei mir schon
      perspex: die liebe -.- er will es einfach nicht merken, dass ich für ihn mehr als freundschaft empfinde und er schwärmt lieber von so einer tuss, die schon tausend freunde hatte :(
      DAs Kapit All: komm schon kopf hoch, süße. es gibt doch noch so viele tolle jungs auf dieser welt :)
      RTL on: ja, ich weiß. aber ich will keinen anderen jungen, sondern nur..
      DASSS: sondern?
      Pôrra tout le monde: nur DiCH nitch?? nutch! :*
      dassss: wie süß. meine liebe wusstest du es denn nicht? ich will garnichts mehr von dieser einen tuss. ich hab selber gemerkt dass sie nur jungs ausnutzt und verarscht
      DT: echt?
      dass: ja! du bist mir viel mehr wert.. iCH LiEBE DiCH ♥
      marx marche: iCH LiEBE DiCH AUCH :*

      perspex tivas num nativas

      Eliminar
    2. pesando alguns grama, cê não grama os gramma não?

      grammathica anda lixada ou tá pensando virar braSUca

      vira krippahl vira...cê perde alguns grama pô

      Eliminar
  50. Talvez seja irónico o próprio perspectiva insistir que o erro dos cientistas e dos evolucionistas seja o de «interpretarem» o que é o DNA só para «bater certo» com o que a ciência pretende demonstrar (ausência de causas sobrenaturais para o surgimento da vida), mas ele próprio admitir que a Bíblia requer «interpretação» para fazer sentido.

    Ou seja, o perspectiva reconhece que, em termos bíblicos, não há falácia de autoridade: pelo contrário, é preciso uma autoridade (o próprio perspectiva, neste caso) para explicar o que é que a Bíblia é suposto ensinar. Mas depois recusa aceitar que o funcionamento do DNA requeira «explicação» por parte de quem percebe como as coisas funcionam, e acha-se perfeitamente capaz de fornecer as suas próprias explicações.

    Conclusão: é tudo uma questão de semântica. O DNA é um «código» apenas da perspectiva de seres inteligentes que evoluiram com uma notável capacidade de reconhecimento de padrões, e que, funcionando por analogia, chamam «código» a coisas que se parecem comportar como tal, sem o serem. Isto induz os criacionistas a usarem o mesmo argumento para afirmar peremptoriamente que se um ser inteligente (nós, humanos) reconhece um código naquilo que não é um código, então é porque outro ser inteligente (para os criacionistas, Deus) criou esse código.

    Confesso que acho bastante piada à nossa capacidade, enquanto seres humanos, de ver estrutura e padrões onde estes não existem, mas não tinha ainda percebido como é que isso se aplicava ao DNA enquanto argumento criacionista! Hoje já aprendi alguma coisa. De resto, também sou distraído...

    Ainda não percebi é como é que o perspectiva acredita que o Universo tenha apenas 6000 anos. Os seus argumentos não fazem sentido algum. Deve haver aqui alguma lógica obscura que me escapa. Preciso de ler mais artigos do Ludwig com 180 comentários para perceber melhor essa argumentação. Por exemplo, a dada altura, pareceu-me que o perspectiva acredita que é possível existir sedimentação «abrupta», tal como movimentos «abruptos» das placas tectónicas, ou que seria possível chover durante apenas uns anos o suficiente para afundar todos os continentes. Ainda estou um pouco confuso quanto a esta argumentação. Mas tenho a certeza que o perspectiva irá esclarecer-me :)

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.