segunda-feira, outubro 10, 2011

Treta da semana: que comam brioche.

No DN de hoje há uma crónica do Alberto Gonçalves acerca dos “índios de Wall Street”, os movimentos de protesto nos EUA, que começaram em Wall Street mas que já se alastraram por todo o país. Começa por caracterizar os protestantes como «novas gerações, mimadas até à indolência por pais extremosos [...] moços, assustadíssimos, saem à rua a protestar o facto de a realidade não lhes ser tão simpática quanto acreditaram. [...] Embora a fúria se prenda com a suspeita de que terão de trabalhar para sobreviver, os jovens preferem inventar razões menos prosaicas» e assim por diante. Depois dá uma volta com «lavabos destinados exclusivamente a transexuais» na Primavera Árabe, e remata com a estimativa de que são apenas «uns escassos milhares»(1). O que é espantoso, tendo em conta que já estão a organizar protestos em 70 cidades.

Segundo Dick Steinkamp, moço assustado de 63 anos e indolente executivo reformado do Silicon Valley, que se juntou aos protestos em Seattle (com a mulher, outra jovem reformada), este movimento está «a atingir a mesma massa crítica» dos protestos contra a guerra do Vietnam, nos quais ele também participou quando o Alberto Gonçalves ainda era suficientemente novo para se desculpar disparates como os que escreve agora (2).

O Alberto Gonçalves afirma também que estes manifestantes não fazem ideia do quê ou porquê dos protestos, repetindo apenas «uma série de clichés da época (rejeição do capitalismo, rejeição da polícia, rejeição do "aquecimento global", rejeição dos cortes orçamentais)». Suspeito que o Alberto veja apenas a ver a Fox News, que tem o cuidado de não mostrar entrevistas como esta:



Estas pessoas protestam porque diariamente vêem senhores bem cheirosos, de fato caro e gravata, chegar de limusina à conferência de imprensa e dizer que todos têm de fazer sacrifícios, quando é óbvio que esses senhores não fazem parte dos “todos”. Protestam porque, enquanto quem perde o emprego é expulso de casa por não poder pagar as suas dívidas, quem arruína bancos reforma-se milionário. Protestam porque o Estado dá o dinheiro dos contribuintes a esses bancos e depois os senhores dos bancos dizem que a dívida pública é grande porque as pessoas vivem acima das suas posses. E protestam porque a distribuição daquilo que a sociedade gera é tão mal feita que a maioria das pessoas, mesmo trabalhando, tem de se endividar para poder ter acesso à sua parte dessa riqueza.

Não são as pessoas que vivem acima das suas posses. As posses que chegam à maioria é que estão abaixo do nível mínimo de vida que essa sociedade deveria proporcionar a todos. Nos EUA a desigualdade económica há décadas que se agrava continuamente e, hoje, um porcento dos cidadãos recebe quase um quarto do rendimento total do país, enquanto 15% da população vive abaixo do limiar da pobreza, com um total de 3,4% do rendimento nacional. Se distribuíssemos assim €100 por 100 pessoas, havia uma que ficava com €24 enquanto outras 15 recebiam um total de €3,40 para dividir entre elas. Não me parece que o protesto de quem visse aquele embolsar um quarto do dinheiro e dizer aos outros que tinham de fazer sacrifícios fosse apenas birra de criança mimada.

Escreve o Alberto que é fácil responder à interrogação «sobre o que acontece às novas gerações, mimadas até à indolência por pais extremosos, no momento em que enfrentam as agruras do mundo.» Claro que é fácil. Começa-se com uma pergunta já carregadinha com a resposta que se quer, ignora-se os factos e pronto, é só escrever meia dúzia de parágrafos. O difícil é dar uma resposta acertada a uma pergunta bem feita.

1- Alberto Gonçalves, Os índios de Wall Street
2- Guardian, Occupy America: protests against Wall Street and inequality hit 70 cities

Adenda: a fonte dos valores de rendimento para os USA foi a Wikipedia. E, em rigor, isto afinal é a treta da semana passada. Mas por cinco minutos não vou alterar o título...

24 comentários:

  1. Ora as reivindicações até há uns anos eram simpáticas:

    O PCP, o BE, a CGTP e a fins verberavam contra um não aumento de vinte e cinco tostões numa qualquer prestação social, e isso nem era grave nem fazia mossa a ninguém.

    O futebol era máquina suficiente para entreter o pessoal e até, pasme-se, havia pão para todos e a respectiva manteiga para alguns.

    A economia americana está no estado que sabemos.

    Entretemos o pessoal com a crise grega, sempre não se fala da reserva federal, e da Itália e até de Portugal. Dos EUA e da Alemanha nem se fala.

    Um pouco de critica ao pais vizinho : isto a culpa é dos gregos, da Bélgica ou do Sri Lanka.

    Que o que é preciso é contenção e disciplina orçamental.

    Pois...mas o problema é que não há mesmo guita e os EUA estão tão capazes de pagar as dividas como a Grécia ou a Alemanha.

    cada um por si e Deus (ou deuses que em tempos de crise não se deve ser esquisito) por todos.

    Bancos, ações, futuros, derivados e primitivas poucas ou nenhumas....Franco suíço e Libra Inglesa assim assim, dollares poucos como euros.

    Ouro muito e prata...

    E cada um por si que ainda vai haver porrada por falta de comida.

    O primeiro sinal vai ser a França e a Alemanha a discutirem a alsácia...

    E o chato destes novos zangados é que não são controláveis pelo Pc, CGTP e BE.

    Estão mesmo zangados, quiçá com alguma razão, e não vão lá com um discurso do Carvalho da Silva.

    Discrição, esconder a guita e low profile.

    Que falta fazem os movimentos religiosos:

    - olhai os lírios do campo, o meu reino não é deste mundo, paciência e esperança....

    Espero eu, ateu impenitente, que os movimentos religiosos levem esta malta ao caminho, à verdade e à vida.

    Longe dos bens materiais, tão perenes, e que lhes dê a paz. Não neste mas no outro mundo onde o leite e o mel sobreabundam.

    Duvido porque a malta está muito mal habituada.

    Até já estou com grandes simpatias por seitas apocalípticas ( os que se suicidam todos), terroristas e CTJ...

    ResponderEliminar
  2. Se calhar o nosso problema é o excesso de informação e democracia. Durante séculos e séculos gajo que se tentasse aproximar da mesa onde comíamos era liminarmente eliminado. E antes de comer. Porque os deuses não queriam, por isto, por aquilo ou mesmo por aqueloutro.

    Iam à escola os que sabíamos que estavam do lado dos que comiam à mesa. Os outros, como as avezinhas do campo, viviam felizes sem acesso à mesa.

    O padre distribuía felicidade e esperança numa vida eterna, cuja - essa sim - era fantabulástica desde que não se chateace aqui.

    Quisemos democracia, igualdade, fraternidade e ....lixamos tudo.....

    De fato parece que este mundo não dá para todos e é necessária algo que afaste o pessoal da mesa onde está a comida. Que isto não dá para todos.

    E não me parece que vai ser o PCP ou a Igreja Católica que vão afastar os pobrezinhos - e voluntariamente - da nossa mesa. Deixando-nos a comer e a lamentar - com genuína pena - a morte deles por inanição.

    Ou muito me engano ou vão ser os Evangélicos a fazerem este trabalho.

    O futuro a Deus pertence e se calhar é esta a missão deles.

    Bem hajam.

    ResponderEliminar
  3. O Alberto Gonçalves vai ficar todo contente por alguém ter tido a paciência para o ler :-)

    ResponderEliminar
  4. Dificilmente poderia concordar mais.

    Andam a ver se criam um monstro , e arriscam-se a conseguir o feito, isto ainda mal começou e já vai bem lançada a confusão.

    ResponderEliminar
  5. Bom post.

    Por outro lado isto também me irrita. Não representa propriamente uma indecência, mas uma predisposição global para a parvalheira. Que é no fundo a base de trabalho do sistema financeiro.

    ResponderEliminar
  6. Ludwig,

    Apenas uma nota: a frase do brioche atribuída à Maria Antonieta afinal nunca foi dita. Deve tê-la pensado, mas nunca a arrotou.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  7. Inteiramente de acordo. Mas o preconceito é tenaz e quem não pensa por si mesmo repete-o até à exaustão.

    ResponderEliminar
  8. Interessante a forma como foi diferenciado o nós, eles e outros.
    Na Grécia, eles, tornaram-se violentos. Não me parece um fenómeno cultural ou manipulado.
    E se, nós, nos tornarmos os eles?

    ResponderEliminar
  9. O Ktreta também publica manifestos comunistas ? Não me admiro.

    Que esta malta tem a mesma massa crítica dos palermas anti-guerra do Vietname, não contesto.

    «Sobretudo é bom relembrar os efeitos do pacifismo dos anos 60 que, tirando as tropas americanas do Vietnã, deixou campo livre para a ocupação comunista desse país e do Camboja, com o conseqüente genocídio de três milhões de pessoas: o triplo do número de mortos da própria guerra. E nenhum entusiasta do “flower power” jamais se arrependeu de ter ajudado a forjar essa paz assassina.» Olavo de Carvalho


    Quanto à manifestação em si, apoio-me no mesmo autor. Trata-se da estratégia "Pressão de cima versus pressão de baixo". Um governo corrupto e medíocre dá cabo da economia, uma massa de militantes comunas, com o apoio dos mídia, exige a restauração da ordem e da justiça ( aka. redistribuição da riqueza, aka: socialismo).

    Promovem a corrupção, e depois denunciam-na:

    http://www.youtube.com/watch?v=q5Y0SAziWrw

    ResponderEliminar
  10. Ó Jairo, por favor desligue o red alert e volte a guardar o Olavo no coldre.
    O que para ai não faltam são pessoas de direita conservadora capazes de concordar com este post.

    ResponderEliminar
  11. "...uma massa de militantes comunas, com o apoio dos mídia..."

    Ahahahahah! Os media, é aos magotes! Se forem tantos comunas como media, tamos falados!

    ResponderEliminar
  12. Jairo,

    Fica-te pela religião. Fazes menos figura de estúpido com os teus vómitos criacionistas do que com estes disparates.

    Mas é normal que um religioso como tu seja completamente subserviente a quem tem dinheiro porque, afinal, se têm dinheiro é porque foram abençoados pelo deus e pelo jesus.

    E por falar no jesus, tipos como o jairo para quem a biblia é literal devem assobiar para o lado sempre que se fala no sermão da montanha, esse discurso comuna! Fico á espera dos textos de pastores da direita caceteira americana a justificar "que não, que não, que o sermão até é na verdade uma apologia do capitalismo!"

    ResponderEliminar
  13. Wyrm,

    «Fica-te pela religião.»

    Conhecemo-nos de algum lado? Tens alguma autoridade sobre mim para determinares os assuntos sobre os quais posso falar?

    « Fazes menos figura de estúpido com os teus vómitos criacionistas do que com estes disparates.»

    Estás muito nervoso. Toquei-te em alguma ferida?

    «Mas é normal que um religioso como tu seja completamente subserviente a quem tem dinheiro porque, afinal, se têm dinheiro é porque foram abençoados pelo deus e pelo jesus.»

    É normal que tu sejas estúpido. Se não fosses estúpido, não serias tu. E vice-versa.

    No teu "mundo" ( "delírio psicótico" para os amigos), quem identifica a hipocrisia das críticas esquerdistas ao liberalismo ( que é para criticar mesmo, mas não por quem o inventou e legitima moralmente,raça de hipócritas) é um subserviente ao dinheiro. E assim demonstras, palhacito, que nem sequer viste o video que partilhei.


    «E por falar no jesus, tipos como o jairo para quem a biblia é literal devem assobiar para o lado sempre que se fala no sermão da montanha, esse discurso comuna!»

    Dois esclarecimentos, senhor imbecil:

    Para o Jairo, a Bíblia é literal ( histórica), doutrinal, metafórica, poética, etc; dependendo de qual livro ou citação da Bíblia estejas a falar.

    Não preciso assobiar para o lado na parte do sermão da montanha, porque o sermão da montanha é absolutamente incompatível com o comunismo. O sermão da montanha, otário, não prega o materialismo, nem a salvação económica da terra se o poder for concentrado no governo.


    « Fico á espera dos textos de pastores da direita caceteira americana a justificar "que não, que não, que o sermão até é na verdade uma apologia do capitalismo! »

    Podes ficar sentado. Na verdade o sermão da montanha não é uma apologia de qual modelo económico ou político seria melhor para o mundo. Ignorante!

    ResponderEliminar
  14. "Estás muito nervoso. Toquei-te em alguma ferida?"

    Quem tocou numa ferida fui eu, meu caro! E agora vou por sal...

    "Para o Jairo, a Bíblia é literal ( histórica), doutrinal, metafórica, poética, etc; dependendo de qual livro ou citação da Bíblia estejas a falar. "

    Pois, e quem decide o que é "literal ( histórica), doutrinal, metafórica, poética?" O teu pastor? Estes evangélicos, dependendo da igreja em questão, têm muitas interpretações diferentes dos livritos mas basicamente segue a mesma regra: se é ilegal nos dias de hoje, é metáfora. Se é legal então é literal. Brilhante!

    "Não preciso assobiar para o lado na parte do sermão da montanha, porque o sermão da montanha é absolutamente incompatível com o comunismo. O sermão da montanha, otário, não prega o materialismo, nem a salvação económica da terra se o poder for concentrado no governo."

    Alguém falou aqui em comunismo? Mas é normal que tu precises de atacar uma fantasia para defender outra fantasia. Mas tu até devias gostar do comunismo, com a miséria em que deixou a maior parte dos habitantes, por exemplo, da ex-União Soviética houve um grande disseminar de seitas evanélicas nos países de leste. Só não foi maior porque devido aos grandes níveis de literacia há menos gente a ir nas cantigas do costume.

    "Na verdade o sermão da montanha não é uma apologia de qual modelo económico ou político seria melhor para o mundo. Ignorante!"

    Claro que não, mas o jesus disse algumas coisas que não se coadunam bem com esse liberlismo e subserviência ao dinheiro que tu aqui mostras...

    "Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furtam e roubam. Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furtam nem roubam. Porque onde está o teu tesouro, lá também está teu coração.
    — (Mateus, 6:19-21)

    Ninguém pode servir a dois Senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza.
    — (Mateus, 6:24)

    Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado.
    - (Mateus, 6:31-34)

    Deve ser necessário uma extrema falta de carácter para conseguir elevar um mero livro a um estatuto divino mas depois interpretar o que lá vem escrito ao sabor dos dias e das leis, escolhendo o que é literal ou alegórico como convém!

    Patético.

    ResponderEliminar
  15. «Porque onde está o teu tesouro, lá também está teu coração.»

    Os comunistas/esquerdistas têm o coração nas riquezas e no dinheiro. Ainda recentemente, o Lula da Silva ( como bom comunista que é) criticou Jesus Cristo dizendo que o reino dos céus é uma tolice e que interessa é proporcionar uma vida boa aos pobres, neste mundo.

    «Ninguém pode servir a dois Senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza.«

    Exacto. Os comunistas resumem a vida e a moral ao dinheiro e conforto, por isso servem o diabo.

    « Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? »

    Quem se aflige com isso? Os comunistas, que lançam o pânico e incentivam o terror em busca de um "mundo melhor" ( condições materiais mais favoráveis).

    « São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado.»

    Claro que um comunista considera esta afirmação reaccionária e aliada da burguesia. Um comunista preocupa-se, por definição, com os bens materiais e uma vida confortável.


    Podes não concordar com o sermão da montanha, mas como vês, o comunismo está em oposição a esse ensinamento. Não é por acaso que os comunistas sempre odiaram o cristianismo.

    Às vezes, alguns tentam subverter e mentir, dizendo que o suposto "verdadeiro" cristianismo seria próximo do comunismo. Foi o teu caso. Mentiste. Aqui:

    " tipos como o jairo para quem a biblia é literal devem assobiar para o lado sempre que se fala no sermão da montanha, esse discurso comuna! "

    Depois, mentiste aqui:

    "Alguém falou aqui em comunismo? Mas é normal que tu precises de atacar uma fantasia para defender outra fantasia."

    Mentiroso.

    ResponderEliminar
  16. Olha o peixeiro do costume. hi hi

    ResponderEliminar
  17. "o Lula da Silva ( como bom comunista que é) criticou Jesus Cristo dizendo que o reino dos céus é uma tolice e que interessa é proporcionar uma vida boa aos pobres, neste mundo."

    como é que uma vaga possibilidade de salvação é preferível ao que Lula disse?

    ResponderEliminar
  18. "como é que uma vaga possibilidade de salvação é preferível ao que Lula disse?"

    porque alguns "pastores" (pun intended) beneficiam mais da vaga salvação do que da vida boa dos pobres?

    ResponderEliminar
  19. Barba Rija disse...
    Olha o peixeiro do costume. hi hi

    vá educar as crias seu barbudo de má nota....

    brioche não tem um i a mais ó Krippahl?

    ResponderEliminar
  20. Força Jairo, desabafa. Estamos todos aqui para ti.

    E one hundred trillion dollars:

    go de volta
    para para
    the hospital brioche e palavras avulso
    de onde where ou donde
    you saiste.

    ResponderEliminar
  21. « como é que uma vaga possibilidade de salvação é preferível ao que Lula disse?»

    Como disse o autor do blogue Conde Loppeux de Villanueva ( infelizmente apagado pela censura anticristã do blogger), o Lula da Silva tem a mentalidade de um porco, cujo sinónimo de paraíso é comer bem.

    Mas voltemos à questão. O comunismo está em oposição ao sermão da montanha. Nisso, apesar de resistência inicial motivada por desonestidade intelectual do Wyrm, teremos concordamos. Assume-o, antes de começares a defender a mensagem comunista como se fosse melhor e mais racional do que a do sermão da montanha.

    ResponderEliminar
  22. Aí até concordo com o Jairo.

    O que Cristo diz sobre os ricos tipo " mais fácil um camelo passar pelo buraco duma agulha que um rico entrar no reinos dos céus" e cia deve ser visto como meta-metafórico, dentro do contexto e bem interpretado.

    Há quem diga que camelo era um tipo de fio usado na época suficientemente grosso para ser um pouco difícil, mas não impossível, de enfiar numa agulha. Coisa até simples de resolver para alguém rico que pode fazer uma agulha com um buraco suficientemente grande para caber um camelo animal quanto mais um fio à base de pelo de camelo.

    É necessário ver bem o contexto. Texto fora do contesto é pretexto.

    É o caso da má interpretação das palavras de Paulo sobre a sexualidade e o papel das mulheres:

    "As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja." (1 Cor. 14:34-35).

    Claro que , é bom de ver, só quer dizer que as mulheres não podem ser ordenadas mas que até podem falar, sem serem ordenadas, e tal e coisa.

    Isto é tudo uma questão de boa interpretação.

    Ora bolas.

    E muitas vezes o não quer dizer sim.
    Quantos violadores não sabem isso ?

    ResponderEliminar
  23. "mais fácil um camelo passar pelo buraco duma agulha que um rico entrar no reinos dos céus"

    Exacto. A riqueza coloca-nos numa situação de poder. E às vezes só não fazemos coisas más, porque não temos poder nem oportunidade para isso. Jesus alerta para o perigo do amor à riqueza para a salvação PESSOAL de cada um. Jesus não condena a riqueza, nem os ricos, nem, muito menos, pede um estado forte ( governado por ricos e poderosos) como a entidade mágica e omni-altruísta que vai salvar a humanidade da pobreza. Jesus disse "sempre haverá pobres no meio de vós".

    É impossível compatibilizar o Cristianismo com o Socialismo. A não ser que se seja desonesto, ou ignorante.

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.