sábado, novembro 29, 2008

A vacuidade existencial na ausência do Divino.

Uma contribuição de D. Mário Neto, blinólogo.

Todas as religiões partilham algo de Verdadeiro. Mesmo aquelas que não reconhecem explicitamente a existência dos Blin, e a Sua natureza Divina, veneram algum aspecto destes Seres Supremos aos quais devemos todo o universo. Por isso já há muito que a blinologia não se arroga de ser a única dona da verdade e acolhe, tentando guiar, todas as formas menos esclarecidas de receber a Revelação. Dos cristãos aos muçulmanos, dos hindus aos cultos da carga nas ilhas do Pacífico, no fundo todos os crentes se entregam à glória dos Blin. Só os ateus se distanciam da Verdade.

Por isso a blinologia tem liderado o diálogo com os ateus, baseando-se na premissa inegável que o ateísmo é o maior drama da humanidade e só conduz ao absurdo, à incerteza e à imoralidade. Só nesta base pode assentar um diálogo construtivo e só este princípio pode promover a tolerância, que consiste em impedir que os ateus critiquem a religião. Como muitos ateus não compreendem os problemas do ateísmo, este breve texto visa esclarecer as suas dúvidas.

O ateísmo condena-nos ao absurdo porque o fundamento lógico de todo o universo deriva dos Blin. Assim, negar a existência e natureza divina dos Blin é negar o fundamento lógico de todas as coisas. E é fácil ver as consequências. Imagine o leitor uma árvore, uma montanha ou uma pedra. A pedra é dura, redonda, pesada e fria. Agora imagine essa mesma pedra, com as mesmas características, mas sem o seu fundamento lógico. É este o universo que os ateus propõem. Um universo em que as pedras não têm lógica.

A incerteza é outra consequência do ateísmo. Pode não parecer grave. Afinal, todos os dias lidamos com a incerteza quando decidimos levar o guarda-chuva ou aceitar uma oferta de emprego. Mas aquilo que permite viver com incertezas é a certeza absoluta na Palavra, Frase e Parágrafo dos Blin, tal como é revelada na sagrada Blínia. Mesmo os crentes que vivem sem essa Palavra, pelo infortúnio de terem crescido com religiões menos esclarecidas, mesmo esses seguem livros que reflectem, ainda que imperfeitamente, a Revelação Blin. Sem essa certeza reina o caos. Li numa notícia recente que um aluno em Cambridge estava a ameaçar o ensino da matemática precisamente devido ao relativismo que é consequência desta falta de certezas. Deixo no final deste texto a ligação para o leitor verificar por si o estado lamentável ao qual o ateísmo nos leva.

Ao contrário do ateu, o crente tem uma certeza absoluta justificada pelo principio da cogitatio votiva, um principio inerente à fé, transversal a todas as religiões e que transcende a própria razão. É a posição dos ateus que é incoerente porque, por um lado, estes rejeitam a certeza absoluta da fé mas, por outro, e em contradição directa, querem duvidar da crença religiosa. Afinal, meus caros ateus, em que é que ficamos? Ou bem que duvidam, ou bem que rejeitam a certeza. Ambos é que não pode ser.

Mas o pior do ateísmo é negar a moralidade. É incontestável que se os Blin não existissem então tudo seria permitido. Cuspir na sopa, arrancar olhos e bater na avó. Sem os Blin não há bem nem mal e sem bem nem mal não há moral. É evidente que todos nós, crentes ou infiéis, somos dotados pela divina providência de uma intuição que nos permite distinguir o bem e o mal. Todos reconhecemos que é maldade torturar crianças ou dizer mal dos rituais religiosos. Isto faz parecer que o bem e o mal não dependem de um comando divino. Mas sem a fé o ateu perde o fundamento moral de sentido para o sentido do fundamento da sua moral, que é fundamental para que a moral faça sentido.

É difícil aos ateus compreender a lógica da fé ou perceber como a sua verdade transcende a mera correspondência entre afirmações e realidade. A fé transporta-nos para uma noção de Verdade que se guia, em última análise, pela devoção ao Sagrado, ao Transcendente e à Maiúscula. A observação pode dizer-nos muitas verdades. Há que respeitar a ciência e todos os seus triunfos. Mas é o critério do coração que nos diz a Verdade, pois a Verdade é aquilo do qual podemos ter certeza absoluta por queremos muito que seja assim.

Student stumps world’s greatest minds by adding ‘in YOUR opinion’ to end of every argument.

62 comentários:

  1. João Vasco,

    :)

    Mas, na verdade, este ficou com a tag de sarcasmo em vez de gozo porque veio mais de um sentimento de frustração do que de bom humor. Rir para não chorar...

    ResponderEliminar
  2. «Por isso já há muito que a blinologia não se arroga de ser a única dona da verdade e acolhe, tentando guiar, todas as formas menos esclarecidas de receber a Revelação.»

    Muito bom!

    E na citação, a parte em que o Hawking atira com o teclado também está muito boa...

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Dr. Neto,
    obrigada pela elucidação. Agora, com licença, que vou acender uma velinha ao Ser Suptemo que dá pelo nome de Xocolátl.
    Cristy

    ResponderEliminar
  6. mama eu quero30/11/08, 14:58

    Ah, grande Mário!

    ResponderEliminar
  7. Sinceramente, desconheço em absoluto essa coisa de "blinologia".

    Como não sei de que trata, não comento.

    Mas, se alguém quiser esclarecer de que se tratar, agradeço.

    Sinceramente, não sei o que é um blin!

    ResponderEliminar
  8. Das duas uma, ou o Zeca é um otário ou não sabe fazer ironia de jeito.

    ResponderEliminar
  9. Aí está um exemplo de boa educação!

    "ou o Zeca é um otário ou não sabe fazer ironia de jeito."

    Nem uma coisa nem outra!
    Mas, desta "porta" não se deve esperar melhor resposta!

    ResponderEliminar
  10. LK: Yeah, but that’s like just you imposing your cultural views and values on me. It is just YOUR opinion.

    ResponderEliminar
  11. Hi Thomas,

    Says you. But that's just YOUR opinion :)

    ResponderEliminar
  12. Estes senhores, os Blinios, serão parentes do Bínia? Assim muita coisa se explica...

    ResponderEliminar
  13. Zeca,

    "Aí está um exemplo de boa educação!"

    Como aquela dos paneleiros.
    Educação é que não lhe falta, e não confunda a minha opinião com esta "porta" pois é a primeira vez que aqui venho, vindo do seu curral. Quer fazer uma colagem forçada à laia de generalização? É isso que você queria não era? É mesmo otário. E aqui não manda você como escreve lá no deu Barda-log.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  14. Ludwig, os meus parabéns. Quase convenceste este ateu a converter-se a uma religião :P

    ResponderEliminar
  15. "ou o Zeca é um otário ou não sabe fazer ironia de jeito."

    Ironia? Um gajo mais "pão-pão-queijo-queijo" do que "destesto paneleiros e afins", não há! Este rapaz é a personalidade plana em pessoa!

    A ironia podia dançar nua à frente dos olhos dele que ele não se apercebia. Principalmente se fosse um homem. Paneleirices não...

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo e Ska

    "não confunda a minha opinião com esta "porta" - a isto chama-se. desculpa de mau pagador.

    Evidentemente que detesto paneleiros. Um paneleiro não é um simples gay. Paneleiro é aquele que anda por aí a dar espectáculos indecentes, a fazer afirmações indecorosas, obscenas e escandalosas, e que pastoreia alguams javardices politicas.

    Nada tenho contra os gays (e outros que ficaram nessa fase de desenvolvimento), desde que vivam as suas diferenças sem incomadr ninguém, de forma civilizada e socializada.

    Quanto a "blinologia"... desconheço!

    ResponderEliminar
  18. Pedro Ferreira01/12/08, 13:15

    Zeca,

    Segundo a seu definição de "paneleiro", há muita gente que se inclui nessa categoria. Por exemplo, o Alberto João Jardim: encaixa-se na perfeição em todos os atributos que menciona.

    É mesmo essa a definição de "paneleiro"?

    ResponderEliminar
  19. ""ou o Zeca é um otário ou não sabe fazer ironia de jeito."

    Nem uma coisa nem outra!"


    Isso é apenas a SUA opinião.

    ResponderEliminar
  20. Eu quero dizer que isto aqui, isto aqui, é tudo uma cambada de gatunos, uma cambada de ladrões, e uma cambada de Zécas de Portugal!

    ResponderEliminar
  21. "Nada tenho contra os gays (e outros que ficaram nessa fase de desenvolvimento), desde que vivam as suas diferenças sem incomadr ninguém"

    Espero que no próximo dia 8 não existam condicionamentos ao trânsito em 90% das terras portuguesas. A isto chamar-se-ia coerência.

    ResponderEliminar
  22. Zeca:

    ""não confunda a minha opinião com esta "porta" - a isto chama-se. desculpa de mau pagador."

    Você é duplamente otário, se eu assumo o que digo por mim e o escrevo claramente para desvincular desta "porta" e mesmo assim você diz que é desculpa de mau pagador eu assumir o que digo. Livra, você não deve muito à inteligência. Isso é compatível com um tique ou problema qualquer de dislexia que tem, anda sempre a trocar as letras quando escreve, será que já escreve aqui a espumar da boca? Já tomou a medicação hoje? E já agora. O que faz num blog ateu? Não é daqueles com visão cavalar que afirma se não acredita em algo então não se deve opinar? Então por arrasto (não bem a mesma coisa)o que vem fazer aqui? A pergunta é mesmo por curiosidade, não para o mandar embora, pois você até tem piada e anima com o seus comentários, dava para um número de circo com paneleiros à mistura e tudo.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  23. Sá mais uma coisa.

    quando digo: "A pergunta é mesmo por curiosidade, não para o mandar embora," nem que eu quisesse poderia, pois este blog não é meu, e não sofro desse problema. E que isto tem que ficar muito bem explicadinho para o Zeca.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  24. Zeca:

    Não seja assim, olhe que os mais conservadores normalmente têm reprimido um sentimento gaysola ai dentro, saia do armário, solte a franga, vista o fato de lantejoulas e com a voz afectada e com a mãozinha revirada grite: Uiiiiiiiiii......... Verá que ficará menos agressivo. Veja o caso do austríaco de estrema direita Jörg Haider (de quem menos se esperaria), afinal era gay, como se pode ler aqui. Não reprima o que lhe vai na alma, Deus entenderá.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  25. No comentário do Barba Rija das 14:25 h, há que explicar algo, pois o Zeca Portuga é lentinho.

    A frase "isto aqui, isto aqui, é tudo uma cambada de gatunos, uma cambada de ladrões, e uma cambada de Zécas de Portugal!" é de um vídeo dos Gato Fedorento que se pode ver aqui (ver o vídeo todo). E onde figura "Zécas de Portugal", no original dos Gato Fedorento está "Chupistas", que no sentido que eles lá dão é de "praticantes de sexo oral" LOLOLOL.
    Isto tem que ser bem explicadinho para o Zeca, senão ele fica muito confuso.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  26. Até tenho alguma pena que a discussão que poderia ser interessante a respeito deste texto acutilante seja toda em redor das alarvices do "Zeca". E logo agora que se tornou fácil de lidar com o Perspectiva (com a pergunta da informação).

    ResponderEliminar
  27. "Segundo a seu definição de "paneleiro", há muita gente que se inclui nessa categoria. Por exemplo, o Alberto João Jardim: encaixa-se na perfeição em todos os atributos que menciona."


    Posso fazer-te uma estátua? Explodi a rir

    ResponderEliminar
  28. Em primeiro lugar, duas coisas:
    1 - eu não tenho acesso a video e sprites animados (links para video não me servem de nada).
    2- o meu teclado não tem caracteres portugueses, como já expliquei noutro post. Como resultado, há muitas letras que não sei de cabeça o código ascii e tenho dificuldade em inserir manualmente.

    Anónimo:
    Otário é você… Eu sei que o reino do ateísmo é um Carnaval permanente, mas por mim, pode tirar a máscara. De resto, as suas palavras tresandam a kms de distãncia. Será tão ingénuo que imagine que o tenho por alguém em quem se possa confiar “na palavra”, ou no “compromisso de honra”?

    Não sou paneleiro, detesto paneleiros como você, e dispenso a narrativa da sua indumentária, da coreografia que usa nos seus arrufos de paneleirice e da sua prática no assunto. Abomino tais palermices.
    O que eu não percebo é o que tem o João Jardim a ver com isto? Sinceramente não sei se ele é ou não gay e paneleiro, não conheço pessoalmente – voc~es lá sabem!

    O que faço num espaço de ateus?

    É fácil!
    Eu gosto de espreitar para dentro das pocilgas. Gosto de ver como algumas criaturas se revolvem entre o lixo, enterradas até á barbela pela imundice, roncando finezas e grunhindo teorias.
    Sou um ser humano muito simples e humilde. Conhecendo a porcaria, posso afastar-me melhor dela.
    Além disso, para acirrar os ânimos dos membros da comunidade “roncante” que visito, gosto de atirar umas bolotas… lá vão todos ao monte chafurdar na vernácula “cultura”, com tais atributos de fineza, probidade e sapiência, que me deixam “varadinho”!
    Será que existe melhor desporto do que este.

    Aprecio, principalmente, uma cabeça que sobressai de entre todos, pelo aprumo e fineza dos seus posts. Parafraseando o meu autor latino preferido, diria: “da vara de Epicuro, idóneo porco!

    Há homens que são como os morcegos… a luz incomoda-os.
    Por isso, não tardo muito a ser expulso!

    ResponderEliminar
  29. Otário, digo, Zeca Portuga:

    Você ficou histérica! Até daqui ouvi o seu "Uiiiiiiiiiii" (com voz afectada e mão revirada). Deixe sair a sua verdadeira identidade, deixe. E não se mortifique mais.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  30. "varadinho"

    Oh caraças... é assim que muitos começam...

    ResponderEliminar
  31. O Zeca Portuga é o expoente máximo da educação. Basta ver o que escreve. É rir a bom rir. Otário!

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  32. Voc~es lá sabem o que corre entre vós. Não adiante lançar petardos, porque ainda há gente honesta, embora vos custe a acreditar!

    Com que então, queriam tratal insultar e manter-se incólumes: eu sou católico, mas não sou santo. ante determinado tipo de pessoas (que já conheço mais ou menos), reservo-me no direito de lidar com armas similares.

    ResponderEliminar
  33. Uma curiosidade que me assola há uns tempos(se alguém me quiser responder, o que deve ser dificil):

    O guru deste blog tem um nome assim... um bocado pró nazi... não pertence á nova seita dos seguidos do bigorrilho pintor de tabuletas, pois não?

    ResponderEliminar
  34. Caro Zeca,

    O que é um nome nazi?

    Já agora, como deve imaginar, o meu nome foi-me dado muito antes de eu formar opiniões acerca do que for, pelo que não é razoável assumir uma corelação entre o primeiro e estas últimas.

    ResponderEliminar
  35. Pedro Ferreira01/12/08, 21:30

    Zeca,

    "O que eu não percebo é o que tem o João Jardim a ver com isto? Sinceramente não sei se ele é ou não gay e paneleiro, não conheço pessoalmente – voc~es lá sabem!"

    Como fui eu que fiz a comparacao, vou-lhe tentar explicar. O Zeca disse que um paneleiro é (vou fazer copy-paste do que disse...):

    "Paneleiro é aquele que anda por aí a dar espectáculos indecentes, a fazer afirmações indecorosas, obscenas e escandalosas, e que pastoreia alguams javardices politicas."

    O Alberto Joao Jardim, na minha opiniao, da espectaculos indecentes, faz afirmacoes indecorosas, obscenas e escandalosas e pastoreia javardices politicas. Logo, é paneleiro segundo a sua definicao...

    Nao me diga que tambem nao entende esta logica elementar... ;)

    PS: Tambem nao tenho teclado portugues em casa. Encomendei um mas ainda estou a espera que chegue, dai a falta de acentos...

    ResponderEliminar
  36. "lidar com armas similares"

    Também é assim que muitos começam. A cruzar espadas, e assim

    ResponderEliminar
  37. Pedro Ferreira:

    O seu grande mal, aliás, o grande drama desta chusma de ateus (ICAR – Insolentes e Contraculturais Ateus Republicanos) é a sua falta de personalidade e honestidade.

    Por que razão o João Jardim é chamado para aqui? Porque na mente badalhoca de um ateu sem escrúpulos, sem princípios e sem honestidade, basta truncar uma frase de uma pessoa e cravar com ela num comentário, retirada do contexto e despida de significado, para justificar o que quer que seja.

    São essas as armas de um verdadeiro proxenetismo ideológico e de mentes com tuberculose cultural.

    São desse quilate os argumentos que sempre usam: aldrabam frase e com eles constroem aquilo a que chamam ideias!

    Eu nunca falei no João Jardim (não o conheço pessoalmente, nunca falei com ele pela Net – acho que não tem Blog… não gosto de política, não sou republicano, ele nunca me fez mal nenhum… por que havia de falar dele!?).

    Aí está a falsidade com que os ateus tratam tudo.

    Falando de paneleiros e de gays, eu disse que um gay é alguém que não dá escândalo e vive as suas diferenças sem provocações; ao contrário, um paneleiro é um gay “que anda por aí a dar espectáculos indecentes, a fazer afirmações indecorosas, obscenas e escandalosas, e que pastoreia algumas javardices politicas."

    E mantenho!!!

    Não se vossas excelências são mesmo alienados, ou se demonstram ser “mancos dos miolos” só para dar nas vistas…

    O certo é que fazem figuras de que nada abonam em favor da vossa imagem. Um individuo pode ter uma má ideologia, mas no mínimo deve ser honesto, sério, verdadeiro e correcto


    Tão tenrinhos que são estes ateus!!!

    Quanto ao teclado, nem lhe respondo - voc~e não é digno de uma resposta de Homem!

    ResponderEliminar
  38. «O Alberto Joao Jardim, na minha opiniao,»

    1) «da espectaculos indecentes, »
    1
    2) «faz afirmacoes indecorosas, »
    2
    3) «obscenas e escandalosas»
    3
    4) «e pastoreia javardices politicas».
    5

    Logo, é paneleiro segundo a sua definicao...»

    Sim, é paneleiro segundo a definição. E pelos vistos o Zeca não tem o problema de usar essa palavra suja para também participar no Carnaval. Também li aquela escapadela quando foi-lhe dado a resposta do "não A então não B" equivale a "B então A". Falhaste no elementar da lógica respondendo como um otário, segundo o meu dicionário. Para ele não ser menor que 1 é ser igual a 1. Uau! Já agora não ser azul também deve ser o mesmo que ser vermelho. Mas como existe uma transição entre o azul, violeta e vermelho...

    Existem umas boas parábolas de Jesus, como a trave no olho, e umas regras, como não chamar de tolos aos outros e não usar linguagem suja, que deve tê-lo escapado.

    ResponderEliminar
  39. Zeca:

    "Por que razão o João Jardim é chamado para aqui?"

    Irra que você é mais otário do que eu julgava. Sugiro ao Pedro Ferreira que lhe explique com laranjas e maças para ver se assim entende.

    "Tão tenrinhos que são estes ateus!!!"

    Expressão mais abichanada não poderia haver. Sua comilona! Anda atrás de carninha tenrinha sua marota.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  40. Já percebi que o João Jardim gosta tanto de panelerios eu...
    é que eles são exactamente como as galinhas (em tudo!): sentem barulho, não param de cacarejar.

    Este Otario, já viveu muitos mais Janeiros do que voc~e, podre Pedro.

    E, do que vejo, vai necessitar de umas toneladas de papa Nestlé, apra falr a linguagem de João Jardim!

    ResponderEliminar
  41. Se é assim, fico mais descansado. Basta dizer:

    Nestes blog chafurdam ateus que gostam de dar espectáculos indecentes, fazem afirmações indecorosas, obscenas e escandalosas e pastoreiam javardices politicas.

    Agora é só aplicar a lógica de miúdos da 4ª classe.

    O que se torna engraçado é que há uma certa estirpe de analfabetos escolarizados (que infelizmente até já chegou aos quadro de algumas universidades portuguesas), que se tornaram tão ridículos, pela presunção de “sofistas” que metem pena… pobre república das bananas!!!

    Tanto “tadinho” armado em sábio!?

    ResponderEliminar
  42. Caro Zeca:

    Que mais artes circenses sabe fazer alem de palhaço? É que por esta altura do ano o Circo Victor Hugo Cardinali está carente de otários, digo, ilustres colaboradores como o Zeca. E volta para ser ridicularizado, e volta e volta e volta... Tipo Duracell.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  43. Zeca,

    "Tanto “tadinho” armado em sábio!?"

    Alguém aqui se disse sábio? Você sem mesmo querer, no seu escárnio, necessariamente encerra um elogio. Otário!

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  44. "Tão tenrinhos que são estes ateus"

    Oh carago. Esta agora é óbvia de mais. Não é assim que muitos começam, este é mesmo o segundo passo para a maior parte!


    E o que é giro é que o tio ZP é tão mas tão lento que ainda não deve ter percebido de que é que eu falo quando digo que "muitos começam" alguma coisa...)

    ResponderEliminar
  45. Pedro Ferreira02/12/08, 05:53

    Zeca,

    "Quanto ao teclado, nem lhe respondo - voc~e não é digno de uma resposta de Homem!"

    Mas Zeca... Eu nao tenho culpa de viver no Luxemburgo e nao haver por aqui teclados portugueses... :)

    ResponderEliminar
  46. "Qual Bínia? Este no Senegal?"

    Caro Ludwig

    Desculpa-me o momento prosaico. Era mesmo o Binia...do Benfica. Quanto à localização, também é de África: Camarões.

    ResponderEliminar
  47. Zeca Portuga,

    apoiado! Mostre a estes ateus de meia-tigela de que é feita a fibra de um cristão com bons valores e moral inatacável!

    Zurza nestes pindéricos que renegam a Deus, mesmo sem razão nenhuma!
    Dispare atoardas que os deixem sem resposta! Mesmo uma afirmação sem nexo feita por um religioso bate qualquer raciocinio lógico e fundamentado destes badamecos que não valem um caralho!
    Decerto conseguirá, senão convertê-los, ao menos abaixar a crista destes insolentes.
    Continue o óptimo trabalho.

    Um abraço

    Rui.








    P.S. Você é uma besta.

    ResponderEliminar
  48. Bem!...

    Quando alguém se aproxima da pocilga, ou toma cuidado ou corre o risco de ficar contagiado...

    "Nunca se alardeia tanta cultura como quando abundam os néscios" - disse Séneca (tão certeiro que até parece que visitava este blog).

    Na minha aldeia dizia-se: quem se mete com canalha, um dia acaba borrado!

    Nota: Pedro - você não tem teclado português, tal como, eventualmente nenhum dos circunstantes terá. Todos devem ter um teclado universal. Porém, existem outros teclados, outros alfabetos, outras configurações de teclado...
    Você é um pobre de espirito e julga que todos têm a sua falta de honestidade e seriedade. No que me toca, está muito enganado!

    ResponderEliminar
  49. Zeca:

    Você é masoquista não é?! Além de rabeta frustrado ainda gosta de apanhar. Vá, presentei-nos com mais uma pirueta, a gente aplaude.

    Luís Monteiro

    ResponderEliminar
  50. Pedro Ferreira02/12/08, 14:36

    Zeca,

    "Você [Pedro Ferreira] é um pobre de espirito e julga que todos têm a sua falta de honestidade e seriedade."

    Só lhe perdoo porque você consegue animar este blog como ninguém...

    ResponderEliminar
  51. Hehehe. O pessoal insulta-se á grande mas continua a tratar-se por voçê : )
    Fenómeno comportamental interessante.

    Ó Zeca, vou tratar-te por tu, pode ser? É que tenciono insultar-te alegremente e não me parece necessário a cordialidade e repeito que o "voçê" implica.

    Há uns post atrás disseste isto acerca dos paneleiros: "Trata-se, isso sim, de um farsantes que faz das suas perversões sexuais uma palhaçada, que alinha em tudo o que seja dabalhoquice pública (vulgo: “paradas”) e tem a tara de que se deve impor à sociedade as suas perversões como a normalidade, reclamando a adaptação dos valores, das instituições e das práticas culturaís/sociais à sua perversão."

    Substitui "perversões sexuais" por "religião" e tens a descrição perfeita das procissões católicas que cortam o trânsito e fazem barulho aos fins de semana. Das exigências da igreja em relação ao planeamento familiar.

    Nem me vou pronunciar acerca das batinhas abichanadas dos padres, seria facil demais...

    Cool não é?

    ResponderEliminar
  52. Krippmeister;

    Assume, portanto, como bom ICAR (Insolentes e Contracultruais Ateus Republicanos), que a sua intenção é apenas insultar.

    A deparavação e a falta de educação é uma caracteristas muito visivel em alguns deficientes - v.g. paneleiros. A sua deficiencia e tão grande que nem e querem tratar!

    Por mero acaso, são os paneleiros a mais repugnante face da pedofilia em Portugal.
    Curiosamente, os ateus paneleiros (como o caro comentador) até criticam a Estrutura da Igreja Católica porque actualmente faz um teste aos candidatos a padre, para evitar os problemas que os paneleiros criam na religião... e fazem exactemente o mesmo. Se não forem os paneleiros, pelo menos são os gays. Ou não foi assim na Casa Pia?

    Mas, caro comentador, falta-lhe dignidade e honra apr poder beijar o chão que pisam ops tais actos religiosos. No seu caso vejo que é por deficiencia... mas que não tem tal dignidade... definitivamente, NÃO!!!

    ResponderEliminar
  53. Zeca disse:

    "Assume, portanto, como bom ICAR (Insolentes e Contracultruais Ateus Republicanos), que a sua intenção é apenas insultar."

    Que remédio. Outros melhores que eu já tentaram ter conversas inteligentes contigo e esmagaram-se contra a irredutibilidade da tua cretinice. E eu nem cabelos tenho para arrancar em frustração...

    "Por mero acaso, são os paneleiros a mais repugnante face da pedofilia em Portugal."

    Aí tens toda a razão. Se há coisa que a descrição bíblica da destruição de Sodoma nos ensina é que para evitar paneleirices até vale entregar as filhas pra serem violadas por uma multidão de sodomitas.

    "Curiosamente, os ateus paneleiros (como o caro comentador) até criticam a Estrutura da Igreja Católica porque actualmente faz um teste aos candidatos a padre, para evitar os problemas que os paneleiros criam na religião..."

    Não critico nada. Estou perfeitamente de acordo com o teste! Fechem-se os aspirantes a padre na sacristia com os meninos do coro durante 4 horas, e depois logo se vê quantos saem de lá a andar como se estivessem a tentar tirar as cuecas do rego sem usar as mãos. Se forem menos de metade passou o teste.

    "Mas, caro comentador, falta-lhe dignidade e honra apr poder beijar o chão que pisam ops tais actos religiosos. No seu caso vejo que é por deficiencia... mas que não tem tal dignidade... definitivamente, NÃO!!!"

    Para beijar o chão que pisam tais actos religiosos precisava de mais que dignidade e honra. Precisava ter as vacinas em dia e que não houvesse trânsito. E mesmo assim olha que não sei. Não fosse algum padre ter aldrabado no teste e apanhar-me ali debruçado...

    ResponderEliminar
  54. Pedro Ferreira02/12/08, 23:53

    Krippmeister,

    "a andar como se estivessem a tentar tirar as cuecas do rego sem usar as mãos"

    LOL

    Como nao ha testes infaliveis, demonstras prudencia em nao andares a beijar o chao. :)

    ResponderEliminar
  55. Se o Krippmeister é um ateu paneleiro que só merece andar a beijar chão, o que é que isso nos diz sobre o exímio beija-chão Papa João Paulo II?
    Cristy

    ResponderEliminar
  56. Que saudades que eu tinha do Dr. Mario Neto!

    beijos

    ResponderEliminar
  57. Ludwig: a parte «Por isso a blinologia tem liderado o diálogo com os ateus, baseando-se na premissa inegável que o ateísmo é o maior drama da humanidade e só conduz ao absurdo, à incerteza e à imoralidade.» devia ser reescrita para a coisa se tornar mais subtil e manhosa. Algo do tipo:
    «Por isso a blinologia tem liderado o diálogo com os ateus, baseando-se na premissa de que o ateísmo é o maior drama da humanidade, carregando a sombra do absurdo, da incerteza e, nos casos mais radicais, da pura imoralidade.»

    ResponderEliminar
  58. This Blin sounds a bit like a franchise of the Church of the Flying Spaghetti Monster! :-)

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.