domingo, novembro 16, 2008

Treta da Semana: Centro de Deduções Lógicas.

O Sinn-Klyss, que copiou para aqui um texto esotérico (1) indica no seu perfil no Blogger que a sua ocupação é “Instrutor de Lógica Nuclear” (2). Tentando saber mais sobre esta profissão acabei, via Google, no Centro de Deduções Lógicas do Geraldo Antunes Cacique. Fascinante. O Geraldo formou-se em Engenharia Civil em 1963 e dedicou a sua carreira a projectos de construção até 1998, quando «por não concordar com um artigo sobre aceleração da expansão do Universo, começou trabalhar nas várias questões que tratou como A Dinâmica do Universo, ou seja, tudo o que ocorreu após o Big Bang.»(3) Um projecto ambicioso que teria beneficiado de alguns conhecimentos de física que, infelizmente, se destacaram pela sua ausência.

O Geraldo Cacique dedica várias das suas deduções lógicas a argumentar a favor da força centrífuga, que ele considera injustamente desprezada pela ciência. Critica os físicos que a interpretam erradamente como uma força fictícia que se tem que considerar em referenciais rotativos, expondo com clareza que não sabe o que é um referencial rotativo. Dica para o Geraldo: se o carro está a dar uma curva então está num referencial que não está a dar essa curva porque em relação a esse o carro estaria parado (4).

Mas mais notável é a contribuição do Geraldo para a relatividade geral e cosmologia. Por exemplo, o « O Efeito Cristina ou a instantaneidade da luz nos proporciona a mágica de enxergarmos todo o nosso Universo Visível nas posições reais em que os seus astros ocupam no momento em que os observamos, como se os fótons tivessem a capacidade de se mover de maneira instantânea.» (5) Ou o Efeito Camila, «a propriedade da luz que nos permite formar triângulos retângulos virtuais no movimento relativo v, entre uma fonte de luz e um receptor dessa luz, desde que conheçamos o módulo v dessa velocidade e as posições da fonte e do receptor da luz.»(6) A relevância deste efeito não se restringe à Camila mas abrange toda a física, a julgar pelo que explica o Geraldo:

« Os físicos, por não conhecerem o funcionamento da luz nem o Efeito Camila, para explicar a Relatividade pensam em dilatação do tempo e contração do espaço, acabando sem explicar de uma maneira simples o que é Relatividade.»

O Centro de Deduções Lógicas é um site rico em surpresas, entre as quais a de ter quase tudo menos o que o título sugere.

1- Ciência, especulação e colecção de cromos.
2- Sinn-klyss - Expressão de Uma Mentalidade
3- Centro de Deduções Lógicas, Biografia de Geraldo Antunes Cacique
4- Centro de Deduções Lógicas, O que é força centrífuga e o seu funcionamento
5- Centro de Deduções Lógicas, Efeito Cristina ou Instantaneidade da Luz
6- Centro de Deduções Lógicas, O Efeito Camila

21 comentários:

  1. "Os físicos, por não conhecerem o funcionamento da luz nem o Efeito Camila, para explicar a Relatividade pensam em dilatação do tempo e contração do espaço, acabando sem explicar de uma maneira simples o que é Relatividade."

    Posso confirmar o efeito Cristina, mas pelas razões inversas às do efeito Camila: contracção do tempo e dilatação do corpo, mais precisamente, de certa parte do meu corpo.

    ResponderEliminar
  2. As teorias naturalistas sobre a origem do Universo estão numa situação de falência técnica.

    A origem da matéria e da energia que explodiu no princípio, causa da explisão, a inflacção, a paragem da inflação, a origem das estrelas, galáxias, planetas, sistema solar, Terra, Lua, etc., continua envolta em mistério e especulação.

    Em causa está, igualmente, princípio cosmológico, ou coperniciano, afirma que vivemos num Universo sem centro nem fronteira.

    O mesmo tem sido sistematicamente utilizado para refutar a veracidade da Bíblia, à semelhança do que tem sucedido com outros argumentos falhados, como os dos “órgãos vestigiais”, “junk-DNA”, Lucy, Neandertais, “penas de dinossauros”, etc.

    Como estes argumentos falharam, o princípio coperniciano também falhou.

    As observações mais recentes desmentem essa visão do cosmos, levando alguns autores a advogar a adopção de uma cosmologia pós-coperniciana, que sublinhe a estruturação do Universo e a singularidade da Terra.

    Nesse sentido tem apontado, por exemplo, a quantização das galáxias, que se estruturam em círculos concêntricos equidistantes.


    Para muitos, tal mudança de paradigma é tabu, na medida em que toda uma visão naturalista do mundo cairia por terra.

    No entanto, as evidências científicas podem torná-la inevitável.

    Por exemplo, um artigo recente, na revista “Science”, de Setembro de 2007, revela que alguns cientistas começam a pensar seriamente que o princípio coperniciano está errado, na medida em que encontram evidência de polarização no Universo.

    No mesmo sentido, a revista Science et Vie, de Outubro de 2008, volta a enfatizar a singularidade da Terra e do sistema solar, com base em observações astronómicas, falando da necessidade de uma nova revolução coperniciana, mas agora de sentido contrário.

    A Bíblia afirma que a Terra é singular, tendo sido especialmente desenhada para habitação do ser humano.

    Como não poderia deixar de ser, contendo a Bíblia o relato da Criação inspirado pelo Criador, as observações científicas só poderiam corroborar esse entendimento.

    Realmente, quando vemos as ideias propostas por alguns cosmologistas acerca da origem e da natureza do Universo, vemos que desde há muito foram ultrapassados os limites da ciência e da racionalidade.

    Muito está hoje entregue à especulação, à imaginação e, porque não dizê-lo, à arte impressionista.

    Assim, alguns físicos e cosmologistas da actualidade, como Alan Guth, Andrei Linde, Leonard Susskind, Lisa Dyson, Paul Davies, etc. propõem-nos:

    1) universos compostos por observadores desconectados no espaço (entre os quais estaríamos nós, a imaginar que estamos mesmos aqui na Terra);

    2) universos constituídos por um número infinito de cérebros flutuantes, tornando os nossos cérebros normais altamente improváveis;

    3) universos criados pelos seus observadores;

    4) universos surgindo como bolhas de água em todas as direcções em todo o tempo;

    5) universos que dão origem aos seus próprios observadores numa assentada;

    6) universos de múltiplas reincarnações;

    7) possibilidades de flutuações quânticas conduzindo a uma explosão que nos destruiria a nós e ao Universo num instante,

    8) universos em que Deus evolui para depois criar o Universo, etc., etc.

    Diante destas especulações "pseudo-científicas", a ideia forte de que o Universo foi criado intencional e racionalmente por um Deus racional, contendo seres racionais, é aquela que é mais racional.

    Ela permite fazer mais sentido da ordenação do Universo com base em leis estáveis, da sintonia do Universo para a vida, da singularidade da Terra e do sistema solar, dos múltiplos códigos paralelos com informação no DNA, da consciência humana, dos sentimentos morais, do bem e do mal, da linguagem, etc.

    Ela permite fundamentar a ciência, actividade através da qual seres racionais procuram conhecer um Universo racionalmente estruturado.

    ResponderEliminar
  3. Pedro Ferreira17/11/08, 09:46

    Perspectiva,

    Qual é a definição objectiva de "aumento de informação"?

    ResponderEliminar
  4. Pedro Ferreira17/11/08, 09:58

    Ludwig,

    Acho este Sinn-Klyss o máximo. Lança os post e comenta-os de seguida.

    Passei os olhos pelo blog e questiono-me sobre a "quantidade de informação" nele contida. Talvez o perspectiva, especialista nestas áreas, nos ajude...

    ResponderEliminar
  5. Caro perspectiva,

    Ainda não respondeu à pergunta que todos lhe fizémos:

    O que considera ser, objectivamente, um aumento de informação?

    Está a fugir, mais uma vez.

    ResponderEliminar
  6. Bom dia. Voltaram a fechar o meu blogue. Desta vez foi o Tribunal da Póvoa de Varzim. Cheira-me a arbitrariedade.

    htt://povoa-online.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. O Sinn-Klyss, no estilo, lembra um pouco um certo leprechaun. Mas ao menos não fala com rimas, como se fosse um gnomo vestido de guizos.

    Mas vou dar-lhe razão num ponto: nunca vi nada explicado como nas Frequências Termo-Cromáticas...

    ResponderEliminar
  8. Será que, tal como na Holanda, a "maconha" é legal? ;)

    ResponderEliminar
  9. Este senhor é uma achado!

    Nem o prespectiva consegue fazer melhor.

    É verdade prespectiva, não me respondeste às questões de problemas logisticos e criteriosos do diluvio. Tens de compreender que quando é criada uma teoria as suas implicações têm de ser discutidas até à exaustão.

    Como é?

    ResponderEliminar
  10. Perspectiva:

    Qual é a definição objectiva de "aumento de informação"?

    ResponderEliminar
  11. Efeito Cristina? Finalmente uma crença com a qual me posso identificar :-)

    Perspectiva:

    Qual é a definição objectiva de aumento de informação?

    Cristy

    ResponderEliminar
  12. Jónatas, my saviour!

    Como definiria um aumento objectivo de informação?

    Felicíssima celebração da expulsão vaginal de Jesus por Maria,

    Rui Almeida.

    ResponderEliminar
  13. Mário Miguel17/11/08, 18:16

    Perspectiva,

    Qual é a definição objectiva de "aumento de informação"?

    ResponderEliminar
  14. Gaivotas dão gaivotas, macacos tagarelas dão macacos tagarelas, blá, blá, blá...

    E digo eu:

    Papagaios dão papagaios, mas não todos iguais: há uns mais "chatos" do que outros e há ainda aqueles que até comentam em blogues.

    Caro perspectiva continuamos à espera da sua definição precisa e objectiva de "aumento de informação" em vez de continuar a papaguear a treta do costume.

    ResponderEliminar
  15. Apetece-me dizer asneiras...
    Estou ausente umas semanas, e quando volto ainda estão a falar do mesmo.

    Ah! esperem... Já percebi. :-) Vocês estão a falar de outras coisas, o papagaio criacionista é que está a repetir a mesma treta de há semanas.
    Inspirado pelo duende ausente, creio que podemos endereçar um "pok ma hon" bem sentido ao disco riscado do criacionismo. Adiante.

    Eu também ando vidrado nesse "efeito Cristina". Ultimamente apareceram umas tão "lógicas" que estava capaz de fazer sentido com uma... Esse Sinn-Kliss é genial.

    ResponderEliminar
  16. OFF TOPIC

    Este off-topic é para ti Ludwig.

    REDE NACIONAL DE TRETOVIGILANCIA:
    memo interno - (espero que aprecies a brincadeira ) :)

    O que achas do post e do grafico que puseram acerca do aquecimento global no DRN?

    Estou estupefacto...

    ResponderEliminar
  17. E porque é que todos estas malucos são brasileiros ? Será da agua? ou da cachaça?
    Bem... tirando o mestre Alves, claro...


    E já agora: Perspectiva,

    Qual é a definição objectiva de "aumento de informação"?

    ResponderEliminar
  18. "«por não concordar com um artigo sobre aceleração da expansão do Universo, começou trabalhar nas várias questões que tratou como A Dinâmica do Universo, ou seja, tudo o que ocorreu após o Big Bang.»(3)"

    Fico feliz pelo senhor ter podido continuar a trabalhar. Se fosse alguem que não concordasse com o big bang, o mais certo era ser despedido ou ter o financiamento cortado :]

    An Open Letter to the Scientific Community

    ResponderEliminar
  19. Perspectiva, quando responderes á questão da definição objectiva de aumento de informação, fá-lo nos primeiros dois parágrafos do comentário porque ninguém lê mais que isso.

    Obrigado

    ResponderEliminar
  20. Marcos Sabino,

    «Se fosse alguem que não concordasse com o big bang, o mais certo era ser despedido ou ter o financiamento cortado :]»

    Pois. E se um cientista quer investigar de onde as cegonhas trazem os bebés ou de que tipo de queijo é feita a Lua também não financiam. Pura discriminação.

    ResponderEliminar
  21. http://astronomiagraceliana.blogspot.com/19/01/09, 13:50

    http://astronomiagraceliana.blogspot.com/


    http://astronomiagraceliana.blogspot.com/

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.