sexta-feira, maio 04, 2007

Número proibido.

Em Fevereiro foi revelada uma chave digital que permite descodificar todos os DVDs de alta definição publicados até agora (1). São 32 dígitos em hexadecimal. A semana passada a AACS, que controla este sistema de protecção, decidiu reagir. Ameaçou empresas como o Google e o Digg para que removessem de todos os blogs ou páginas que hospedam qualquer referência a esta chave, ao abrigo do «Digital Millenium Copyright Act», que pune a divulgação de formas para evitar as protecções digitais. Os administradores do Digg cederam e eliminaram alguns posts do seu site.

Foi um motim. Em poucas horas dezenas de milhares de pessoas respondiam publicando o número proibido em texto, desenhos e fotografias. Pouco demorou para que o Digg se rendesse à pressão da comunidade de que depende (1). Na quarta feira o Tiago Devezas escreveu que pesquisar esta chave no Google devolvia 288.000 resultados (2). Hoje, dois dias depois, devolve 1.330.000.

Esta chave já é conhecida há dois meses (3). Nem é notícia. Mas numa brilhante jogada pela «gestão de direitos», a AACS decidiu suprimir a bosta que fez saltando-lhe para cima de pés juntos.

Aqui vai o meu contributo, número 1.330.001:

09 F9 11 02 9D 74 E3 5B D8 41 56 C5 63 56 88 C0


1- Kevin Rose, 1-5-07. Dig This: 09-f9-11-02-9d-74-e3-5b-d8-41-56-c5-63-56-88-c0
2- Tiago Devezas, 2-5-07, Utilizadores do Digg revoltam-se contra o próprio site
3- Eu, 14-2-07, Só mais uma voltinha...

5 comentários:

  1. Da nossa conversa sobre protecção de cópia há semanas, esqueci-me de um detalhe que até apoia a posição do Ludwig.
    Na empresa em que trabalhei, a tecnologia era da autoria de um russo e sua equipa de programação, que apesar de bem pagos não recebiam nada que se comparasse a uns idiotas (gestores) que todos os anos redefeniam os critérios de auto-avaliação ao seu jeito, e a empresa estava em contenção de despesas, e começou a proceder a despedimentos para controlar essas despesas. O curioso é que essas alminhas papavam todos os anos, em bonus auto-atribuidos, na casa das dezenas de milhões de euros. O autor da tecnologia, mesmo bem pago, estava a anos luz desses valores. O mesmo se passa com estas editoras e associações da treta do sector da musica e video. Há uns compositores que fazem o trabalho e geram o dinheiro, que depois vai aos milhões, em bonus, para os bolsos de uns quantos, que de competência têm pouca, pois quando a coisa aperta nunca têm soluções, e a conversa é sempre a mesma, o sucesso são eles que assumem, o fracasso é a conjuntura.
    Eu continuo a defender que se deve manter a posse do copyright em quem produz o objecto de protecção (ideia, arte, musica, etc.), mas, quem o distribui não devia poder obter mais que o valor do serviço de distribuição, e esse é muito baixo.

    ResponderEliminar
  2. Relativa/ a copyright a cena está "ao rubro" com a alteração da lei relativa aos direitos de execução nos EU que devia começar a ser aplicada na próxima semana, fiz o resumo possível aqui. Entretanto a lei foi adiada 2 meses.

    ResponderEliminar
  3. Directiva da Propriedade Intelectual aprovada por Governo.

    Ver aqui:

    ResponderEliminar
  4. Mário Miguel22/05/07, 22:14

    Filmes que não puderam ser pirateados????

    Ver aqui.

    ResponderEliminar

Se quiser filtrar algum ou alguns comentadores consulte este post.